MAS – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com Artes Plásticas e Galeria Virtual de Arte Wed, 17 Apr 2019 13:12:33 +0000 pt hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.8 https://www.obrasdarte.com/wp-content/uploads/2014/02/cropped-Logo-Obras-de-Arte-140-x-140-32x32.jpg MAS – Site Obras de Arte https://www.obrasdarte.com 32 32 Museu de Arte Sacra de São Paulo exibe esculturas em Papel Machê https://www.obrasdarte.com/museu-de-arte-sacra-de-sao-paulo-exibe-esculturas-em-papel-mache/ https://www.obrasdarte.com/museu-de-arte-sacra-de-sao-paulo-exibe-esculturas-em-papel-mache/#respond Tue, 02 Apr 2019 12:26:53 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=50237-pt “Gente de Papel”, de Madalena Marques, ocupa a Sala MAS/Metrô Tiradentes com peças que representam a paixão da artista pela arte do retrato, apresentando um amplo conjunto de figuras humanas conhecidas do grande público, além de referências históricas e construtivas que abordam as mais distintas áreas do saber

O Museu de Arte Sacra de São PauloMAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, inaugura “Gente de Papel”, da artista visual Madalena Marques, com curadoria de Ana Cláudia Cermaria e João Paulo Berto. A individual apresenta 64 esculturas em papel machê – outros materiais também são usados na produção das peças, como lã, metal, pedraria e tecido -, as quais representam a paixão da artista pela arte do retrato, trazendo um amplo conjunto de figuras humanas conhecidas do grande público, além de referências históricas e construtivas que abordam as mais distintas áreas do saber.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Ao utilizar um material peculiar, Madalena Marques transita pela técnica, pelas manifestações culturais e pela história da arte, em uma mostra que busca aproximar os espectadores a elementos inerentes ao universo criativo da artista, marcado pelo experimental, pelos desafios e pelo conhecimento embasado na pesquisa, que orienta sua atuação e produção artística. Em “Gente de Papel”, o visitante se vê diante de esculturas de personagens como a escritora e poetisa Cora Coralina, a atriz Fernanda Montenegro, o cantor, compositor e artista visual Arnaldo Antunes, as cantoras Elis Regina e Marisa Monte, a modelo Gisele Bündchen, a cartunista e chargista Laerte, o estilista Ronaldo Fraga, entre diversas outras personalidades. Em seus dizeres: “Fazer uma miniatura de alguém que eu escolhi porque gosto é alimentar minha alma de energia, é a minha forma de expressar o meu amor a este universo… Acho que este é o papel da minha arte, trazer alegria aos corações de quem a vê”.

Além dessa seleção de pessoas famosas brasileiras, o público é levado a um passeio pela história da arte ocidental, nacional e internacional, passando pelo Renascimento até o Modernismo brasileiro. Nove personagens femininas foram escolhidas por Madalena Marques para reforçar o papel da mulher no mundo artístico, seja como representada ou como produtora, levando em consideração também a riqueza de detalhes, elemento motriz para a mente criativa da artista. Aqui, são exibidas interpretações de obras icônicas como a Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, os autorretratos “Manteau Rouge”, de Tarsila do Amaral, “Pensando na Morte”, de Frida Kalho, e da própria artista, entre outros.

A partir de intensas pesquisas, cada obra foi produzida por Madalena Marques com o objetivo de dar vida a esculturas completamente bidimensionais. Para isso, contou com modelos vivos, cujos traços faciais se aproximavam das figuras escolhidas. Após as etapas de preparo das peças e pintura, foram desenhados e produzidos os enxovais, utilizando tecidos que, por vezes, foram trabalhados imitando estampas e demais detalhes. “Eu escolhi representar a figura humana por várias razões. A expressão dos olhos é uma coisa vibrante, cada ser é único e reproduzir estas expressões é como fotografar a alma delas”, explica a artista.

A história do papel machê se cruza com a história do próprio papel, sua principal matéria prima. Seu uso remonta ao século II A.C. pelos chineses. No ocidente, por sua vez, os franceses foram os principais responsáveis pela difusão da técnica. No século XVIII, também os alemães passaram a utilizar o papel machê para dar mais resistência às bonecas e, em meados do século XIX, passou a ser usado para fazer bonecas com corpos articulados. “No campo específico das esculturas, a fatura de obras em papel machê configurou uma tipologia específica, as ditas esculturas ligeiras, dado a rapidez da produção e a economia dos materiais empregados, associadas ao acabamento que era similar à madeira. Esta se desenvolveu com força durante os períodos do Renascimento e do Barroco italiano e espanhol, entre os séculos XVI e XVIII, momento marcado pela popularização da técnica”, comentam os curadores da mostra. Seu uso ligou-se também à produção de obras de caráter efêmero para celebrações ou outros atos e para moldes de obras que posteriormente seriam feitas em materiais mais nobres, como o bronze.

Exposição: “Gente de Papel
Artista: Madalena Marques
Curadoria: Ana Cláudia Cermaria e João Paulo Berto
Abertura: 6 de abril de 2019, sábado, às 11 horas
Período: 7 de abril a 3 de junho de 2019
Local: Sala MAS/Metrô Tiradentes – www.museuartesacra.org.br
Estação Tiradentes do Metrô – São Paulo – SP
Tel.: (11) 3326-5393 – agendamento/educativo para visitas guiadas
Horários: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h
Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô
Número de obras: 64
Técnicas: Esculturas em papel machê, lã, metal, pedraria e tecido
Dimensões: Variadas

.

