Home / Arte / Annalisa Tescari Appuhn – “Um olhar sobre o contemporâneo”

Annalisa Tescari Appuhn – “Um olhar sobre o contemporâneo”

Tony Franco é Administrador de Empresas.

Tony Franco é Administrador de Empresas.

Annalisa Tescari Appuhn, escultora italiana, cria suas obras imprimindo paixão e utilizando metais em sua composição.

Em Roma, trabalha em seu studio, participando em exposições desde 2007 com destaques em competições artísticas.

Com satisfação, entrevistamos a artista para o site.

Entrevista

Annalisa, fale-nos um pouco sobre você…

Nasci no norte da Itália, no Vêneto, há vários anos em uma família de artistas. Avô Giovanni, músico, pintor por hobby, a quem o fascismo, que ele recusou, negou uma carreira pública; Tia Antonietta consagrada artista de concerto; a prima Ninni, pintora premiada, a mãe miniaturista Bruna que tinha a princesa Grace de Mônaco entre suas clientes.

Annalisa Tescari Appuhn é Artista Plástica.

Annalisa Tescari Appuhn é Artista Plástica.

Quando despertou seu desejo de ser uma artista plástica?

Tive que viajar vinte anos ou mais, em quase todas as partes do mundo, tanto a trabalho como por curiosidade, ou por um desejo inesgotável de ver o diferente, o outro não perceptível, de me construir por dentro e depois poder sair à luz do dia.

E todo esse sentimento, vendo, me medindo com o resto do mundo, no final me deu vontade de ir para a escola de arte.

Comecei então a frequentar a Academia de Artes da Via San Giacomo em Roma.

Depois de tanta descida, bastou escolher um ramo de arte diferente dos anteriores, mas o caminho ainda não estava claro.

Partindo do trompe l’oeil, passei para o desenho à mão, depois para a pintura a óleo, até aterrissar no maravilhoso mundo da escultura.

Que tipo de arte mais gosta?

Prefiro a escultura porque o contato com a matéria envolve corpo e mente ao mesmo tempo.

Como desenvolveu seu estilo (técnicas)?

Começando pelo trabalho com a argila, passando para o uso de resinas e finalmente adotando a cera por ser mais dúctil e extremamente sensível a cada toque.

A conjunção de fogo e água para modelar a cera cria um sistema simbiótico com ferramentas de ferro.

Cite caso tenha tido influências artísticas em suas obras e de quais artistas?

Não tive influências, pelo menos perceptíveis para mim, de nenhum artista específico, mas tudo o que vi no mundo inteiro certamente me influenciou. Cada um de nós rouba inconscientemente da própria natureza, das formas que os outros identificaram antes de nós.

Tem algum familiar ou conhecido que é artista plástico?

Não haviam artistas plásticos na família.

Viver de arte é possível?

Eu acredito que é possível viver da arte se houver um forte apoio externo, se você encontrar um mentor.

Algum dia já pensou em não atuar mais com arte? pode comentar porquê?

Nunca pensei em viver sem fazer parte do mundo artístico. É como dizer se você já pensou em viver sem beber ou dormir. Se a arte está inequivocamente dentro de nós, é uma parte indivisível dela.

Quais habilidades são necessárias hoje para o artista plástico?

Quase parece que hoje em dia a comunicação é a parte mais necessária para que um artista seja conhecido e apreciado seguindo a capacidade de interpretar a moda e o fluxo do marketing.


Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima


O que você sente quando cria ou aprecia uma obra de arte?

Emoção pura, euforia.

Suas inspirações para criar uma obra de arte?

As inspirações nunca vêm de fora porque são urgências que vêm de dentro, da barriga, passam a ocupar espaços cada vez maiores no cérebro até que sinto a urgência de materializar essa emoção física.

Qual arte mais impressionou você até agora?

Arte moderna, hipermoderna.

Você tem de estar sempre criando ou cria apenas em certos momentos?

Eu crio quando tenho esses impulsos internos, não posso dizer em termos de dias nem nada.

O produto de uma obra sua é único ou tem alguma relação próxima ou distante de sua obra anterior?

O que quer que eu tenha feito na vida de ontem me leva pela mão na vida de hoje.

Quais os desafios da arte/artista no cenário atual?

Acho que o grande desafio da arte hoje é quebrar os conceitos artísticos aceitos até agora para criar novos completamente fora de qualquer esquema já visto e adquirido.

As redes sociais têm lhe ajudado na divulgação de seu trabalho?

A rede social funciona como meio de transmissão, de conhecimento virtual e espero que mais cedo ou mais tarde cumpra a sua tarefa de me fazer conhecer a um mundo mais vasto.

Como as artes plásticas podem contribuir para a educação e cultura?

Tudo o que nutre o ser humano intelectualmente só pode ajudar no seu crescimento.

Como analisa as qualidades de uma obra de arte?

Os esquemas e módulos artísticos que me ensinaram são certamente pontos fixos, mesmo inconscientes, ao fazer um juízo sobre a obra de arte e, sem dúvida, sobre a emoção que a obra produz em mim.

Quais os critérios para estipular o valor de uma obra de arte?

Se a obra de arte produz atenção, curiosidade, se provoca discussão, discussão, prazer ou outro sentimento.

Fale sobre seus projetos atualmente…

Falo pouco de projetos porque o baque da pandemia preenche todos os espaços.

Qual o seu conselho para os que estão começando agora?

Se eu pudesse dar um conselho àqueles que estão começando, diria para seguir seus demônios, não para tentar agradar ou estar na moda, mas para ficar com raiva das cores com as formas até encontrar seu próprio eu artístico.

Se desejar deixe uma mensagem…

Jamais desanimemos!

Como definiria sua arte em uma linha?

Um olhar sobre o contemporâneo.

Redes Sociais:

Website: www.tescariappuhnarte.com

Instagram: @tescari_appuhn_arte

 

 


Grupo no Facebook | Instagram
LinkedIn | Facebook | Twitter

nnalisa Tescari Appuhn, escultora italiana, cria suas obras imprimindo paixão e utilizando metais em sua composição. Em Roma, trabalha em seu studio, participando em exposições desde 2007 com destaques em competições artísticas. Com satisfação, entrevistamos a artista para o site. Entrevista Annalisa, fale-nos um pouco sobre você... Nasci no norte da Itália, no Vêneto, há vários anos em uma família de artistas. Avô Giovanni, músico, pintor por hobby, a quem o fascismo, que ele recusou, negou uma carreira pública; Tia Antonietta consagrada artista de concerto; a prima Ninni, pintora premiada,…

Revisão Geral

Excelente!!

Sumário : Avalie a entrevista! Agradecemos sua participação!!

Avaliação do Usuário: 4.88 ( 3 votos)

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*