Home / Arte / BELIZÁRIO Galeria inaugura com Maxim Malhado
Obra de Maxim Malhado. Foto: Divulgação.
Obra de Maxim Malhado. Foto: Divulgação.

BELIZÁRIO Galeria inaugura com Maxim Malhado

“…nesse momento e antes do ontem também, é a possibilidade de me ver e observar o outro!”
Maxim Malhado

A BELIZÁRIO Galeria inaugura novo espaço cultural em São Paulo com a exposição de Maxim Malhado – “…lá do lugar onde moramos”, sob curadoria de Marcus Lontra, com 15 trabalhos entre esculturas e objetos onde o material de destaque é a madeira que descreve conceitualmente a verdade em que “toda casa é bela; toda casa tem um metro a mais de grandeza, inclusive e principalmente a sua!”, como define o galerista Orlando Lemos.





José Roberto Furtado, Luiz Gustavo Leite de Oliveira e Orlando Lemos, os artífices da nova galeria, inserem no circuito expositivo paulistano uma nova opção de local de propagação artística destinado a divulgar e comercializar obras de arte moderna e contemporânea. O projeto da Belizário Galeria tem origem em Belo Horizonte, onde os três amigos se conheceram e, por sua experiência no cenário artístico mineiro, lhes dá o respaldo necessário para apresentação de um trabalho de alto padrão e originalidade que se estabelece desde sua apresentação ao circuito local com a produção recente e inédita do artista plástico Maxim Malhado.

“’…lá do lugar onde moramos’ reúne um conjunto expressivo da produção recente do artista. Suas obras dialogam com o artesanato e o design popular construindo uma arqueologia da memória, onde objetos são ressignificados e reconstruídos. Ele dialoga com artistas nordestinos de sua geração como Carlos Mélo e José Rufino e também, com Nuno Ramos e Tunga. Essa é a família expressionista onde o artista se insere; esse é o seu universo, essa é a sua voz”, explica o curador.

Maxim Malhado chega ao circuito artístico nos anos de 1990 com suas obras que transmitem sofisticação e detalhamento na simplicidade da escolha e seleção de materiais e formatos – “os critérios são os mesmos de mestres e ajudantes de obras em seus ‘canteiros’, o desejo, a vontade e necessidade de solucionar dúvidas e problemas, buscar respostas”, diz o artista. A definição do local onde morar, oferece possibilidades de imersão intelectual que podem direcionar tanto para o aspecto material da ‘casa’, onde se habita e fixa moradia como mais lúdico, imaterial, direcionado ao ‘corpo’, o real habitat humano, onde também se constrói história. Nas palavras de Marcus Lontra, “A Bahia hedonista, litorânea, sensual, soteropolitana, abre espaço para a Bahia agreste, interiorana, sertaneja, nordestina. Essa é a terra, o território, a fonte de saberes de onde o artista retira suas pedras e pérolas para montar composições poéticas carregadas de autenticidade e potência natural”.

Participante, consciente e atento ao cenário atual, tanto global como próximo ao local onde desenvolve seus trabalhos, Maxim Malhado assume seu papel de conscientização geral com sua arte, e assume posicionamento não estático, sempre em evolução, em movimento, com o que vem a seguir. “Sempre há desdobramentos, necessário, pois se até as frutas pecam…não existe o erro”, declara o artista.

“Admirando essas articulações formais e conceituais, aprendemos com Maxim Malhado que somente a ação criativa dignifica a espécie humana. E que a capacidade de inovar, transformar e interpretar aquilo que chamamos de real, possa municiar ao ser humano as ferramentas essenciais para que a arte e a ciência sejam para todo o sempre os “santos guerreiros” que protejam o mundo dos “dragões da maldade”.” Marcus Lontra

A Galeria

A BELIZÁRIO Galeria chega ao mercado de arte de São Paulo em 2021 e é resultado de uma parceria entre Orlando Lemos, José Roberto Furtado e Luiz Gustavo Leite. Um conceito de espaço para cultura que nasce em Belo Horizonte com Orlando Lemos e a Objetaria Belizário, que se transforma na Galeria Belizário, também em Belo Horizonte, fazendo exposições de arte de novos e promissores artistas como Paulo Nazareth que inicia sua trajetória no local. Sua proposta visa se apresentar como uma opção adicional de participação e visibilidade da produção de artistas emergentes e consolidados no panorama da arte contemporânea brasileira no circuito paulistano de cultura. A galeria se junta ao movimento que busca promover horizontes que estabeleçam novos meios de redirecionar e ampliar o mercado de arte, pensando nas diferentes trajetórias e produções artísticas que o compõe. Assim, visando a fomentação da diversidade cultural intrínseca na contemporaneidade, serve de palco para artistas novos e estabelecidos, nacionais e estrangeiros, em parcerias com curadores que também estejam imbuídos do mesmo propósito. Na BELIZÁRIO Galeria, procura-se atender a um público que busca a aquisição de trabalhos artísticos e, também, a criação e fomento de novas coleções. O seu acervo é composto por diferentes temas e estéticas, mediante o universo poético de cada artista. Seu repertório abrange trabalhos artísticos de diferentes linguagens, suportes, técnicas e mídias como desenho, escultura, fotografia, gravura, pintura, instalação e outras. A BELIZÁRIO tem Orlando Lemos na direção artística, atuante no universo da arte desde 2001, José Roberto Furtado na gestão administrativa e comercial e Luiz Gustavo Leite na direção social.

