Home / Arte / MeMé – Amélia Piva Vizotto – Diversidade na criação por Edmundo Cavalcanti

MeMé – Amélia Piva Vizotto – Diversidade na criação por Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

MeMé Vizzotto é uma artista brasileira que fez uma transição entre o mundo do cinema às artes contemporâneas. Seu trabalho tem influências dos artistas da própria família. Ela mescla técnicas clássicas e contemporâneas de arte desenvolvendo um estilo único.

Seu trabalho se baseia em linhas e contornos, que quando preenchidos, dão a sensação de volume a partir das formas. Gosta de explorar e brincar com os espaços vazios, transformando-os em parte da obra, o que remete aos vãos arquitetônicos.

Memórias de infância se mesclam as experiências do cotidiano e junto a um extenso trabalho de pesquisa, lhe dão o que é necessário para concluir suas criações. O trabalho de MeMé foi exibido no Centro Brasileiro Britânico, em São Paulo, onde ganhou três prêmios consecutivos.

MeMé – Amélia Piva Vizotto, é Artista Plástica.

MeMé – Amélia Piva Vizotto, é Artista Plástica.

Exposições mais recentes de MeMé são “Art in Box III” NY edition, na Ward-Nasse Gallery, NY, EUA, “A Arte em três Linguagens”, São Paulo. “Arte Brasileira no Porto”, na Porto Art Gallery, Porto, Portugal. “Paper Cubbed” em Osaka Centro Cultural, no Japão. “Brazilian Artists in Vienna”, Galerie KoKo, Viena, Áustria. “Brazilian and International Contemporary Art” no Consulado-Geral do Brasil, NY, EUA, entre outras.

Entrevista

Onde você nasceu, e qual sua formação acadêmica?

Nasci em São Paulo, fiz faculdade de Vídeo Digital e frequentei um semestre de cinema em NY.

Como e quando se dá o seu primeiro contato com as Artes?

Acho que desde de dentro da barriga da minha mãe, pois como ela teve que ficar os nove meses de repouso, fez um tapete enorme pra passar o tempo.

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.Como surgiu ou você descobriu este dom?

Desde sempre, pois o contato com a arte era inevitável, uma vez que toda a família era cheia de talentos. Minha avó cozinhava e costurava muito bem e nos ensinou a bordar, tricotar e ter a consciência da importância da reciclagem, mesmo antes de virar moda. Minha mãe e meu pai desenhavam, pintavam e criavam de tudo um pouco.

Quais são suas principais influências?

Além da minha família mais próxima, pais e minha avó, meu tio Albano Vizotto Filho, pintor com formação clássica, hiper-realista, eu diria, com suas pinturas que saltavam da tela e meus primos, os Irmãos Campana, designers conhecidos mundialmente, por utilizarem objetos do cotidiano dando outro uso e transformando-os em peças de design, o que dizem ter aprendido com a nossa avó, através de seu exemplo em reciclar.

Quais os materiais que você utiliza em suas obras?

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.Gosto de experimentar e criar novos materiais, pra trabalhar com eles de outra forma, menos tradicional, transformando o que seria descartado, em matéria prima original. Comecei com esculturas em arame de aço inox, passei pra cerâmica, então veio o metal, madeira e fundição em alumínio, mas continuo mesclando e reutilizando os materiais, acho que essa consciência é muito importante.

Como é o seu processo criativo em si? O que te inspira?

Geralmente a minha fonte de inspiração vem dos animais e insetos devido as suas diferentes formas e tamanhos, mas não gosto de dizer que essa é minha única fonte de inspiração, pois arte sem liberdade, pra mim não é arte. As lembranças da infância na casa da minha avó no interior de SP e as brincadeiras de fazer bichos com legumes, tão abundantes nos quintais e palitos de dente, entre tantas outras que só o contato com a terra e a vida rural podem propiciar. Mas meu processo de trabalho é longo e de muita pesquisa. Começo pesquisando o animal/inseto, desenhando e redesenhando infinitas vezes até chegar ao resultado almejado, então confecciono os moldes e começo a cortar as peças no material escolhido, pra então quebrar a cabeça na montagem da escultura, pois nem sempre o que foi imaginado inicialmente dá certo na prática. Os processos com as colagens e gravuras seguem o mesmo padrão, apenas diferenciando na montagem, que não será tridimensional.

Quando você começou efetivamente a produzir ou criar suas obras?

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.Comecei profissionalmente em 2002, com a primeira exposição individual nas vitrines do Ritz, Al. Franca, nos Jardins.

A arte é uma produção intelectual primorosa, onde as emoções estão inseridas no contexto da criação, porém na história da arte, vemos que muitos artistas são derivados de outros, seguindo técnicas e movimentos artísticos através do tempo, você possui algum modelo ou influência de algum artista? Quem seria?

