Casa / Art / Festival Arte e scienza – luce e movimento

Festival Arte e scienza – luce e movimento

Di 20 al 23 Ottobre
Inscrições gratuitas no site: www.museudeartedorio.org.br

Il Museo d'Arte di Rio - SEA, sob a gestão do Instituto Odeon e em parceria com a BG Brasil, eseguita, attraverso la Scuola look, gli Festival Arte e Movimento. Os debates e oficinas acontecem entre 20 e 23 de outubro e propõe uma série de investigações sobre as relações entre luz e movimento no Ano Internacional da Luz – uma iniciativa mundial liderada pela UNESCO, que destaca a importância da luz e das tecnologias ópticas na sociedade.

Il mercoledì (21), a gerente de educação do MAR, Janaina Melo, abre o ciclo de palestras que conta com convidados de diferentes áreas do conhecimento. O fotógrafo Miguel Chikaoka participa de duas mesas: às 14h, o bate-papo será sobre luz, fotografia e educação, enquanto às 19h junta-se a ele Paulo Nenflidio para debater educação, experiência e arte. Lo stesso giorno, alle 17:30, acontece um debate sobre ciência e processos criativos com Melina Almada, gerente de educação do Museu do Amanhã e o artista Paulo Paes.

Giovedi ', 22, alle 15:0, estará em pauta a exposição Kurt Klagsbrunnm um fotógrafo humanista no Rio, com uma conversa de galeria sobre a luz na fotografia do artista. Às 19h, Lu Brites e Edu Monteiro falam sobre o projeto pathospalidus e apresentam ao público outra perspectiva sobre o tema luz e movimento no teatro. Fechando a programação do festival, o MAR recebe pela primeira vez o coletivo Chelpa Ferro. Il gruppo, que trabalha com pesquisa de fontes sonoras acústicas e eletrônicas, mostrará seu trabalho nos pilotis do museu, giorno 23, Venerdì, às 18h30.

Oficina com alunos do GEA

Nei giorni 20, 22 e 23, entre 10h e 12h, a Escola do Olhar realiza em parceria com o Ginásio Experimental de Artes Visuais (GEA) uma atividade exclusiva para os alunos. Miguel Chikaoka foi convidado para pensar e realizar o projeto, que estimula o exercício de percepção e expressão de si e do mundo, por meio de práticas pedagógicas inspiradas na leitura do elemento luz.

BG Brasil e o MAR

A BG Brasil, patrocinadora do MAR, reconhece os museus como importantes aliados para o desenvolvimento educacional de crianças e jovens. A parceria com o MAR também tem como objetivo apoiar a revitalização da região portuária, um dos mais importantes projetos de valorização urbana da cidade do Rio de Janeiro.

Programmazione

Giorni 20, 22 e 23 di ottobre

.
Das 14h às 12h: Programação Especial – O artista encontra o GEAOficina de Fotografia, com Miguel Chikaoka (*Exclusiva para alunos do GEA)

Seu despertar e ritmo, para exercitar sua individualidade e experimentar a alteridade.

Número de participantes: 25 persone

Giorno 21 di ottobre

.
Das 14h às 17h: Roda de Conversa – Foto, Luz e EducaçãoCom Miguel Chikaoka

Número de participantes: 100 persone (auditório)

Às 17h30min: Abertura do Ciclo de debatesPâmella De-Cnop, da BG Brasil e MAR

tavolo 1 – Ciência e Processos Criativos

Melina Almada e Paulo Paes

Mediazione: Janaina Melo

Presso: 19h Mesa 2 – Educazione, experiência e arte

Paulo Nenflídio e Miguel Chikaoka

Mediazione: Janaina Melo

Número de participantes: 100 persone (auditório)

Giorno 22 Ottobre

.
Das 15h às 17h: Conversa de Galeria com curadorA luz na fotografia de Kurt Klagsbrunn

Número de participantes: 100 persone (auditório)

Presso: 19h: Bate-papo sobre o projeto pathospalidus, com Lu Brites e Edu Monteiro

Número de participantes: 100 persone (auditório)

Giorno 23 Ottobre

.
Das 18h30min às 20h: Apresentação Musical Chelpa FerroPilotis

Biografias dos participantes

.
MIGUEL CHIKAOKA

Paulista, filho de imigrantes japoneses, Miguel Chikaoka graduou-se em engenharia elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e iniciou a pós-graduação na École Supérieure de Mécanique et Électricité de Nancy, Francia. In 1980, abandona a carreira, retorna ao Brasil na condição de fotógrafo e segue para trabalhar como repórter fotográfico em Belém do Pará.