SERVIÇO
Exposição: “…lá do lugar onde moramos”
Artista: Maxim Malhado
Curadoria: Marcus Lontra e Maxim Malhado
Abertura: 06 de novembro de 2021, sábado, das 11h às 18h
Duração: de 08 de novembro a 05 de dezembro de 2021
Local: BELIZÁRIO Galeria
Endereço: Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 491 – Pinheiros
Telefone: (31) 99403.0950 | Orlando
Horários: de segunda a sexta-feira, das 10h às 19hs; sábado das 10h às 14hs
Número de obras: 15
Técnica: esculturas e objetos em madeira
Dimensões: variadas
Preço: sob consulta
Site: em construção
Instagram: @belizariogaleria
Facebook: em construção
E-mail: em construção

Maxim Malhado (Ibicaraí, BA)

Vive e trabalha em Massarandupió, Bahia. Tendo começado a expor a partir de 1995, é premiado sete vezes nos Salões regionais da Bahia, e, em 2001, recebe o Prêmio Aquisição do VIII Salão do Museu de Arte Moderna da Bahia. É selecionado no Itaú Cultural para as edições de 2001 e 2003 do Projeto RUMOS e, em 2004, participa da 26ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo. Participou de exposições no Salão Nacional de Goiás, Salão Nacional de Arte do Pará, Salão Nacional de Curitiba, PR, Bienal de Montevideo, Uruguai. Possui obras nos acervos de instituições como Galeria Maxi ACBEU, Salvador, BA; Projeto Salvador Porto e Mar – Codeba; Centro Cultural Danneman, São Felix, BA; Instituto Cultural Brasil-Alemanha | ICBA, Salvador, BA; Museu de Arte Moderna da Bahia, entre tantos. É indicado ao Prêmio PIPA nas edições 2011 e 2015.

Marcus Lontra (Rio de Janeiro, RJ)

Marcus de Lontra Costa é crítico de arte e curador independente. Foi editor da revista Módulo; diretor da Escola de Artes Visuais do Parque Lage; crítico de arte dos periódicos O Globo, Tribuna da Imprensa e Isto É e, também, assessor do Ministério da Cultura. Dirigiu ainda o Museu de Arte Moderna de Brasilia, DF, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, RJ e Museu de Arte Moderna de Recife, PE. Foi secretário de Cultura de Nova Iguaçu (RJ), no governo de Lindbergh Farias. Foi curador das mostras: “Como vai você, geração 80?” (junto com Sandra Magger e Paulo Roberto Leal); “Infância perversa”, no MAM- RJ; “Onde está você geração 80?”, no CCBB. Desde 1998 é diretor da Lontra Produções Culturais.

José Roberto Furtado (Belo Horizonte, MG)

Vive e trabalha em São Paulo, SP. Com bacharelado incompleto em Letras na UFMG, tem longa trajetória no circuito cultural mineiro como curador de exposições institucionais na Grande Galeria do Palacio das Artes, no Centro Cultural FUNALFA, além de projetos em espaços culturais e galerias públicas e privadas. Nos anos 2000, leva sua sensibilidade e talento para a Moda tornando expert no segmento. Em 2014, retorna à sua antiga paixão pela cultura no segmento das artes, unindo-se à Orlando Lemos Galeria como marchand.

Luiz Gustavo Leite (Belo Horizonte, MG)

Luiz Gustavo Leite de Oliveira vive e trabalha em São Paulo. Doutor em Medicina pela FMIt, MG, com especialização em Cirurgia Geral e Plástica em Belo Horizonte; possui sociedade na Laprat Bioevolution & Spa, SP, além de atuar como speaker da Allergan Aesthetics. Chega a São Paulo em 25 de agosto de 2009 onde consolida sua carreira médica, hoje com trajetória exitosa. Há alguns anos, seu apreço à estética e à beleza, o aproxima do mundo das artes onde, passo a passo, torna-se um colecionador com peças especificas das quais pode discorrer com detalhes sobre formato, história e autor.

Orlando Lemos (Franca, SP)

Vive e trabalha em Belo Horizonte, MG. Formado em Educação Física pela UFMG, possui Pós-Graduação em Arte Contemporânea e História da Arte pela PUC/MG. Diretor e fundador da Orlando Lemos Galeria, sediada em Nova Lima, MG. Curioso, é reconhecido e respeitado por seus pares por descobrir e lançar novos talentos nas artes visuais.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*