Imprensa:
Museu de Arte Sacra de São Paulo
Silvia Balady –
silvia@balady.com.br / Zeca Florentino – zeca@balady.com.br
Tel.: (11) 3814-3382 | (11) 99117-7324

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo – Assessoria de imprensa
Stephanie Gomes | (11) 3339-8243 | stgomes@sp.gov.br

Madalena Marques (Uberlândia, MG – 1963)

Sua produção em papel machê é vasta, porém é na retratística que ela adquire grande profusão e um resultado plástico extremamente inovador, fruto de uma trajetória de estudos e experimentações. De família simples, desde cedo usava a criatividade para inventar seus próprios bonecos. Com a mãe, aprendeu não apenas as técnicas de bordado, mas a observar a natureza, seus detalhes e sua riqueza. Cursou Artes Plásticas e trabalhou como arte finalista em uma emissora de televisão. Em 1994, mudou-se para São Paulo, onde se casou e continuou sua formação. Seu trabalho com papel machê começou ainda aos 19 anos; foi retomado durante a infância de sua filha e, finalmente, deu origem a seu projeto de miniaturas de artistas nacionais. Inspirada em obras sacras dos séculos XVI ao XVIII da imaginária ligeira, une em suas esculturas grande riqueza de detalhes, associando técnicas e materiais diversificados, representando com leveza as intensas expressões da figura humana.

O museu

O Museu de Arte Sacra de São Paulo é uma das mais importantes instituições do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 28 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 18 mil itens no acervo. O museu possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco de Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO – MAS/SP

Presidente do Conselho de Administração – José Roberto Marcelino
Diretor Executivo – José Carlos Marçal de Barros
Diretor de Planejamento e Gestão – Luiz Henrique Marcon Neves
Diretora Técnica – Maria Inês Lopes Coutinho

]]>
https://www.obrasdarte.com/museu-de-arte-sacra-de-sao-paulo-exibe-esculturas-em-papel-mache/feed/ 0
#MAS promove curso livre: “PÉRSIA: a idade de ouro safávida” com o Prof. Me. Plínio Freire Gomes https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-persia-a-idade-de-ouro-safavida-com-o-prof-me-plinio-freire-gomes/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-persia-a-idade-de-ouro-safavida-com-o-prof-me-plinio-freire-gomes/#respond Thu, 14 Mar 2019 17:33:54 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49949-pt O Irã dos safávidas conheceu uma era de esplendor comparável à Turquia dos otomanos e à Índia dos mugais. Este “Império da Pólvora” usou seu prestígio e sua prosperidade para gerar uma das mais brilhantes experiências artísticas da civilização islâmica. Azulejo, cerâmica, tapeçaria, bem como a pintura em manuscritos, alcançaram níveis de excelência nunca vistos. A arquitetura também se notabilizou por um estilo que combinava o requinte, a exuberância e a monumentalidade. Acima de tudo, os safávidas assinalaram o fim de oito séculos de dominação por dinastias estrangeiras. Paladinos da fé xiita, guardiães do comércio asiático, artífices de uma nova identidade persa, foram eles a criar as bases do Irã moderno.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O ciclo abordará a história da dinastia safávida em três encontros:

09 de abril de 2019:

A Pérsia fraturada. De Tamerlão a Ismail. Rota da Seda, fluxo de riquezas e porosidade territorial. Invasão mongólica e fragmentação política: os reinos “timúridas”. O sufismo e sua derivação messiânica.

16 de abril de 2019:

O renascimento do império. A liderança carismática sufi dá lugar a uma nova ideologia: o nacionalismo xiita. Centralização do poder e fórmulas de inclusão cultural. A prosperidade dos mercadores judeus e armênios. Diplomacia, tensão e pragmatismo: a ameaça otomana, alianças com europeus e indianos.

23 de abril de 2019:

Esplendor e declínio. Isfahan, ícone do poder safávida. Bazares e atividade industrial: a Pérsia na economia-mundo. Cerâmica, tapetes, armas de fogo. O difícil equilíbrio interno. As aspirações frustradas e a rebelião afegã.

Professor: Plinio Freire Gomes

É autor de Um herege vai ao paraíso (Companhia das Letras). Graduou-se e fez mestrado em história, na Universidade de São Paulo. Viveu durante quase duas décadas no exterior, entre a Europa e o Oriente Médio. Leciona nos museus Masp, Museu de Arte Sacra e Mam; e em instituições como Casa do Saber, Centro Universitário Maria Antonia, Instituto de Cultura Árabe e Areté (Centro de Cultura Helênica). Há seis anos coordena o grupo de “Estudos da Arte”, atuando também como membro fundador do coletivo Lente Cultural, na Livraria Martins Fontes. Atualmente apresenta conferências e cursos sobre história da arte, com foco nos períodos helenístico, romano e renascentista. Mas sua principal área de atuação é a cultura islâmica. Participa ainda, na condição de especialista, em projetos de viagem com foco em países como Itália, Espanha, Marrocos, Irã, Índia, China e Japão.

