Home / Artistas / “César Prada” E o que é a Arte, Quando é Verdadeira, senão a Mais Intensa Forma de Vida?

“César Prada” E o que é a Arte, Quando é Verdadeira, senão a Mais Intensa Forma de Vida?

César Prada é Artista Plástico.

César Prada é Artista Plástico.

César Prada

Como aprofundar-se no universo pictórico de um artista? É possível delimitar a margem que separa a própria biografia, a vida real e a verdadeira, desse outro mundo que nos revelam, evocam ou surgem as criações plásticas? Será que faz sentido formular o clássico dilema entre arte e a vida do artista? No caso de César Prada, especificamente, penso que o trabalho e a vida do artista são inseparáveis. Às vezes, eu mesmo diria que o espaço vital da sua realidade pessoal (família, amigos, projetos …) confunde-se com o espaço íntimo e sentimental da qual surgem as imagens refletidas em suas pinturas e esculturas.

Trovadora VerdeEm uma novela curta de Henry James, ‘La lección del maestro‘ (A lição do mestre), que tem como questão central a edição anterior, pergunta-se um de seus personagens memoráveis:

“E o que é a arte, quando é verdadeira, senão a mais intensa forma de vida?”

MaternidadePrada nasceu no ano de 1951 em uma rua emblemática, ‘A Barreira’ da antiga cidade de Ourense (ou Auria), município da Espanha. Em primeiro lugar, convém salientar a situação familiar: criou-se no seio de uma família modesta e muito grande. Modesta no sentido de que é necessário ganhar o pão de cada dia. E muito grande é uma simples evidência, observando-se que César Prada é o terceiro filho de um total de nove irmãos. Não nos esqueçamos, ainda, que os anos cinquenta foram escuros e de economia dura para todos os ourensanos.

FiestaMas o futuro pintor e escultor (atualmente em sua plenitude artística e atingindo a maturidade) é um inquieto e inconformado, que sente uma profunda curiosidade perante qualquer nova experiência. Para ele é irresistível a chamada do horizonte dos sonhos, de mergulhar na aventura do desconhecido, na aventura da vida. Portanto, não é difícil imaginá-lo nas ruas, em casa, no Jardim de Posío, aprendendo e assimilando a apaixonante lição da vida. Aprendendo finalmente, a lição de Scherezade, ou seja: salvar a vida com a ajuda da arte, sobreviver a miséria, mediocridade e estreiteza de cada destino ameaçador. No caso de Prada, salvar a vida desenhando, esculpindo ou pintando imagens captadas no espelho dos sonhos e das fantasias.

Cuerda nº1Prada reflete em suas obras sentimentos essenciais da vida cotidiana, do comum. Para salvá-los da transitoriedade: algo semelhante a chamada poesia da experiência ou talvez a palavra no tempo de D. Antonio Machado.

Aos 12 anos de idade ele começou a estudar pintura e escultura na Escola de Artes e Ofícios de Ourense. Recorda-se com admiração e gratidão ao Mestre D. Aurelio Iglesias, de quem tornou-se um discípulo em seu atelier. Mas a necessidade é imediata. Em breve, seu pai coloca César para trabalhar e contribuir de forma a sustentar a humilde economia familiar. Os interesses artísticos do jovem Prada nunca diminuíram. A partir de então tornou-se um ativo autodidata no campo da pintura e da escultura.

Aos 15 anos, sua despedida de estudos oficiais é definitiva. Mas a seu espírito dinâmico nada é estranho. Assim, em paralelo com o trabalho, desenvolve muitos passatempos: como tocar bateria em várias bandas. Atividades que combinam o trabalho com o comércio, como a realização de vários pedidos de santos, via crucis, brasões e, sobretudo, com o crescimento inexorável de desenhos, pinturas e esculturas em seu atelier.

AngelAos 22 anos casou-se com Isabel. O apoio incondicional de sua esposa, assim como o estímulo de muitas pessoas que não duvidavam de suas capacidades artísticas (César é um homem simples, que desperta amizades sinceras e verdadeiras) determinaram que se concentrasse, quase que exclusivamente, na pintura e escultura. Logo vieram as participações em exposições coletivas e também, as individuais, as quais obteve um notável êxito comercial e de crítica.

No ano de 1983, incentivado novamente por Isabel, abandonou o trabalho. Abriu um atelier no porão de uma casa de família, onde fez uma grande variedade de esculturas em madeira, barro, bronze e granito ao longo de uma década. Nesse momento a maioria de suas obras eram feitas por encomenda, dedicando-se muitas horas ao atelier, investigação e perfeccionismo de um estilo próprio.

FlautistaPor Vázquez Naval.

Creio que o mundo estaria melhor, se os humanos fossem bons.

César Prada

CÉSAR PRADA
Ourense – Espanha
WebSite:
Facebook Fan Page: http://fb.com/cesarprada.arte
Email: cesarprada.0@gmail.com

Comentários

14 comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*