Mundo Arte – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com Artes Plásticas e Galeria Virtual de Arte Wed, 24 Apr 2019 12:46:56 +0000 pt hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.8 https://www.obrasdarte.com/wp-content/uploads/2014/02/cropped-Logo-Obras-de-Arte-140-x-140-32x32.jpg Mundo Arte – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com 32 32 Ciclo de Música Barroca na Aliança Francesa Botafogo, dias 26 e 27 de Abril com entrada franca! https://www.obrasdarte.com/ciclo-de-musica-barroca-na-alianca-francesa-botafogo-dias-26-e-27-de-abril-com-entrada-franca/ https://www.obrasdarte.com/ciclo-de-musica-barroca-na-alianca-francesa-botafogo-dias-26-e-27-de-abril-com-entrada-franca/#respond Wed, 24 Apr 2019 12:46:56 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50507-pt Ciclo de Música Barroca no auditório da Aliança Francesa Botafogo, dias 26 e 27 de abril apresenta concerto com as participações dos solistas da Orquestra Barroca da UniRio (OBU): Patrícia Michelini, Roger Gomes, Ribeiro Luan Braga, Nichola Viggiano, Lucas Bracher, Rosanna Lanzelotte, sob a direção artística da solista e flautista Laura Ronai.

A programação conta também com a Conferência sobre produção musical francesa do período barroco e a Masterclass ministradas por Benoît Dratwicki, diretor artístico do Centro de Música Barroca de Versalhes (CMBV).

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Aliança Francesa Rio de Janeiro em parceria com o Centro de Música Barroca de Versalhes (CMBV) e a Orquestra Barroca da Unirio (OBU) apresentam o Ciclo de Música Barroca, nos dias 26 de abril (sexta-feira), a partir das 19h com a Conferência do músico Benoît Dratwicki, diretor artístico do Centro de Música Barroca de Versalhes (CMBV), seguida de Concerto às 20h, com solistas da Orquestra Barroca da Unirio, e dia 27 de abril (sábado), Masterclass, das 11h às 18h30, com Benoît Dratwicki, no auditório da Aliança Francesa, em Botafogo, Rua Muniz Barreto, 730. Entrada gratuita!

A programação da noite de sexta-feira (26/4) começa às 19h com a conferência ministrada pelo especialista, escritor e diretor artístico do Centro de Música Barroca de Versalhes (CMBV), Benoît Dratwicki, sobre o tema “La vie musicale à Paris au temps des Lumières” (em português A vida musical em Paris no tempo do Iluminismo). Benoît abordará sobre a produção musical francesa do período barroco, que compreende os séculos XVII e XVIII, época do movimento cultural, filosófico literário e intelectual “Iluminismo”, da segunda metade do século XVIII, originário da França e que se espalhou por toda a Europa.

Após se formar em violoncelo, música de câmara e formação musical, Benoît voltou-se para a história, análise e estética musical, obtendo diferentes distinções nos conservatórios de Metz e Paris, antes de integrar as aulas de estética e cultura musical do Conservatório Nacional de Música de Paris e no CMBV – Centro de Música Barroca de Versalhes. Constantemente convidado para seminários, conferências ou júris, Benoît Dratwicki, atual diretor artístico do Centro de Música Barroca de Versalhes, onde trabalha desde 2001, e do Palazzetto Bru Zane em Veneza – Centro de Música Romântica Francesa desde 2007, é especialista em ópera francesa do século XVIII. Autor de vários livros e artigos sobre o assunto está concluindo uma tese de doutorado na Sorbonne sobre o compositor François Colin de Blamont.

Às 20h acontece o esperado concerto de música barroca “Une soirée au salon: Paris au temps des Lumières“, ( em português “Uma noite no salão: Paris no tempo do Iluminismo) com a participação de solistas da Orquestra Barroca da UniRio (OBU): Patrícia Michelini, (flauta doce), Roger Gomes Ribeiro (violino), Luan Braga (violino), Nichola Viggiano (violino & alto), Lucas Bracher (violoncelo), Rosanna Lanzelotte (cravo) e da sob a direção artística de Laura Ronai ( flautista).

No programa as diversas matizes da música barroca com obras de “Jean-Baptiste Lully “(1632-1687), compositor italiano, naturalizado francês e considerado mestre do barroco francês; “Joseph Bodin de Boismortier (1689-1755)”, compositor barroco francês de música instrumental, cantatas , opéra-ballets e música vocal, “Michel Corrette” (1707-1795), organista francês, compositor e autor de livros de método musical, “Jean-Philippe Rameau” (1683-1764), um dos maiores compositores do período Barroco-Rococó e tido na França como a maior expressão do Classicismo musical, apresentando obras como “Concerto cômico op. 4 n°3 em ut maior”, “Suite retirada de Indes galantes” e “Concerto VI em mi menor para 5 sopranos”.

No sábado Benoît Dratwicki volta ao auditório da Aliança Francesa para ministrar a Masterclass voltada a estudantes e profissionais de música, especializados ou não, para falar sobre a música barroca, suas características mais importantes, seus compositores, harmonia tonal em oposição aos modos gregorianos até então vigentes no período. O bate papo acontece das 11h e às 18h30 com intervalo para almoço. As inscrições para a Masterclass vão até quinta-feira, 25 de abril, através do e-mail: cultural@rioaliancafrancesa.com.br.

Programa do concerto “Une soirée au salon: Paris au temps des Lumières“:

Jean-Baptiste Lully (1632-1687)
Suite retirada de Atys

Joseph Bodin de Boismortier (1689-1755)
Concerto VI em mi menor para 5 sopranos

Michel Corrette (1707-1795)
Concerto cômico op. 4 n°3 em ut maior

Joseph Bodin de Boismortier (1689-1755)
Concerto à 5 op. 37 em mi menor

Jean-Philippe Rameau (1683-1764)
Suite retirada de Indes galantes

Os solistas da Orquestra Barroca da Universidade do Rio (OBU):
Laura Ronai, flauta transversa e direção artística
Patricia Michelini, flauta doce
Roger Gomes Ribeiro, violino
Luan Braga, violino
Nichola Viggiano, violino & alto
Lucas Bracher, violoncelo
Rosanna Lanzelotte, cravo

Sobre Benoît Dratwicki

Benoît Dratwicki estudou violoncelo, fagote, música de câmara, treinamento musical, análise, orquestração e a história da música no Conservatório de Metz, do qual ele é graduado. Ao mesmo tempo, ele começou estudos universitários primeiro em Metz e depois na Universidade Paris IV – Sorbonne, onde obteve um mestrado e um DEA em musicologia. Completou a sua formação nas aulas de história da música, cultura musical e estética da CNR de Paris e do CNSMDP. Especialista em ópera francesa do século XVIII e na mutação de estilos e gêneros líricos entre 1750 e 1815, ele é o autor de várias obras de pesquisa sobre esses temas e defendeu na Sorbonne uma tese sobre François Colin de Blamont (1690-1760).

