Grafite – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com Artes Plásticas e Galeria Virtual de Arte Wed, 24 Apr 2019 12:46:56 +0000 pt hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.8 https://www.obrasdarte.com/wp-content/uploads/2014/02/cropped-Logo-Obras-de-Arte-140-x-140-32x32.jpg Grafite – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com 32 32 A Arte de Jean-Michel Basquiat durante o ano de 2018 no Brasil por Rosângela Vig https://www.obrasdarte.com/a-arte-de-jean-michel-basquiat-durante-o-ano-de-2018-no-brasil-por-rosangela-vig/ https://www.obrasdarte.com/a-arte-de-jean-michel-basquiat-durante-o-ano-de-2018-no-brasil-por-rosangela-vig/#respond Tue, 30 Jan 2018 18:05:27 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=39848-pt Você também pode ouvir esse artigo na voz da própria Artista Plástica Rosângela Vig:

Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte.

Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte.

A realidade da consciência, esta faculdade sobre que as pessoas tanto tagarelam e de que são tão orgulhosas, é um sinal de nosso imperfeito desenvolvimento. Antes que nos tornemos superiores deve fundir-se no instinto. (WILDE,1994, p.113)

Wilde nos fala da liberdade do espírito. A liberdade que a Arte traduziu em seus códigos, em sua mais pura forma de se apresentar, mais próxima do pensamento, desprendida da realidade e da figuração. Essa tendência se manifestou de forma acentuada na Arte Moderna e foi o que habitou as obras de Jean-Michel Basquiat (1960-1988) 1, um dos artistas mais populares dos anos 80. Seu pano de fundo foi a cidade; a cor foi a protagonista em muitas de suas obras; e a forma foi livre. O modo como Basquiat via o mundo ficou registrado em prédios abandonados de Manhattan. Mas sua Arte atravessou as barreiras do urbano, serviu de inspiração a vários artistas, passou por galerias e tem alto valor em leilões.

Basquiat se tornou conhecido como grafiteiro, em Nova Iorque, cidade onde nasceu e morreu. De ascendência materna portorriquenha e paterna, haitiana, o artista foi o primeiro filho da família de classe média alta. Sua inteligência, seu talento e interesse pela Arte eram visíveis desde cedo. Com pouca idade, Basquiat reproduzia desenhos com maestria e, aos seis anos, era freqüentador do MOMA, Museu de Arte Moderna. Devido a um grave acidente aos sete anos, foi internado e, para manter o filho ocupado, a mãe lhe deu o livro Gray’s Anatomy. Isso, de certa forma, o levou a estudar a anatomia humana e influenciou suas pinturas. Como uma alusão ao livro, o artista chegou a fundar em 1979, a banda Gray’s, que envolvia movimentos como o Hip Hop e o Rap.

Três anos de sua adolescência, Basquiat viveu em Porto Rico, devido à separação dos pais e retornou a Nova Iorque aos 17 anos. Não se adaptou às escolas por onde passou, abandonou os estudos e foi morar com amigos. Pintava e vendia camisetas nas ruas da cidade, onde passara a viver. Os prédios abandonados de Manhattan, seus primeiros grafites, com o amigo Al Diaz, recebiam a assinatura SAMO (abreviação de Same Old Shit), que significava “sempre a mesma merda”. Esses grafites se ampliaram para paredes e para o metrô de Nova Iorque. Basquiat passou a ser conhecido na cidade, foi convidado para um programa de televisão e para um filme.

Seu estilo primitivista e neo-expressionista chamou a atenção da crítica. Em 1980 participou da exposição The Times Square Show. No ano seguinte, o crítico Rene Ricard (1946-2014) publicou um artigo comentando sobre o artista, o que levou Basquiat a ser conhecido e a expor internacionalmente e em Nova Iorque, ao lado de nomes como Keith Haring (1958-1990) e Barbara Kruger (1945-). Passou a ser prestigiado por grandes curadores de Arte e a se relacionar com conhecidos artistas do movimento neo-expressionista. Teve um relacionamento com a ainda desconhecida cantora Madonna (1958-), além de uma grande amizade com Andy Warhol (1928-1987) 2, que muito o ajudou inclusive com moradia, divulgação e material de trabalho. Chegou a declarar nos grafites, SAMO morreu, quando deixou a Arte de rua e passou a pintar telas. Seu trabalho adquiriu projeção meteórica e a amizade com Warhol coincidiu com o período mais criativo da vida do artista. Expôs em museus de Nova Iorque e em vários países, mas a morte do amigo, em 1987 atuou negativamente em sua produção. Basquiat não atendia mais as exigências da crítica e deixava de ser uma celebridade. A solidão e o uso excessivo de drogas o levaram à morte em 1988. A vida curta do artista se transformou em um filme de 1996, que teve David Bowie, no papel de Andy Warhol e Jeffrey Wright como Basquiat.

O urbano e a expressividade são as mais fortes marcas das obras de Basquiat. O uso de palavras e de letras em suas pinturas revela sua ligação com o grafite de rua e com a variedade de assuntos e de livros lidos por ele, entre os quais, o Gray’s Anatomy de sua infância. Diferentemente da Pop Art do amigo Warhol, a Arte de Basquiat criticava de forma contundente o sistema, o poder, os conflitos de classe e o racismo, não obstante a presença de policiais em suas obras. É possível encontrar também figuras de profetas, atletas, guerreiros, mitos, músicos (Fig. 4) e heróis (Fig. 1).

Na figura 1, o herói se apresenta em duas posições, de frente, num plano mais próximo; e de lado, num plano mais afastado, sugerindo velocidade. Do lado esquerdo da pintura, ele está em pleno movimento, com uma das pernas para trás, o que acentua a idéia de movimento. A outra perna, para frente, sugere um passo largo, tem o joelho, a panturrilha e a coxa delineados, revelando que o artista conhecia noções de Anatomia. A alusão ao icônico personagem dos quadrinhos fica por conta do traje vermelho, do cinturão com o raio desenhado e da máscara. Ao redor, a cidade tem prédios, com portas e janelas.

O artista trouxe à tona as questões sociais e raciais, usando o negro como protagonista, em muitas de suas pinturas. O próprio artista, por ser negro, conseguiu êxito em um universo que na época era predominantemente de brancos. A convulsão de formas é expressiva, visceral, junta-se ao incontido desejo de expor o lado mais contundente da sociedade, o urbano decadente e avesso, com o qual ele próprio conviveu. O primitivismo deixa clara a ligação com o grafite e com o fato de que, à Arte, cabe papel de expor o pensamento, não de registrar a realidade. De sua carreira, ficaram obras que atualmente são disputadas no mundo da Arte.

