Home / Arte / Adolescentes de Curso de Introdução à Fotografia inauguram exposição na Zona Norte

Adolescentes de Curso de Introdução à Fotografia inauguram exposição na Zona Norte

Exposição de fotografia abre em 24 de novembro no Casarão de Cultura da Vila Guilherme. Os artistas são adolescentes de 13 a 16 anos do Parque Vila Maria, alunos do projeto “Fotossensível”

No dia 24 de novembro, às 10 horas da manhã, 30 adolescentes inauguram uma exposição de fotografia com trabalhos que produziram com empenho ao longo de quatro meses. Após curso de introdução à fotografia com os professores Patrícia Marchesoni, Ricardo Rios e André Spinola, as meninas e meninos vão expor as obras no local onde realizaram o curso, a Casa de Cultura da Vila Guilherme – Casarão. A exposição tem entrada gratuita e fica aberta ao público até o dia 16 de dezembro.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Todas as imagens foram produzidas pelos participantes do projeto Fotossensível, curso de introdução à fotografia produzido pela Aymberê Produções Artísticas com patrocínio da Viação Cometa, por meio do ProAC ICMS, programa de fomento à cultura do Governo do Estado de São Paulo. Os participantes são pré-adolescentes e adolescentes de 13 a 16 anos que estudam nas escolas EMEF General Paulo Carneiro Thomaz Alves, EMEF Cel Ary Gomes e EMEF Célia Regina, situadas no Parque Vila Maria, Zona Norte de São Paulo.

Ao longo do curso, os jovens trabalharam conteúdos teóricos e práticos que fazem parte do encantado mundo das câmeras. Aprenderam sobre interpretação de imagens e tipos de fotografias, construíram uma câmera escura, fotografaram com câmera pinhole e câmera digital em saídas fotográficas pelo bairro, e visitaram exposições de arte em centros culturais públicos da cidade.

“Vivenciando os exercícios práticos de construção da câmera escura dentro na sala, de experimentação com câmeras pinhole e escuras portáteis, a produção de imagem com a câmera digital será mais consciente, mais percebida”, explica Ricardo Rios. “Fizemos também exercícios práticos de selecionar trabalhos de fotógrafos famosos e, depois, produzir um desenho a partir dessas fotos, com colagens. Analisar e desmontar o trabalho de fotógrafos ajuda muito na percepção da composição da foto”, completa. “Quando o fotógrafo clica, ele não está fotografando apenas o tema, ele está organizando esse tema de uma forma visual pelos tamanhos, pelas posições e pelos ângulos”.

O coordenador da Casa de Cultura da Vila Guilherme Juninho Sendro conta que valoriza a oportunidade desses jovens de terem um estudo sobre essa arte tão cedo. “Sou fotógrafo e aprendi fazendo. É muito bom que esses adolescentes possam ter essa experiência de estudo no Casarão, com profissionais para instruí-los sobre fotografia de registro e fotografia artística. Quero que, aqui, eles se sintam em casa, ocupando um espaço que é deles para produzir e disseminar arte”.

Depois de bastante referência e prática, é chegada a hora desses jovens selecionarem junto aos professores seus melhores trabalhos para mostrar ao mundo!

Um projeto artístico-educativo continuado

“Fotossensível” integra uma ação artística e educativa continuada desenvolvida pelo Instituto JCA – ligado ao grupo econômico do qual faz parte a Cometa – em parceria com a Aymberê. O programa envolve projetos especialmente elaborados para o Parque Vila Maria, bairro onde a Cometa está situada há mais de 65 anos e que ajudou a construir, além do apoio a outros projetos artístico-culturais.

Em 2017, aconteceu o “Pra Cá ou Pra Lá? – Escolhas e Encontros”, que consistiu em formação de narração de histórias para jovens e professores do Parque Vila Maria. Em 2016, aconteceu o projeto “Caminhos da Arte”, uma exposição do fotógrafo Daniel Kfouri que aconteceu dentro da escola General Paulo Carneiro Thomaz Alves, que envolveu, em paralelo, intenso processo de formação em fotografia e apreciação de arte com estudantes e professores da escola.

Conforme escreveu Tatiana Antunes, presidente do IJCA, uma marca do Instituto “é a de buscar trabalhar a partir das vontades e potencialidades que se apresentam no território, e criar projetos que despertem e estimulem novas configurações das relações entre as pessoas, a empresa e os parceiros, visando ao desenvolvimento local em sentido mais amplo e sustentável”. Essa diretriz se funda no entendimento de que “a arte não deveria ter um lugar restrito de circulação” e que o Parque Vila Maria pode ser visto, também, como um centro produtor de sua cultura e sua arte, além de consumidor de outras culturas e artes.