Como parte de suas atividades, ele também é ativo no campo da publicação de livros e partituras. Autor da primeira biografia do diretor da Ópera de Paris, Antoine Dauvergne, ele supervisiona séries de programas da sala ou livros-registros. No CMBV – Centro de Música Barroca de Versalhes, ele publica partituras de música vocal, incluindo uma coleção de canto e teclado.

Entre 1996 e 2008 ele apareceu em concerto com o conjunto L’Astrée que ele fundou e para o qual ele transcreveu livros. Ele continuou esta prática de transcrição para vários conjuntos profissionais (Missa Pontifical de Théodore Dubois para a Filarmônica de Bruxelas, Átis de Piccini ou Le Saphir de David para Le Cercle de l’Harmonie).

Em 2001, ele se juntou ao Centro de Música Barroca de Versalhes como um delegado para relações artísticas; em 2006, ele se tornou o diretor artístico que ocupa atualmente.

A partir de 2006, ele participa da criação do Palazzetto Bru-Zane (Centro de Música Romântica Francesa) em Veneza, uma instituição dirigida pela Fundação Bru. Ele é o primeiro diretor artístico (2006-2009) antes de se tornar o conselheiro artístico (2010- /) responsável pela distribuição vocal e a implementação de projetos operísticos.

Convidado para seminários, conferências ou júris, Benoît é produtor dos programas La Querelle des Bouffons e Saia os binóculos em France Musique (2006-2007) apresentados com o seu irmão gémeo Alexandre Dratwicki.

Sobre a Diretora artística, Laura Ronai

Flautista formou-se em Licenciatura em Música pela UNIRIO e em Flauta pela State University of New York. Obteve título de mestrado na City University of New York e de doutorado em Práticas Interpretativas na UNIRIO. Ministrou cursos no Real Conservatório Superior de Madrid e, nos EUA, nas universidades de Rutgers e Princeton. Visitou a Inglaterra, a convite do British Council, e tocou recitais nos EUA e na Europa. Tocou em duo com a pianista Ruth Serrão e com a cravista Sula Kossatz, com quem integra os grupos de câmara Sine Nomine e Re-Toques. Laura Ronai escreve para as revistas norte-americanas Early Music America, Flute Talk e Fanfare, além de publicar artigos regularmente nas principais revistas de música do Brasil. Na UNIRIO é responsável pela cadeira de flauta transversal, além de ser professora do Programa de Pós Graduação em Música. De 2006 a 2010 foi chefe do Departamento de Canto e Instrumentos de Sopro da mesma instituição, e é coordenadora da Orquestra Barroca da UNIRIO.

Sobre a Aliança Francesa

Com 133 anos de atividades no Brasil, a Aliança Francesa é uma referência no idioma e sem dúvida, a instituição mais respeitada e conhecida do mundo, quando o assunto é a difusão da língua francesa e das culturas francófonas. Possui, atualmente, mais de 830 unidades em 132 países, onde estudam cerca de 500.000 alunos. Na França, ela conta com escolas e centros culturais para estudantes estrangeiros. O Brasil tem a maior rede mundial de Alianças francesas com 37 associações e 68 unidades.

É a única instituição no Brasil autorizada pela Embaixada da França, a aplicar os exames que dão acesso aos diplomas internacionais DELF e DALF, reconhecidos pelo Ministério da Educação Nacional francês. A Aliança Francesa também é centro de exames oficial para aplicação de testes internacionais com validade de dois anos TCF (Teste de Conhecimento do Francês) e TEF Canadense (Teste de Avaliação de Francês) e do teste nacional com validade de um ano Capes (reconhecido pelas agencias CAPES e CNPq do MEC).

A Aliança Francesa no Brasil desenvolve parcerias com inúmeras empresas francesas e brasileiras, além de ser um ator essencial do diálogo cultural franco-brasileiro.

A Aliança Francesa do Rio de Janeiro oferece 25% de desconto em todos os cursos regulares, Ateliês, Seniors, entre outros para os servidores estaduais e municipais do Rio de Janeiro.

Serviço:
Evento: Ciclo de Música Barroca
Sexta-feira – 26 de abril de 2019
19hConferência com Benoît Dratwicki, do CMBV – “La vie musicale à Paris au temps des Lumières”
20h – Concerto com solistas da OBU – “Une soirée au salon : Paris au temps des Lumières”
Local: Aliança Francesa Botafogo, Botafogo, Rio de Janeiro
Rua: Rua Muniz Barreto, 730
Entrada franca.
Reservas aconselhadas pelo e-mail: cultural@rioaliancafrancesa.com.br
Sábado – 27 de abril de 2019
Evento: Masterclass com Benoît Dratwicki
Local: Aliança Francesa Botafogo
Rua: Rua Muniz Barreto, 730, Botafogo, Rio de Janeiro
Horário: 11h às13h / 14h30 às 18h30
Mais informações e reservas através do email: cultural@rioaliancafrancesa.com.br
Entrada franca.
www.rioaliancafrancesa.com.br
www.facebook.com/aliancafrancesarj
www.youtube.com/user/aliancafrancesarj
www.instagram.com/rioaliancafrancesa
]]>
https://www.obrasdarte.com/ciclo-de-musica-barroca-na-alianca-francesa-botafogo-dias-26-e-27-de-abril-com-entrada-franca/feed/ 0
Aula de comida baiana abre curso de gastronomia da Fundação Cultural de Curitiba https://www.obrasdarte.com/aula-de-comida-baiana-abre-curso-de-gastronomia-da-fundacao-cultural-de-curitiba/ https://www.obrasdarte.com/aula-de-comida-baiana-abre-curso-de-gastronomia-da-fundacao-cultural-de-curitiba/#respond Wed, 24 Apr 2019 12:23:07 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50500-pt Evento faz parte do Programa Gastronomia Étnica e acontecerá na cozinha experimental do Mercado Municipal

Como preparar um saboroso acarajé será o tema da aula inaugural do Programa Gastronomia Étnica, que começa neste sábado (27/4), às 8h30, na cozinha experimental do Mercado Municipal. Os interessados podem se inscrever no local ou pelo portal www.sympla.com.br/gastronomia-etnica-no-mercado-municipal—culinaria-baiana__502848 e pagar uma taxa de R$ 30. As turmas terão no mínimo 20 e no máximo 30 alunos.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Especialidade das culinárias africana e afro-brasileira, o acarajé é um bolinho de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, frito em azeite de dendê. Antes de aprender a prepará-lo, os alunos saberão como escolher os ingredientes e os locais onde encontrá-los. Para isso, acompanhados pela instrutora Márcia Santos, eles descerão em grupos até os boxes do Mercado Municipal.

