Home / Art / Galeria São Paulo Flutuante inaugura individual de Rodrigo Sombra
Autor – Rodrigo Sombra. Título – “Planta sobre o escuro”. year - 2014. Técnica – fotografia, filme 35mm. Dimensões – 30x45cm. (featured).

Galeria São Paulo Flutuante inaugura individual de Rodrigo Sombra

“Noite Insular: Jardins Invisíveis” é resultado de uma imersão de cinco meses em Cuba, e apresenta fotografias analógicas que tomam como ponto de referência o imaginário marítimo e exploram um conceito subjetivo de “insularidade”, evocando tensões entre o senso de isolamento e o anseio por cruzar os limites da ilha

The Sao Paulo Gallery Floating inaugurates "Noite Insular: Jardins Invisíveis”, primeira individual do fotógrafo baiano Rodrigo Shadow, curated by Regina Boni, e texto de apresentação por Caetano Veloso. Composed by 30 imagens captadas com câmeras analógicas ao longo de uma imersão de cinco meses em Cuba, a mostra toma como ponto de referência o imaginário marítimo e explora um conceito subjetivo de “insularidade”. Traço decisivo da cultura cubana, a insularidade se faz sentir na obra de Sombra para além do seu sentido meramente geográfico. In this exhibition, o conceito serve como chave para explorar as dinâmicas do desejo na Cuba contemporânea, evocando tensões entre o senso de isolamento e o anseio por cruzar os limites da ilha.

Advertising: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Sua ida a Cuba é o encontro com um nó histórico, cultural, geopolítico e existencial”, the firm Caetano Veloso, a respeito da obra de Sombra, no texto de apresentação. “Ao invés de esconder ou congelar as figuras humanas e seus entornos em formalismo frio, tais composições sublinham-lhes o mistério, the sensuality, o desamparo e o prazer de ser. Sombra revela-se um artista verdadeiro e um observador sensível. A beleza de suas fotos reside na aventura humana de quem capta e de quem é captado. Isso leva quem as vê a pensar mais longe e sentir mais fundo”, diz o compositor sobre “Noite Insular: Jardins Invisíveis”.

O título da série é inspirado num poema do escritor cubano José Lezama Lima. For the photographer Rodrigo Shadow, “Noite Insular: Jardins Invisíveis” explora os estímulos da presença estrangeira em Cuba, cada vez mais intensos desde a recente­­­ abertura cultural e econômica da ilha. Ao abordar as relações contraditórias entre os cubanos e a influência estrangeira, Sombra esboça uma estética de forte apelo geométrico. With frequency, a base documental de suas imagens se perde em jogos de linhas e sombras que aspiram à abstração. Descortina-se assim a de visão uma Cuba insuspeitada, em tudo avessa às imagens exóticas do turismo ou à grandiloquência da propaganda revolucionária.

À diferença das multidões celebradas nas fotografias oficiais cubanas, em suas fotos Shadow privilegia o indivíduo. In them, veem-se corpos esquivos, frequentemente sombreados, que nos interrogam sobre o que vemos, e também sobre aquilo que é ocultado. Sua câmera se abre ainda aos signos da cultura popular: símbolos religiosos, tatuagens, logomarcas esportivas e bandeiras estrangeiras, rastros dos novos imaginários a povoar a ilha interior dos cubanos.

A exposição de Rodrigo Shadow é o terceiro projeto da Sao Paulo Gallery Floating, que não se fixará em um só endereço na capital paulista. Criada pela marchande e estilista tropicalista Regina Boni, at 1981, to Sao Paulo Gallery realizou exposições memoráveis de Hélio Oiticica, Walter Smetak, Mestre Didi, Aluísio Coal, Leda Catunda, Luiz Paulo Baravelli, among others. Reaberta no final de 2018, a galeria pretende agora apresentar novos artistas e contrastar com tendências petrificadas do mercado de arte brasileiro. Sobre a individual de Rodrigo Shadow, Regina Boni comments: “Muitas pessoas do meio da fotografia estão destacando o fato de eu, neste momento de ressurgimento e considerando meu passado, que só expus poucos e famosíssimos fotógrafos, esteja me dedicando de corpo e alma ao trabalho do Rodrigo, que é uma revelação. Algo novo. Arte fotográfica”.

