Home / Arte / Programação MAR
Museu de Arte do Rio. Foto: Divulgação.

Programação MAR

De 3 a 25 de setembro

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, preparou uma programação muito especial para o mês de setembro. Entre as atividades previstas estão o Programa MAR na Academia, que promoverá um encontro entre diversos pesquisadores para debater o amor e a sexualidade na cultura contemporânea; o curso de História do Rio de Janeiro – Linguagens do Corpo Carioca [A vertigem do Rio]; a Semana da Cultura Surda e a intervenção Splashcletas, do artista paulista Guilherme Teixeira, no Espaço da Criança. Durante o período também estarão em cartaz as exposições “A Cor do Brasil”, “Leopoldina, princesa da Independência, das artes e da ciência”, “Linguagens do corpo carioca [a vertigem do Rio], e Da Natureza das Coisas – Pablo Lobato (até o dia 18). Confira a programação completa:

[MAR na Academia] Seminário Internacional Eros e Dionísio: amor e sexualidade na cultura contemporânea

[MAR na Academia] Seminário Internacional Eros e Dionísio: amor e sexualidade na cultura contemporânea

O encontro interdisciplinar discute transformações históricas no campo do amor e da sexualidade, configurando-se como reflexão a respeito do erotismo na contemporaneidade a partir de duas figuras míticas da tradição ocidental, Eros e Dioniso. Parceria UFF, UFRJ e MAR.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Quarta-feira (14):

14h às 14h30 – Introdução: Boas-vindas do MAR e apresentação geral de Paula Sibilia.

14h30 às 15h30 – Eros, poros: pele e desejo > Maria Cristina Franco Ferraz

15h45 às 16h45 – O Dioniso extemporâneo de Nietzsche > Alexandre Mendonça

17h às 18h – Europa: relações abertas, fronteiras fechadas > Brigitte Vasallo

18h às 19h – Coquetel, lançamento e venda de livros.

Quinta-feira (15):

14h às 15h – Eros e Dioniso: em busca de uma filosofia em delírio > Fernando Santoro

15h15 às 16h15 – Eros ocidental: entre o paradigma amoroso e o fáunico > Ercole Lissardi

16h30 às 17h30 – Saturação gregária, solidão povoada > Peter Pál Pelbart

17h45 às 19h – Labirinto para dois: tecnologias do amor e do desamor > Christian Ferrer

Sexta-feira (16):

14h às 15h – A anorexia do engajamento e o kit erotismo > Ieda Tucherman

15h15 às 16h15 – Masculinidades contemporâneas: negociações dos desejos em aplicativos móveis > Larissa Pelúcio

16h30 às 17h30 – Narcisismo na contemporaneidade > Joel Birman

17h45 às 19h – Erotex e Dyonisina: amor e sexualidade na farmácia contemporânea > Hilan Bensusan

Curso de História do Rio de Janeiro – Linguagens do Corpo Carioca [A vertigem do Rio], com Adriana Facina e Jorge Luis Barbosa

Sábados (17 e 24): Das 10h às 12h30

O Curso de História do Rio de Janeiro traça um panorama da história do Rio, tecendo percursos diversos sobre os lugares de fala e construção da memória da cidade, a partir da relação com as exposições do MAR. Esta edição do curso, realizada em duas aulas com os professores e pesquisadores Adriana Facina (dia 17/09) e Jorge Luis Barbosa (dia 24/09), investiga a “Linguagens do Corpo Carioca [A vertigem do Rio]”, exposição que toma como ponto de partida o corpo de quem vive na cidade, para pôr em discussão a identidade social como uma espécie de gíria gestual.

Semana da Cultura Surda

De terça (20) a sexta (23): Das 14h às 18h.

Domingo 25, às 14h

Semana de oficinas, debates e apresentações, realizada com a comunidade surda, que promove o debate e a difusão de práticas artísticas, educativas e culturais desenvolvidas por pessoas surdas e com deficiência auditiva. É também um espaço para as reflexões sobre a Língua Brasileira de Sinais. Ver programação completa no site.

Espaço da Criança Splashcletas, com Guilherme Teixeira (SP)

Sábados (3, 10, 17 e 24): das 15h às 17h

O artista Guilherme Teixeira realiza a intervenção, Splashcletas, na qual propõe aos participantes uma experiência de criação visual colaborativa com três bicicletas adaptadas para funcionar como máquinas de pintura. No Espaço da Criança, desenvolvido pela Escola do Olhar, artistas e educadores em residência desenvolvem experimentações com foco na arte e nas linguagens contemporâneas, estimulando a curiosidade, a descoberta, a reflexão, o fazer coletivo e a cultura do brincar.

Oficina Narrativas do Corpo com Marcelo Aquino

Sábados (10) e domingo (11): das 10h às 17h

A oficina de experimentação cênica com o ator e diretor Marcelo Aquino, que explora a relação dos corpos com a cidade por meio de exercícios de expressão corporal, improvisação teatral e composição coreográfica, a partir da exposição “Linguagens do corpo carioca [a vertigem do Rio]”.

Conversas de Galeria

Domingo (4), às 14h: Entrematérias

Um convite para experimentar a exposição “Da natureza das coisas”, estabelecendo uma linguagem entre matérias. Como dialogar com o outro, com a pedra, com um vídeo, com a madeira ou mesmo com um fio?

Domingo (11), às 14h: Cont(R)ato Social

Quem é você quando ninguém te vê? Como você se mostra? Reflexão sobre as possibilidades de produção do eu nas relações sociais e privadas, a partir da exposição “Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências”.