A iniciativa é uma parceria com a Secretaria Municipal do Abastecimento e a Ascesme (entidade que reúne os comerciantes do local) para ensinar os interessados a preparar pratos típicos das diferentes etnias que convivem em Curitiba. “A comida é uma das manifestações mais marcantes da diversidade cultural que caracteriza os povos. Por isso, além de conhecida, ela precisa ser respeitada e valorizada”, observa o coordenador de Etnias da Fundação Cultural e autor do projeto, Carlos Hauer Amazonas de Almeida.

Os instrutores do Programa Gastronomia Étnica não são especialistas em gastronomia mas aprenderam receitas típicas com familiares e amigos. É o caso de Márcia e todos os instrutores que estarão no local para ensinar especialidades gastronômicas do Brasil e do mundo, sempre na manhã do último sábado de cada mês.

Serviço:
Gastronomia Étnica ensina a fazer acarajé
Dia 27/4 (sábado)
Das 8h30 às 12h
Na cozinha experimental do Mercado Municipal
Rua da Paz, 608, 1º andar
Informações e inscrições: (41) 3264-6020, das 8h às 12h e das 13h às 17h, ou www.sympla.com.br/gastronomia-etnica-no-mercado-municipal—culinaria-baiana__502848
]]>
https://www.obrasdarte.com/aula-de-comida-baiana-abre-curso-de-gastronomia-da-fundacao-cultural-de-curitiba/feed/ 0
Palestra discute a produção fotográfica de Militão Augusto de Azevedo https://www.obrasdarte.com/palestra-discute-a-producao-fotografica-de-militao-augusto-de-azevedo/ https://www.obrasdarte.com/palestra-discute-a-producao-fotografica-de-militao-augusto-de-azevedo/#respond Tue, 23 Apr 2019 13:31:28 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50491-pt No próximo dia 27 de abril, sábado, das 11h às 13h, o professor Marcos Fabris ministra a palestra Fotografia e cidade: o teatro urbano de Militão Augusto de Azevedo. São apenas 30 vagas e a inscrição pode ser realizada no site da Casa-Museu Ema Klabin: emaklabin.org.br

A palestra tem por objetivo apresentar e discutir a produção fotográfica de Militão Augusto de Azevedo (1837 – 1905), um dos mais importantes fotógrafos brasileiros do século XIX.

Conhecido por retratos representativos de celebridades de sua época, incluindo o imperador D. Pedro II, Militão entrará para a História da Fotografia com seus registros da paisagem citadina.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Sua experiência como ator de teatro, atividade exercida antes da prática fotográfica, será decisiva nos modos e métodos inovadores utilizados para a representação da cidade.

Segundo o professor Marcos Fabris, o encontro busca investigar em particular como a capital paulistana é representada no seu “Álbum Comparativo de Vistas da Cidade de São Paulo” (1862 – 1887), problematizando tanto a febre dos álbuns fotográficos dedicados ao registro das cidades quanto as fronteiras entre fotografia documental e fotografia artística.

Sobre o palestrante:

Marcos Fabris é doutor pela FFLCH-USP com pós-doutorado na Universidade de Columbia (Nova York), Université Paris Ouest Nanterre (Paris), MAC-USP, FFLCH-USP e UNIFESP (São Paulo). É autor dos livros Correspondências: pintura, fotografia e o retrato da modernidade, Trabalho da encenação – ensaios sobre fotografia norte-americana e Imagem e História. É crítico de arte associado à Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA).

Serviço:
Palestra Fotografia e cidade: o teatro urbano de Militão Augusto de Azevedo.
Data: 27 de abril, sábado
Horário: 11h às 13h
Vagas: 30
Investimento: R$ 40,00
Inscrição: www.emaklabin.org.br
Fundação Ema Klabin
Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa – São Paulo. Tel: 55 11 3897-3232
]]>
https://www.obrasdarte.com/palestra-discute-a-producao-fotografica-de-militao-augusto-de-azevedo/feed/ 0
Exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção” chega ao fim após receber mais de 200 mil visitantes https://www.obrasdarte.com/exposicao-o-rio-do-samba-resistencia-e-reinvencao-chega-ao-fim-apos-receber-mais-de-200-mil-visitantes/ https://www.obrasdarte.com/exposicao-o-rio-do-samba-resistencia-e-reinvencao-chega-ao-fim-apos-receber-mais-de-200-mil-visitantes/#respond Tue, 23 Apr 2019 13:17:00 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50484-pt Evento de encerramento terá apresentação da Estação Primeira de Mangueira, show do grupo Papagaio Sabido, lançamento de livros em homenagem a Martinho da Vila e Bezerra da Silva, entre outras atividades

Data: 28 de abril | 10h às 18h

O Museu de Arte do Rio – MAR, sob a gestão do Instituto Odeon, encerra a temporada de sucesso da exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção” no domingo, 28 de abril, exatamente um ano após a abertura. O evento de encerramento será embalado por uma programação especial, que inclui apresentação da Estação Primeira de Mangueira, show do grupo Papagaio Sabido, lançamento de livros em homenagem a Martinho da Vila e Bezerra da Silva e um Slam que exaltará clássicos desses dois mestres.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Eleita uma das melhores exposições de 2018 pela revista Bravo!, a mostra recebeu um público de cerca de 200 mil pessoas, dentre elas as ilustres presenças de artistas como Zeca Pagodinho, Paulinho da Viola, Marisa Monte, Teresa Cristina, Martinho da Vila, entre outros. A exposição também foi palco de uma série de atividades do museu, como oficinas de criação, conversas de galeria, edições do Conheça o MAR e MAR em Libras.

Com curadoria de Nei Lopes, Clarissa Diniz, Evandro Salles e Marcelo Campos, “O Rio do Samba” conta a história social do samba carioca por meio de 800 itens, entre obras de arte, documentos, objetos e peças de vestuário. Estão em exibição obras de artistas como Candido Portinari, Di Cavalcanti, Heitor dos Prazeres, Guignard, Ivan Morais, Pierre Verger e Abdias do Nascimento; fotografias de Marcel Gautherot, Walter Firmo, Evandro Teixeira, Bruno Veiga e Wilton Montenegro; gravuras de Debret e Lasar Segall; parangolés de Hélio Oiticica, e uma instalação de Carlos Vergara, desenvolvida com restos de fantasias. O prato de porcelana tocado por João da Baiana e figurino e joias originais de Carmem Miranda são algumas das raridades em exibição.