A realidade e a imagem
O arranha-céu sobe no ar puro lavado pela chuva

E desce refletido na poça de lama do pátio,
Entre a realidade e a imagem, no chão seco que as separa,
Quatro pombas passeiam.
(BANDEIRA, 2008, p.118)

Sobre a Exposição

Neste ano, uma grande retrospectiva da obra de Jean-Michel Basquiat vai circular pelo Brasil, com entrada gratuita para o público. Com mais de 80 peças, entre quadros, desenhos, gravuras e pratos pintados, a incrível coleção com inúmeras obras-primas do artista poderá ser conhecida no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em São Paulo, em 25 de janeiro, aniversário da cidade. As obras ficarão em exposição na capital paulista até 7 de abril para, em seguida, serem apresentadas em Brasília (de 21 de abril, aniversário da capital federal, a 1º de julho), Belo Horizonte (16 de julho a 26 de setembro) e Rio de Janeiro (12 de outubro a 8 de janeiro de 2019). A vinda desse acervo tão qualificado ao Brasil, em quatro capitais, levou cerca de dois anos de negociações.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

A retrospectiva Jean-Michel Basquiat foi concebida com obras da família Mugrabi, dona das maiores coleções de Basquiat e também de Andy Warhol. As peças foram disputadas por diversos países, entre eles Coreia do Sul, Japão e Rússia. A incrível coleção chega ao país graças à ação conjunta do Banco do Brasil e da produtora Art Unlimited, com patrocínio da BB SEGURIDADE, da BRASILCAP e do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE. A curadoria é de Pieter Tjabbes. “A iniciativa de apresentar a maior retrospectiva do trabalho de Basquiat na América Latina, em quatro capitais brasileiras, ao longo de um ano, com ingressos gratuitos, reforça o compromisso do Banco do Brasil na formação do público para as artes visuais, no acesso à cultura e no valor da diversidade”, afirma Alexandre Alves de Souza, diretor de Marketing do Banco do Brasil. Empresa que concentra os negócios de seguros, previdência, capitalização e planos odontológicos do Banco do Brasil, a BB SEGURIDADE também reforça que “o patrocínio à exposição fortalece seu posicionamento de companhia fomentadora da democratização da cultura no País”, como explica seu diretor, Sergio Augusto Kurovski. “O patrocínio é uma forma de oferecer à sociedade a experiência de acessar obras tão importantes nos Centros Culturais Banco do Brasil”.

1 Website – Biografia:
www.basquiat.com/artist.htm

2 Relação de Andy Warhol e Jean-Michel Basquiat – Philos TV:
www.youtube.com/watch?v=nkMWow08a60

.

Referências:

  1. BANDEIRA, Manuel. Bandeira de Bolso. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2008.
  2. FARTHING, Stephen. Tudo sobre Arte. Rio de Janeiro: Editora Sextante, 2011.
  3. RINK, Anita. Graffiti: Intervenção Urbana e Arte. Curitiba: Editora e Livraria Appris, 2015.
  4. WILDE, Oscar. A Decadência da Mentira e outros Ensaios. Rio de Janeiro: Imago Editora Ltda., 1994.

.

As figuras:

Fig. 1 – Flash em Nápoles | 1983 | Acrílico e tinta a óleo em bastão sobre tela | 168 x 153 cm | © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 2 – Sem título | 1983 | Acrílico e tinta a óleo em bastão sobre tela | 244 x 181 cm | © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 3 – A linguiça do irmão | 1983 | Acrílico, tinta a óleo em bastão e colagem de papel sobre tela | 122 x 476 cm | © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 4 – Jean-Michel Basquiat, John Lurie, 1982 tinta a óleo em bastão sobre papel, 168,6 x 76,5 cm. © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 5 – Jean-Michel Basquiat, Sem Título (Alcatrão Amarelo e Penas), 1982, tinta acrílica, bastão, lápis de cera, colagem e penas em painéis de madeira, 245,11 x 229,24 cm. © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 6 – Jean-Michel Basquiat, Sem Título (Bracco di Ferro), 1983, Acrílico e bastão a óleo sobre tela com suportes de madeira, 182,9 × 182,9 cm. © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

Fig. 7 – Jean-Michel Basquiat, Lombo, 1982, acrílico, bastão a óleo colorido e pastel sobre tela, 182,88 x 121,92 cm. © The Estate of Jean-Michel Basquiat. Licensed by Artestar, New York.

.

]]>
https://www.obrasdarte.com/a-arte-de-jean-michel-basquiat-durante-o-ano-de-2018-no-brasil-por-rosangela-vig/feed/ 0
Celebridades vestem a arte do grafiteiro TOZ https://www.obrasdarte.com/celebridades-vestem-a-arte-do-grafiteiro-toz/ https://www.obrasdarte.com/celebridades-vestem-a-arte-do-grafiteiro-toz/#comments Wed, 25 Oct 2017 12:53:54 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=38133-pt Trilhando o Bem com o Saúde Criança

Em parceria com o grafiteiro Toz, a ONG promove a venda de camisetas com arte exclusiva dele, desafios online e uma trilha no morro da Urca

Para celebrar os seus 26 anos, a Associação Saúde Criança realiza a campanha Trilhando o Bem em parceira com o artista e grafiteiro TOZ (Tomaz Viana). Ele criou uma arte exclusiva para estampar a camiseta, que pode ser comprada na loja virtual do Saúde Criança: https://loja.saudecrianca.org.br. A campanha ainda terá desafios com recompensas para quem participar ativamente.

O primeiro desafio é divulgar a campanha usando a hashtag #TrilhandoOBem ou enviar para vania@saudecrianca.org.br que publicará no hotsite http://hotsite.saudecrianca.org.br. Quem tiver o maior número de publicações, ganhará uma camiseta autografada pelo TOZ.

O outro desafio visa arrecadar e doar o maior número de latas de leite em pó para o Saúde Criança. E o vencedor terá a oportunidade de visitar o atelier do Toz e tirar uma foto com ele.

Para marcar o aniversário do Saúde Criança, que é dia 25 de outubro, será realizada no domingo, dia 29 de outubro de 2017, às 9:30h, uma trilha no Morro da Urca com a presença do TOZ. A participação na trilha só será possível com a compra da camiseta.

Sobre o Toz:

Tomaz Viana, mais conhecido como Toz, nasceu em Salvador, em 1976. Formando em Design, vive e trabalha no Rio de Janeiro.

Toz começou a ganhar fama no início dos anos 2000 quando passou a espalhar suas criações pelos muros do Jardim Botânico, da Gávea, do Morro da Providência e nos trens que circulam pela Zona Norte.

Apaixonado por histórias em quadrinhos, mangás e símbolos do universo religioso de seu estado natal, ele criou um conjunto particular de personagens que engloba da garotinha Nina, inspirada em sua sobrinha, aos simpáticos Schimu. Desde 2009, Toz vem trilhando a seara do mercado formal de arte e tem sua produção comercializada em uma galeria de Copacabana. No período, o valor de suas criações passou de 500 para 70 000 reais.

O trabalho de Toz, formalizado basicamente a partir da pintura, é pensado em telas que retratam momentos diferentes de sua vida, escrevendo uma história inspirada no cotidiano. Transita entre materiais como tinta à óleo e spray, tanto nas ruas como nas galerias, tendo como principal temática a criação de personagens autobiográficos.

É engajado em projetos de cunho social com foco em crianças e adolescentes e acredita que o fato dele mesmo não ter se identificado com ídolos tradicionais, pode ser um fato comum a muitos jovens.

Associação Saúde Criança

Há 26 anos, a Associação Saúde Criança promove transformação social de famílias, que vivem em pobreza extrema, por meio de metodologia multidisciplinar inovadora.

Além do atendimento direto às famílias, o Saúde Criança dissemina esse conhecimento e prática para instituições públicas e privadas e estimula a mobilização social.

A Associação Saúde Criança foi eleita a ONG mais influente da América Latina e 19ª do mundo, segundo o ranking feito pela NGO Advisor que considera três critérios essenciais: impacto, inovação e sustentabilidade.

SERVIÇO:

29/10 – Domingo – Trilhando o Bem no Morro da Urca com TOZ
Horário: 9:30h

Entrada: através da compra de uma camiseta, previamente pelo site http://hotsite.saudecrianca.org.br/ ou no próprio dia.

