Home / Arte / Atores cegos encenam peça no Portão Cultural
Portão Cultural - MUMA. Foto: Cido Marques.

Atores cegos encenam peça no Portão Cultural

Até sexta-feira (6/12), auditório Antônio Carlos Kraide e Cine Guarani exibirão peças e filmes acessíveis a quem não pode ver e ouvir. É o II Encontro Para Todos.

Quatro atores com diferentes graus de deficiência visual e um cão guia estão no elenco da peça É, uma das atrações do II Encontro Para Todos: O Poder Transformador da Arte, que começa nesta quinta-feira (5/12), no Portão Cultural.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/noticias/atores-cegos-encenam-peca-no-portao-cultural

Encenada pelo grupo Pés no Chão, a peça se inspira no romance Ensaio Sobre a Cegueira, do escritor português José Saramago. Fazem parte do elenco os atores Luiz Guilherme Colaço, Luís Gustavo Moreira de Andrade e Davyd Vinícius, que são cegos, e Juliana Luccas dos Santos, com baixa visão. O cão-guia Amora também estará no espetáculo, com 80 minutos de duração.

Vendo e fazendo arte

Promovido pelo Centro Estadual de Capacitação Guido Viaro (CECA) – que tem 10 alunos com diferentes graus de deficiência visual e dois surdos – o II Encontro Para Todos é uma mostra de teatro e cinema com recursos de acessibilidade. O evento coincide com a semana em que se comemora o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (3/12).

“Os alunos do CECA são apreciadores e também protagonistas da arte, pela primeira vez neste Encontro”, diz a professora Diele Pedrozo Santo, idealizadora e coordenadora do Projeto Ver Com as Mãos, que apóia o evento.

Uma exposição de cerâmicas e outra de fotos adaptadas também integram a mostra. A Prefeitura é parceira da entidade na realização do encontro, que tem entrada franca.

Programação variada e acessível

Durante dois dias, alunos do CECA estarão divididos entre o palco e a plateia de quatro peças três filmes e um debate sobre inclusão e acessibilidade, representada pela oferta de audiodescrição, legendagem e Linguagem Brasileira de Sinais (Libras).

Resultado dos cursos livres do centro de artes que contam com a oferta destes recursos, as peças Malala, Tempestade, Colégio e É serão encenadas no primeiro dia do evento, no auditório Antônio Carlos Kraide. As duas primeiras terão audiodescrição e as duas últimas, além deste recurso, também tradução para Libras.

No segundo dia (6/12), no Cine Guarani, serão exibidos um curta-metragem e um documentário. Este também será o dia do debate com Felipe Mianes, que tem deficiência visual e está no documentário Todos – filme que aborda as diferenças entre as pessoas. O debate acontecerá entre exibições. Este filme e o bate-papo contarão com audiodescrição e tradução em Libras. Já o curta A Morte do Funcionário terá apenas audiodescrição.

Programação:

05/12
Espetáculos teatrais
Auditório Antônio Carlos Kraide
(Portão Cultural – Av. República Argentina, 3430)

Malala (15h)
Direção: Felipe Quadra

Duração: 20 min
Classificação: livre
Audiodescrição

Tempestade (16h)
Direção: Felipe Quadra

Duração: 65 min
Classificação: livre
Audiodescrição

Colégio (19h)
Direção: Marcelo Cabarrão
Duração: 90 min

Classificação: 16 anos
Audiodescrição e Libras

É (20h)
Direção: Marcelo Cabarrão
Duração: 80 min
Classificação: 16 anos

Audiodescrição e Libras

06/12
Cinema
Cine Guarani
(Portão Cultural – Av. República Argentina, 3430)

Todos (15h)
Documentário

Direção: Marilaine Castro da Costa e Luiz Alberto Cassol
Duração: 76 min
Classificação: livre
Audiodescrição e Libras

Bate-papo sobre o filme (16h20)
Com Felipe Mianes (personagem e consultor)

Audiodescrição e Libras

A Morte do Funcionário
Curta-metragem de ficção
Direção: Guilherme Biglia
Duração: 18 min

Audiodescrição

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*