Cinco obras comissionadas pelo MAR, criadas especialmente para “O Rio do samba” também fazem parte da mostra. A convite dos curadores, os artistas Ernesto Neto e Leandro Vieira, carnavalesco da Mangueira, criaram uma instalação interativa, que tem lugar de destaque na Sala de Encontro. Jaime Lauriano fez uma intervenção logo na entrada do museu, gravando nas pedras portuguesas do chão dos pilotis os nomes das etnias africanas escravizadas no Brasil. A passarela que leva o visitante à sala de exposições foi tomada por letras de música que falam sobre o próprio samba e ambientada por uma peça sonora criada pelo músico Djalma Corrêa, inspirada nas batidas do coração. Gustavo Speridião ocupa uma parede com obra inspirada na geografia do samba no Rio, e João Vargas apresenta uma videoinstalação sobre o samba enquanto dança do corpo individual e coletivo.

Programação:

– 10h às 17h – Último dia de visitação da exposição “O Rio do samba: resistência e reinvenção”. Ingressos: R$ 10 (meia-entrada) | R$ 20 (inteira)

– 14h30 – Lançamento de dois livros idealizados pela FLUP – Festa Literária das Periferias, em parceria com a Funarte. “Conta Forte, Conta Alto” traz 28 contos criados a partir da releitura de canções de Martinho da Vila. Já “90 Anos de Malandragem” reúne 25 narrativas curtas escritas com base no repertório de Bezerra da Silva. Haverá sessão de autógrafos com os autores. Entrada gratuita.

– 15h – Slam do Samba, onde público e autores se revezarão para performar as letras mais marcantes da história do samba e o público dará nota para as performances. Entrada gratuita.

– 16h – Show do grupo Papagaio Sabido.

A banda nasceu em 2013, reunindo as tribos do cancioneiro nacional, e desde então festeja a música brasileira levando o samba, bossa nova, chorinho, forró e MPB por onde passa. Composto por Alan de Deus, Diego Moreira, Thiago Oliveira, Guilherme Pimenta, Pedro Santos e Thiago Gama; Papagaio Sabido constrói sua identidade sonora na criação autoral, priorizando arranjos bem trabalhados e paralelamente revê grandes autores da cena popular. Entrada gratuita.

– 17h – Samba nos pilotis com a Estação Primeira de Mangueira e participação da Mangueira do Amanhã e Tantinho da Mangueira. Entrada gratuita.

Museu de Arte do Rio – MAR
Praça Mauá 5, Centro.
Horário de funcionamento: 10h às 18h (entrada no pavilhão de exposições até às 17h)
Ingressos para exposições: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Acesso gratuito nos pilotis
Mais informações pelo telefone (+55 21) 3031-2741 ou pelo site www.museudeartedorio.org.br

O Museu de Arte do Rio – MAR

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação com base no programa curatorial que norteia a instituição.

O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da Cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor, a Equinor como patrocinadora master e a Rede D’Or São Luiz como apoiadora de exposições por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A Escola do Olhar conta com patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Dataprev, TNA, In Press e BNY Mellon por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS e do Machado Meyer Advogados via Lei Federal de Incentivo à Cultura. O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e realização do Ministério da Cidadania e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

]]>
https://www.obrasdarte.com/exposicao-o-rio-do-samba-resistencia-e-reinvencao-chega-ao-fim-apos-receber-mais-de-200-mil-visitantes/feed/ 0
Exposição Lâmpada Mágica e lançamento do livro Cinzas de Fazer Fênix na Sala de Cultura Leila Diniz https://www.obrasdarte.com/exposicao-lampada-magica-e-lancamento-do-livro-cinzas-de-fazer-fenix-na-sala-de-cultura-leila-diniz/ https://www.obrasdarte.com/exposicao-lampada-magica-e-lancamento-do-livro-cinzas-de-fazer-fenix-na-sala-de-cultura-leila-diniz/#respond Tue, 23 Apr 2019 12:57:28 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50477-pt A artista plástica Luciane Valença materializa sonhos através de suas obras

No dia cinco de abril, a Sala de Cultura Leila Diniz inaugura a exposição Lâmpada Mágica da artista plástica Luciane Valença. Em uma mostra inédita, a proposta da artista é materializar o sonho das pessoas: a partir de uma postagem em redes sociais, ela levantou diversas experiências e relatos de metas para o futuro. A partir dessas aspirações, Luciane trouxe para sua arte o universo dos sonhos e desenvolveu quadros, sobretudo, em aquarela e nanquim, para alguns deles.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

A exposição, que estará em cartaz até o dia 29 de maio, nasceu da ideia de escrever sonhos, que ganharam forma a partir do pincel, nanquim e das tintas. Com influências de movimentos artísticos como o Art Noveau, o Futurismo e o Surrealismo, as obras interpretam sentidos ocultos dos desejos pessoais dos indivíduos a partir da pintura. Luciane conta que tudo começou quando ela percebeu que as redes sociais são cada vez mais usadas para relatar os problemas e, por isso, decidiu despertar o lado lúdico do ser humano: “Se a gente não sonha, a gente não realiza. A ideia é incentivar esse exercício na vida das pessoas. Tenho uma expectativa de que elas possam reconhecer os seus relatos na ilustração, que as imagens sejam uma tradução do que elas sentem. Espero também que outras pessoas se identifiquem nessa imagem e, a partir disso, possam sonhar junto e compartilhar a emoção que cada um tem através da arte”, conta.

Já tendo exposto na Leila Diniz anteriormente, desta vez a artista plástica traz a novidade de procurar instigar o imaginário das pessoas com metas de vida. Entre os relatos obtidos, grande parte se centrava na busca do amor, do trabalho e das viagens. Segundo o curador Carlos Eduardo Leal, que também é artista e psicanalista, a exposição parte de uma ideia genial: “Eu fui uma das pessoas que respondeu à pergunta, antes mesmo de saber do que se tratava, e minha resposta foi que meu sonho era voar. Para mim, significa uma busca pela liberdade de escolha e de pensamento. No mundo de muros em que vivemos, a ideia do passarinho é transpor essas barreiras que o aprisionam, derrubá-las. Estou ansioso para ver isso retratado na arte dela”, confessa.

Lançamento de Livro

O poeta carioca Rogério Bernardes acaba de publicar o seu mais novo livro de poesias, intitulado “Cinzas de Fazer Fênix” (Editora Penalux, 2019). A obra integra a trilogia inspirada na mitologia da Fênix, e é a última edição da série criada pelo autor, que compila criaturas aladas e combina a liberdade da andorinha com a brasa do dragão. A escrita do poeta, radicado em Brasília, é inspirada em grandes escritores como Fernando Pessoa e Carlos Drummond de Andrade.