]]>
https://www.obrasdarte.com/celebridades-vestem-a-arte-do-grafiteiro-toz/feed/ 1
Antonio Bokel lança livro com sua trajetória durante a SP-Arte 2017 https://www.obrasdarte.com/antonio-bokel-lanca-livro-com-sua-trajetoria-durante-a-sp-arte-2017/ https://www.obrasdarte.com/antonio-bokel-lanca-livro-com-sua-trajetoria-durante-a-sp-arte-2017/#comments Fri, 31 Mar 2017 17:33:41 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=34465-pt Ver será lançado dia 8 de abril no Lounge SP, no Pavilhão da Bienal, apresentando um dos percursos mais instigantes da arte contemporânea no Brasil

Nos últimos 15 anos, o carioca Antonio Bokel testou quase todas as possibilidades da arte. Interage com o espaço urbano através do lambe-lambe de propaganda, das pichações e do grafite. O discurso das ruas, em palavras e a imagens, ganha vários outros significados com o uso de técnicas mistas. Colagem e fotografia. Os suportes utilizados por ele passam pela instalação, quadros, moda, esculturas. Artista incansável, seu acervo tão diverso contabiliza mais de três mil imagens. 100 delas, a parte mais representativa de sua trajetória em ordem cronológica, foi selecionada para o livro Antonio Bokel: Ver (Réptil Editora, 160 páginas, R$ 80, ISBN 978-85-99625-67-5). A obra, com textos dos curadores Vanda Klabin, Daniela Name, Oswaldo Carvalho, Mario Gioia e do artista plástico Pedro Sánchez será lançada dia 8 de abril no Pavilhão da Bienal, durante a feira internacional de arte moderna e contemporânea SP-Arte 2017.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Uma parceria da Réptil Editora com a Mercedes Viegas Galeria, o título percorre em 160 páginas os principais trabalhos do artista carioca. “Um diplomata talentoso, um articulador, um criador de mundos”. A análise é de Pedro Sánchez, um dos cinco convidados a observar a produção de Bokel. Sánchez analisa a movimentação de Antonio Bokel de um lugar privilegiado. Os dois dividem com Marcelo Macedo o ateliê e o espaço Galeria Quintal , no Rio Comprido, Zona Norte da capital carioca. Esse contato diário, permite que ainda se impressione com “a capacidade que Bookel tem de veicular, de fazer circular a sua produção quase compulsiva, com a independência e a autonomia que sustenta em relação ao circuito e aos cânones da arte contemporânea”.

O desenvolvimento da carreira de Antonio Bokel é acompanhado desde o início, quando ainda frequentava o curso de design gráfico da Univercidade. Antes mesmo de concluir a graduação, em 2004, ele já apresentava novos caminhos de interação com o espaço urbano, ao utilizar a propaganda de rua e pichações em seu trabalho. “O que parece banal torna-se objeto de investigação plástica e traz uma nova experiência para o seu fazer artístico”, aponta Vanda Klabin no texto de abertura: Antonio Bokel – Algumas considerações.

Livro Antonio Bokel: Ver. Divulgação.

Livro Antonio Bokel: Ver. Divulgação.

O artista fez a primeira exposição individual na Ken´s Gallery, em Florença (Itália). “Estava na cidade para pesquisar e estudar. Frequentava a galeria por curiosidade. Um dia, por acaso, fui convidado a mostrar minha produção”, recorda Antonio Bokel. Em 2016, ele voltou a expor na Europa, integrando o time de dez artistas escolhidos no mundo inteiro para compor a exposição Point of View, no Palácio da Pena, em Sintra (Portugal). O espaço, que pode ser comparado ao Inhotim, apresenta trabalhos ao ar livre, propõe uma ligação entre arte e natureza. Cura, nome de sua obra, traz três troncos formando um triângulo perfeito, que aponta para o Palácio da Pena. Cada tronco levara esculturas de bronze em forma de mãos que viram galhos de árvores, lembrando fábulas antigas. Esses galhos apontam para o centro do triângulo. Entre os troncos um chão de relva ajuda a reforçar a geometria perfeita do triângulo. Ao centro um pequeno banco para o espectador meditar e sentir os pontos de vistas desse altar.

Bienal de Gaia e outros Projetos em 2017 – Além do lançamento do seu livro, Antonio Bokel participa da SP-Arte expondo pinturas feitas em 2017 no espaço Mercedes Viegas Galeria, do Rio de Janeiro. “Na AM Galeria, de Belo Horizonte, o público pode ver a escultura Karma”, antecipa Bokel. Em julho, ele volta a Portugal para participar da 2ª Bienal Internacional de Arte de Gaia, na Região do Porto. A recém-inaugurada Aura Galeria, na Vila Madalena, em São Paulo, fará uma exposição individual de Antonio Bokel entre agosto e setembro de 2017.

Lançamento
O que: livro Antonio Bokel – Ver (Réptil Editora). 160 páginas. R$ 80.
Quando: 08 de abril de 2017, às 18h.
Onde: Lounge Sp-arte no Pavilhão Ciccilo Matarazzo (Pavilhão da Bienal). Parque do Ibirapuera – Portão 3.

.

Bio

Antonio Bokel nasceu no Rio de Janeiro, em 14 de abril de 1978. O contato com a arte começou bem antes do Curso de Design na Univercidade, onde se formou em 2004. “Um dos passatempos prefridos da infância era pintar com guache. Eu e uma tia, Vera Lucia, pintora autodidata, ficávamos horas pintando”, recorda Antonio. Os dois produziram uma vasta obra naïf. “Ela sugeria temas do lugar onde nasceu, na zona rural do Rio. Eu trazia as referências de um garoto urbano”.

Nesse acervo, guardado até hoje no apartamento da família, em Copacabana, há gravuras de pássaros, de plantas. “E outras escolhas de um menino urbano, que aceitava as sugestões, mas também pintava hambúgueres e frascos de ketchup”, lembra Bokel. Os muitos cartões postais enviados pela mãe, uma viajante profissional, também serviam de base para a produção para os quadros. Um dos eus projetos dele é transformar em exposição as obras dessa fase e o legado de Vera Lucia.

Na faculdade de Design Gráfico, Bokel teve aulas de fotografia, curso de modelo vivo com Bandeira de Mello, de pintura com João Magalhães, no Parque Laje, Rio de Janeiro. Em 2003, fez sua primeira exposição individual na Ken´s Gallery, na Via Lambertesca, em Florença (Itália). “Onde passei quase um ano, fazendo pesquisas e testando várias linguagens”. Ao retornar ao Rio, fundou a marca de moda Soul Seventy com a estilista Amanda Mujica. As peças eram vendidas na praia, no Posto 9, e logo foram parar na semana de moda carioca, o Fashion Rio.

Em 2008 participou da exposição de Verão na galeria Silvia Cintra + Box 4, neste mesmo ano e no e anos seguinte participou da SP arte, representado pela mesma, atingindo grande sucesso de vendas em 2009. Em 2010, realizou as exposições Cruzes e Credos, na Jaime Portas Vilaseca Galeria, Rio de Janeiro, e AAAAA No Thing But Truth, na Sid Lee Collective Gallery, em Amsterdam, Holanda. Em 2011, participou da 1ª exposição ARTUR – Artistas Unidos em Residência, em Lagos, Portugal. Neste mesmo ano, também realizou duas exposições individuais: Corpus Cordex, no Centro Cultural Solar de Botafogo, Rio de Janeiro, e Grafitti Error, na FB Gallery, Nova York. Em 2012, participa da exposição Gramática Urbana,no Centro de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro. No mesmo ano fez sua individual, Transfiguração do Rastro, no mesmo museu. 2013 participou da exposição e residência artística Movimentos Paralelos na República Dominicana. Em 2014 mais uma exposição individual Na Periferia do Mundo com curadoria de Vanda Klabin , onde ocupou 5 salas do Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro. Foram no total 35 obras entre pinturas , fotografias , esculturas e vídeo. Seu trabalho já foi publicado nas revistas brasileiras Zupi, Vizoo e Santa, e na espanhola Rojo. Seus trabalhos estão nas maiores coleções Brasileiras , como a de Gilberto Chateubriand e BGA Investimentos. Bokel tem alguns trabalhos no acervo do MAM, museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, e do MAR museu de arte do Rio. Em 2015 foi um dos indicados ao prêmio PIPA. Em 2016 participa da exposição coletiva Point of View / site specific, nos jardins do Palácio da Pena, em Sintra, Portugal. Atualmente é representado pela galeria Mercedes Viegas , no Rio de Janeiro, galeria Matias Brotas em Vitória e AM galeria em Belo Horizonte.