In 1984, com o apoio da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento da Pesquisa da UFPA e a FUNARTE, idealizou e coordenou o projeto FotoAtiva, um programa de fomento ao ensino, pesquisa e difusão da atividade fotográfica na região, cujo desdobramento levou Belém a se projetar como uma das mais importantes referências no contexto da fotografia brasileira contemporânea.

Recebeu, il 2012, o Prêmio Brasil Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura por sua contribuição à fotografia brasileira.

PAULO NENFLIDIO

Paulo Nenflidio é formado em artes plásticas pela ECAUSP e em eletrônica pela ETE Lauro Gomes. Nenflidio é um artista sonoro. Suas obras são esculturas, strutture, oggetti, instrumentos e desenhos. Suono, eletrônica, movimento, construção, invenzione, aleatoriedade, física, controllo, automação e gambiarra são elementos presentes em sua produção artística. Seus trabalhos se assemelham a bichos, instrumentos musicais ou a máquinas de ficção científica. In 2003, participou da residência artística Bolsa Pampulha, a Belo Horizonte, tendo realizado a obra Música dos ventos. Recebeu, il 2005, o Prêmio Sérgio Motta de Arte e Tecnologia por trabalho realizado. In 2009, realizou residência artística no ASU Art Museum no Arizona, tendo produzido uma individual durante o período de residência. Participou da 7ª Bienal de Artes Visuais do Mercosul e da mostra Paralela 2010.

PAULO PAES

Paulo Paes nasceu em Belém do Pará, dove visse fino al 17 anni. In 1978, mudou-se para o Rio de Janeiro, ingressando na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, onde permaneceu como aluno e, successivamente, como professor, a 1992. Ha partecipato a diverse mostre individuali e collettive. In 1992, concebeu e coordenou, em parceria com Ricardo Basbaum e Ricardo Sepulveda, a exposição coletiva Eco-Sensorial, a Rio de Janeiro. In 1991, foi selecionado para expor na 21ª Bienal Internacional de São Paulo. In 1984, participou da coletiva Como vai você, generazione 80?, a Rio de Janeiro.

MELINA ALMADA

Mestre em Teoria e Crítica de Arte pelo PPGA/UFES e graduada em Artes Plásticas [Bacharelado] pela UFES. É Gerente de Educação do Museu do Amanhã, tendo atuado no Museu de Arte do Rio e Museu de Arte do Espírito Santo.

JANAINA MELO

Graduada em História (UFMG) e pós-graduada pela Escola Guignard (UEMG). É Gerente de Educação do Museu de Arte do Rio/Escola do Olhar – MAR. Foi curadora de arte e educação do Instituto Cultural Inhotim, Brumadinho [2007-2012], professora de crítica de arte da Escola Guignard UEMG [2010-2012] e coordenadora de artes visuais do Museu da Pampulha [2004-2007]. Curadora do projeto Atelier Aberto da Escola Guignard da UEMG [edizioni 2010-2012]. Foi curadora do programa de exposições da primeira edição do Projeto de Residência Artística JACA, Nova Lima, MG [2010] e assistente curatorial do Programa Rumos Artes Visuais do Itaú Cultural [2008-2009]. Possui textos publicados em livros, catálogos e revistas.

LU BRITES

Formada em dança contemporânea pelo Diplome D’etad de France – Paris; Treinamento em Suzuki e View Points com a Siti Company NY/ Chicago; Treinamento em teatro físico com o diretor inglês David Glass em Londres; Asthanga Yoga pelo Espaço Vidya em São Paulo e interpretação com Georgette Fadel, Cristiane Paoli Quito e método Meisner com Tomás Rezende. Atua como bailarina e atriz no teatro, cinema e TV. Foi integrante das Cias. Deborah Colker, Intrépida Trupe de Circo-Teatro e Dani Lima de Dança. Artista brasileira premiada pelo Programa Internacional de Residência Chantier en Construction, Parigi. Desenvolve pesquisa na preparação corporal e direção de movimento junto a grupos de teatro e dança.

In 2003, fundou a Cavallaria, companhia de artes cênicas com a qual realizou os espetáculos “Ilhah!", “Doma”, “Lavanda”, “Origem Animal de Deus”. Realizou também os curtas metragens de dança “Jato”,“ Bolha”, “Lobotomia de um Coração” e diversas performances.