O livro que tem a capa e 8 ilustrações assinadas por Luciane Valença e o texto de orelha da atriz Tarcila Tanhã será lançado no próximo dia 17 de maio, na Sala de Cultura Leila Diniz, a partir das 17 horas, com entrada gratuita. Os originais das ilustrações da artista serão incorporados a Exposição Lâmpada Mágica.

Sobre a Sala de Cultura

Como homenagem à atriz Leila Diniz, a Sala de Cultura foi criada pela Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 2011. O espaço dá a oportunidade, principalmente, a novos artistas de levar suas obras ao público, que, por sua vez, tem acesso gratuito às exposições, peças de teatro e concertos musicais.

Serviço
Exposição Lâmpada Mágica
Local: Sala de Cultura Leila Diniz
Data: 05/04/2019 a 29/05/2019
Funcionamento: De segunda a sexta, das 10h às 17h
Endereço: Rua Professor Heitor Carrilho, nº 81 – Centro, Niterói
Entrada Franca
Lançamento Livro Cinzas de Fazer Fênix
Local: Sala de Cultura Leila Diniz
Data: 17 de maio
Horário: 17h às 20h
Endereço: Rua Professor Heitor Carrilho, nº 81 – Centro, Niterói
Entrada Franca
]]>
https://www.obrasdarte.com/exposicao-lampada-magica-e-lancamento-do-livro-cinzas-de-fazer-fenix-na-sala-de-cultura-leila-diniz/feed/ 0
Matilha Cultural abre programação dedicada ao nordeste com artistas de Alagoas https://www.obrasdarte.com/matilha-cultural-abre-programacao-dedicada-ao-nordeste-com-artistas-de-alagoas/ https://www.obrasdarte.com/matilha-cultural-abre-programacao-dedicada-ao-nordeste-com-artistas-de-alagoas/#respond Mon, 22 Apr 2019 14:13:21 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50468-pt Os nove estados nordestinos serão contemplados individualmente a cada mês, iniciando o projeto com Alagoas. Na programação, o artista plástico Heway Verçosa apresenta o mural “À lagoas” e nos dias 25 e 26 a casa recebe shows de músicos alagoanos. O Cine Matilha tem filmes e documentários dedicados ao estado, com destaque para o bate-papo com a fotógrafa e diretora Alice Jardim

São Paulo, abril de 2019 – O Nordeste brasileiro é o berço cultural do país, uma vez que foi a primeira região colonizada pelos portugueses ainda no século XVI. Com influência indígena, africana e europeia, costumes e tradições variam de estado para estado, trazendo assim centenas de ritmos musicais, estilos literários, linguagens audiovisuais, entre outras diversas manifestações artísticas. Sendo assim, a Matilha Cultural, a partir de 25 de abril, abre sua programação especial dedicada ao Nordeste ao longo dos próximos nove meses. A cada trinta dias, um estado é homenageado, iniciando a campanha com Alagoas. O projeto tem curadoria de Lili Buarque e Larissa Lisboa.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Dentro da programação o público pode encontrar intervenções visuais, dedicadas ao cinema, música, literatura, dança, entre outros. A estreante Alagoas abre o especial com o mural “À lagoas” do artista local Heway Verçosa, de 29 anos. Graduado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Alagoas, já se destacou em diversas exposições individuais, como a “Entre Aspas” (SESC-AL, 2013) e “ser ISTO” (Pinacoteca Universitária da UFAL, 2015). Heway também fez participação no livro “Graciliano Arte 2016/17 – Imprensa Oficial Graciliano Ramos”. A pintura de Haway fica exposta na Matilha Cultural até o dia 5 de maio.

Ainda na quinta-feira, 25, o coletivo de artistas alagoanos Sururu Music se apresenta a partir das 18h. Com o objetivo de divulgar e difundir a cultura local por meio da música, dança, teatro, culinária e artes plásticas, subirão ao palco da Matilha Cultural o baixista e violonista Fernando Nunes, o trompetista e cantor Natan Oliveira, as intérpretes Negra Cinthia e Desa, e os percussionistas Rafael Coelho e China. Já na sexta-feira, dia 26, a partir das 20h, acontece o show do trio de forró alagoano Pés em Casa. Liderado pela compositora e cantora Fernanda Guimarães, o grupo explora as diversas batidas que norteiam o forró, com influências do jazz e música popular brasileira.

Também em ambos os dias o público pode conferir no Cine Matilha diversos filmes e documentários produzidos em Alagoas. No dia 26, acontece um bate-papo com a diretora e fotógrafa Alice Jardim após as exibições de seus projetos audiovisuais “Em Obra”, “Todavia”, “Diluída”, “Criatura”, “Zoé”, “Maré Viva” e “Entre Céus”.

A curadora Larissa Lisboa é jornalista graduada pela Universidade Federal de Alagoas e especialista em Tecnologias Web para negócios pela Fejal – CESMAC. Idealizadora e gestora do site Alagoar (www.alagoar.com.br), atualmente é analista em cultura audiovisual do SESC Alagoas. Já Lili Buarque, nascida em Maceió, tem carreira na região como cantora, compositora e produtora cultural. Bacharelada em Direito, busca nas artes dar vazão à sua criatividade e poesia. Seu primeiro disco, “Sereno”, foi produzido por Dinho Zampier (Figueroas) e contou com participações de Wado, Luiz de Assis e Paulo Franco, tendo entre suas conquistas uma pré-indicação ao Prêmio da Música Brasileira em 2016. Como agitadora cultural, é produtora do artista Wado e outras bandas de Alagoas, e criou o Festival Carambola em Maceió, que contou já com três edições (2017, 2018 e 2019).

Serviço:
Especial Nordeste na Matilha Cultural: Alagoas
Local: Matilha Cultural (Rua Rêgo Freitas, 542 – República, São Paulo, SP)
Datas: 25 e 26 de abril
Horários: 18h às 22h30
Entrada Colaborativa
Sujeito à lotação

.

Programação Completa

25 de abril

20h – Show com Sururu Music

Coletivo de artistas alagoanos que visa divulgar e difundir a cultura local por meio da música, dança, teatro, culinária e artes plásticas. Neste dia, o coletivo será representado pelo baixista/violonista Fernando Nunes, o trompetista e cantor Natan Oliveira, as cantoras Negra Cinthia e Desa e o percussionista Rafael Coelho.

18h – CINE ALAGOAS (PROGRAMA 1)

Duração: 70 minutos. Classificação indicativa: 12 anos

Parteiras (Direção: Arilene de Castro)

Documentário, 24 min., 2018

SINOPSE: Este documentário é parte integrante do Inventário de Saberes e Fazeres da Pessoa Idosa do Campo de Alagoas, que se propõe a criar ferramentas de registro, proteção e transmissão do conhecimento tradicional sustentado por sábios (as) especialistas da Produção Artesanal, Gastronomia Popular, Farmacopeia e Parteria Tradicional no Agreste e Sertão alagoanos. Filmado em Coité do Noiá, Arapiraca, Olho D’água Grande, Minador do Negrão, São Sebastião, Igaci, Palmeira dos Índios, Major Izidoro e Jaramataia.

