Home / Arte / Crochê: aprenda a utilizar dentro da sua casa

Crochê: aprenda a utilizar dentro da sua casa

Você também é daquelas pessoas que tem dúvidas sobre como usar o crochê na decoração?

Embora este seja um artesanato muito comum, o crochê ainda cria impasses na hora de inserir na decoração, porque na maioria dos casos as peças são ricas em cores e detalhes que ficam difíceis de combinar com o restante da decoração.




Mas pode ficar tranquilo porque hoje vamos te ajudar a incorporar os mais belos trabalhos de crochê na decoração da sua casa, ou mesmo em uma recepção de uma empresa de construção e engenharia, por exemplo. Veja dicas:

Como usar crochê na decoração

Modelos de crochê mais antigos e tradicionais, principalmente no Brasil, tendem a ser mais coloridos e contrastantes.

No entanto, também se tornou comum usar crochê no estilo escandinavo, que é mais clássico, clean e minimalista. Dito isso, costumam vir em cores claras, neutras e desprovidas de detalhes e estampas.

Logo, é uma opção que pode ser utilizada até mesmo para combinar com as esquadrias de alumínio portas e janelas da sua casa.

Mas, de fato, não importa qual estilo de crochê você planeja usar na sua decoração, é importante atentar para a harmonia das cores presentes na peça e as do restante do ambiente.

Por exemplo, uma colcha de crochê colorida com detalhes florais fica linda em uma sala com paredes e pisos brancos, por isso a colcha se torna a protagonista do ambiente.

Se o objetivo é criar uma estética mais clean e moderna, prefira o crochê em apenas uma cor e textura lisa.

Você ainda pode explorar o uso do crochê na decoração criando pontos de luz e contraste. Por exemplo, você consegue imaginar um sofá todo azul com almofadas de crochê amarelas?

Forma e tamanho da peça

Este truque funciona especialmente bem nos pisos. Ou seja, quando for usar crochê na decoração com tapetes, por exemplo, procure equilibrar o tamanho da peça com o tamanho do ambiente.

Por exemplo, uma sala muito grande é desproporcional a um tapete pequeno. Nesse caso, para não deixar o tapete de crochê “se perder” na decoração, a dica é trazê-lo para um ambiente onde ele possa se destacar.

Se o piso for feito de cimento queimado advindo de um fornecedor de cimento branco, por exemplo, o ideal é utilizar crochê colorido.

A forma da agulha de crochê é outro elemento importante. Por exemplo, os tapetes circulares em geral inspiram uma decoração refinada, romântica e até infantil. Já as peças quadradas e retangulares conferem um ambiente mais moderno.

Inserindo crochê na cozinha

Todo mundo tem lembranças de usar crochê na cozinha. Pode ser para cobrir um eletrodoméstico, em um armário de aço inox preço, um filtro de água ou até mesmo uma toalha de mesa.

Aliás, o crochê sempre foi um elemento decorativo muito apreciado nas cozinhas brasileiras.

De fato, nas cozinhas, inserir o crochê pode ser mais fácil do que imaginamos, isso porque, a decoração de uma cozinha pode ser bastante versátil, você pode continuar usando as peças de crochê da maneira tradicional, como a clássica roupa do botijão de gás.

Ou mesmo, inserindo detalhes em cortinas e puxa-saco, por exemplo. Ou, se preferir, pegue linhas mais modernas e incorpore outros elementos de crochê para emoldurar a decoração.

Por exemplo, os capachos de crochê agregam valor para proporcionar um ar mais vintage ao ambiente, ou mesmo para cobrir defeitos que só seriam solucionados com uma raspagem de pisos e assoalhos.

Mas de fato, nas cozinhas, e juntamente com qualquer decoração, é possível inserir o crochê de forma bem harmoniosa. Vale também seguir a ideia de usar toalhas de mesa e toalhas de crochê.

Outra tendência são os porta-panelas, você pode montar uma mesa com essas peças charmosas e elegantes.

Inserindo crochê no banheiro

Assim como a cozinha, o banheiro é outro cômodo da casa onde o crochê sempre esteve por perto. Os tapetes de crochê são populares nesse cenário, principalmente os conjuntos com sanitários e porta-rolos.

Até mesmo em pisos de que foram feitos com materiais advindos de um distribuidor de piso vinilico, por exemplo, porque os tapetes de crochê não retiram a beleza dos pisos, mesmo em pisos mais caros como pisos de porcelanato ou mármore, por exemplo.

Outra forma de usar o crochê na decoração do banheiro é apostar em cestas feitas com essa técnica. São lindas e ajudam a manter os produtos e itens de higiene e beleza à mão.