Datas: 09, 16 e 23/04 (2019) (terças-feiras)
Horário – das 14h00 as 16h30 (intervalo para o café)
Carga horária: 8 horas
Valor: R$ 180,00 à vista (depósito ou dinheiro ) | R$ 200,00 (parcelado ou no cartão – 2x)
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43 (Sujeito à lotação)
]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-persia-a-idade-de-ouro-safavida-com-o-prof-me-plinio-freire-gomes/feed/ 0
#MAS promove curso prático: “Conservação e Preservação de Fotografias” https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-pratico-conservacao-e-preservacao-de-fotografias/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-pratico-conservacao-e-preservacao-de-fotografias/#respond Fri, 08 Mar 2019 17:48:58 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49814-pt A proposta da oficina é capacitar profissionais que atuam na área da documentação, arquivistas, bibliotecários, museólogos, conservadores e interessados em geral, no desenvolvimento de ações e práticas de Conservação e Preservação de conjuntos fotográficos históricos e contemporâneos.

PROGRAMA

– Treinamento para identificação dos processos fotográficos praticados nos séculos XIX e XX.
– Elaboração de diagnóstico avaliando o estado de conservação das fotografias em decorrência da guarda inadequada, manuseio incorreto, poluição, umidade, temperatura e iluminação, bem como das causas intrínsecas ao próprio suporte fotográfico.
– Conservação e acondicionamento do conjunto fotográfico, como: higienização química e mecânica; pequenos reparos e acondicionamento.
– Conceitos de Conservação Preventiva e uso de EPI´s.
– Digitalização de acervos fotográficos.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

BIBLIOGRAFIA:

LAVÉDRINE. Bertrand. Photographs of the past – Process and Preservation. Los Angeles-USA: The Getty Conservation Institute, 2009.
MOSCIARO, Clara. Diagnóstico de Conservação em Coleções Fotográficas. Cadernos Técnicos No. 6. Rio de Janeiro: Funarte, 2009.
NORRIS, Debra H.; GUTIERREZ, Jennifer J. (Org.). Issues in the Conservation of Photographs. Los Angeles-USA: The Getty Conservation Institute, 2010.
OLIVEIRA, João Sócrates de. “ Manual Prático de Preservação Fotográfica”. In: Revista de Museologia, Ano 1, No. 1, São Paulo: Instituto de Museologia de São Paulo/FESP, 1989.
PAVÃO, Luís. Conservação de coleções de fotografia. Lisboa: Dinalivro, 1997.

Professora

Marli Marcondes. Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista – UNESP; Mestre em Multimeios pelo Instituto de Artes – UNICAMP. Especialista em conservação de documentos fotográficos sob orientação do CCPF – FUNARTE/RJ. Possui especialização em “Análise e Perícia em Obra de Arte” pela Escola Templo da Arte (SP). Possui cursos na área de restauro em suporte gesso, barro, madeira e papier mâchépelo Museu de Arte Sacra de São Paulo. Especialista em restauro de pintura pelo Museu de Arte Sacra de São Paulo. Especialização em restauro de pintura de cavalete pelo Istituto per l´Arte e il Restauro Palazzo Spinelli. Foi professora da Universidade de Franca – UNIFRAN (1996), da Universidade Paulista – UNIP (2002-2004) e PUC-Campinas (2003-2005). Atuou como Conservadora de fotografias no Centro de Memória-Unicamp de 1997 a janeiro/2019.

Período: 25 e 26 de abril de 2019 (quinta e sexta)
Horário – das 9 às 17hs (1 h de almoço)
Carga horária: 17 hs
Valor: R$ 380,00 a vista – R$ 420 ,00 (duas vezes) – 15 vagas
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.

.

]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-pratico-conservacao-e-preservacao-de-fotografias/feed/ 0
#MAS Promove: A Missa de Réquiem como gênero musical https://www.obrasdarte.com/mas-promove-a-missa-de-requiem-como-genero-musical/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-a-missa-de-requiem-como-genero-musical/#respond Mon, 25 Feb 2019 13:33:38 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49657-pt O Museu de Arte Sacra promove, o Curso Livre: “A missa de Réquiem como gênero musical” com o Prof. André Guimarães Rodrigo.

OBJETIVO

O presente curso pretende apresentar e discutir elementos fundamentais para a compreensão da missa de Réquiem como gênero musical, desde sua constituição no período medieval, em forma de canto gregoriano, até o tempo presente, passando por um processo de mudança do texto e de sua significação, além do aumento na formação instrumental que leva-a à proporções monumentais no século XIX. Quais compositores escreveram para esse gênero musical? Em que ocasião se compõe esse tipo de obra? Qual é a sonoridade de uma missa de Réquiem? Quais são as partes fixas e móveis do texto da missa de Réquiem? Buscaremos, através de uma abordagem interdisciplinar, esclarecer esses e muitos outros questionamentos, com o auxílio audiovisual de importantes intérpretes, além de abordar aspectos históricos, estéticos e educacionais, bem como suas relações com outras formas de artes e culturas.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

DOCENTE

André Guimarães Rodrigo é Mestre em Performance em Regência pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), possui graduação em Educação Artística com Habilitação em Música pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Aluno participante do VI Eric Ericson Masterclass for choral conductors em Haarlem (Holanda) e aluno bolsista da VI Academia de Verano de Pedagogía Musical y Direccíon Coral de Las Palmas de Gran Canaria (Espanha). Tem experiência na área de Música, com ênfase em regência coral e educação musical. Atualmente é professor, regente e fundador do Coral do MAS-SP (Museu de Arte Sacra de São Paulo), regente e fundador do Coro d’A Cappella (antigo Coral do Mosteiro – Mosteiro de São Bento de São Paulo), regente do Cultura Inglesa Pop Choir em Guarulhos, Campinas e Interlagos. Desenvolveu trabalho de docência em regência coral no Projeto Canta São Paulo da Prefeitura de São Paulo e ainda trabalho docente e de pesquisa em educação especial, no Instituto Louis Braille de Campinas, lecionando musicografia braille.