]]>
https://www.obrasdarte.com/antonio-bokel-lanca-livro-com-sua-trajetoria-durante-a-sp-arte-2017/feed/ 1
Oficinas de Grafite e Quadros Vivos são atrações de Projeto para “Avós e Netos” no Sesc https://www.obrasdarte.com/oficinas-de-grafite-e-quadros-vivos-sao-atracoes-de-projeto-para-avos-e-netos-no-sesc/ https://www.obrasdarte.com/oficinas-de-grafite-e-quadros-vivos-sao-atracoes-de-projeto-para-avos-e-netos-no-sesc/#respond Mon, 01 Feb 2016 19:00:49 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=28187-pt Grafiteiros Sorocabanos, Will Ferreira e Michel Japs apresentam conceitos sobre a Arte

Percussão corporal idosos. Foto: Divulgação.

Percussão corporal idosos. Foto: Divulgação.

O projeto do Sesc Sorocaba que visa proporcionar a experiência de uma convivência diferente e prazerosa entre avós e netos, buscando a integração, criação conjunta e descobertas, continua no mês de fevereiro com novas atrações. Todas as atividades são gratuitas, abertas ao público em geral e acontecem entre os dias 2 e 26 de fevereiro.

Uma das novidades do projeto Avós e Netos deste mês é o Passeio ao CineSec, que sairá no dia 3 de fevereiro, às 8h, do Sesc Sorocaba. Os participantes irão conhecer um dos mais tradicionais espaços de cinema e arte da capital paulista – o CineSec. O espaço possibilita acesso a grandes filmes da cinematografia brasileira e mundial, priorizando produções que não encontram lugar no meio comercial tradicional de distribuição. Com um acervo de 156 títulos, o CineSesc também possui convênio com a Programadora Brasil, projeto desenvolvido pela Cinemateca Brasileira e Ministério da Cultura, para valorizar o cinema nacional e seus artistas.

O passeio também inclui uma sessão da animação brasileira “O Menino e o Mundo” (2013). Dirigido por Alê Abreu, o filme (feito nos moldes do cinema mudo) está entre os cinco indicados ao prêmio de melhor filme de animação na edição do Oscar 2016, e mostra uma criança pobre cujo pai a abandou para ir trabalhar em algum lugar distante.

Outra novidade do mês é a oficina de Grafite, sob a orientação dos artistas visuais e grafiteiros Will Ferreira e Michel Japs. Os participantes conhecerão um pouco sobre o universo da arte do grafite, através de apresentações das técnicas básicas, materiais e experimentação prática. As aulas acontecem nos dias 16 e 19 de fevereiro, das 15h às 18h.

A terceira e última novidade da programação é a oficina Quadros Vivos, que acontecerá no dia 19 de fevereiro, às 15h. Ministrado pelo educador e terapeuta Daniel Nunes, o curso abordará técnicas de cultivo de plantas e de construção de belos e criativos quadros vivos, ou seja, jardins verticais com moldura. Nela, avós e netos poderão atuar juntos e se sentirem mais conectados com a natureza.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Outras atrações

Dando sequência à oficina de Pintura em Aquarela, o artista plástico Joaquim Marques apresentará as técnicas básicas da modalidade artística, os seus principais materiais e as possibilidades de efeitos, como a transparência e luminosidade, nos dias 2,16 e 23 de fevereiro, das 14h30 às 17h30. O curso é sequencial, e portanto, é imprescindível a presença durante todos os dias da atividade.

A arte da Percussão Corporal também continua fazendo parte da programação em fevereiro. O integrante da Cia. Repentistas do Corpo, Sérgio Rocha, ensinará aos participantes a unir as técnicas de percussão corporal, voz e movimento para compor diversos ritmos e sequências. O objetivo é o desenvolvimento da percepção musical e rítmica, que estimula a coordenação motora e a escuta em grupo. A atração, sequencial, será às quartas, nos dias 3, 17 e 24, das 14h30 às 16h.

Em janeiro, quem perdeu a vivência Minhas Memórias em Poesia terá uma nova oportunidade de participar da atividade em fevereiro, que será realizada, de maneira sequencial, nos dias 4, 18 e 25, das 15h às 16h. A narradora de histórias Vivian Catenacci convida o público ao fazer poético com as rodas de verso. Desencadeadas pelas melodias das cantigas tradicionais, as memórias regatadas pelos participantes inspiram a composição de quadrinhas para cantar na brincadeira.

E continuam as aulas abertas de ginástica geral, nos sábados, dias 13 e 27 de fevereiro, das 13h30 às 15h, conduzidas pelos instrutores de atividades físicas do Sesc, na área de convivência da unidade. Trata-se de uma vivência intergeracional sobre as diferentes possibilidades esportivas, artísticas, folclóricas e corporais para experimentação da modalidade. A prática envolve pessoas de todas as idades e habilidades distintas, e incentiva as relações afetivas e criativas. Para participar, basta se inscrever no horário e local da atividade.

Serviço

Pintura em Aquarela
Dias 2, 16 e 23/02, terças, das 14h30 às 17h30.
Local: Local: Sesc Sorocaba, sala 2, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade
Classificação: livre
Valor: gratuito
Percussão Corporal
Dias 3, 17 e 24/02, quartas, das 14h30 às 16h.
Local: Sesc Sorocaba, área de convivência, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade
Classificação: livre
Valor: Gratuito (Consultar disponibilidade de vagas na Central de Atendimento).
40 vagas
Minhas Memórias em Poesia
Dias 4, 18 e 25/02, quintas, das 15h às 16h30.
Local: Local: Sesc Sorocaba, sala 2, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade
Classificação: livre
Valor: gratuito (Consultar disponibilidade de vagas na Central de Atendimento).
30 vagas
Ginástica Geral
Dias 13 e 27/02, sábados, das 13h30 às 15h.
Local: Sesc Sorocaba, sala de oficinas, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade.
Classificação: livre
Valor: Gratuito (Inscrições no horário e local da atividade).
30 vagas
Quadros Vivos
Dia 19/02, sexta, às 15h
Local: Sesc Sorocaba, sala de oficinas, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim
Classificação: livre
Valor: Gratuito (retirada de ingressos com 1h de antecedência).
30 vagas
Grafite
De 16/02 a 19/02, de terça a sexta, das 15h às 18h. Sequencial.
Local: Local: Sesc Sorocaba, sala 2, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade
Classificação: livre
Valor: Gratuito (Inscrições antecipadas na Central de Atendimento)
10 vagas
Passeio ao CineSec
Dia 3/02, quarta, às 8h.
Local: Sesc Sorocaba, rua Barão de Piratininga, 555, Jardim Faculdade.
Classificação: livre
Valor: gratuito (inscrições antecipadas na Central de Atendimento)

40 vagas

.