Coração sem freio (Direção: Cris da Silva e Hallana Lamenha)

Ficção, 8 min 22s, 2018.

SINOPSE: Débora não tem freio no coração.

Eu me Preocupo (Direção: Paulo Silver.)

Ficção, 19 min 38seg, 2017

SINOPSE: Após a morte do marido, Jande tenta reconstruir sua vida. Paulo, seu filho, procura entender a direção que as coisas tomaram.

Teresa (Direção: Nivaldo Vasconcelos)

Ficção, 19 min. 2017

SINOPSE: A vida de uma jovem Performer entra em conflito quando ela é convidada para interpretar Santa Teresa D’Ávila em um filme.

26 de abril

20h – Show de Pés em Casa

Trio de forró 100% alagoano liderado por Fernanda Guimarães. Exploram as diversas batidas que norteiam o forró. O recente disco “Pés Em Casa” tem uma pegada mais cosmopolita, que beira as influências do jazz e música popular brasileira, aliando essa cultura diversa ao tradicional pé de serra, estilo tão genuinamente nordestino.

20h30 – CINE ALAGOAS (PROGRAMA 2)

Duração: 55 min Classificação Indicativa: Livre

Em Obra (dir. Alice Jardim)

vídeo 3’50” – Maceió-AL

SINOPSE: Como se constrói um olhar?

Todavia (dir. Alice Jardim)

Documentário – 2min 22s – Maceió-AL

SINOPSE: Entre vias e transformações, um organismo vivo. A cidade a partir de outro olhar ? cenas urbanas triviais ? delineando geometrias imaginárias que entrelaçam fluxos reais.

Diluída (dir. Alice Jardim)

videoarte – 2min37s – Maceió-AL

SINOPSE: A cidade transborda em miragens de luz.

Criatura (dir. Nivaldo Vasconcelos. dir. de fotografia: Alice Jardim)

videodança: 7min – Maceió-AL

SINOPSE: As amarras invisíveis se derretem e a mulher está pronta para a metamorfose.

ZOÉ (direção coletiva. dir. de fotografia: Alice Jardim)

videodança: 7min 35 s – Maceió-AL

SINOPSE: Dançar a dança da cidade é propor discutir ou simplesmente sentir a beleza que se esconde por trás das sombras, do tráfego do trânsito, do barulho que se faz música, do vento que dança nas saias, nos cabelos, nas árvores e dentro da gente.

MARÉ VIVA (direção: Alice Jardim e Lis Paim)

2013 – ficção – 20min – Maceió-AL

SINOPSE: Não há em mim a cidade onde tantos homens nadam. Só maré enquanto a persigo. Um filme para Maceió.

Entre Céus (direção: Alice Jardim )

documentário – 12min – Maceió-AL.

SINOPSE: Ver a olho de pássaro, do alto, mas também ver o detalhe. A ambição de estender ao máximo a capacidade de observar acompanha a Idade do Ouro dos holandeses. O que ocorre quando olham outras terras e outro mar, vastíssimos, ao oposto da terra natal?

21h30 – Bate papo com a diretora e fotógrafa Alice Jardim

Sobre o Cine Matilha

O Cine Matilha é um ambiente “pet-friendly” e recebe constantemente o público com seus pets . O espaço possui 68 lugares, além de 2 lugares para cadeirantes.

Programação gratuita mediante a doação de 1 kilo de alimento não perecível, roupas, brinquedos, livros e produtos para higiene pessoal para crianças e adultos.

Sobre Matilha Cultural

A Matilha provoca a curiosidade e a busca por conhecimento, com foco em questões ambientais e de direitos humanos, apoiando também movimentos artísticos independentes. Mais do que um centro multicultural, é também um centro de convergência de idéias e ações em prol do bem comum. Com informação, engajamento e cultura, a Matilha contribui para a construção de uma sociedade mais consciente e mais LIVRE. A programação pública da Matilha Cultural é gratuita ou a preços populares e traz conteúdo de vanguarda, com senso político, sempre acompanhada de debates, palestras e oficinas que consolidam a democratização do conhecimento.

MATILHA CULTURAL
Rua Rego Freitas, 542 – São Paulo
Tel.: (11) 3256-2636
Horários de funcionamento: terça-feira a sábado, da 12h às 20h/ aos domingos: 10h às 20h
Wi-fi grátis
Cartões: VISA (débito/ crédito)
Entrada livre e gratuita, inclusive para cães
www.matilhacultural.com.br
]]>
https://www.obrasdarte.com/matilha-cultural-abre-programacao-dedicada-ao-nordeste-com-artistas-de-alagoas/feed/ 0
Exposição Paragens de Um Lugar Nenhum – David Almeida https://www.obrasdarte.com/exposicao-paragens-de-um-lugar-nenhum-david-almeida/ https://www.obrasdarte.com/exposicao-paragens-de-um-lugar-nenhum-david-almeida/#respond Mon, 22 Apr 2019 13:51:57 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50457-pt Abertura: 27 de Abril, das 10h30 às 15h30 na Galeria Casa da Imagem.

A galeria Casa da Imagem inaugura, no dia 27 de abril, às 10h30 da manhã, a exposição “Paragens de Um Lugar Nenhum”, do artista brasiliense radicado em São Paulo, David Almeida. A mostra contará com cerca de 20 pinturas de diferentes dimensões, desde trabalhos realizados em grandes formatos, 180 x 180 cm, até pequenas obras medindo 20 x 25 cm.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Se paisagens são porções espaciais apanhadas por intermédio de um golpe de vista, as construídas por David Almeida invariavelmente se debruçam em direção às feições mais simples, para fatos rotineiros que nos rodeiam, destinados a figurar sem protagonismo, sejam esses radicados em ambientes marcadamente urbanos ou não. Por intermédio de sua ótica, o simples não renuncia a sua condição original, entretanto, é provido de um intrigante encanto, próprio às naturezas extraordinárias. A graça que das suas imagens se desprende está associada à maneira que o artista articula a relação entre a falta e a presença, outra característica essencial de sua pintura; nos trabalhos, sobrevém a presença de um humano que nunca se põe visível, que comparece como se estivesse à espreita, esperando o convite das nossas lembranças, da nossa imaginação, para se colocar em cena.

