Home / Arte / Cinema Sueco em cartaz na Cinemateca de Curitiba
MARTHA & NIKI, de Tora Mårtens (Suécia, 2016, cor, 90’). Foto: Divulgação.

Cinema Sueco em cartaz na Cinemateca de Curitiba

A Fundação Cultural de Curitiba em parceria com a Embaixada da Suécia apresenta, de 13 a 17 de setembro, a Semana do Cinema Sueco, com a exibição de filmes inéditos que representam a produção cinematográfica atual daquele país. Entre os filmes estão o documentário “A menina que salvou minha vida”, de Hogir Hirori, sobre o drama dos refugiados na Europa, e o romance “Um jogo sério”, com direção de Pernilla August, também atriz, uma das mais populares da Suécia.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Martha & Niki, de Tora Mkandawire Martens, é outro documentário da mostra, sobre duas mulheres campeãs mundiais de hip hop. A programação conta ainda com “Reflexões”, de Sara Broos, diretora que retrata no filme a sua mãe, a pintora Karin Broos, e o road movie “Verão eterno”, de Andreas Öhman. Toda a programação tem entrada franca.

13 de setembro
A GAROTA QUE SALVOU A MINHA VIDA, de Hogir Hirori (Suécia, 2016, cor, 79’).

É agosto de 2014, o documentarista Hogir Hirori deixa sua esposa, que está grávida, na Suécia para voltar a sua terra natal e documentar as histórias dos refugiados. É guerra de novo e mais de 1.4 milhões de pessoas fogem do terror do Estado Islâmico. Na fronteira entre o Iraque e a Síria, ele tem a chance de acompanhar um transporte de helicóptero para as montanhas de Shingal, onde centenas estão presos. No caminho ele encontra uma garota de 11 anos, sozinha e sofrendo com o calor de 45ºC.

14 de setembro
MARTHA & NIKI, de Tora Mårtens (Suécia, 2016, cor, 90’). Com: Martha Nabwire e Niki Tsappos.

Em 2010, Martha Nabwire e Niki Tsappos participaram da maior competição internacional de street dance, Juste Debout, em Paris. Foi a primeira vez que duas mulheres foram campeãs mundiais de hip hop. O filme faz um retrato das artistas, de seu amor pela dança e de uma amizade enfrentando dificuldades.

15 de setembro
UM JOGO SÉRIO, de Pernilla August (Suécia, 2016, cor, 115’).

“Um jogo sério” conta a história de um jovem casal, o jornalista Arvid Stjärnblom e Lydia Stille, que se apaixonam perdidamente. Ambos são atraídos pelo sonho de um amor puro, grande e duradouro. Porém, o sonho exige um sacrifício maior do que eles poderiam imaginar.

16 de setembro
VERÃO ETERNO, de Andreas Öhman. (Suécia, 2015, cor, 106’).

Isak e Em se encontram pela primeira vez numa noite de verão em Estocolmo. Eles deixam tudo para trás e embarcam numa viagem pelas arrebatadoras paisagens do Norte da Suécia. Mas o que começou como uma despreocupada aventura logo é tomado pelo fatalismo. Um road movie sobre encontrar alguém para ser o seu universo – e sobre o que você está disposto a fazer por esta pessoa.

17 de setembro
REFLEXOS, de Sara Broos. (Suécia, 2016, cor, 76’).

A diretora capta a sua mãe, Karin Broos, uma famosa pintora sueca, em uma viagem para Latvia, a fim de diminuir a distância entre ela s. Desta experiência nasce um filme intimista e poético que explora os lugares mais secretos da mente humana e as complexidades do relacionamento entre mãe e filha.

Serviço:
Semana do Cinema Sueco
Local: Cinemateca de Curitiba – R. Carlos Cavalcanti, 1174
Datas e horários – de 13 a 17 de setembro de 2017, às 19h

Entrada franca

Comentários

Um comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*