Estacionamento:
Para credenciados no Sesc = R$ 4,00 a primeira hora e R$ 1,00 por hora adicional.

Não credenciados = R$ 8,00 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional.

Mais informações:
(15) 3332-9933 ou
sescsp.org.br/sorocaba

]]>
https://www.obrasdarte.com/oficinas-de-grafite-e-quadros-vivos-sao-atracoes-de-projeto-para-avos-e-netos-no-sesc/feed/ 0
A Contemporaneidade, Um pouco sobre a Arte Urbana por Rosângela Vig https://www.obrasdarte.com/a-contemporaneidade-um-pouco-sobre-a-arte-urbana-por-rosangela-vig/ https://www.obrasdarte.com/a-contemporaneidade-um-pouco-sobre-a-arte-urbana-por-rosangela-vig/#comments Fri, 13 Feb 2015 11:43:24 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=20004-pt Você também pode ouvir esse artigo na voz da própria Artista Plástica Rosângela Vig:

Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte.

Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte.

A Contemporaneidade, Um pouco sobre a Arte Urbana por Rosângela Vig

O Grafite

A Modernidade é o transitório, o efêmero, o contingente, é a metade da Arte, sendo a outra metade, o eterno e o imutável. Houve uma Modernidade para cada pintor antigo: a maior parte dos belos retratos que nos provêm das épocas passadas está revestida de costumes da própria época. São perfeitamente harmoniosos; assim, a indumentária, o penteado e mesmo o gesto, o olhar e o sorriso (…) formam um todo de completa vitalidade. Não temos o direito de desprezar ou de prescindir desse elemento transitório, fugidio, cujas metamorfoses são tão frequentes. Suprimindo-os, caímos forçosamente no vazio de uma beleza abstrata e indefinível, como a da única mulher antes do primeiro pecado. (BAUDELAIRE, 2007, P.26)

Fig. 1 – Muros da Memória. Eduardo Kobra. Arte urbana.

Fig. 1 – Muros da Memória. Eduardo Kobra. Arte urbana.

Em meio à monocromia da cidade, o artista, num ímpeto criativo, fez das paredes e dos muros, sua tela e, sem cerimônia, tingiu com sinais de vida, o que antes era concreto inanimado. O grafite artístico emerge como um alento à aspereza urbana, ameniza a frieza do concreto; distrai os olhares perdidos da turba desenfreada entrando e saindo dos transportes; e sobretudo propõe conjecturas. As cores permitem um equilíbrio transitório à mente em constante ebulição pelo estresse da cidade grande e pelas obrigatoriedades do dia. Nesse ponto, o urbano adquire um caráter poético. O imutável é a vida, a Arte está somente de passagem, é fugidia em suas mutações e acompanha a própria evolução da mente humana.

Fig. 2 – Mural de Eduardo Kobra na Avenida Paulista, de 2013, retrato do arquiteto Oscar Niemeyer. No trabalho pode–se ver referências a várias obras de Niemeyer, como o Palácio do Planalto, a Pampulha e o Museu Oscar Niemeyer. Foto de Alan Teixeira. Arte urbana.

Fig. 2 – Mural de Eduardo Kobra na Avenida Paulista, de 2013, retrato do arquiteto Oscar Niemeyer. No trabalho pode–se ver referências a várias obras de Niemeyer, como o Palácio do Planalto, a Pampulha e o Museu Oscar Niemeyer. Foto de Alan Teixeira. Arte urbana.

O artista da rua deixa seu registro e se eterniza diante de uma atualidade afobada. Ao espectador, o que era antes uma simples parede, é agora o retrato de um tempo antigo (Fig. 1) e é possível que se dialogue com esse tempo. As pessoas da imagem olham atônitas para o cenário que a atualidade lhes oferece. Oscar Niemeyer (Fig. 2), de olhos abertos, contempla reflexivo, com um sorriso enigmático, a metrópole que vê, diante de seus olhos. Talvez a ele, a cidade não seja tão bela como gostaria. Pode-se contemplar um animal fantástico (Fig. 3) que emerge de uma parede inerte e que parece voar em meio aos carros apressados, próximo a um farol, na esquina da rua da Consolação em São Paulo.

Fig. 3 – Muro de viaduto na esquina da rua da Consolação em São Paulo, foto tirada em 2013, pichação em meio à Arte. Foto de Rosângela Vig. Arte urbana.

Fig. 3 – Muro de viaduto na esquina da rua da Consolação em São Paulo, foto tirada em 2013, pichação em meio à Arte. Foto de Rosângela Vig. Arte urbana.

O termo Arte Urbana ou Arte de Rua refere-se às manifestações artísticas que ocorrem em espaços públicos. O grafite, como uma das primeiras formas de Arte Urbana, surgiu entre 1960 e 1970, nas ruas da Filadélfia. Esse novo modelo de Arte, “ilegal”, teve campo em Nova York, principalmente nos transportes coletivos e no metrô. Os grafiteiros no início, combatidos pela polícia, como vândalos, usavam as latas de tinta spray para criar letras bem elaboradas coloridas e muito grandes (Fig. 4), que eram a marca registrada de seus próprios nomes. Com o tempo, as letras se tornaram mais complexas, com novos formatos e se misturavam a belos desenhos coloridos (Fig. 5), muitos de cunho social. Os trabalhos, inspirados na Arte Pop de Roy Lichenstein 1 (1923-1997) e na cultura popular, acabaram por conquistar espaço. Alguns grafiteiros, como Keith Haring 2 (1958-1990) e Michel Basquiat 3 (1960-1988), saíram da clandestinidade e se tornaram conhecidos no mundo da Arte Contemporânea. Em Nova York, Haring chegou a ser preso por seu famoso mural “Crack é uma droga” (Crack is Wack), no qual o artista demonstrava sua repulsa pela falta de atitude do governo, quanto ao aumento do uso da droga na cidade. Seu mural chegou a ser apagado, mas devido à repercussão do fato, foi permitido a Haring refazê-lo.

Fig. 4 – Arte Urbana na Parede. Letras bem elaboradas coloridas e muito grandes. Foto de acidminde. Arte urbana.

Fig. 4 – Arte Urbana na Parede. Letras bem elaboradas coloridas e muito grandes. Foto de acidminde. Arte urbana.

Fig. 5 – Arte Urbana na Parede. Belos desenhos coloridos. Foto de Fernando Cortés. Arte urbana.

Fig. 5 – Arte Urbana na Parede. Belos desenhos coloridos. Foto de Fernando Cortés. Arte urbana.

No final da década de 90, o grafite assumiu novos formatos, adquirindo um caráter figurativo, com o uso de adesivos, de estênceis e de cartazes, o que facilitaria a produção e possibilitaria uma compreensão mais rápida, por parte do público. Nessa fase do grafite, evidenciaram-se, entre outros, Banksy 4 (Fig. 6) e Barry McGee (1966-). No Brasil, cabe destaque para Eduardo Kobra, como referência nessa Arte. Nascido na cidade de São Paulo, o artista começou a se tornar conhecido em 1987 e atualmente tem murais conhecidos na cidade onde nasceu, e pelo mundo 5. Estão entre seus temas, personalidades como Oscar Niemeyer, Nelson Mandela, Madre Teresa de Calcutá, Abraham Lincoln e John Lennon. O artista ainda trata questões como o meio ambiente, em seu projeto Greenpincel, cujas imagens fortes, deixam em evidência seu repúdio por atos contra a natureza, em todas suas formas. A marca registrada de sua Arte é o uso de cores vibrantes, mescladas a formas geométricas, em meio a figuras de celebridades e cenas urbanas. Seus murais, espalhados por cidades do Brasil e do mundo, são inconfundíveis e, mais que proporcionar os sentimentos prazerosos pela veia do Belo, sua Arte questiona de um modo inteligente e induz a pensamentos aprofundados.