Inserindo crochê na sala

O crochê também é incomparável na decoração de um quarto. A textura macia e quente traz aconchego e conforto, duas coisas essenciais em um ambiente assim. Para usar o crochê na decoração do quarto, invista em almofadas, mantas, pufes e tapetes.

Vale até mencionar que o trabalho em crochê valoriza a decoração boho e escandinava.

Se essa é sua intenção, então você pode usar sem medo.

Receba Dicas de Decoração em nosso grupo de Whatsapp!
*Só nós postamos no grupo, então não há spam! Pode vir tranquilo.

Inserindo crochê no quarto

No quarto, o principal local para usar o crochê é na cama. As colchas de crochê ainda são muito cobiçadas hoje, e não é à toa. Elas ficam perfeitas nos quartos e podem ser combinadas com os mais diversos estilos de decoração de quartos.

Por exemplo, juntamente com uma boa iluminação feita com um projeto de um bom distribuidor de luminárias LED, o crochê pode conferir um estilo vintage,

Caso seja combinado com quadros de séries, filmes e jogos, pode proporcionar o estilo geek sem interferir em nada. Aliás, essa combinação pode ser bastante divertida.

Inscreva-se para receber as Novidades de Decoração primeiro!

Até mesmo para quem leva a decoração do quarto muito a sério, pode apostar em colchas de crochê que não irão se arrepender. Em suma, pode ser usado em:

  • Fronhas;
  • Cobertores;
  • Tapetes;
  • Cortinas;
  • Cabeceira.

Cestas de crochê são outra bela maneira de incorporar este artesanato em seu quarto. É só usar a criatividade e inserir o croce para trazer mais beleza e harmonia aos ambientes.

Inserindo crochês em decorações corporativas

O crochê também pode ser inserido em decorações nas empresas. Um bom exemplo é utilizar poltrona com crochê em empresas de design de interiores e execução e manutenção de jardins.

O ponto principal é focar na criatividade e não se limitar a padrões de decoração. Afinal, é algo que pode até mesmo chamar atenção dos clientes que chegam em uma empresa com uma decoração tão singela.

Conheça a história do crochê

Agora que vimos algumas dicas sobre como você pode inserir o crochê na sua decoração, que tal conhecer um pouco da história desse bordado tão versátil?

Infelizmente, pouco se sabe sobre as origens do crochê. No entanto, existem teorias de que o crochê já existia em 1500 aC. Em suma, existem três teorias que ditam o surgimento do crochê.

Alguns acreditam que veio da Arábia, chegou à Europa pela Espanha e se espalhou para outros países do Mediterrâneo pelas rotas comerciais árabes.

Outra versão é que se acredita ter vindo da América do Sul, onde as tribos primitivas do Peru o usavam como decoração para rituais de passagem.

Outra teoria é que se originou na China, onde bonecas de crochê muito antigas foram encontradas e espalhadas pela Rota da Seda.

No entanto, é impossível determinar quando e onde o crochê surgiu. Pode-se dizer que já era conhecido na Índia, China, Turquia, Tunísia e Egito durante a Idade Média.

Espalhando-se por toda a Europa sob o nome de pandeiro, na Idade Média era ensinado a meninas de boas famílias em mosteiros, e então a técnica de crochê se tornou um passatempo favorito de senhoras italianas, espanholas e francesas.

Durante o Renascimento, seguido por Luís XIV, a tecnologia melhorou, aumentando assim a qualidade do trabalho. A Revolução Francesa permitiu a exportação desta tecnologia para todos os países europeus (Irlanda, Grã-Bretanha e países nórdicos) graças a famílias nobres.

A técnica melhorou pouco a pouco ao longo dos séculos seguintes, juntamente com surgimento de várias técnicas de decoração, como renda. Mas na Irlanda do século 19, o crochê atingiu seu auge e se tornou uma verdadeira indústria.        

De fato, após a Grande Fome de 1846, diz-se que o abade de um mosteiro irlandês pediu permissão à sua congregação para ensinar a técnica às mulheres da cidade para que pudessem trabalhar em casa.

O sucesso foi enorme, e a renda irlandesa feita em Dublin e Belfast foi exportada para todo o mundo, especialmente na Inglaterra vitoriana. Essas rendas eram usadas para decorar roupas e roupas íntimas, além de fazer bijuterias para a casa.

Também na França, a indústria se desenvolveu e substituiu gradualmente o artesanato, em Franche-Comté e depois em todo o país.

Técnicas que foram passadas de geração em geração, são assunto de livros onde você pode aprender técnicas básicas e encontrar muitos modelos de trabalhos.

Assim, depois de ensinar técnicas de crochê à corte da rainha Vitória, a senhorita Riego de Blanchardière publicou sua primeira revista sobre o assunto: “A agulha”. Ele editou muitos padrões e criou o ponto aujourd conhecido hoje como crochê irlandês.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Relacionados:

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*