Home / Arte / Exposição A Nudez do Miriti de Francelino Mesquita
Exposição A Nudez do Miriti, obra. Foto: Divulgação.

Exposição A Nudez do Miriti de Francelino Mesquita

A arquitetura é o jogo sábio,
correto e magnífico dos
volumes dispostos sob a luz.
Le Corbusier

Coisa de operária, coisa de natureza arteira, essa Mauritia flexuosa que povoa o vasto território brasileiro tem a qualidade de se reinventar, seja na do vinho feito da polpa do fruto, ou nas mãos de habilidosos artesãos, vão do retrato fiel do cotidiano daqueles que vivem às margens de rios de água e pedra, a peças multicoloridas que atravessam o imaginário popular, com barcos, promesseiros, santinhos …

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O artista visual usa dessa natural organicidade plástica do miriti e de sua notória porosidade temporal para explorar a dimensão arquitetônica da fibra da palmeira, na elaboração de suas peças, em movimentos de constante dobras e de jogos com linhas e pontos de fuga. Francelino Mesquita faz suas obras pulsarem entre o permanente e o transitório, na dualidade entre a luz e a sombra, essa primeira, disputa lugar de protagonismo em sua produção, criando enigmas sensoriais de presença mutável. O discurso dos traços do tempo sobre suas superfícies, veios e fendas, também da aspereza e do peso, o artista modela o espaço vazio com peças que o conectam com a escultura contemporânea.

Exposição A Nudez do Miriti, convite. Divulgação.

Exposição A Nudez do Miriti, convite. Divulgação.

Francelino Mesquita, no decorrer dos seus quase 20 anos de produção, vem refinando suas formas e volumetria, conciliando o movimento dos elementos e a unidade concertada do todo, com obras que exprimem síntese e sinuosidade. Ele forja formas no exercício de abstração, ofertando-nos brinquedos visuais, que fazem lembrar os mobiles de Calder, ou mesmo o rigor e imponência das esculturas de Amilcar de Castro, e a organicidade de Frans Krajcberg.

Na mostra no Centro Cultural da Justiça Eleitoral do Pará, o Francelino apresenta peças que perpassam as suas criações desde o início dos anos 2000 até peças confeccionadas especialmente para a mostra. Ele sempre nos reserva gratas surpresas por sua inventividade e versatilidade.

Adan Costa – Curador da Mostra

Serviço:
Centro Cultural da Justiça Eleitoral do Pará
Rua João Diogo, 254, CEP 66015-902, Belém, Pará
Aberto de 2º a 6º feira, de 8h as 15h
Fone: +55 91 3345 8017 / 8018
ccje@tre-pa.gov.br

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*