Fig. 6 – Bansky, artista de rua britânico com trabalhos em Bristol, Londres e em várias cidades do mundo. Foto de Toniflap. Arte urbana.

Fig. 6 – Bansky, artista de rua britânico com trabalhos em Bristol, Londres e em várias cidades do mundo. Foto de Toniflap. Arte urbana.

Fig. 7 – Pichações. Foto de okanakdeniz. Arte urbana.

Fig. 7 – Pichações. Foto de okanakdeniz. Arte urbana.

Vale lembrar que o grafite, como Arte, tem fundamento, trabalha com o intelecto, é belo e ameniza a dureza da vida urbana, diferentemente de pichações (Fig. 7), que não tem nenhuma ligação com a Arte, e que são totalmente reprováveis, por sujarem a cidade e por danificarem patrimônios públicos e particulares.

O grafite viabilizou a artistas populares, de talento indiscutível se destacarem junto às vanguardas contemporâneas e no meio artístico. E, mais que isso, o estilo levou a própria Arte para a rua, por meio de um Belo com sentido intelectual, sobre temas atuais e muitas vezes, contundentes, despertando críticas e provocando discussões.

1 Roy Lichenstein
www.lichtensteinfoundation.org

2 Keith Haring
www.haring.com

3 Michel Basquiat
www.basquiat.com

4 Banksy
www.banksy.co.uk

5 Kobra – vídeo Globo em Nova York
g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/10/eduardo-kobra-cria-obra-de-arte-de-rua-em-muros-de-bairro-em-nova-york.html

Nossos Agradecimentos ao Artista Eduardo Kobra
Website | Muros da Memória | Painéis Green Pincel

Vídeo sobre o Kobra:

.

.

Gostou? Deixa um comentário!

.

Vem conosco, Saiba das Novidades pelo e-mail:

Email

.

.

Referências:

  1. BAUDELAIRE, Charles. Sobre a Modernidade, 6ª. ed., São Paulo, Editora Paz e Terra, 2007.
  2. BAYER, Raymond. História da Estética. Lisboa: Editorial Estampa, 1993. Tradução de José Saramago.
  3. FARTHING, Stephen. Tudo Sobre a Arte. Rio de Janeiro: Sextante, 2011.
  4. GOMBRICH, E.H. A História da Arte. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1988.
  5. HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. Martins Fontes, São Paulo, 2003.
  6. KANT, Immanuel. O Belo e o Sublime. Pôrto: Livraria Educação Nacional Ltda., 1942.
  7. SCHILLER, Friedrich Von. A Educação Estética do homem. 4a. edição. S.Paulo: Ed. Iluminuras, 2002.

.

As figuras:

Fig. 1 – Muros da Memória. Eduardo Kobra.

Fig. 2 – Mural de Eduardo Kobra na Avenida Paulista, de 2013, retrato do arquiteto Oscar Niemeyer. No trabalho pode–se ver referências a várias obras de Niemeyer, como o Palácio do Planalto, a Pampulha e o Museu Oscar Niemeyer. Foto de Alan Teixeira.

Fig. 3 – Muro de viaduto na esquina da rua da Consolação em São Paulo, foto tirada em 2013, pichação em meio à Arte. Foto de Rosângela Vig.

Fig. 4 – Arte Urbana na Parede. Letras bem elaboradas coloridas e muito grandes. Foto de acidminde.

Fig. 5 – Arte Urbana na Parede. Belos desenhos coloridos. Foto de Fernando Cortés.

Fig. 6 – Bansky, artista de rua britânico com trabalhos em Bristol, Londres e em várias cidades do mundo. Foto de Toniflap.

Fig. 7 – Pichações. Foto de okanakdeniz.

Fig. 1 – Muros da Memória. Eduardo Kobra. Arte urbana. Fig. 2 – Mural de Eduardo Kobra na Avenida Paulista, de 2013, retrato do arquiteto Oscar Niemeyer. No trabalho pode–se ver referências a várias obras de Niemeyer, como o Palácio do Planalto, a Pampulha e o Museu Oscar Niemeyer. Foto de Alan Teixeira. Fig. 3 – Muro de viaduto na esquina da rua da Consolação em São Paulo, foto tirada em 2013, pichação em meio à Arte. Foto de Rosângela Vig. Fig. 4 – Arte Urbana na Parede. Letras bem elaboradas coloridas e muito grandes. Foto de acidminde. Fig. 5 – Arte Urbana na Parede. Belos desenhos coloridos. Foto de Fernando Cortés. Fig. 6 – Bansky, artista de rua britânico com trabalhos em Bristol, Londres e em várias cidades do mundo. Foto de Toniflap. Fig. 7 – Pichações. Foto de okanakdeniz.

.

Você poderá gostar também:

.

.

]]>
https://www.obrasdarte.com/a-contemporaneidade-um-pouco-sobre-a-arte-urbana-por-rosangela-vig/feed/ 46
Rosângela Vig https://www.obrasdarte.com/rosangela-vig/ https://www.obrasdarte.com/rosangela-vig/#comments Fri, 28 Mar 2014 17:15:31 +0000 http://www.obrasdarte.com/?p=12324-pt Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte na UNIP.

Rosângela Vig é Artista Plástica e Professora de História da Arte na UNIP.

Rosângela Araújo Pires Vig

Tenho me dedicado ao desenho desde criança. A princípio como admiradora das cores e dos lápis. Sentia-me apaixonada ao conseguir transformar um papel em branco em desenhos que minha imaginação criava.

Com o tempo fui transformando meu gosto em hobby e me dedicando e aperfeiçoando. Fiz um curso em São Paulo, mas o que sempre me trouxe inspiração foi observar os movimentos das coisas, das pessoas, perceber-lhes sombras, luzes e cores dos mais diversos tons.

Passei a desenhar castelos, casarios com lápis grafite e lápis de cor. Nunca me cansei de ver detalhes nas construções antigas em Veneza, que me valeu inspiração suficiente para receber o primeiro prêmio. Desde então iniciei uma produção frenética que hoje soma mais de duzentos quadros. Com o incentivo de meu marido e de minha filha tenho participado de exposições, catálogos e de revistas que circulam no país. Estou cursando mestrado em Comunicação e Cultura, o que me ajuda a definir estilos e ver a arte como um meio de expressar idéias.

Atualmente me encontro numa fase mais moderna, com linhas geométricas, cubistas e coloridas e ainda faço castelos, mas numa concepção mais atual. Meus trabalhos hoje são a grafite, lápis e tela. Sinto-me realizada quando vejo um quadro pronto e percebo a cada dia uma nova idéia e uma nova imagem. De cada viagem, de cada lugar que visito trago um modelo diferente e muitas vezes levo papéis e lápis para ali mesmo esboçar os desenhos que se transformarão nos quadros que imagino.

Gosto muito do que faço e sei que tenho algo novo a aprender a cada dia.

Artista Plástica

Obras:

Acervo de mais de duzentas obras feitas a grafite, lápis de cor, tela e pastel oleoso.

  • Até 2002 – Obras Acadêmicas.
  • A partir de 2003 – Obras Acadêmicas, Cubistas e Geométricas.