PÚBLICO

O conteúdo do curso é voltado para estudiosos de arte, interessados em música, pesquisadores, estudantes e demais profissionais que utilizem a música em suas atividades, bem como interessados em geral.

CONTEÚDO

11 de março – AULA 1: A ‘Missa pro defunctis’ na idade média – do canto gregoriano a Johannes Ockeghem.

18 de março – AULA 2: A ‘Missa pro defunctis’ no período renascentista – Orlando di Lasso, Giovanni Pierluigi da Palestrina e Duarte Lobo.

25 de março – AULA 3: A cantata e o hino para funeral no período barroco – Johann Sebastian Bach, Georg Friedrich Haendel e Henry Purcell.

01 de abril – AULA 4: A Missa de Réquiem no período clássico – Wolfgang Amadeus Mozart, Luigi Cherubini, José Maurício Nunes Garcia.

08 de abril – AULA 5: A Missa de Réquiem no romantismo: Hector Berlioz e Johannes Brahms.

15 de abril – AULA 6: A Missa de Réquiem na virada do século XIX para o XX: Giuseppe Verdi e Gabriel Fauré

22 de abril – AULA 7: A Missa de Réquiem no século XX: Benjamin Britten e John Rutter.

29 de abril – AULA 8: A Missa de Réquiem sob uma nova óptica: Gyorgy Ligeti e Krzysztof Penderecki.

Datas: de 11 de março a 29 de abril de 2019 (segundas-feiras)
8 dias de aula
Aulas: das 14h00 às 16h30 (intervalo para o café)
Carga horária: 20 horas
Valor: R$ 500,00 a vista – R$ 560,00 (02 vezes) vagas limitadas
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.
]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-a-missa-de-requiem-como-genero-musical/feed/ 0
Curso Livre: “Simbologia da flora e da fauna” com a Prof.ª Dr.ª Vanessa Beatriz Bortulucce https://www.obrasdarte.com/curso-livre-simbologia-da-flora-e-da-fauna-com-a-prof-a-dr-a-vanessa-beatriz-bortulucce/ https://www.obrasdarte.com/curso-livre-simbologia-da-flora-e-da-fauna-com-a-prof-a-dr-a-vanessa-beatriz-bortulucce/#respond Wed, 20 Feb 2019 17:34:43 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49618-pt O Museu de Arte Sacra promove, o Curso Livre: “Simbologia da flora e da fauna” com a Prof.ª Dr.ª Vanessa Beatriz Bortulucce.

O relacionamento do homem com a natureza é muito antigo e acontece de vários modos; um deles ocorreu pela criação de uma simbologia do natural, onde as plantas, flores, árvores, frutos e animais assumiram significados para além de si próprios. A criação de uma simbologia da natureza estreitou e tornou mais complexa as relações entre os seres humanos e o seu entorno.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O curso pretende apresentar esta gramática de alegorias e simbologias, permitindo que resgatemos um olhar especial sobre nosso mundo, bem como proporcionará a percepção de que somos herdeiros deste universo simbólico.

29 de março de 2019
Aula 1: Natureza, a imagem original

05 de abril de 2019
Aula 2: simbologia das plantas

12 de abril de 2019
Aula 3: simbologia das árvores

26 de abril de 2019
Aula 4: simbologia das flores

03 de maio de 2019
Aula 5: simbologia dos frutos

10 de maio de 2019
Aula 6: simbologia dos animais aéreos

17 de maio de 2019
Aula 7: simbologia dos animais terrestres

24 de maio de 2019
Aula 8: simbologia dos animais aquáticos

PROFESSORA

Vanessa Beatriz Bortulucce é Pós-doutora pelo Departamento de Letras Modernas da FFLCH-USP. Graduada em História pela Universidade Estadual de Campinas (1997), Mestra em História da Arte e da Cultura pela Universidade Estadual de Campinas (2000) e Doutora em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (2005), é docente nas seguintes instituições: Centro Universitário Assunção (UNIFAI), Universidade São Judas Tadeu e Museu de Arte Sacra de São Paulo. Tem experiência na área de História da Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: Arte Sacra, Arte Moderna, Arte Contemporânea, Futurismo Italiano, Umberto Boccioni, Estética dos regimes totalitários, História em Quadrinhos, História do Design, Teoria da Comunicação, Cinema, Indústria Cultural, tradução. Pesquisadora independente, possui em seu currículo artigos e livros que abordam a análise da imagem, em seus mais variados contextos.

PÚBLICO

O conteúdo do presente curso está voltado para estudiosos de arte, historiadores, profissionais ligados à literatura e comunicação social, pesquisadores, estudantes e demais profissionais que utilizem a imagem em suas atividades, bem como interessados em geral.