Serviço
Exposição: Paragens de Um Lugar Nenhum | David Almeida
Abertura: 27 de Abril, sábado, das 10h30 às 15h30
Local: Galeria Casa da Imagem Rua Dr. Faivre, 591, Centro Curitiba
Visitação: Segunda a Sexta das 13h às 18h30. Sábados das 10h às 13h30.
Informações:
Telefone:​ ​(41) 3598 – 9631
e-mail:contato@casadaimagem.com.br
Instagram:​ casadaimagem.galeria
Facebook: www.facebook.com/Casa-da-Imagem-1125237140987766/

.

Sobre o artista

David Almeida

Brasiliense radicado em São Paulo, David Almeida é formado em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília. Premiado em 2013 no 12º Salão de Arte de Jataí, em 2014 pelo 20º Salão Anapolino de Arte e novamente em Jataí no 14º Salão de Arte de Jataí em 2015, participou de mostras coletivas como “Brazil: arbeit und freundschaft”, no Espaço Pivô, em São Paulo, e 20 – Pintura e Pictorialidade em Brasília de 2000/2014, no Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, “Ondeandaaonda I e II”, no Museu Nacional da República, “Scapeland – Território de Transito Livre”, no Memorial da América Latina. Em 2015, realizou amostra individual Sobre habitar o invisível, na Referência Galeria de Arte em Brasília, após participar da Residência FAAP, em São Paulo. Realizou projetos de curadoria como a exposição coletiva “Turvas Narrativas”, na Orlando Lemos Galeria – Belo Horizonte. Participou de prêmios como 1º Salão Mestre D’Armas – Planaltina, Transborda Brasília – Prêmio de Arte Contemporânea e mais recentemente foi premiado como primeiro lugar no I Prêmio Vera Brant de Arte Contemporânea. Em 2016, realizou a residência no Centro Cultural Elefante onde realizou a exposição “Asseidade da Fenda”, mais recente individual com curadoria de Ana Roman. Em 2018 foi indicado ao Prêmio Pipa pela primeira vez e realizou a primeira individual em São Paulo na Zipper Galeria e também expõe pela primeira vez no Rio de Janeiro com a individual Encalço Mul.Ti.Plo Espaço Arte.

]]>
https://www.obrasdarte.com/exposicao-paragens-de-um-lugar-nenhum-david-almeida/feed/ 0
Galeria Evandro Carneiro Arte apresenta Exposição Tobias Marcier https://www.obrasdarte.com/galeria-evandro-carneiro-arte-apresenta-exposicao-tobias-marcier/ https://www.obrasdarte.com/galeria-evandro-carneiro-arte-apresenta-exposicao-tobias-marcier/#respond Mon, 22 Apr 2019 13:20:43 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50451-pt Mostra reúne obras inéditas que serão expostas 37 anos após o falecimento do artista

A Galeria Evandro Carneiro Arte apresenta de 27 de abril a 25 de maio a exposição Tobias Marcier. A mostra, que reunirá 45 obras, sendo 28 em acrílica e 17 aquarelas, é inédita ao público. Somente agora, 37 anos depois do precoce falecimento do artista, seu irmão Matias reuniu as obras que estiveram espalhadas por coleções ao longo desse período, escolhendo a Galeria de Evandro Carneiro Arte para realizar a exposição. Filho do artista Emeric Marcier, Tobias caracterizou-se por suas pinturas fantásticas e por retratar cenas e personagens de ruas, festas populares e armazéns do interior do Brasil. O artista, considerado na época um nome promissor nas artes visuais, participou de mostras coletivas e individuais no Brasil, em especial para as individuais ocorridas na Galeria Bonino (Rio de Janeiro, 1973 e 1975) e na Galeria Guignard (Belo Horizonte, 1977), que tiveram grande repercussão de público e de crítica.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Sobre Tobias Marcier

Tobias Marcier nasceu em Barbacena, MG, em 20 de março de 1948. Desde pequeno mostrou-se inventivo e interessado em arte, ajudando seu pai no ateliê e confeccionando seus próprios brinquedos e suas ferramentas. Segundo seu irmão Matias, o artista “brincava só, pegando pedaços de vergalhão de ferro, nos quais batia com um martelo até virarem talhadeiras e ponteiras com que esculpia baixos relevos em tijolos maciços, pedra sabão, madeira etc. Daí saiam patinhos, pássaros e outras coisas, que remetiam à arte rupestre.” (Entrevista oral, 2019).

Em 1964, então com 16 anos e autodidata, teve seu talento reconhecido pelo famoso livreiro Trajan Coltescu da Nova Galeria de Arte (no Copacabana Palace), onde expôs seu trabalho escultórico com muito sucesso. Algum tempo depois, passou a dividir sua residência entre o Rio de Janeiro e Barbacena. Desde 1968 Tobias mergulhou na pintura, revelando, igualmente, enorme aptidão e criatividade. Pintava cada vez mais, quase sempre em tinta acrílica sobre tela, com temas figurativos e paisagens oníricas. Nesta época, participou de exposições coletivas nas galerias Irlandini (1969), Montmartre (1970) e Petite Galerie (1972). No mesmo período, fundou, junto com Hugo Bidet e outros artistas, a Feira de Arte da Pça Gal. Osório, hoje transformada na diversificada Feira Hyppie, que já não guarda as mesmas características daquela original, quando reunia bons artistas vendendo suas obras.

Em 1971 surgiu uma encomenda feita pelo arquiteto Edison Musa, de uma via sacra em madeira, realizada para Colégio São Luís, na Av. Paulista, em São Paulo. Sua abnegada dedicação a esta obra “deixou o piso do seu conjugado com 20 cm de lascas de mogno dos entalhes” (nos contou Matias, 2019), fazendo Tobias perceber que a escultura demandava grandes espaços, algo difícil para um jovem artista na cidade grande. Além disso, não havia no Rio de Janeiro a abundância de pedra sabão que há em Minas, seu material preferido para esculpir.

Passou, então, a pintar mais e mais até que, em 1973 realizou a sua primeira exposição individual, na Galeria Bonino, com pinturas expressivas, como a tela “Alegoria da Primavera”, exposta agora na Galeria Evandro Carneiro Arte, dentre outras 44 obras do artista. Em 1974 participou de coletivas na Bolsa de Arte e na Petite Galerie. No ano seguinte, outra mostra individual na Bonino o consagrava como “pintor de narrativas fantásticas” (Antônio Bento, 1973, Catálogo da primeira exposição do artista na Galeria Bonino). Desta feita de 1975, destacamos a apresentação de Roberto Alvin Correa no catálogo da exposição e a obra “Mulher”, também reapresentada aqui. Realizou, ainda, uma individual na Galeria Guignard, em Belo Horizonte (1977), com grande sucesso de crítica e público.