Participações, Premiações e Publicações no Campo da Arte:

  • Setembro de 2001 – Medalha de Prata com a obra Veneza (grafite), no Salão Agosto da Cofrart, São Paulo.
  • A partir de 2002 – Participação nas Revistas Desenho e Pintura da Editora On Line, que circulam em todo o Brasil com desenhos de capa.
  • Setembro de 2002 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 4 (ISSN 1676-6660) com o trabalho O Moinho.
  • Novembro de 2002 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 5 (ISSN 1676-6660) com o trabalho Requinte.
  • Outubro de 2002 – Medalha de Bronze no Salão Sempre Primavera com as obras “Cerejas” e “Preparando o Jantar” – shopping Móveis Moema, São Paulo.
  • Agosto de 2002 – Medalha de Bronze com o trabalho “Ponte em Santiago de Compostela” (Grafite) – Salão Agosto, Cofrart, São Paulo.
  • Janeiro de 2003 – Participação no Catálogo internacional V da Cofrart, São Paulo.
  • Janeiro de 2003 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 6 (ISSN 16766660) com o trabalho “Atravessando o Rio”.
  • Março de 2003 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 9 (ISSN 1676-6660) com as obras “Inverno no Cais” e “Igreja em Santiago de Compostela”.
  • Junho de 2003 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 10 (ISSN 1676-6660) com as obras “Frutas da Estação” e “Cerejas”.
  • Julho de 2003 – Exposição Individual no Espaço Cultural de Sorocaba.
  • Julho de 2003 – Veiculação da Exposição individual pela Rede Globo de Televisão.
  • Julho de 2003 – Veiculação e reportagem especial no Jornal o Cruzeiro do Sul sobre exposição.
  • Agosto de 2003 – Participação na Revista Desenho e Pintura no. 11(ISSN 1676-6660) com as obras “A Tecelã” e “O Ceramista”.
  • Agosto de 2003 – Menção Honrosa e Medalha com o trabalho “As cores do Mar” (lápis de cor) no IX Concurso de Arte Livre Saint Germain – Elmi Ateliê e Galeria, São Paulo.
  • Agosto de 2004 – Medalha de Bronze com a obra “Ponte em Santiago” (lápis de cor) no IX Concurso de Arte Livre Saint Germain – elmi Ateliê e Galeria, São Paulo.
  • 2003 – Menção Honrosa no Mapa Cultural Paulista em Sorocaba com os quadros “Ponte em Veneza” (lápis de cor) e “Cerejas” (grafite).
  • 2003 – Participações do Projeto da Prefeitura de Sorocaba Arte na Praça.
  • Dezembro de 2003 – Exposição individual em Sorocaba no Espaço Cultural Municipal, e solicitação de prorrogação da exposição por mais um mês pela Secretaria da Cultura.
  • Dezembro de 2003 – Reportagem especial sobre meus trabalhos pela Rede Globo para o programa Antena Paulista, Giro São Paulo e Tem Notícias.
  • Dezembro de 2003 – Reportagem especial sobre os trabalhos pelo jornal Cruzeiro do Sul e Ipanema em Sorocaba.
  • Janeiro de 2004 – Participação no Catálogo internacional VI da Cofrart, São Paulo.
  • Fevereiro de 2004 – Exposição de trabalho no Shopping M em Sorocaba.
  • A partir de 2004 – Exposição Permanente no Restaurante Buon Gustaio, num bairro nobre de Sorocaba.
  • Maio de 2004 – Participação em exposição coletiva da Galeria Vera Simões – 7 Pintores – Obras “Inverno no Castelo”, “Tigre das Neves” e “alto Mar” (todos em grafite), em São Paulo.
  • Agosto de 2004 – Convite pela Secretaria da Cultura de Sorocaba para participar do Aniversário da cidade. Participação com a obra “Sorocaba na Década de 20” (grafite).
  • 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010 – Participação nos Catálogos internacionais IV, V, VI, VII, VIII Artistas do Vernissage – Editora Domani.
  • Agosto de 2005 – Recebimento de Menção Honrosa com o trabalho “Ponte em Santiago” (lápis de cor) na Premiação Flávio Gagliardi em Sorocaba.
  • Agosto de 2005 – Convite pela Secretaria da Cultura de Sorocaba para participar do Aniversário da cidade. Participação com a obra “Sorocaba Estilizada” (pastel oleoso preto).
  • Janeiro de 2006 – Recebimento de elogio da crítica de arte e historiadora Mali Villas-Bôas de galeria de São Paulo.
  • Julho de 2006 – Primeiro lugar no Prêmio Canson de Artes Plásticas com a obra “Brasil no Futebol” (lápis de cor) – Prêmio veiculado no catálogo da Canson.
  • Agosto de 2006 – Convite para participar com trabalho em homenagem aos tropeiros – obra “Sorocaba Estilizada” (pastel oleoso colorido).
  • Outubro de 2006 – Participação no primeiro Leilão de arte em Sorocaba com a obra “Nu em fragmentos, lápis” (lápis de cor) – obra arrematada por $2.000,00.
  • Janeiro de 2007 – Convite pela Secretaria da Cultura para participar com obras de tema carnaval – Obras “Carnaval”, “Indo para casa” (painel).
  • 2007 – Convite para participação da Virada Cultural em Sorocaba, com a obra “Nú Estilizado”.
  • 2007 – Medalha de Prata – 1o. Salão de Arte – Catálogo Artistas do Vernissage – Obra: “Cidade Derretida”
  • 2008 – Museu Itinerante – Prefeitura de Sorocaba – Obra: “Fragmentos da Cidade e do Mar”
  • 2008 – Menção Honrosa – Catálogo Artistas do Vernissage – Obra – “Nú Estilizado”, Editora Domani Cultural.
  • 2009 – Medalha de Prata – Santa Ceia – Catálogo Horus.
  • 2010 – Medalha de Bronze – Destaque de Obras Modernas e Contemporâneas.
  • 2011 – Representante do Estado de São Paulo no Circuito Internacional de Arte Brasileira em Belo Horizonte, Portugal, Áustria e Espanha.
  • 2011 – NGArte – Rio de Janeiro – exposição na galeria.
  • 2011 – NGArte – Rio de Janeiro – exposição Artistas em Foco.
  • 2012 – TV GAZETA – Obra “Nú em Fragmentos” comentada e elogiada pelo cantor e apresentador Ronnie Von no Programa “Todo Seu”, que foi ao ar no dia 25 de Abril de 2012.
  • 2012 – Representante do Estado de São Paulo no Circuito Internacional de Arte Brasileira, na Hungria (Budapeste), na Holanda (Haia e Amsterdã) e Paraná (Maringá).
  • 2012 – Julho – Exposição individual no Bar Kabul em São Paulo, por duas semanas.
  • 2012 – Setembro – Reportagem com mostra de obras no Jornal O Cruzeiro do Sul, sobre o Circuito Internacional de Arte Brasileira.
  • 2012 – Outubro – Reportagem especial na Revista Bianchini.
  • 2013 – Exposição de Outono no Espaço Paulista de Arte em São Paulo, bairro de Pinheiros.
  • 2013 – Circuito Internacional de Arte Brasileira – representante do Estado de São Paulo, na Tunísia (Túnis), na Itália (Roma) e na República Dominicana (Santo Domingo).
  • 2013 – Membro do Metropolitan Museum de Nova York, EUA.
  • 2014 – Reportagem no Jornal o Cruzeiro do sul sobre a obra O Nascimento das Cores e o livro de mesmo nome, de minha autoria.

Preparando o Chá.

.

Reconhecimento da Crítica:

.

