Home / Arte / Exposição “Erótica – desejos traduzidos”
Convite. Foto: Divulgação.

Exposição “Erótica – desejos traduzidos”

Exposição “Erótica – desejos traduzidos”

Sensualidade e erotismos em arte na galeria Villa Olívia, no Morro da Conceição

3r0tic4 II de Marcio Goldzweig. Foto: Divulgação.

3r0tic4 II de Marcio Goldzweig. Foto: Divulgação.

A mostra coletiva “Erótica, desejos traduzidos”, que a galeria Villa Olivia abre em 29 de agosto, envereda pelo rico universo do erotismo, abrangendo categorias que misturam componentes como amor, desejo, atração, sexualidade, moralidade, religiosidade e outras sensações que confudem a mente e beiram a abstração de significados.

São mais de cem trabalhos, entre pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, gravuras, produzidas por 20 artistas: Paulo Villela, Kazuo Iha, Cecilia Ribas, Claudia Lyrio, Diana Doctorovich, Eliane Santos, Elmo Martins, Flavia Tavares, Jorge Grisi, Marcelo Frazão, Marcio Goldzweig, Marina Vergara, Regina Guimarães, Ricardo Pereira, Roberto Armorizzi, Sergio Ferreira, Sergio Sall, Silvana Hugenin, Silvio Moréia e Wilson Saraiva, traçando a visão particular de cada um deles acerca do erotismo.

Super de Regina Guimmaraes. Foto: Divulgação.

Super de Regina Guimmaraes. Foto: Divulgação.

Os artistas integrantes de “Erótica, desejos traduzidos” mostram através de seus trabalhos que “o erotismo é um componente primordial da Arte. Desperta o humano, o sublime, o animal e o inexplicável em nós . desperta pela sua crueza, pelos sentidos, pela certeza que o sexo continua um dos maiores tabus da sociedade contemporânea” – diz Marcelo Frazão que assina a curadoria da mostra.

Nas pinturas de Paulo Villela, por exemplo, o erotismo emerge misturado a uma forte dose de humor, que confere leveza ao tema. Marina Vergara aborda o corpo humano em toda sua crueza, já Kazuo Iha, professor da EBA/UFRJ, exibe.o corpo feminino como potência sensual. Já Diana Doctorovich aproveita-se da leitura dúbia de formas vegetais e fálicas e a escultura em cobre de Marcelo Frazão representa uma armadura feminina de castidade, base para sua discussão sobre questões como moral, religião e sexo. Ricardo Pereira por sua vez apresenta uma série de gravuras eróticas que lembram imagens retiradas de um cordel surrealista.

Nefasto Sistema de Kazuo Iha. Foto: Divulgação.

Nefasto Sistema de Kazuo Iha. Foto: Divulgação.

“Antecedendo a escrita, a arte erótica remonta à pré-historia, ao tempo do paleolitico porém agregando continuamente valores , o que lhe possibilitou acompanhar a evolução humana – das cavernas ao ambiente interativo da internet e aplicativos de encontros em celulares”, sublinha o curador Marcelo Frazão.

Por outro lado, na ausência de Eros, ou seja, sem desejo, sem excitação sexual, as espécies animais seriam extintas. Quando dominado por esta programação primordial, nota-se na migração animal, oscilando do polo racional para o irracional, elementos poderosos como: moralidade, preconceito, religiosidade, intolerância – também decorrência do efeito animal – interagindo na busca pela supressão destes desejos.

Na cama vermelha de Paulo Villela. Foto: Divulgação.

Na cama vermelha de Paulo Villela. Foto: Divulgação.

Por isso, talvez resida nesta tentativa de racionalizar o irracional a busca da supressão do desejo – não confundir com sublimar – o fator gerador de males, deturpações e desvios mentais. Isto sem falar no contexto moral, religioso, histórico, geográfico e pessoal que as questões eróticas despertam e ainda vão continuar a suscitar através dos tempos.

Como decorrência, pode-se dizer que a estética pornográfica está mais preocupada em estampar a crueza, a exaltação do sexo ou das partes genitais masculinas e femininas em contato, em ação, exatamente como procura traduzir a mostra “Erótica, desejos traduzidos”.

Serviço:

Mostra “Erótica, desejos traduzidos” – Classificação indicativa: 16 anos.
Local: Galeria Villa Olivia: : Ladeira João Homem, 13 Morro da Conceição.
Abertura: dia 29 de agosto, sábado, de 15h as 19h. Período: 29 agosto até 17 outubro.
Visitação: quarta a sexta de 12 as 18hs – fora deste horário agendar visitação individual ou em grupo pelo fone: 98545 – 2613

Contatos: 98545 – 2613 – villaoliviaartes@gmail.com / facebook: Villa Olivia Artes

Comentários

3 comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*