EDU MONTEIRO

artista visivo, fotógrafo e pesquisador. É doutorando em Arte pela UERJ e mestre em Estudos Contemporâneos das Artes pela UFF (2013). Lançou este ano o livro Saturno (Azougue Editorial, 2014). É um dos editores do Atual – o último jornal da terra e fotógrafo colaborador da revista National Geographic desde 2002. In 2012 foi finalista do prêmio Photovisa na Rússia e em 2009 finalista do II Prêmio IILA de fotografia na Itália. Atualmente vem trabalhando na área de Artes com ênfase nos atravessamentos entre performance, fotografia e literatura. Participou de diversas mostras individuais e coletivas.

CHELPA FERRO

Interessado na expansão do universo sonoro-visual e na descoberta de maneiras diferentes de organizar suas improvisações, o grupo formado pelos artistas Sergio Mekler, Barrão e Luiz Zerbini vem desenvolvendo sua linguagem. Em função da busca por “novos” sons e por possibilidades diferentes de orquestração e montagem, o Chelpa Ferro trabalha com a pesquisa de fontes sonoras acústicas e eletrônicas, com a construção de “máquinas e mecanismos sonoros”, e com a utilização não convencional de instrumentos musicais tradicionais. A isto se soma um diálogo, também ininterrupto, com o cinema, video, o teatro e a dança. Nas instalações/concertos, o espaço de fronteira e interseção entre as informações visuais e sonoras é o lugar onde se constrói essa experiência com conceitos como textura, organização espacial, sobreposição, prospettiva, densidade, velocidade, repetição, fragmentação, ecc.

Il Museo d'Arte di Rio

La VAS è uno spazio dedicato all'arte e l'istruzione. Installato in Praca Maua, occupa due edifici adiacenti: un vecchio, mentire e stile eclettico, che ospita otto gallerie; un altro giovane, Modernista, Guarda dove il lavoro della scuola. Il progetto architettonico unisce i due edifici con una copertura di cemento liquido, che si riferisce ad un onda - un marchio di fabbrica del museo -, e una rampa, dove i visitatori vengono a spazi espositivi.

O MAR, un'iniziativa del governo della città, in collaborazione con la Fondazione Roberto Marinho, sono attività che coinvolgono raccolta, registrazione, ricerca, la conservazione e la restituzione dei beni culturali per la comunità. Il museo nasce con una scuola - Look Scuola -, la cui proposta è museologico innovativo: favorire lo sviluppo di un programma educativo di riferimento per le azioni in Brasile e all'estero, che unisce arte ed educazione dal programma curatoriale che guida l'ente.

Il museo ha il Gruppo Globe come maintainer, sponsorizzato da BG Brasile, oltre a Souza Cruz, Dow e Brookfield. Essa ha anche il patrocinio di Braskem attraverso la promozione della cultura dello Stato di Diritto Rio de Janeiro, con il Governo dello Stato di supporto di Rio de Janeiro, e la realizzazione del Ministero della Cultura e del Governo Federale del Brasile attraverso la Legge federale sugli incentivi culturali. La gestione è lasciata all'Istituto Odeon.

Serviço Museu de Arte do Rio -MARE

Ingresso: R $ 8 Il R $ 4 (metà prezzo) - Persone con un massimo 21 anni, studenti delle scuole private, università, disabili e dipendenti pubblici della città di Rio de Janeiro. Pagamento in contanti o carta di (Visa o Mastercard).

Politica libero: Non pagare nessuna voce-su presentazione di documentazione probatoria – studenti provenienti da pubblici (l'insegnamento elementare e media), i bambini fino a cinque anni o persone da 60, insegnanti della scuola pubblica, dipendenti di musei, gruppi in situazioni di vulnerabilità sociale visita didattica, Vicini di casa delle guide turistiche e di mare. Martedì ingresso è libero al pubblico. Domenica l'ingresso è gratuito per i possessori di passaporto musei a Rio che non hanno ancora il timbro del mare. L'ultima Domenica del mese, il museo ha ingresso gratuito per tutta la durata del progetto Domenica in SEA.

Martedì a Domenica, das 10h às 17h. Il lunedì il museo chiude al pubblico. Per ulteriori informazioni, contatto per telefono (55 21) 3031-2741 o visita www.museudeartedorio.org.br.

Indirizzo: Praca Maua, 5 - Centro. Controllare sulla mappa:

Commenti

Lascia un Commento

Il tuo indirizzo email non verrà pubblicato.I campi obbligatori sono evidenziati *

*