Emmanuel Nassar occupa la Glass Room del MAM São Paulo con un lavoro interattivo

L'opera dell'artista pará che allude alla corsa allo spazio rimarrà nello spazio fino a settembre; público poderá interagir com a obra Lataria Espacial

La Stanza di vetro fare Museo di Arte Moderna di São Paulo apresentará uma nova obra entre 02 Aprile e 01 Settembre 2024: Carrozzeria spaziale (2022), un installazione do artista paraense Emmanuel Nassar.

Annuncio

Aberta à interação do público, a obra remete aos trabalhos que o artista desenvolve desde os anos 1980, usando a geometria e cores de tons fortes.

Da Recepcôr (1981), Nassar foi se afastando da pintura figurativa e passou a trazer para seus trabalhos uma discussão sobre a precariedade e sobre o sonho de novas tecnologias. O trabalho que inaugura essa pesquisa é uma espécie de aparelho de alta tecnologia que receberia tudo aquilo que rondava a cabeça do artista. Recepcôr é uma obra que não tinha apenas uma solução estética, mas também era funcional.

Essa ligação com uma suposta tecnologia tratada de uma forma irônica, em geringonças com chapas velha de metal, passa por todo o conjunto da obra do artista desde então. Essa relação aparece especialmente em motivos que remetem à corrida espacial, à conquista dos ares, expressados em coisas como foguetes, lunetas, pontos cardeais e estrelas.

O artista conta que o interesse por busca interplanetária vem de uma memória afetiva. Nato nel 1949 na cidade interiorana de Capanema, no nordeste do Pará, Nassar é filho de um comerciante simples e de uma professora primária. Ele cresceu estimulado por diversas curiosidades sobre a conquista espacial, uma fixação de seu pai. “Ele era apaixonado pelas novidades do desenvolvimento do Brasil, pelos avanços tecnológicos. Essa coisa no meu trabalho é uma espécie de homenagem à memória do meu pai, pois eu sou filho dessa herança”, spiega.

In Carrozzeria spaziale, Emmanuel Nassar constrói um jatinho particular inspirado no Phenom 300, um avião nacional de alta performance, um dos mais vendidos do mundo, desenvolvido e fabricado pela Embraer. Nel lavoro, toda essa modernização representada por esse avião é contrastada pela precariedade de uma instalação construída em pedaços, ligando chapas de zinco galvanizadas que são pintadas com esmalte sintético.

Feito com uma solução simples de dois planos e suspenso por dois cabos, o trabalho aproxima dois opostos, “a lataria envelhecida e com sinais de desgaste, o que há de primitivo e popular nas funilarias do subúrbio” e as “missões espaciais e altamente tecnológicas que colaboraram para o desenvolvimento das comunicações via satélite”, aponta Cauê Alves, curatore capo del MAM, em texto que acompanha a obra.

O curador ainda avalia que “se o voo está ligado à imagem da liberdade que tanto aviões quanto pássaros evocam, uma das asas de Carrozzeria spaziale está decepada, como se estivesse incrustada na parede”. Così, estando dentro da Sala de Vidro, “a obra parece tratar mais da impossibilidade de levantar voos do que da completa realização do desejo de liberdade”.

Inicialmente produzida para uma individual de Nassar no Museu de Arte do Rio de Janeiro, Carrozzeria spaziale partiu do desejo do artista de que no centro da sala estivesse uma instalação que fosse um atrativo para a interação, que fosse atraente especialmente para um público jovem, um público de faixa etária e hábitos que ele associa também ao MAM São Paulo. A participação do público na obra é algo que interessa muito a Nassar. In Bandeiras (1998), obra que faz parte da coleção do MAM, o artista reuniu bandeiras de diversos municípios do Pará. Per questo, fez uma campanha de 14 meses em busca delas, incluindo dois meses de campanha publicitária em jornais do estado, pedindo que a população levasse as bandeiras até ele, em uma construção coletiva.

MAM, os visitantes poderão acessar a escadinha do avião, onde poderão sentar, caminhando por um tapete vermelho. O público também pode interagir com uma mala de mão que fica ao lado da porta do avião e onde o artista guarda os parafusos que sustentam a obra. O curador-chefe do museu atribui à experiência do contato com esta obra as qualidades de ser única e generosa, por propiciar uma interação mais de perto. "Carrozzeria spaziale permite que os diversos públicos do MAM se divirtam ao serem recebidos com o prestígio e status de um tapete vermelho, brinquem, tirem selfies com a bagagem, como se estivessem prestes a embarcar num sonho”, Commenti.

Sull'artista

Emmanuel Nassar formou-se em arquitetura pela Universidade Federal do Pará (UFPA) il 1975. Teve mostras retrospectivas, dentre as quais Lataria Espacial, Museo d'Arte di Rio, Rio de Janeiro, RJ (2022); IN: 81-18, Pinacoteca di stazione, Sao Paulo, SP (2018); A Poesia da Gambiarra, a cura di Denise Mattar, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, RJ, e Brasilia, DF (2003); e Museu de Arte Moderna de São Paulo, SP (1998). Também realizou individuais em diferentes instituições, come: Millan, Sao Paulo, SP (2016, 2013, 2010, 2008, 2005, 2003); Museu Castro Maya, Rio de Janeiro, RJ (2013); Municipal Art Centre Hélio Oiticica, Rio de Janeiro, RJ (2012): Centro Universitario Maria Antonia, Sao Paulo, SP (2009); Instituto Tomie Ohtake, Sao Paulo, SP (2003).