Período: de 29 de março à 24 de maio de 2019.
Horário vespertino: das 14h30 às 16h45 (intervalo para o café)
Carga horária: 17 horas
Valor: R$ 500,00 a vista em dinheiro ou depósito bancário ou R$ 550,00 em duas vezes ou no cartão.
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento no local: Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.
]]>
https://www.obrasdarte.com/curso-livre-simbologia-da-flora-e-da-fauna-com-a-prof-a-dr-a-vanessa-beatriz-bortulucce/feed/ 0
Café Teológico: A Música Sacra e a Música Religiosa: convergências e divergências https://www.obrasdarte.com/cafe-teologico-a-musica-sacra-e-a-musica-religiosa-convergencias-e-divergencias/ https://www.obrasdarte.com/cafe-teologico-a-musica-sacra-e-a-musica-religiosa-convergencias-e-divergencias/#respond Mon, 18 Feb 2019 17:35:40 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49594-pt O Museu de Arte Sacra de São Paulo promove no dia 13 de março de 2019, o Café Teológico “A Música Sacra e a Música Religiosa: convergências e divergências”, com o Prof. Me. André Rodrigo.

Embora frequentemente confundidas, a música sacra e a música religiosa possuem definições próprias. Entre semelhanças e dessemelhanças, a música representada por esses dois conceitos abrange um vasto repertório que se destina a ocasiões e locais específicos de acordo com alguns aspectos de diferentes naturezas. Quais são esses aspectos? Como definir, afinal, o sacro e o religioso sob o ponto de vista musical?

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Palestrante:

Prof. Me. André Guimarães Rodrigo é Mestre em Performance em Regência pela ECA-USP e graduado em Música pela UNICAMP. Aluno participante do VI Eric Ericson Masterclass for choral conductors em Haarlem (Holanda) e aluno bolsista da VI Academia de Verano de Pedagogía Musical y Direccíon Coral de Las Palmas de Gran Canaria (Espanha). Atualmente é professor, regente e fundador do Coral do MAS-SP (Museu de Arte Sacra de São Paulo), regente e fundador do Coro d’A Cappella (antigo Coral do Mosteiro – Mosteiro de São Bento de São Paulo), regente do Cultura Inglesa Pop Choir.

Quando: Quarta-feira, 13 de março de 2019
Horário: 17h
Tema: A Música Sacra e a Música Religiosa: convergências e divergências
Palestrante: Prof. Me. André Guimarães Rodrigo
Inscrição: mfatima@museuartesacra.org.br
Investimento: R$ 20,00
Informações: c/ Fátima Paulino – (11) 5627-5393
Número de vagas: 50 lugares
Endereço: Av. Tiradentes, 676
Estacionamento gratuito no local: Rua Jorge Miranda, 43 (sujeito a lotação)
Estação Tiradentes do Metrô
]]>
https://www.obrasdarte.com/cafe-teologico-a-musica-sacra-e-a-musica-religiosa-convergencias-e-divergencias/feed/ 0
#MAS Promove: As Grandes Senhorias Italianas https://www.obrasdarte.com/mas-promove-as-grandes-senhorias-italianas/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-as-grandes-senhorias-italianas/#respond Mon, 11 Feb 2019 16:39:54 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49557-pt O Museu de Arte Sacra promove, o Curso Livre: “As grandes Senhorias italianas” com o Prof. Dr. Oscar Luigi Marzorati.

Objetivo e conteúdo:

Após a palestra de introdução ao tema, o curso visa contar dos fastos e da herança artística e cultural das principais Senhorias italianas.

Cada aula será uma viagem dentro de importantes cidades e sedes senhoris.

Cidades, essas, que mantiveram nos séculos a implantação urbanística e arquitetônica desejada pelos senhores de 1300 e 1400 e ainda hoje conservam obras de arte que conferiram beleza e magnificência à Itália.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Giotto, Piero della Francesca, Leonardo da Vinci, Mantegna, Brunelleschi, Michelangelo e outros artistas, protegidos por soberanos iluminados como Lorenzo il Magnifico, Ludovico il Moro, Federico da Montefeltro, Cangrande della Scala, Borso d’Este, Federico Gonzaga.

Em cada aula serão delineadas as vicissitudes biográficas desses importantes personagens históricos para evidenciar as mudanças das cidades que, de alguma forma, ainda hoje levam os marcos urbanísticos e as belezas artísticas.

Programa:
Ciclo de aulas em 06 (seis) encontros. Terças-feiras

02 de abril de 2019 – Primeiro encontro
Verona e os Della Scala

09 de abril de 2019 – Segundo encontro
Milão e os Sforza

16 de abril de 2019 – Terceiro encontro
Ferrara e os Estensi

23 de abril de 2019 – Quarto encontro
Mantova e os Gonzaga

30 de abril de 2019 – Quinto encontro
Urbino e os Montefeltro

07 de maio de 2019 – Sexto encontro
Florença e os De’ Medici

Público alvo:

O curso é dirigido a todos que tenham em comum o interesse pela história, pela história da arte e da arquitetura, pela arte e arquitetura italianas no específico.

Deseja-se atingir um público variado, desde graduados e graduandos em história e/ou história da arte/história da arquitetura, até profissionais da área.

Docente:

Prof. Dr. Oscar Luigi Marzorati, italiano da região do Lago de Como, é formado em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura do Politecnico di Milano Bovisa (Milão, Itália).

