Home / Arte / Um artista mineiro a peso de ouro, blindado numa teia de empresários e investidores

Um artista mineiro a peso de ouro, blindado numa teia de empresários e investidores

Glauco Moraes. Foto: Barbara Raso.

Glauco Moraes. Foto: Barbara Raso.

Mais de 15 anos de carreira como artista plástico e uma experiência grandiosa em curadoria de exposições e como professor de arte. Essa é uma parte da história do artista plástico Glauco Moraes. Apaixonado pelas artes, além de pintor, ele é um grande colecionador e um dos principais propagadores das artes plásticas no país.

Dessa visão ampla e por acreditar no potencial artístico e cultural do Brasil, Glauco Moraes está sempre buscando caminhos de expandir os horizontes e desbravar novas fronteiras, que valorizam tanto sua arte como a do Brasil. Como todo esforço verdadeiro é sempre reconhecido, o artista acaba de assinar contrato de exclusividade com um investidor da área financeira, que enxergou na obra do artista um enorme potencial de valorização e investimento.

O empresário, que prefere o anonimato, conta que sempre admirou o artista e tinha algumas obras de sua autoria. “Sempre me chamou a atenção o grande espectro de pessoas que admiravam suas obras, agradando múltiplos perfis, desde crianças a adultos, pessoas simples a intelectuais e mesmo ‘operadores da arte’. Entretanto, a grande mudança ocorreu quando percebi o enorme interesse de diversos empresários pela obra do Glauco, não apenas pelo apelo artístico, mas principalmente pela visão econômico-financeira de investimento em um artista em plena evolução. Foi assim que, apoiado por um grupo de investidores, e com o aval de vários críticos de arte brasileiros e estrangeiros que o artista se tornou a nossa principal aposta de investimento, com perspectiva infinita de valorização”.

“O objetivo dessa parceria é ampliar o alcance do meu trabalho, possibilitando que a minha arte vá para os mais variados lugares e, também, me permitir vivenciar apenas o lado artístico e criativo do meu trabalho, sem pensar na parte econômica e comercial. Com isso, estou vivendo a fase mais produtiva da minha carreira, que está se refletindo nas novas telas que estou pintando”, revela Glauco Moraes.

Nesse passo, estão sendo preparadas, para os próximos meses, exposições das obras do artista nos principais centros Europeus e, ainda, América do Norte, que são mercados nos quais diversos colecionadores já demonstraram interesse na aquisição de telas. Posteriormente, o mercado Asiático será a próxima etapa de internacionalização do trabalho de Glauco Moraes.

Atualmente, nenhum trabalho do artista está sendo comercializado, havendo a expectativa de que, após o segundo semestre deste ano algumas obras sejam disponibilizadas para venda aos interessados.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Amor às artes desde sempre

Com 17 anos de carreira, Glauco Moraes lembra que começou a demonstrar os primeiros traços artísticos ainda na infância, aos nove anos de idade, quando começou a desenhar. Autodidata, ele trocou os lápis pelos pincéis aos 16 anos. “Ser artista não foi uma questão de opção. Foi a arte que me escolheu”, afirma o artista.

Com talento comprovado e um desejo constante pelo aprendizado, ele já atuava como professor antes de se formar em Artes Plásticas na Escola Guignard, hoje UEMG. Especialista em arte contemporânea, ao longo da carreira foi atuando nas mais diversas funções do mercado artístico, tornando-se expert como artista plástico, curador, crítico de arte, professor e colecionador ‘feroz’ da arte autêntica, das mais variadas origens e referências.

“Descoberto” pela historiadora e crítica de arte Guiomar Lobato, o artista é considerado por ela uma das revelações do milênio. “Glauco Moraes surpreende por seu conjunto variado, nos remetendo a Edward Munch, Basquiat, Louise Borgeois, Mira Schendel, e até ao papa maior da pop art, Andy Warhol”, acrescenta Morgan da Motta, crítico de artes visuais.

Para Eugênio Ferraz, restaurador e pesquisador nas áreas de conservação e restauração de edifícios históricos, as obras de Glauco Moraes se caracterizam pelo mistério intrínseco do ser humano, em especial das mulheres; o caos urbano e tantos outros assuntos inerentes ao nosso cotidiano, que são as temáticas principais de suas obras. “O artista é reconhecido nacionalmente pelo estilo forte a transbordar talento em cada tela apresentada, surpreende a todos pela sua inata capacidade artística que se renova em cada criação, tornando a apreciação de seus trabalhos um misto de prazer, reconhecimento da arte contemporânea e descobertas das ousadas, estéticas e criativas pinceladas em sua inigualável e singular obra”, afirma Eugênio.

Já a artista Yara Tupynambá revela que “a marca das artes gráficas é a digital e característica mais forte deste artista, que trabalha especialmente com a figura humana, na certa o melhor caminho, para expressar sua visão do mundo”, finaliza.

Enigmas de Glauco

As obras de Glauco Moraes contêm um enigma. “Esse segredo começou na infância, aos dez anos, quando escrevia palavras enigmáticas e guardava para mim mesmo o significado daquele dialético próprio. É minha assinatura nas obras”, explica Glauco.

Ao apreciar uma obra do artista as pessoas vão se deparar com frases escritas em uma língua desconhecida. Perguntado sobre o que significam as letras e símbolos, o crítico de arte brinca dizendo que o significado é ‘póstumo’. “Não revelo a ninguém o quero dizer com esses símbolos. É um dialeto exclusivo e pessoal, que será revelado somente após minha morte”, conclui Glauco.

Comentários

Um comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*