Estética Ancestral: Arte Indígena Brasileño

Galeria Pé Palito (213 Norte) exibe coleção contemporânea de bancos indígenas

Estética Ancestral: Arte Indígena Brasileño

Harmonia sensorial materializada em bancos zoomorfos e geométricos

Mostra inédita em Brasília reúne mais de 50 bancos esculpidos em madeira, originários de seis diferentes etnias.

Anuncio

Compõem essa coleção, comisariada por Lucas Rosalino, a riqueza artística de 17 jovens escultores que criam, transformam e inovam. Cada um com sua forma de rubricar a arte, conservando práticas provindas de conhecimentos milenares.

En Estética Ancestral: Arte Indígena Brasileño las peças em exposição trazem novos estilos, materiales, colores, decorações e tamanhos sem perder de vista os elementos que identificam cada espécie animal, ângulo e grafismo ancestral. Nas quais, as proporções e feições são mantidas.

Anuncio

Recibe noticias de Ferias y Eventos en general en nuestro grupo de Whatsapp!
*Solo publicamos en el grupo, para que no haya spam! puedes venir tranquilo.

Para a antropóloga, professora emérita da UNB e pesquisadora sênior do CNPQ, Alcida Rita Ramos, a exposição “é uma demonstração do profundo conhecimento que os indígenas têm do mundo ao redor, independentemente de viverem ou não em aldeias.”

Ariabo Kezo, filho do povo Balatiponé, escritor e defensor das causas indígenas, observa que, para o visitante, “é estar diante de uma riqueza artística formidável que nos convida a compreender melhor as artes indígenas e suas profundas significações”, e justifica, “por não se tratar da produção de um único povo, mas de uma diversidade formada por várias etnias”.

Anuncio

Regístrese para recibir noticias del evento
y el Universo de las Artes primero!

Sobre os detalhes de cada peça, Lucas Rosalino ressalta a variedade de grafismos e suas relações com cada animal. “Alguns povos do Alto Xingu, como os Mehinaku, Trumai, Kamaiurá, produzem grafismos específicos que representam a pele da jiboia, os dentes das piranhas”. Com relação à coloração, ele comenta que dão ainda mais vida às esculturas por serem feitas a partir dos produtos da terra, “como o vermelho do urucum, barro da Tabatinga, o preto do jenipapo”, lista o curador.

A realização desta exposição nasceu do contato do curador com culturas indígenas, por meio de artistas e suas obras, e do seu desejo de prestigiar a arte indígena, “que é parte fundamental das raízes do Brasil, além de poder proporcionar o mesmo sentimento arrebatador que tive ao ter o primeiro contato”. Além de bancos, o conjunto de obras apresenta cerâmicas, remos e outros objetos.

Os artistas presentes na exposição sãoEtsiri, Kayanaku, Kulikyrda, Yulupe, Mawaya, Maykuti, Maini e Turuza, da etnia Mehinaku; Kupatopenu Atakaho e Karapotan, da etnia Waujá; Ropkrãnse, da etnia Kaiabi/Kayabi; Me’tanã, da etnia Ticuna/Tikuna; Ontxa, Takula e Tukuna, da etnia Mehinaku; Tadashi Tukurevi, da etnia Aweti; e Yauapi, da etnia Kamayurá.

Servicio:
Estética Ancestral: Arte Indígena Brasileño
Local: Galeria Pé Palito
Dirección: SCLN 213 Bloquear la tienda 9
Cóctel de inauguración: 16 Noviembre, às 17h
Temporada: hasta 16 de diciembre de 2023
Visitación: de lunes al sábado, de 10h30 a 19h
entrada franca y libre para todos los públicos
Todas as peças estarão à venda
Información: 61 9269-2602 (WhatsApp)

Deja un comentario