Apesar da inegável dimensão fantástica em sua obra, Tobias também se caracterizou por retratar cenas e personagens de ruas, festas populares e armazéns do interior do Brasil. Além disso, Walmir Ayala nos lembra que havia nele uma “atenção às vozes primeiras, como seu pai, mas com a liberdade prodigiosa de ter sabido verter esta audição em vocabulário pessoal e renovado…” (Walmir Ayala, 1979, Catálogo da exposição do artista na Galeria B 75 Concorde, sua última em vida).

Ou seja, Tobias era um pintor com estilo próprio, uma carreira promissora e muitos planos para novos projetos. Em 1982, faria uma nova exposição na Concorde B75 no Rio, uma em Santa Catarina, organizada por George Racz e outras duas na França (Paris e Grenoble), através de seu então marchand Paulo Fernandes, quando uma fatalidade do destino o parou. Faleceu de um infarto fulminante, aos 33 anos. O choque foi tão profundo que só agora, 37 anos depois, seu irmão Matias “teve alma”, como ele diz, para reunir e apresentar ao público suas obras que estiveram espalhadas por coleções ao longo deste período. E escolheu a Galeria Evandro Carneiro Arte para expor 45 trabalhos de Tobias, sendo 28 telas em acrílica, 14 aquarelas e três desenhos. Vale revisitar esse grande artista!

Laura Olivieri Carneiro.
Abril de 2019.

Serviço: Exposição Tobias Marcier
Galeria Evandro Carneiro Arte: Rua Marquês de São Vicente, 124 (Shopping Gávea Trade Center). Lojas 108 e 109.
De 27 de abril a 25 de maio.
Visitação: de segunda a sábado, das 10h às 19h.
Telefone: (21) 2227.6894
Estacionamento no local.
]]>
https://www.obrasdarte.com/galeria-evandro-carneiro-arte-apresenta-exposicao-tobias-marcier/feed/ 0
Salão do livro em Nova York abre inscrições para escritores https://www.obrasdarte.com/salao-do-livro-em-nova-york-abre-inscricoes-para-escritores/ https://www.obrasdarte.com/salao-do-livro-em-nova-york-abre-inscricoes-para-escritores/#respond Mon, 22 Apr 2019 13:06:23 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50445-pt Para quem sonha em ver seus livros rodando o mundo, o 5º Salão do livro de Nova York está com inscrições abertas para autores. Organizado pela ZL Books Editora, o evento acontece, dias 19 e 20 de junho, na Biblioteca Brasileira de Nova York (Brazilian Endowment for the Arts). Os interessados precisam se cadastrar, até dia 25 de abril, pelo e-mail zlcomunicacao8@gmail.com.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O programa também conta com a realização de atividades culturais e palestra sobre literatura brasileira no mundo. O projeto Internacional existe há quase dez anos e já foi realizado em Lisboa (Portugal), Berlim (Alemanha), em algumas cidades da França e em Montreal (Canadá), além do Rio de Janeiro.

Para Jô Ramos, escritora e idealizadora do evento, a iniciativa tem como objetivo disseminar a literatura de língua portuguesa para todos os cantos. Para ela, há muitos estrangeiros interessados no que é produzido no Brasil, além de brasileiros residentes no exterior que amam os escritores de língua portuguesa.

Jô Ramos da ZL Editora. Foto: Divulgação.

Ramos comenta que o salão do livro ajuda a valorizar o trabalho dos autores independentes e as pequenas editoras, ambos sem acesso ao circuito oficial literário brasileiro. “Projetos assim estimulam a preservação e a produção da nova literatura e dos novos autores”.

– Com intercâmbios culturais entre o Brasil e o exterior, desejamos criar mais oportunidades para que esses escritores possam conquistar novos leitores, além de acessar novas formas de divulgação da sua obra artística – diz.

Serviço:
5º Salão do Livro de Nova York
Inscrições pelo e-mail: zlcomunicacao8@gmail.com
Até dia 25 de abril
Evento acontece dias 19 e 20 de junho.
Horário: das 12h às 20h
Local: Brazilian Endowment for the Arts.
Endereço: 240 E 52nd Street, Nova York (USA).
]]>
https://www.obrasdarte.com/salao-do-livro-em-nova-york-abre-inscricoes-para-escritores/feed/ 0
Fotógrafa Cristina Granato inaugura exposição no Imperator – Centro Cultural João Nogueira https://www.obrasdarte.com/fotografa-cristina-granato-inaugura-exposicao-no-imperator-centro-cultural-joao-nogueira/ https://www.obrasdarte.com/fotografa-cristina-granato-inaugura-exposicao-no-imperator-centro-cultural-joao-nogueira/#respond Thu, 18 Apr 2019 13:24:17 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50432-pt ‘Bossa & Jass’ traz fotos de grandes músicos brasileiros, como Tom Jobim, Nara Leão, Chico Buarque, Roberto Menescal, João Donato, entre outros

A partir do próximo dia 23 de abril, feriado do Dia de São Jorge, a fotógrafa e jornalista Cristina Granato inaugura no Imperator – Centro Cultural João Nogueira a mostra ‘Bossa & Jazz’, que reúne registros únicos de cantores, compositores e músicos da bossa nova e do jazz brasileiro. Nomes como Roberto Menescal, João Donato, Nara Leão, Joyce, Carlos Lyra, Johnny Alf, Leny Andrade, Paulo Moura, Baden Powell, Oscar Castro Neves, Paulo Moura, Tom Jobim, Wanda Sá, entre outros estão entre as celebridades registradas através do olhar sensível da fotógrafa.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Com sólida carreira de sucesso no jornalismo cultural, Cristina Granato passou por várias redações, como O Globo, Jornal do Brasil e O Dia, além de revistas, sites e blogs de moda e comportamento. Em 2011, lançou seu primeiro livro de fotografia “Um olhar na música Popular Brasileira”, com 360 fotos que contam parte da história da MPB. Seu rico acervo, formado durante 35 anos de sua vida profissional, somam um milhão de imagens sobre cultura. Na mostra, estão selecionadas 33 fotos de artistas que contribuíram para o sucesso e a memória da bossa nova e do jazz como expressões únicas da música brasileira.

A exposição tem entrada gratuita e fica em cartaz no Méier até o dia 25 de setembro, com visitação de segunda a domingo.

Serviço – Exposição ‘Bossa & Jazz’
Inauguração: 23 de abril (feriado – Dia de São Jorge), 19 horas
Visitação: 24 de abril a 25 de setembro
Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira (Sala de Exposições)
Endereço: Rua Dias da Cruz, 170 – Méier/RJ
Gratuito. Sujeito a lotação.
Informações: (21) 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h). Exceto Feriados.
]]>
https://www.obrasdarte.com/fotografa-cristina-granato-inaugura-exposicao-no-imperator-centro-cultural-joao-nogueira/feed/ 0