SERVIÇOS
Exposição final do Fotossensível, curso de introdução à fotografia para jovens
Público alvo: interessados em geral
Local de realização: Casa de Cultura da Vila Guilherme – Casarão
Praça Oscar da Silva, 110 – Vila Guilherme – São Paulo/SP
Data: 24 de novembro a 16 de dezembro
Entrada gratuita
Mais informações pelo e-mail aymbereprodart@gmail.com ou pelas redes facebook Parque das Artes Vila Maria e instagram @parquedasartesvilamaria

.

MINIBIO DOS PROFESSORES

Ricardo Rios

Fotógrafo, bacharel em Ciências Sociais USP com ênfase em Antropologia e pós-graduado em Fotografia pela FAAP/SP. É professor de fotografia na REVER Estudos em Fotografia, no SENAC e na Faculdade Santa Marcelina. Trabalhou como Arte educador na Pinacoteca e no Itaú Cultural, entre outros. Ensina fotografia desde 2003, com experiência no ensino superior, técnico e livre.

Patrícia Marchesoni

Graduada em Artes Plásticas pela FAAP com pós-graduação em Curadoria e Educação em Museus pela USP. Há mais de dez anos no segmento de Arte, Cultura e Educação, já coordenou o Educativo do CCBB, do CCSP, do Paço das Artes e de exposições temporárias na rede SESC. Atualmente, desenvolve na PMQ Cultura e Desenvolvimento intervenções artísticas, atividades em Arte para crianças e adultos, formação para professores e educadores, bem como projetos educativos, socioculturais e materiais para exposições, tendo prestado serviço para diversas instituições.

André Spinola

Inicia sua formação em Jornalismo em 1989 na Universidade Federal Do Rio de Janeiro. Em 1991 decide-se pela fotografia e trabalha como assistente em um estúdio de fotografia comercial. Forma-se em Jornalismo pela UFRJ em julho de 1993 e muda-se para Santa Barbara, California, para cursar fotografia comercial no Brooks Institute of Photography. Retorna ao Brasil no início de 1996 e trabalha como freelancer no mercado publicitário carioca, além de ministrar aulas de fotografia na UFRJ. Ainda em 96 é convidado e estrutura o curso básico da escola de fotografia Foto In Cena, atualmente Atelie da Imagem. Em 1997 estrutura o curso básico e ministra as aulas da primeira turma do Curso Politécnico de Fotografia da Faculdade Estácio de Sá. Em Janeiro de 1998 muda-se para São Paulo para participar do Curso de Jornalismo em Revista da Editora Abril; e passa a atuar como freelancer para diversas publicações da Editora. Em outubro é contratado como fotógrafo do estúdio da agência de publicidade W/Brasil, onde permaneceu até dezembro de 2003. Em agosto de 2002 decide modificar o direcionamento de sua atuação profissional e monta com Luish Coelho a Rever – Estudos em Fotografia; além de retornar ao mercado editorial.

Sobre a Viação Cometa

A Viação Cometa, empresa integrante do grupo JCA, protagoniza uma história de 68 anos de sucesso no transporte de passageiros. Atualmente conta com cerca de 600 ônibus em sua frota patrimonial, 2.400 colaboradores e mais de 14,5 milhões de pessoas transportadas ao ano. Está organizada em 6 Filiais Regionais, distribuídas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais.

Sobre o Instituto JCA

O Instituto trabalha na perspectiva de que a desigualdade social é uma questão a ser superada para a constituição de uma sociedade melhor. Para isto, escolheu atuar nas áreas de educação e cultura, com projetos que melhorem as oportunidades para os jovens e os projetam para um futuro com mais possibilidades de escolha. O IJCA lidera, junto com outras organizações públicas e privadas, um movimento para qualificar as políticas de educação na Região Metropolitana Leste Fluminense do Rio de Janeiro e atua nos últimos dois anos na expansão de projetos incentivados concatenados às áreas da cultura e do esporte na cidade de São Paulo, em especial, para os jovens moradores do Parque Vila Maria.

Sobre a Aymberê Produções

Graduada em Relações Públicas pela USP SP, com pós-graduação em Administração para o Terceiro Setor e Gestão Cultural, Patricia Souza Ceschi trabalha com produção cultural há mais de 15 anos. Em 2010, juntamente com o artista plástico Breno Menezes, fundou a Aymberê Produções Artísticas Ltda, aonde vem se dedicando à produção e criação de trabalhos artísticos nacionais e internacionais em diversas linguagens. Mais informações em pelo facebook.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*