Domingo (18), às 15h: Vizinho Convidado

O convidado do mês parte de sua experiência e repertório para propor investigações, percursos, experimentações e novos diálogos na exposição “Leopoldina, princesa da independência, das artes e das ciências”.

Domingo (25), às 14h: MAR em Libras

Visita mediada em língua brasileira de sinais à exposição “Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências”

Atividades Educativas

Domingo (4), às 14h: Sentimentos são cores

As crianças são convidadas a criar um resumo a partir das possibilidades de relação entre sentimentos e cores.

Domingo (11), às 14h: Mínimo necessário para

Qual o mínimo necessário para participar de uma atividade educativa? Na exposição “Da natureza das coisas”, o visitante é convidado a pensar, experimentar e buscar respostas a essa pergunta.

Domingo (18), às 14h: ParesÍmpares

O público será convidado a participar de um jogo de memórias e impermanências.

Domingo (18), às 14h: Reconstrução do Eu

O visitante vai construir máscaras que mostram ao mundo suas ideias e desejos.

Visita panorâmica que apresenta o museu e suas exposições.

6ª Conferência Funk

Quarta-feira (14)

A Conferência Funk é uma parceria entre o MAR e a Rio Parada Funk. O evento dá início ao projeto Funk no MAR, que durante todo ano realizará uma série de atividades para debater, desmitificar e espraiar a cultura funk no país.

10h às 13h – Escola de DJs Grandmaster Raphael / Workshop de DJs – aula 2 – Sala 2º andar

13h às 16h – Escola de Audiovisual – Filmagem em celular – Sala A – 2º Andar

16 às 16h30 – Lanche Passinho

16h30 às 19h – Workshop para o Passinho (Encontro com profissionais de dança) – Sala B – 2º andar

17h às 20h – BAILE FUNK DO MUSEU – Pilotis

MARgem: Ciclo de música experimental

Sábado (24) – 18h

Com curadoria de Chico Dub, o evento é gratuito e reúne apresentações e performances para inserir o experimentalismo sonoro e a música de invenção/exploratória no ambiente de uma instituição de arte contemporânea.

Conheça o MAR

Sábados (3, 10, 17 e 24): 10h, 11h, 13h, 14h e 15h

Domingo (4, 11, 18 e 25): 10h e 11h

Quarta-feira (7): 10h, 11h, 13h, 14h e 15h

O Museu de Arte do Rio

O MAR é um espaço dedicado à arte e à cultura visual. Ocupa dois prédios na praça Mauá: um de estilo eclético, que abriga o Pavilhão de Exposições; outro em estilo modernista, onde funciona a Escola do Olhar. O projeto arquitetônico une as duas construções com uma cobertura fluida de concreto, que remete a uma onda – marca registrada do museu –, e uma rampa, por onde os visitantes chegam aos espaços expositivos.

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação a partir do programa curatorial que norteia a instituição.

O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da Cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor, o Itaú como copatrocinador de Leopoldina, princesa da Independência, das artes e das ciências, e o J.P. Morgan como apoiador de Linguagens do corpo carioca [a vertigem do Rio]. Para as atividades da Escola do Olhar, conta-se com o apoio do Banco Votorantim e o Grupo Libra como apoiador das visitas educativas, e a Accenture como apoiadora do MAR na Academia via Lei Municipal de Incentivo à Cultura. O projeto MAR de Música recebe apoio da TIM via Lei Estadual de Incentivo à Cultura e a Souza Cruz é copatrocinadora do Domingo no MAR. Conta ainda com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e realização do Ministério da Cultura e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A gestão do MAR é do Instituto Odeon.

Serviço MAR – Museu de Arte do Rio

Ingresso: R$ 10 I R$ 5 (meia-entrada) – pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. O MAR faz parte do Programa Carioca Paga Meia, que oferece meia-entrada aos cariocas e aos moradores da cidade do Rio de Janeiro em todas as instituições culturais vinculadas à Prefeitura. Apresente um documento comprobatório (identidade, comprovante de residência, contas de água, luz, telefone pagas com, no máximo, três meses de emissão) e retire o seu ingresso na bilheteria. Pagamento em dinheiro ou cartão (Visa ou Mastercard).

Bilhete Único: R$ 16 – R$ 8 (meia-entrada) cariocas e residentes no Rio de Janeiro, mediante apresentação de documentação ou comprovante de residência comprobatórios. Serão considerados documentos comprobatórios aqueles que contenham o local de nascimento, tais como RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc. Serão considerados comprovantes de residência os títulos de cobrança com no máximo 3 (três) meses de emissão, como serviços de água, luz, telefone fixo ou gás natural, devidamente acompanhado de documento oficial de identificação com foto (RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.) do usuário.

Política de gratuidade: Não pagam entrada – mediante a apresentação de documentação comprobatória – alunos da rede pública (ensinos fundamental e médio), crianças com até cinco anos ou pessoas a partir de 60, professores da rede pública, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e guias de turismo. Às terças-feiras a entrada é gratuita para o público geral. Aos domingos a entrada é gratuita para portadores do Passaporte de Museus Cariocas que ainda não tiverem o carimbo do MAR. No último domingo do mês o museu tem entrada grátis para todos por meio do projeto Domingo no MAR.

Terça a domingo, das 10h às 17h. Às segundas o museu fecha ao público. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (55 21) 3031-2741 ou acesse o site www.museudeartedorio.org.br.

Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*