“Sra. Rosângela, já estivemos em contato algumas vezes mas desta vez a nossa diretora, historiadora e crítica de arte Mali Villas-Bôas conheceu suas obras no catálogo Vernissage na edição deste ano, e teceu seguinte comentário: “Gostei muito das fragmentações das formas”, e colocou-me em missão de entrar em contato, pois nos interessaria assessorá-la e representá-la em São Paulo, ou simplesmente expor suas obras em nossos projetos. Para que melhor também conheça nosso trabalho pedimos que visite o site”. – GALERIA MALI VILLAS-BÔAS

“Ana – Universo Arte”.
Segunda-feira, 14 de maio de 2007 22:10: 39.
Rosângela Araújo
Contato – Universo Arte.

Prezada Rosângela,

“Seus trabalhos são maravilhosos, fantásticos, Parabéns “.

Date: Tue, 18 Jan 2011 22:00:08 -0200
Subject: XVI CIAB – Trabalhos Aprovados
From: marciamariamoura@

To: rosangelavig@hotmail.com

Oi Rosangela!

Seus trabalhos foram bastante elogiados. Parabéns!

Editora Roma, Anuário de Artes Plásticas

Rosângela,

Primeiro quero parabenizá-la pelos belíssimos trabalhos que conheci através dos links que você enviou,

Este ano estamos comemorando a 10a. Edição do Anuário Brasileiro de Artes Plásticas, por isso será feito uma edição especial que sairá em novembro onde também iremos premiar os artistas.

Estou encaminhando algumas informações sobre o livro, como modelo de página e valores para participar.

Publicado em 25/04/2012 por Programa Todo Seu – Rede Gazeta de Televisão.

A lindíssima obra “Nu em Fragmentos” é de autoria da bonitinha Rosângela Vig, que resolveu aperfeiçoar o seu talento nato com novas concepções e novas técnicas de arte! Lindíssima né bonitão? – Ronnie Von

Link do programa: http://www.youtube.com/watch?v=L_GqyFKysdY (Veja esse Vídeo Abaixo)

Cursos de Formação

  • EEPG “JOSÉ TALARICO” 1o. Grau – concluído em 1978.
  • EESG “Dr.JOSÉ PEREIRA DE QUEIRÓS” 2o. Grau – concluído em 1981.
  • UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Superior – Letras Português / Inglês concluído em 1985.
  • UNIVERSIDADE DE SOROCABA – MESTRADO EM COMUNICAÇÃO E CULTURA – Universidade de Sorocaba – Término em 2010. Título de Defesa: Da Arte à Comunicação à Comunicação como Arte: Uma abordagem da Estética Cubista em Guernica.

Certificados de Aperfeiçoamento

  • ESCOLAS FISK – Curso completo da Língua Inglesa.
  • UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU – Curso de Língua Francesa.
  • CONFAB INDUSTRIAL S.A. – Curso de Informática para Secretárias.
  • CONFAB INDUSTRIAL S.A. – Curso de Administração do Tempo para Secretárias.
  • BUCKER/FAAP – Curso Intensivo de Secretária Executiva.
  • SKILL – Fonética da Língua Inglesa.
  • SKILL – Entonação e Acento na Língua Inglesa.
  • SKILL – Técnicas de Ensino para os Estágios Avançado, Básico e Intermediário.
  • SKILL – Treinamentos anuais para coordenadores pedagógicos de acordo com os PCN’s.
  • UNIVERSITY OF MISSOURI – KANSAS CITY – Upper English Language Certificate. Proficiência na Língua Inglesa.
  • UNISO – 2a. Proficiência na Língua Inglesa.
  • INSTITUTO UNIVERSAL BRASILEIRO – Desenho Artístico e Publicitário.
  • REAL TIME IDIOMAS – Treinamento a coordenadores pedagógicos.
  • UNISO – Mestrado em Comunicação e Cultura.
  • UNICAMP – COMVEST.

Congressos e Palestras

  • Editora SBS – Mediadora de palestras on line e chats: O uso do dicionário em sala de aula, Métodos para correção em sala de aula.
  • SABER 2006 – Ensinar menos para aprender mais.
  • SABER 2007 – O saber e o viver hoje – A escola como alicerce da ética e da cidadania.
  • UNISAL – Encontro de Pedagogia Salesiana.
  • UNISO – Seminário de Comunicação – Fetichismos visuais entre Corpo e Metrópole.
  • UNISO – I Congresso regional de mídia, comunicação e cultura – expositora com o trabalho “As razões da perfeição estética”.
  • PUC Minas – Compós 2009 – Literatura e Estética.
  • Faculdade Anhnaguera – Semana de Letras 2011 – Linguagens Estéticas.
  • FUNDEC – Semana do Escritor, 2012 – A Interpretação da Arte Contemporânea.

Nu em Fragmentos.

Histórico Profissional

  • UFSCAR – Sorocaba – Professora de Inglês.
  • FACULDADE ANHANGUERA – Sorocaba – Professora de Literatura da Inglaterra e dos Estados Unidos – a partir de Agosto de 2010.
  • COLÉGIO SALESIANO – Sorocaba – Professora de Língua Inglesa do EF I e do EM (Avançado) – A partir de Janeiro de 2006.
  • COLÉGIO VÉRITAS – Sorocaba – Professora de Texto e Redação e Literatura – a partir de Janeiro de 2006.
  • COLÉGIO MUNDO NOVO – Sorocaba – Professora de Língua Inglesa e Língua Portuguesa – a partir de Janeiro de 2005.
  • COLÉGIO ÁPICE – Professora de Inglês e Português – Janeiro de 2004.
  • ENGLISH POINT – Proprietária e diretora – a partir de Fevereiro de 2003.
  • REAL TIME IDIOMAS – Professora de Inglês e Coordenadora – a partir de Agosto de 2002.
  • ESCOLAS FISK – Professora de Língua Inglesa desde Fevereiro de 2002 (todos os níveis).
  • SKILL Escola de Idiomas – a partir de Fevereiro de 1996. Professora de Língua Inglesa de cursos para crianças, dos Estágios Básico, Avançado e Intermediário, e Coordenação da escola.
  • EESG “Dr. José Pereira de Queirós” – de 20.06.91 a 20.12.92 – Professora de Língua Inglesa, Portuguesa e Literatura.
  • NOBEL MARCAS E PATENTES S/C LTDA – de 08.10.90 a 12.06.91 – Secretária Bilíngue.
  • COLÉGIO ATENEU RUY BARBOSA – de 30.08.90 a 10.11.90 – Professora de Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Literatura e Técnicas de Redação, no período noturno.
  • ESCOLAS FISK – de 05.90 a 12.90 – Professora de Língua Inglesa de Estágios Intermediários.
  • CONFAB INDUSTRIAL S.A. – de 03.10.88 a 06.06.90 – Secretária Bilíngue do setor de Gerência de Contratos e Celulose.
  • – de 06.10.86 a 03.10.88 – Secretária do Departamento de Câmbio.
  • – de 05.09.85 a 06.10.86 – Auxiliar de Escritório do Departamento de Tesouraria.
  • CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO – de 21.07.82 a 30.12.84 – Auxiliar Administrativo.
  • PROPEPACK EMBALAGENS PLÁSTICAS LTDA – de 09.81 a 03.82 – Auxiliar de Escritório.

Sites

Duas Telas: Outono sobre a Torre Eiffel e Verão sobre a Torre Eiffel.
Veja Todas as Obras de Artes da Artista Plástica em Exposição na Galeria Virtual.

.

ROSÂNGELA VIG
SorocabaSão Paulo
Facebook Perfil | Facebook Fan Page | Website
Galeria no Site Obras de Arte
E-mail: rosangelavig@hotmail.com

]]>
https://www.obrasdarte.com/rosangela-vig/feed/ 54