Entre as mostras coletivas de que participou, se destacam I Bienal das Amazônias, Betlemme, Brasile; Brasil Futuro: as formas da democracia, Museo Nazionale della Repubblica, Brasilia, DF e Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, Betlemme, PA, il 2023; Desvairar 22, SESC Pinheiros, Sao Paulo, SP (2022); Crônicas Cariocas, Museo d'Arte di Rio, Rio de Janeiro, RJ (2021); Língua Solta, Museo della Lingua Portoghese, Sao Paulo, SP (2021); Potência e Adversidade, Pavilhão Branco e Pavilhão Preto, Campo Grande, Lisbona, Portogallo (2017); Aquilo que Nos Une, Caixa culturale Rio de Janeiro, RJ (2016); 140 Caracteres, Museo di Arte Moderna di São Paulo, SP (2014); O Abrigo e o Terreno, Museo d'Arte di Rio, RJ (2013); Ensaios de Geopoética, 8Th Mercosul Biennale, Porto Alegre, RS (2011); VI Bienal Internacional de Estandartes, Tijuana, Messico (2010); Fotografia Brasileira Contemporânea, Neuer Berliner Kunstverein, Berlino, Germania (2006); Brasile + 500 – Mostra do Redescobrimento, Fundação Bienal de São Paul, SP (2000); 6ª Bienal de Cuenca, Ecuador (1998); 24ª e 20ª Bienal de São Paulo, SP (1998 e 1989); representação brasileira na Bienal de Veneza, Italia (1993); U-ABC, Stedelijk Museum, Amsterdam, Olanda; e a 3ª Bienal de Havana, Cuba (1989).

Suas obras integram coleções como a Colección Patricia Phelps de Cisneros, Nova York, USA, e Caracas, Venezuela; Museo di Arte Moderna di São Paulo, Sao Paulo; Museu de Arte de São Paulo, Sao Paulo; Museo d'Arte di Rio, Rio de Janeiro; Museo di arte moderna, Rio de Janeiro; Museo di Arte Contemporanea di Niteroi, Niterói; Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, e University Essex Museum, Inghilterra.

Ricevi notizie da Fiere ed Eventi in genere nel nostro gruppo Whatsapp!
*Solo noi pubblichiamo nel gruppo, quindi non c'è spam! Puoi venire con calma.

A proposito di MAM San Paolo

Fondata nel 1948, il Museo d'Arte Moderna di San Paolo è una società civile di interesse pubblico, senza scopo di lucro. La sua collezione ha più di 5 mille opere prodotte dai nomi più rappresentativi dell'arte moderna e contemporanea, principalmente brasiliano. Sia la collezione che le mostre privilegiano lo sperimentalismo, aprendosi alla pluralità della produzione artistica mondiale e alla diversità di interessi delle società contemporanee.

Il Museo mantiene una vasta gamma di attività che includono corsi, seminari, lezioni, spettacoli, spettacoli musicali, giochi, sessões de filmes e práticas artísticas. Il contenuto delle mostre e delle attività è accessibile a tutti i pubblici attraverso visite guidate in sterline, audio descrizione delle opere e video guide in Libras. la collezione di libri, giornali, documenti e materiale audiovisivo è formato da 65 1000 titoli. Lo scambio con le biblioteche dei musei in diversi paesi mantiene viva la collezione.

Iscriviti per ricevere notizie sugli eventi
e innanzitutto l'Universo delle Arti!

Situato nel Parco Ibirapuera, l'area verde più importante di San Paolo, l'edificio MAM è stato adattato da Lina Bo Bardi e ha, oltre le sale espositive, con studio, Biblioteca, auditorium, ristorante e un negozio dove i visitatori trovano prodotti di design, libri d'arte e una linea di oggetti a marchio MAM. Gli spazi del Museo sono visivamente integrati nel Giardino delle Sculture, progettato da Roberto Burle Marx per ospitare le opere della collezione. Tutte le strutture sono accessibili ai visitatori con bisogni speciali.

Servizio:

Emmanuel Nassar: Carrozzeria spaziale
Apertura: 02 Aprile, Martedì, às 19h
Durata dell'esposizione: 03 Aprile a 01 Settembre 2024
Local: Stanza di vetro, Museo di Arte Moderna di São Paulo

Museo di Arte Moderna di São Paulo
Indirizzo: parco Ibirapuera (AV. Pedro Álvares Cabral, s / nº – acesso pelos portões 1 e 3)
Orari: Dal martedì alla domenica, das 10h às 18h (con ultimo ingresso alle 17:30)
Biglietti: R$30,00 inteira e R$15,00 meia-entrada. Domenica, a entrada é gratuita e o visitante pode contribuir com o valor que quiser. Para ingressos antecipados, visita mam.org.br/visite

*Metà prezzo per gli studenti, con identificazione; giovani e anziani a basso reddito (+60). Gratuito per i bambini sotto 10 anni; portatori di handicap e accompagnatore; insegnanti e direttori della rete pubblica statale e municipale di San Paolo, con identificazione; amigos e alunos do MAM; dipendenti di aziende partner e musei; membri ICOM, QUI c'è l'ABCA, con identificazione; Dipendenti SPTuris e dipendenti della Segreteria Comunale della Cultura.

Telefono: (11) 5085-1300
Accesso per persone con disabilità
ristorante/bar
Aria condizionata

Per maggiori informazioni:
MAM São Paulo

instagram.com/mamsaopaulo/

facebook.com/mamsaopaulo/

youtube.com/@mamsaopaulo/

twitter.com/mamsaopaulo

collegato:

Lascia un commento

×