Possui experiência em projetos de Arquitetura residencial e comercial, com ênfase em reformas, restauro, manutenção e valorização do patrimônio arquitetônico existente.

Colabora há anos com o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo – órgão cultural oficial do Consulado Geral da Itália em São Paulo – dentro do qual, hoje, é responsável pelas visitas guiadas ao palacete de 1922 sede da instituição.

Foi autor de várias palestras e cursos sobre a cultura italiana em diversas instituições culturais renomadas (Livraria Cultura, Casa do Saber, entre outras).

Período: de 02 de abril à 07 de maio de 2019 – 6 dias de aula
Aulas: das 19h00 às 21h30
Carga horária: 15hs
Valor: R$ 300,00 a vista – R$ 360,00 (02 vezes) vagas limitadas
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.
]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-as-grandes-senhorias-italianas/feed/ 0
Introdução à História e Linguagem do Cinema https://www.obrasdarte.com/introducao-a-historia-e-linguagem-do-cinema/ https://www.obrasdarte.com/introducao-a-historia-e-linguagem-do-cinema/#respond Tue, 29 Jan 2019 12:56:57 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49445-pt Conteúdo.

O cinema é a grande arte surgida no fim do século XX e que se constituiu em verdadeira expressão da cultura humana. Portanto, é importante conhecer a linguagem e as técnicas que caracterizam a experiência cinematográfica.

Tendo como referência a exibição de trechos de filmes que marcaram seu início, o cinema se apresenta como expressão de uma linguagem própria e única.

Conhecer algumas etapas da evolução do cinema, dos primeiros filmes silenciosos à revolução dos filmes sonoros e coloridos, é o objetivo do encontro.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Prof. Me. José Rubens Demoro Almeida é Mestre em Filosofia do Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com tema “Direito e Cinema pela Filosofia”. Especialista em Educação: Formação para o Ensino Superior. Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). É professor de direito do Centro Universitário Assunção (Unifai) em São Paulo. Desenvolve projetos de estudos e pesquisas sobre cinema e direito (Grupo Imago) e coordena o Projeta Cinema e Debates em conjunto com o Curso de Filosofia do Centro Universitário Assunção (Unifai).

Data: 02 de fevereiro de 2019 (sábado)
Horário: 10h00
Atividade gratuita.
Não é necessário fazer inscrição, por ordem de chegada,
capacidade da sala: 50 lugares.
Informações: (11) 5627.5393 – mfatima@museuartesacra.org.br
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo.
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metro Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43.
Estacionamento sujeito à lotação.
Ao final da palestra será oferecido o certificado de participação.
]]>
https://www.obrasdarte.com/introducao-a-historia-e-linguagem-do-cinema/feed/ 0
#MAS promove Curso Livre: “Roma Barroca: Papas, Aristocracia e Arte” com o Prof. Dr. Marcos Horácio https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-roma-barroca-papas-aristocracia-e-arte-com-o-prof-dr-marcos-horacio/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-roma-barroca-papas-aristocracia-e-arte-com-o-prof-dr-marcos-horacio/#respond Thu, 24 Jan 2019 13:06:36 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49418-pt O Museu de Arte Sacra promove, o Curso Livre: “Roma Barroca: Papas, Aristocracia e Arte” com o Prof. Dr. Marcos Horácio Gomes Dias.

OBJETIVO GERAL:

A partir de Roma, o Barroco se expandiu rapidamente para outras regiões da Europa. Artistas estrangeiros levaram essa influência para as suas regiões de origem, como os Países Baixos, Holanda, sul da Alemanha, Áustria, Espanha, Portugal e as colônias americanas. Porém, cada região desenvolveu versões distintas dessa arte, dependendo das particularidades internas de suas condições políticas, religiosas e econômicas. A proposta desse curso é entender as maneiras como a arte barroca se desenvolveu em Roma e como se costuraram dois tipos de mecenato: o papado e as famílias aristocráticas da cidade. Sabendo como é importante o espaço urbano como palco e cenário do poder, busca-se entender como o papado e as disputas entre as grandes famílias conseguiram reinventar a cidade, no século XVII, a partir de sua tradição clássica e por meio da arte em ruas, praças, igrejas, templos, palácios e demais edifícios. O exame da arte barroca em Roma nos leva a reflexão sobre um ideal político e religioso, mantido e entendido pelo alto clero, mas nos leva também a um imaginário sobre o poder construído pelas grandes famílias, entendido justamente pelo mecenato e pela arte que consumiam. O curso pensa, sobretudo, como a arte aí estabelecida serviu de modelo para as outras nações do ocidente.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

• Apresentar a arte e a cultura como material reflexivo;
• Analisar, criticar e contextualizar a arte barroca em Roma por meio do mecenato e do colecionismo. A arte barroca em ruas, praças, igrejas, templos, palácios e demais edifícios.
• Mostrar a arte como um campo interdisciplinar do conhecimento: Literatura, História, Filosofia, Sociologia, Antropologia, Psicologia, Teologia etc.;
• Escolher temas específicos para diversos trabalhos de pesquisa e estimular a produção de projetos em que a utilização da arte barroca esteja presente.

CONTEÚDO:

Dia 13 de março de 2019
AULA 1 Roma e os Monumentos Antigos
As ruínas do Império Romano, o Fórum, o Palatino e a região do Coliseu eram entendidos como monumentos que celebravam o próprio triunfo da cristandade. O que é conhecido hoje como a zona arqueológica da cidade, era incorporado ao novo espaço urbano de feições barrocas e compartilhava com ele a mesma importância.

