Exposição coletiva Zonas de Sombra está com inscrições abertas para participação de artistas plásticos residentes no Estado de São Paulo

O chamamento público para a exposição, que acontecerá na Pinacoteca Municipal de São Bernardo do Campo, está aberto até o dia 09 de abril.

O projeto, que terá acesso gratuito ao público, reflete em sua curadoria a preocupação artística com temas ligados às urgências climáticas.

Anúncio

Estão abertas, por meio deste formulário, as inscrições para a exposição coletiva de artes visuais Zonas de Sombra, uma produção Brecha Cultural, com abertura programada para o dia 27 de maio na Pinacoteca Municipal de São Bernardo do Campo.

A exposição contará com obras de nove artistas, sendo sete deles selecionados por meio de convocatória, disponível para artistas interessados até o dia 9 de abril.

A curadoria fica a cargo de, Allan Yzumizawa, Horrana de Kássia Santoz e Jurandy Valença e elege como recorte expográfico, obras que fomentam o debate acerca da destruição ecológica, diagnósticos de futuro, a queima das memórias e assuntos que permeiam o campo da geologia, da natureza e sua preservação, levantando discussões relevantes sobre o meio ambiente.

O edital é válido para artistas ou coletivos de brasileiros residentes no estado de São Paulo há mais de dois anos.

Sobre Allan Yzumizawa

Pesquisador de cultura e arte contemporânea, atua como curador no Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (MACS).

Doutorando em História da Arte pela UNIFESP, mestre em Artes Visuais pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Estadual de Campinas (PPGAV-UNICAMP) e bacharelado em Artes Visuais pela UNICAMP.

Dentre os principais projetos como curador, destacam-se: Corpos da Água Vermelha (Prêmio Proac 2021), “A invenção do herói”, MAC Sorocaba (2022), “O encontro é um lugar impossível”, Centro Cultural dos Correios, São Paulo (2022) e “Exercício Ka’a”, Centro de Arte e Cultura Arapuca, Conde-PB (2022).

Possui interesse nas produções de arte contemporânea deslocadas dos centros hegemônicos e nas manifestações culturais regionais do Brasil e suas relações com as teorias pós-coloniais.

Receba Notícias de Exposições e Eventos em geral em nosso grupo no Whatsapp!
*Só nós postamos no grupo, então não há spam! Pode vir tranquilo.

Sobre Jurandy Valença

Artista visual, curador, jornalista e gestor cultural, atua na área há mais de 25 anos, e atualmente é Diretor da Biblioteca Mário de Andrade, a 2ª maior do país e a maior do Estado de São Paulo.

Foi diretor adjunto do Centro Cultural São Paulo [CCSP], coordenador geral dos centros culturais e teatros da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo; coordenador geral da Oficina Cultural Oswald de Andrade, equipamento cultural da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo; e diretor de projetos do Instituto Cultural Hilda Hilst, em Campinas (SP).

Inscreva-se para receber as Novidades sobre Eventos
e o Universo das Artes primeiro!

Como artista visual e curador, realiza trabalhos em fotografia desde 1998. Participou de mais de 70 exposições, entre individuais e coletivas. Recebeu prêmios aquisições em 2002, 2003 e 2004, e já realizou mais de 15 curadorias.

Em 2003 foi tema de Documentário exibido na TV Sesc-Senac (série “O Mundo da Arte”). Júri de diversos salões e de editais de artes visuais do PROAC, da Secretaria de Estado da Cultura de SP, e de diversos editais da Secretaria Municipal de Cultura de SP, foi redator do Mapa das Artes São Paulo por 16 anos, e responsável durante mais de dois anos pela coluna de Arte, Cultura e Comportamento da Bemglô, plataforma digital e loja física, projeto da atriz Gloria Pires e da ex-modelo e da empresária Betty Prado.

Sobre Horrana de Kássia Santoz

Horrana de Kássia Santoz é graduada em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo (2011) e atua desde 2007 no desenvolvimento de novas práticas educativas em museus e espaços culturais como, arte-educadora, mediadora, pesquisadora, assistente de produção e assistente de curadoria.

Entre fevereiro de 2021 a janeiro de 2023, foi Curadora de Pesquisa e Ação Transdisciplinar, a partir da inédita parceria entre a Coleção Ivani e Jorge Yunes e a Pinacoteca de São Paulo sendo responsável pela programação pública do museu e do desenvolvimento das ativações artísticas e de projetos transdisciplinares, como o programa de comissionamento artístico “Atos modernos” além de integrar o corpo curatorial da exposição “Chão da Praça: obras do acervo da Pinacoteca de São Paulo” mostra de abertura da Pinacoteca Contemporânea.

Santoz também atuou no núcleo de Mediação e Programas Públicos do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) entre 2017 a 2021, organizando o Programa Independente (PIMASP), organizou a programação de cursos livres do MASP Escola, além de ser curadora da Sala de Vídeos do MASP entre 2018 e 2020.

Integrou o programa Fábricas de Cultura, através da gestora Poiesis entre 2013 até 2017, inicialmente como assistente artístico-pedagógico e supervisora artístico-pedagógico da Fábrica de Cultura Jardim São Luis. Em 2022 foi júri na 11ª edição da mostra 3M de Arte, com curadoria de Camilla Rocha Campos; na Chamada 2022-2023 VoA para Artistas Mulheres e Pessoas Não Binárias e no 8º Prêmio Artes Instituto Tomie Ohtake – Edição Mulheres.

Serviço
Convocatória: Até 9 de abril, com inscrições abertas por meio deste link
Abertura da exposição: 27 de maio de 2023
Local: Pinacoteca Municipal de São Bernardo do Campo – R. Kara, 105 – Jardim do Mar
Informações: instagram.com/zonasdesombra
zonasdesombra@gmail.com

Relacionados:

Deixe um comentário

×