Exhibition: “Noite Insular: Jardins Invisíveis
Artist: Rodrigo Shadow
Curated By: Regina Boni
Opening: 19 March 2019, Tuesday, at 19h
Period: 20 of the March 18 May 2019
Local: São Paulo Floating Gallery
Address: United States Street, 2.186 – Jardim America – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3064-4768
Timetables: Monday to Friday, from 10 at 12:00, e the 13 at 18h | Saturday, from 10 13h
Number of works: 25
Technique: Fotografia analógica
Dimensions: 30 x 34 cm a 84 x 100 cm
Values: R$ 4.000,00 to 12.000,00

.

Rodrigo Shadow

Fotógrafo baiano, nasceu em Ipiaú, at 1986. In 2012, integrou a exposição coletiva “Uma visita ao Benin – Fotografias de uma Viagem”, the Museum Afro Brazil, in São Paulo, com curadoria de Emanoel Araújo. Também participou de coletivas no Rayko Photo Center e Dryansky Gallery, em San Francisco, California, onde viveu por três anos. In 2018, “Noite Insular: Jardins Invisíveis”, sua série sobre a Cuba contemporânea, foi selecionada para ser editada como livro pela revista e editora britânica Paper Journal. Foi um dos 3 artistas selecionados pela Paper Journal em uma convocatória que recebeu mais de 400 projetos de todo o mundo. O livro será lançado em maio de 2019, em Londres e em São Paulo.

Sao Paulo Gallery Floating

In 2002, the São Paulo Gallery closed its doors after 21 Febrile years in the Brazilian art market, a cycle in which five samples of Oiticica speak for dozens of other artists dedicated to hitherto inserted in the supply chain with shyness, just open the transgressive and experimental languages. My job as costume designer tropicalism, at 1968, out the source of this itinerary: muito antes de pensar em ser marchande nos anos 80, there was in me the belief in the originality of a Brazilian artistic proposition in dialogue with the world.

Sixteen years later, aqui estamos com a Galeria São Paulo flutuante. The return is due to an equivalent of the unrest 1981, the year of the opening of the first space in the street the United States - but the reasons are quite different from those born in the decades that contribute to the modernization of the market and the links between gallery owners and artists. I feel today challenged by course (deviations?) of that market, in their vertigo abusive values ​​and stellar trustees, apart of the sovereign paths of creation.

We not announced an eternal return, but ephemeral and floating, without the shackles of a fixed address: interventions now empty places of the state capital, empty well as a metaphor for abandoned concepts and content in the era of Trustees, marketing at all costs and the perception foolish gesture of Duchamp. Without doubt, this system begins to collapse in Brazil. A Galeria São Paulo flutuante pretende regressar às aventuras das linguagens não-domesticadas pelos conceitos da estação. It comes to me like the inspiring memory of dancers parade Hose dresses with Helium parangolés, closing the street traffic United States, at 1986. Art in the heat of street, within the desires, in the whirlwind. Our travel beginning”.

Regina Boni

Texto de Apresentação – “Noite Insular: Jardins Invisíveis

A série de fotografias feitas por Rodrigo Sombra em Cuba é uma experiência de aprofundamento da percepção da vida. Um jovem baiano estuda comunicação na faculdade com esboços de sonhos de tonar-se jornalista ou escritor e, à medida que aprende sobre as complexidades à sua volta, vai-se aproximando das imagens como meio de estudo e de expressão – e, and, chega ao cinema. O conhecimento da sociedade, da história e da política o fazem estudar a história dessa arte numa universidade californiana. Mas é a imagem estática da fotografia que parece impor-se à sua ambição expressiva. Sua ida a Cuba é o encontro com um nó histórico, cultural, geopolítico e existencial. Isso surge em cada foto que agora compõe esta exposição. As figuras de rapazes e homens e moças em locações e situações a um tempo reveladoras e misteriosas são elementos de composições construtivas, em que as linhas, oblíquas ao quadro mas frequentemente paralelas entre si, sugerem uma organização abstrata que não se definem nem como encontradas ao acaso nem ordenadas artificialmente pelo artista. Como a motivação deste era primordialmente entender a vida cubana sob o olhar estrangeiro – ou como ela responde à presença desse olhar –, essas diagonais sugerem, para além de darem forma à imagem, complexas tensões, graças insuspeitadas, coisas não ditas ou mesmo dizíveis. Ao invés de esconder ou congelar as figuras humanas e seus entornos em formalismo frio, tais composições sublinham-lhes o mistério, the sensuality, o desamparo e o prazer de ser. Sombra revela-se um artista verdadeiro e um observador sensível. A beleza de suas fotos reside na aventura humana de quem capta e de quem é captado. Isso leva quem as vê a pensar mais longe e sentir mais fundo”.

Caetano Veloso

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*