Dia 20 de março de 2019
AULA 2 Os Mecanismos do Mecenato no Século XVII
A Reforma Protestante e a reação da Igreja de Roma. A necessidade contemporânea fez com que papas, ordens religiosas e associações de irmãos leigos tomassem a frente de ações construtivas e artísticas. Eles mesmos tomavam conta das encomendas e da execução dos projetos.

Dia 27 de março de 2019
AULA 3 O Papado e sua Corte.
Os papas Urbano VIII, Inocêncio X, e Alexandre VII. O poder do Papa, absoluto ou limitado, conta com o auxílio de cardeais, bispos, abades, missionários, monges, freiras, padres e diáconos. Temos um corpo institucional de representantes de Deus, assim chefiado pelo Papa, em Roma. Esses homens são entendidos como herdeiros dos primeiros apóstolos designados por Jesus Cristo e têm como função levar sua palavra para todos os lugares e regiões. Roma é a sede dessa corte religiosa.

Dia 03 de abril de 2019
AULA 4 Roma e o espaço sagrado: a reconstrução de uma cidade
Roma, como cidade e espaço urbano, é entendida como local de referência e modelo para o mundo cristão e católico. O seu espaço urbano é tratado de forma retórica e como uma das maneiras possíveis da exposição do discurso político e religioso.

Dia 10 de abril de 2019
AULA 5Gian Lorenzo Bernini e Francesco Borromini.
O trabalho dos dois maiores arquitetos do mundo barroco foi dar uma grande e nova contribuição para as perspectivas de ruas e praças da cidade, embelezando com fontes preciosas, palácios, vilas, parques e outras construções importantes.

Dia 17 de abril de 2019
AULA 6As Ordens Religiosas
A transformação da cidade não cabia apenas à Santa Sé, mas, cabia também às ordens religiosas, conventos e irmandades a ereção de importantes igrejas que agregasem as famílias ricas e tradicionais, os peregrinos e o povo em geral.

Dia 24 de abril de 2019
AULA 7Os Pintores em Roma
A técnica da perspectiva arquitetônica ilusionística e a exploração dramática dos contrastes de luz e sombra em Roma: Andrea Pozzo, Caravaggio, Pietro da Cortona, Giovanni Battista Tiepolo, Guercino, Guido Reni, Salvator Rosa, os Carracci, Hyacinthe Rigaud, Poussin, Diego Velázquez, Bartolomé Esteban Murillo e Rubens.

Dia 08 de maio de 2019
AULA 8Os Mecenas Privados
As famílias tradicionais romanas, de onde saíram muitos membros do clero, também entenderam a arte como uma forma de distinção política e social. Os interiores dos palácios e vilas eram os únicos a concorrer com a decoração das igrejas. As famílias Farnese, Corsini, Barberini, Borguese e Pamphili disputavam os melhores pintores e escultores da época.

Dia 15 de maio de 2019
AULA 9A Pequena Corte da Rainha Cristina da Suécia
Sendo a filha de um defensor do protestantismo na Guerra dos Trinta Anos, Cristina causou escândalo ao abdicar em 1654 e converter-se ao catolicismo. Ela passou seus anos restantes em Roma, tornando-se a líder da vida musical e teatral local. Como rainha sem um país, ela protegeu muitos artistas e projetos. Cristina morreu em 1689 e é uma das poucas mulheres enterradas no Vaticano.

Dia 22 de maio de 2019
AULA 10O Grande Público
A arte que atende aos cidadãos de alta renda; comerciantes ricos e funcionários públicos; comerciantes médios e camponeses, comunidades estrangeiras em Roma e população de origem humilde.

Dia 29 de maio de 2019
AULA 11Roma e a dispersão de sua influência
Artistas de toda a Europa vinham a Roma para se atualizarem nas últimas novidades artísticas e reis mandavam embaixadas para enviarem ilustrações, quadros e esculturas para seus países de origem.

Dia 05 de junho de 2019
AULA 12 Século XVIII: A Época dos Antiquários
O Barroco Tardio, o Iluminismo e as antiguidades romanas. Editores e Connoisseurs. Marchands e Pequenos Burgueses. Os residentes estrangeiros.

A QUEM SE DESTINA:

O conteúdo oferece embasamento para estudiosos de Arte, historiadores, profissionais ligados à literatura e comunicação social, religiosos, pesquisadores, professores que pretendam desenvolver o tema em sala de aula, profissionais de todas as áreas, estudantes universitários e interessados em geral.

PROFESSOR:

Marcos Horácio Gomes Dias é Doutor em História Social pela PUC-SP; Mestre em História Social pela USP; pós-graduado em Arte e Cultura Barroca pelo Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e Bacharel em Ciências Sociais pela USP. Tem experiência na área de História e Sociologia, com ênfase em História, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Arte; História do Barroco e do Rococó; Arte e Cultura em Minas Gerais; Neoclássico, Império e século XIX no Brasil; Teoria da Cultura; Patrimônio Histórico; História da Produção da Imagem; Teoria da Comunicação e Realidade Sócio-Econômica e Política Brasileira.

