Home / Arte / Este sábado: Galeria Arte132 oferece visita guiada de sua última exposição do ano: “Arte Devocional no século XIX”

Este sábado: Galeria Arte132 oferece visita guiada de sua última exposição do ano: “Arte Devocional no século XIX”

Conduzida pelo curador e antiquário Marcelo de Medeiros, a visita guiada irá apresentar as obras da exposição e explorá-las conceitualmente. A mostra traz um recorte da produção da pintura religiosa centrada em parte do Alto Peru, hoje Bolívia, e também esculturas de santos produzidas em São Paulo; ambas datadas do séc. XIX




Recém-aberta (26/11), a mostra Arte Devocional no século XIX: Pintura sobre metal e Paulistinhas recebe visita guiada neste sábado, 03 de dezembro, às 11h30, conduzida pelo curador e antiquário Marcelo de Medeiros, também dono da coleção exposta (Paulistinhas e pintura sobre metal). A exposição segue em cartaz até 23 de dezembro, fechando a temporada deste ano na Arte132 Galeria. A visita guiada terá em média 1h de duração.

As obras expostas ilustram o culto à religiosidade através de dois peculiares contextos artísticos: no primeiro eixo, são apresentadas esculturas em pequenos formatos de santos diversos, denominadas “Paulistinhas”. Estas pequenas estatuetas foram confeccionadas manualmente, por diferentes artesãos, sob o manuseio do barro queimado em uma base oca, e eram realizadas exclusivamente no estado de São Paulo. As aludidas peças, que perduraram por mais de 100 anos, serão expostas na galeria ao lado de pequenas pinturas sacras, realizadas no Alto Peru (atual Bolívia) por mestres de diferentes localidades ao longo do século XIX, que configura o segundo eixo e contexto da exposição.




A imaginária paulista no séc. XIX

As imagens dos paulistinhas aludem aos santos que habitam o imaginário cristão católico. Marcelo de Medeiros, curador da mostra, explica que “os paulistinhas supriram a demanda vinda com o aumento da população, trazendo a possibilidade do povo ter um santinho de sua devoção dentro de casa; uma arte religiosa que distinguia-se principalmente por ser acessível, bem como as pinturas sacras bolivianas, que não se encontravam nas igrejas, eram destinadas ao ambiente doméstico”.

Em geral, estes santinhos eram feitos em esculturas de pequeno porte – entre 10 e 20 cm de altura –, e, apesar da forte influência do imaginário lusitano, eram singulares por conta da simplicidade dos traços e da estrutura de barro. Havia maior liberdade formal da composição, que geralmente apresentava forte senso estético e poético. As imagens mais executadas pelos artistas e artesãos – conhecidos à época como “santeiros” – foram as de Nossa Senhora da Conceição, Jesus Cristo, Santo Antônio, São José, São Sebastião, Nossa Senhora das Dores, Sant’Ana, São Pedro e Santa Gertrudes.



Neste primeiro eixo, trata-se de arte que faz parte da história de São Paulo, sem paralelos nacionais no período.

Da evangelização à devoção: arte sobre metal no séc. XIX

Com a conquista do Peru pelos espanhóis em 1532, imediatamente se fez necessária a manufatura de bens religiosos tanto para o culto a que atendiam os europeus quanto para evangelização dos indígenas.

Para tanto, vieram a esta nova terra executores dos mais variados ofícios, com evidente destaque para os pintores, que, na maioria das vezes, eram oriundos de Espanha, Itália, Flandres e outras localidades.

Receba Notícias de Exposições e Eventos em geral em nosso grupo no Whatsapp!
*Só nós postamos no grupo, então não há spam! Pode vir tranquilo.

Estes mestres vieram com a incumbência de ilustrar, nas mais variadas técnicas pictóricas e materiais, os desígnios evangelizadores da Igreja Católica que, associada aos reis de Espanha, tinham por meta converter o gentio, salvando as almas dos colonizados para benefício da Santa Madre Igreja e dos reis católicos.

A pintura inicia-se no século XVI, mantém-se austera no século XVII e ganha identidade própria no século XVIII, ao receber atributos indígenas mesclados aos padrões europeus.

Tal panorama começa a mudar radicalmente a partir das primeiras décadas do século XIX, em grande medida devido aos ares vindos das revoluções norte-americana e francesa.

As guerras de independência dos países hispano-americanos, aliadas ao aumento populacional daquela região, intensificam ainda mais a busca por bens religiosos.

Surgem assim, já em meados do século XIX, as condições ideais para a produção de uma pintura religiosa de cunho popular, centrada em parte do Alto Peru, hoje Bolívia.

Neste momento, não mais evangelizadoras e sim devocionais, essas pinturinhas, em sua maioria executadas em folha de zinco, são alegres em seu colorido, ingênuas em sua fartura, divertidas em suas inscrições e diretas na sua mensagem. São especiais pela maneira tão peculiar de tratar os temas, que em sua maioria eram relativamente simples, como variações das Virgens do Carmo, Rosário, Guadalupe, Patrocínio de Tarata, Socavon e dos santos Santo Antônio, Santa Bárbara, São Francisco, variações de Jesus Cristo e assim por diante.

Encontrados principalmente em feiras populares de Potosí, Sucre, Cochabamba e La Paz, estes testemunhos artísticos que ocupavam as vivendas encantavam e encantam até hoje por sua graça, espontaneidade e perseverança da fé.

Sobre a Arte132 Galeria

A Arte132 acredita que a arte de um país, e de um período, não é constituída apenas por alguns nomes definidos pelo mercado, mas por todos os artistas que desenvolveram um entendimento do mundo e do homem em determinado momento, artistas estes que abriram e alargaram os caminhos da arte brasileira. Dessa forma, expõe e dá suporte a mostras com o compromisso de apresentar arte relevante e de qualidade ao maior número de pessoas possível, colecionadores ou não. A casa (concebida pelo arquiteto Fernando Malheiros de Miranda, em 1972), para além de uma galeria de arte, é um lugar de encontros, diálogos e descobertas. 

Serviço
Arte Devocional: Pintura sobre metal e Paulistinhas
Visita guiada com o curador: 03 de dezembro, sábado, das 11h30 às 12h30
Curador: Marcelo de Medeiros
Local: Arte132 Galeria – Av. Juriti, 132, Moema, São Paulo – SP
Período expositivo: 26 de novembro a 23 de dezembro de 2022
Horários de visitação: segunda a sexta, das 14h às 19h. Sábados, das 11h às 17h 
Entrada gratuita
arte132.com.br

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*