Home / Arte / Lionel Falcon “A arte de fotografar Pets” por Edmundo Cavalcanti

Lionel Falcon “A arte de fotografar Pets” por Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

“Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem… Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda.” – São Francisco de Assis

Caros leitores, esta matéria é um pouco diferente de todas as outras, onde normalmente entrevisto artistas plásticos.

“Fotografar também é uma arte”.

Navegando pelas minhas redes sociais, constatei o grande amor e carinho que a maioria das pessoas seja qual for sua condição social, possuem pelos Pets, sejam quais forem na sua totalidade os consideram efetivamente como integrantes de suas famílias, fazendo parte de suas vidas, atitude muito louvável e prova de amor.

Lionel Falcon é Fotógrafo.

Lionel Falcon é Fotógrafo.

Motivo pelo qual optei em fazer esta entrevista com o artista da fotografia Lionel Falcon, que conheci em minhas andanças pelas exposições e eventos e me apaixonei pela sua maravilhosa arte de fotografar Pets.

Esta é minha singela homenagem a todos vocês que diretamente ou indiretamente amam os Pets. – Edmundo Cavalcanti

“Lionel Falcon é um artista com larga experiência. Atua como fotógrafo há 50 anos. Ainda na década de 90, quando estava em Miami, despertou para o mundo pet e desde então não parou mais. No Brasil e na América Latina, seu trabalho é referência, pois com poucos cliques consegue capturar a alma de seus modelos.

Ex-fotógrafo de celebridades, Lionel Falcon dedica seus cliques aos animais domésticos e é referência no segmento pet.

Profissional desenvolveu uma linha de produtos para eternizar as imagens dos pets, produz ensaios personalizados e ainda ministra workshops de fotografia e palestras.

O argentino Lionel Falcon trabalha com fotografia desde a década de 60, quando começou a clicar celebridades no Brasil, na Argentina e nos Estados Unidos. A reviravolta na sua carreira veio no ano de 1997, ao trocar os famosos por modelos de quatro patas. Desde então, o fotógrafo tornou-se uma verdadeira referência no mercado pet, sendo reconhecido internacionalmente por seu trabalho.

Dono de um espírito empreendedor, o profissional soube aproveitar todo o seu conhecimento em um nicho até então muito novo. “Em 1997, eram praticamente inexistentes os fotógrafos especialistas em animais domésticos. Foi a partir daí que decidi encarar o desafio de ser pioneiro no segmento”, conta Falcon. Atualmente, ele produz books sob encomenda e retrata cães, gatos, pássaros e cavalos em objetos como ímãs de geladeira, mouse pad, entre outros.

A linha de produtos estampada pelo fotógrafo tem um charmoso acabamento artesanal e alguns itens podem ser adquiridos de forma personalizada, um incentivo a mais para os donos que desejam guardar as imagens dos animais de forma mais criativa. “Meu objetivo através dos cliques é captar cada segundo espontâneo e marcante do pet. A beleza natural atrai olhares, pois o animal em si é lindo de todas as formas, com ou sem raça definida. Quero que o amor e o encantamento transmitidos pelos animais fiquem eternizados”, diz o fotógrafo, que para eternizar seu trabalho e conhecimento, está projetando a criação de um livro com algumas de suas melhores imagens e conteúdo diferenciado.

Exposições e parcerias de sucesso

Os trabalhos do argentino já estiveram em diversas exposições, publicação em jornais e revistas, além de ele também ter sido homenageado no aniversário de 450 anos da capital paulista, no projeto “Povos de São Paulo”, numa série de livros que mostraram personagens reais que representam e compõem a metrópole, e na campanha Campari 150, que comemorou os 150 anos da empresa em um documentário com 150 histórias únicas, entre elas a de Lionel.

Outro trabalho de grande sucesso de Lionel foi a parceria com a Telefônica. Em 2007, o fotógrafo assinou quatro séries de cartões telefônicos, sendo a última um especial com imagens de cães vira-latas acompanhadas de artigos da Declaração Universal dos Direitos dos Animais. Os cartões com a assinatura de Lionel foram sucesso absoluto de vendas e resultaram, em 2014, na exposição Vira-Latas.

Vira-Latas foi segunda exposição do tipo feita por Lionel. A primeira, realizada em janeiro de 2012, reuniu no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, em São Paulo, retratos de cachorros resgatados das ruas e que tiveram suas histórias modificadas graças ao carinho e cuidado dos adotantes. As fotografias fizeram parte de um calendário do projeto Celebridade Vira-Lata, que teve sua renda revertida para ações como a castração gratuita de animais. Além das exposições em espaços culturais, Lionel também disponibiliza seus trabalhos em expos itinerantes, a nível nacional e internacional.

Aproveitando sua experiência em registrar celebridades, não deixou de fotografar famosos apaixonados por animais em companhia de seus amigos de quatro patas. Entre eles estão Adriane Galisteu, Sheila Melo, Mari Alexandre, Ronnie Von e o ator Nico Puig. Atualmente, o fotógrafo possui um novo estúdio, na matriz da rede de Pet Shops Petz, totalmente reformulado e adaptado para receber os modelos pets que serão clicados.

Workshops de fotografia

Lionel Falcon realiza ainda workshops de fotografias na matriz da Petz, em São Paulo. O principal objetivo do curso é explorar o talento do aluno. Voltado para fotógrafos não-profissionais que amam animais e fotos, groomers, criadores, passeadores, etc, o workshop tem um número reduzido de participantes e também individual (particular), para que cada um possa receber uma boa orientação prática. São dadas dicas de iluminação, noções de posicionamento de câmera, entre outros temas. Além disso, ele ensina a preparar o bichinho para as fotos e atrair a sua atenção durante o ensaio.