Sim, acredito que tenha um pouco de influência cubista e às vezes surrealista, mas acho que o estilo clássico e acadêmico do meu tio, se mesclou a maneira inusitada e contemporânea do design dos meus primos, essa é a base criadora de um estilo próprio e inovador que venho desenvolvendo, pelo menos é o que os críticos e galeristas tem me dito…

O que a arte representa para você? Se você fosse resumir em poucas palavras o significado das Artes na sua vida…

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.A arte é a minha vida, seja ela na contação de histórias, num roteiro de um filme, numa colagem ou numa escultura, pois tudo que faço tem um pouco do lúdico, de brincadeira de criança e até influências de brinquedos, como os quebra cabeças, que são uma marca constante em meus trabalhos, sejam eles na linguagem que for, pois pra mim, tudo é arte.

Quais as técnicas que você usa para expressar suas ideias, sentimentos e percepção a cerca do mundo? (Se é através da pintura, escultura, desenho, colagem, fotografia… ou usa várias técnicas no sentido de fazer um mix de formas diferentes de arte).

Às vezes mesclo algumas técnicas, mas também as uso individualmente. Com obras em mixed media ou em arte digital, provenientes de fotografias dos meus trabalhos e transformadas em monogravuras. Mas ao que mais tenho me dedicado é a escultura e a colagem. Tenho feito séries pequenas, de no máximo 10/10 gravuras das minhas colagens. Pinto também, mas não é a minha forma mais usual de expressão.

Todo artista tem seu mentor, aquela pessoa a quem você se espelhou, que te incentivou e te inspirou a seguir essa carreira, indo adiante e levando seus sonhos a outros patamares de expressão, quem é essa pessoa e como ela te introduziu no mundo das artes?

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.Pra mim é toda a minha família, professores de arte e minha querida irmã, Flávia Vizzotto, outra grande artista da família. Mas o que me levou a querer fazer esculturas foi uma visita ao atelier de pintura do meu tio, quando me deparei com um busto lindíssimo de uma negra e fiquei fascinada. Naquele momento quis fazer esculturas inspiradas naquele busto do meu tio, pela riqueza de detalhes e parecer tão real. Além desse em particular, ele, meu tio, já havia feito um busto do meu avô e outra série do ex-presidente Kennedy, expostas na Embaixada americana em Brasília, na Casa Branca, em Washington D.C. e com a família Kennedy, na época, com a Jacqueline. O realismo das obras do meu tio são uma inspiração frequente pra mim. Mas a minha visão mais contemporânea tem a influência direta do trabalho dos meus primos, que por sua vez tem sua inspiração na família e no que nos foi ensinado.

Você tem outra atividade além da arte? Você dá aulas, palestras etc.?

Sou artista em tempo integral, mas dou oficinas de arte quando tenho oportunidade, durante exposições ou a convite de alguma associação ou programa específico de arte.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Suas principais exposições nacionais e internacionais e suas premiações?

Durante três anos consecutivos, tive a honra de participar de exposições coletivas no CBB, Centro Brasileiro Britânico, em São Paulo, com grandes nomes da arte brasileira e ganhei três prêmios consecutivos. No exterior, em NY participei de exposição coletiva no Consulado Brasileiro, onde me pediram uma escultura para fazer parte do acervo permanente da instituição, algumas outras coletivas na cidade e agora na Ward-Nasse Gallery, no Soho. Participei de mostras coletivas na Itália, Japão, Finlândia, França, Portugal, Áustria e no segundo semestre desse ano farei dois coletivas na Noruega, uma em Eid e outra na capital Oslo, uma em Roma e participarei do Carroussel du Louvre em outubro, mas espero que hajam mais exposições, pela Itália, França e Alemanha. Participarei em breve em uma coletiva em Miami e assinarei três troféus de um circuito de arte, que a premiação será no principado de Lichenstein, na Áustria. Tenho obras expostas na Holburn Gallery, na Escócia, desde o ano passado. Faço parte de dois movimentos artísticos na Itália, o “Centi artisti per il mondo” e “Pentastratisti” e sou membro da associação Artcom Expo, na Noruega.

Arte de MeMé – Amélia Piva Vizotto.

Seus planos para o futuro.

Continuo trabalhando e tentando inovar cada vez mais, sempre mantendo um estilo, que me dizem ser único. Espero que com o tempo o mercado possa me abrir caminho pros colecionadores e amantes das artes. Afinal acho que o sonho de qualquer artista é poder viver da sua arte, né?

Website: www.ameila10br.wix.com/meme-vizzotto

Fan Page no Facebook: www.facebook.com/MemePivaVizotto

Artcom Expo: www.artcomexpo.com/416977518

Centi Artisti: centoartistiunitiperilmondo.blogspot.com.br/2015/12/thank-you-very-much-mr.html

.

Vem conosco, Saiba das Novidades pelo e-mail:

Email

.

.

Gostou? Deixa um comentário!

.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*