Período: 13 de março à 05 de junho de 2019
12 dias de aulas
Aulas: 19h30 às 22h00 (intervalo para o café)
Carga horária: 36 horas
Valor: R$ 600,00 a vista ou R$ 690,00 (03 vezes)
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito no local: Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.
]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-roma-barroca-papas-aristocracia-e-arte-com-o-prof-dr-marcos-horacio/feed/ 0
#MAS promove Curso Livre: “História de São Paulo – II” com o Prof. Dr. Roberto Coelho https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-historia-de-sao-paulo-ii-com-o-prof-dr-roberto-coelho/ https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-historia-de-sao-paulo-ii-com-o-prof-dr-roberto-coelho/#respond Wed, 23 Jan 2019 11:56:05 +0000 https://www.obrasdarte.com/?p=49408-pt O Museu de Arte Sacra promove, o Curso Livre: “História de São Paulo – II” com o Prof. Roberto Coelho.

O Curso “História de São Paulo – II“, se propõe a realizar uma visão sobre alguns bairros históricos da cidade de São Paulo. Serão oito aulas presenciais e quatro aulas in loco.

Entre as escolhas dos bairros estudaremos: Campos Eliseos, Santo Amaro, Penha, Barra Funda, Brás, Freguesia do Ó, Lapa e Morumbi. Bairros históricos que formaram a Urbes Paulistana.

Nossas aulas in loco serão: O Palácio dos Bandeirantes, a Catedral da Sé, a Capela da Penha e o Memorial da América Latina.

A construção da cidade, sua origem, município que virou bairro, locais distantes que ampliaram os horizontes da vila de Piratininga, fazem parte deste estudo da história paulistana.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Dia 16 de marco de 2019
Aula 1. Campos Eliseos: o primeiro bairro projetado da cidade. Surge na ampliação do centro da cidade e na inauguração da ferrovia São Paulo Railway. Foi o antigo Campo Redondo, ou a chácara Mauá. Receberia, o bairro, o serviço de abastecimento da companhia Cantareira.

Dia 23 de marco de 2019
Aula 2. Santo Amaro: uma vila que foi rica e independente no século XIX, por conta da gripe espanhola e muitas mortes, acabou sendo anexada a cidade de São Paulo no século XX.

Dia 30 de março de 2019
Aula 3. Penha: um bairro cujo nome se confunde em sua origem. Aldeias de Guarulhos, São Miguel e Tatuapé, rotas bandeirantes no caminho de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Dia 6 de abril de 2019
Aula 4. Barra Funda: das antigas chácaras e na implantação de estações ferroviárias, nascia mais um bairro paulistano. Tempo de ocupação das várzeas paulistas.

Dia 27 de abril de 2019
Aula 5. Brás: bairro ligado a figura do português José Brás e à construção da Igreja do Senhor Bom Jesus de Matosinhos.

Dia 4 de maio de 2019
Aula 6. Freguesia do Ó: antiga Sesmaria de Manuel Preto, bandeirante amado e odiado, filho do bandeirante Antonio Preto. Local de grande importância no desenvolvimento da Vila de Piratininga.

Dia 8 de maio de 2019
Aula 7. Lapa: habitada por Domingos Luis, conhecido como carvoeiro, e sua esposa dona Ana Camacho, que foram seus primeiros moradores. A chegada da ferrovia e o desenvolvimento da região.

Dia 1 de junho de 2019
Aula 8. Morumbi: de uma fazenda, em 1825, o bairro receberia a Universidade Matarazzo, que posteriormente se transformaria no Palácio Bandeirantes, sede do governo do estado.

Aulas in loco: ponto de encontro – Estacionamento do Museu de Arte Sacra de São Paulo.

Dia – 13 de abril de 2019 – incluso transporte para o Palácio dos Bandeirantes – Van ou micro ônibus
Aula 1. Palácio Bandeirantes

Dia – 11 de maio de 2019 – metrô
Aula 2. Capela da Penha

Dia – 25 de maio de 2019 – metrô
Aula 3. Catedral da Sé – visita interna

Dia – 08 de junho de 2019 – metrô
Aula 4. Memorial América Latina

DOCENTE:

Prof. Dr. Roberto Coelho Barreiro Filho possui graduação em Publicidade pela Fundação Armando Alvares Penteado (1983), mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1993) e doutorado em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999). Atualmente é professor e pesquisador da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea; experiência em teoria da mídia, teoria da cultura, teoria da comunicação. É professor em pós-graduação em história da arte, marketing e planejamento e desenvolvimento de produtos além de Arte Terapia com enfase em Yung. Na Pós-graduação do Senac é professor de branding, ferramentas de comunicação institucional, metodologia científica e marketing digital.

Período: 16 de março à 01 de junho de 2019.
12 dias de aulas
Horário: das 9h30 às 12h00
Carga horária: 36hs
Valor: 650,00 a vista – 690,00 (03 vezes) vagas limitadas
Inscrições: mfatima@museuartesacra.org.br
Informações: (11) 5627.5393
Local: Museu de Arte Sacra de São Paulo
Endereço: Avenida Tiradentes, 676, Luz. Metrô Tiradentes.
Estacionamento gratuito (ou alternativa de acesso): Rua Jorge Miranda, 43
No final do curso o aluno receberá o certificado.
]]>
https://www.obrasdarte.com/mas-promove-curso-livre-historia-de-sao-paulo-ii-com-o-prof-dr-roberto-coelho/feed/ 0