Fonte: Assessoria Central de Fontes, Juliana Reis.

Onde você nasceu? E qual sua formação acadêmica?

Nasci em Buenos Aires/Argentina, completei o ensino médio para assumir de vez o amor pela Fotografia!

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Como e quando se dá o seu primeiro contato com a fotografia?

Como um hobby que posteriormente virou profissão, conheci os encantos da Fotografia aos 13 anos.

Como surgiu ou você descobriu este dom?

Neste período, comecei a brincar com uma Yashica D registrando paisagens, me despertando o interesse em descobrir mais e mais dentro deste mundo.

Quais são suas principais influências?

Ainda na Argentina, rodeado sempre de bons profissionais, conheci dicas que me serviriam para meu trabalho e ajudando-me a descobrir por mim mesmo o que a Fotografia pode oferecer.

Como é o seu processo criativo em si? O que te inspira?

Qualquer situação em meu entorno, especialmente as que mexem com minha sensibilidade, inspiram minha criatividade, em especial com música e paz de espírito, essenciais para a cabeça trabalhar em busca do novo. Mas não nego que alguns golpes baixos da vida em vez de me baixarem a guarda, me ajudaram a capturar fotos que ficaram eternizadas no meu acervo.

Quando você começou efetivamente a produzir ou criar suas fotos?

Aos 18 anos me senti maduro e pronto para voar, me considerando seguro para fazer meu nome crescer dentro do ambiente que amo.

O que levou você a se especializar em fotografar principalmente PETS?

O tempo foi passando e eu já havia experimentado até os anos 90, vários segmentos fotográficos, pois a profissão te leva a conhecer um mundo sem fim e criar. Naquela época estava em Miami e bastante cansado da mesmice em registrar celebridades, fotografei uma delas que tinha uma yorkshire em seu colo, enquanto isso brinquei com o animal que ficou atento aos meus apelos. E ao ver a foto, foi o instante que me fez descobrir enfim o que é parte de mim até hoje: a Fotografia Pet!

A fotografia é uma produção intelectual primorosa, onde as emoções estão inseridas no contexto da criação, porém na história da arte, vemos que muitos artistas são derivados de outros, seguindo técnicas e movimentos artísticos através do tempo, você possui algum modelo ou influência de algum artista? Quem seria?

Claro que, ao longo dos anos, a gente se inspira neste ou aquele para criar uma obra fotográfica, sempre há influências diversas, ainda mais numa profissão que posso dizer, totalmente democrática. Não consideraria justo nomear um e esquecer outros tantos.

O que a fotografia representa para você?

TUDO!

Se você fosse resumir em poucas palavras o significado da fotografia na sua vida?

57 anos dentro desta profissão, enriquecendo minha alma, meu espírito, minha vida, a ponto de abrir mão de tantas coisas em nome da minha câmera! Profissão que me ajudou a ter um melhor enquadre com a vida!

Todo artista tem seu mentor, aquela pessoa a quem você se espelhou, que te incentivou e te inspirou a seguir essa carreira, indo adiante e levando seus sonhos a outros patamares de expressão, quem é essa pessoa e como ela te introduziu no mundo das artes?

Como disse logo no início, vários profissionais me pegaram pela mão, o que me fez ir adiante! Mas não houve pessoa e sim um sentimento: o AMOR à Fotografia, que me inspirou, que me fez crescer e descobrir tudo o que as lentes oferecem!

Você tem outra atividade além da fotografia? Você dá aulas, palestras etc.?

Por conta de todo esse tempo no ramo, me vi em condições de explanar minhas dicas através do Workshop de Fotografia de Pets, além também de Palestras relacionadas ao assunto. Com o acervo, também posso oferecer exposições em espaços culturais, mas não parando por aí, pois também desenvolvi uma linha de produtos, incluindo pôsteres, imãs, mouse pads, etc…

Suas principais exposições nacionais e internacionais e suas premiações?

Meu grande prêmio? É a recepção das pessoas diante das fotos em todas as exposições que faço, aqui ou lá fora!

Seus planos para o futuro?

Sempre trabalho no intuito de ter minhas imagens num business importante, por agora são projetos aos quais no momento oportuno serão realidade.

Em sua opinião qual é o futuro da arte brasileira especialmente a fotografia e dos seus artistas? (no contexto geral) e porque tantos artistas estão dando preferência em mostrar seus trabalhos em exposições internacionais apesar dos altos custos?

Creio que a concorrência é grande, muitos se aventuram em experiências internacionais como chamariz em seu portfólio. Espero que o Brasil possa valorizar a bela arte como um todo de maneira espontânea, reconhecendo grandes talentos e não se valer unicamente por estratégia de marketing para garantir projeção.

Tenho percebido que algumas galerias tradicionais estão encerrando as atividades. Os artistas estão dando preferência para expor em Espaços Culturais. Em sua opinião qual seria a causa?

Não sei ao certo, mas talvez seja falta de patrocínio e recursos de manutenção enquanto que nos espaços culturais há uma diversificação maior de atividades e entretenimento, atraindo mais público e interesses.

E-mail: lionelfalcon@gmail.com

Site: www.lionelfalcon.com

Facebook: www.facebook.com/lionel.falcon.5

Instagram: @lionelfalcon

Twitter: @lionelfalcon

.

….

Gostou? Deixa um comentário!

.

Vem conosco, Saiba das Novidades pelo e-mail:

Email

.

.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*