Home / Arte / Monteiro D’ Barros – “Arte é um reencontro com a vida”, por Edmundo Cavalcanti

Monteiro D’ Barros – “Arte é um reencontro com a vida”, por Edmundo Cavalcanti

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

Edmundo Cavalcanti é Artista Plástico, Colunista de Arte e Poeta.

1- Onde você nasceu? E qual sua formação acadêmica?

Nasci no Rio de Janeiro em 1957, aos 16 anos já estava diplomado como desenhista mecânico, segui carreira na área de projetos, sou formado em Física.

2- Como e quando se dá o seu primeiro contato com as Artes?

Entendo que o fato de estar em contato com meus avós maternos, pois meu avô era poeta com livros publicados e ouvia musicas clássicas e eruditas, minha avó pianista. Na casa deles tinham inúmeras telas de paisagens e personalidades do mundo artístico, os quais eu ficava admirando.

Monteiro D' Barros é Artista Plástico.

Monteiro D’ Barros é Artista Plástico.

3- Como surgiu ou você descobriu este dom?

Efetivamente em 2012 em Belo Horizonte na exposição de Caravaggio e seus seguidores. Percebi que tinha o talento para pintura, quando das observações que fiz durante a exposição das luzes e sombras. Surgiu uma vontade enorme de pintar como os seguidores de Caravaggio.

4- Quais são suas principais influências?

Minhas influências são as pinturas clássicas realistas, conhecido pelo meio artístico como pintura acadêmica.

5- Quais os materiais que você utiliza em suas obras?

Uso basicamente tinta a óleo sobre tela de algodão, devidamente preparada com gesso acrílico.

6- Como é o seu processo criativo em si? O que te inspira?

Minha inspiração vem das observações da natureza, acredito pelo fato de ter sido escoteiro e na adolescência realizávamos inúmeras expedições em florestas, picos e montes, porém já na fase adulta a criação de cavalos árabes está sendo minha maior inspiração nas artes.

7- Quando você começou efetivamente a produzir ou criar suas obras?

Minha primeira tela foi um cavalo puro sangue árabe no início de 2017, uma cabeça onde mostrei o refinamento da raça: orelhas pequenas, perfil côncavo, olhos proeminentes, narinas largas e o famoso pescoço de cisne.

8- A arte é uma produção intelectual primorosa, onde as emoções estão inseridas no contexto da criação, porém na historia da arte, vemos que muitos artistas são derivados de outros, seguindo técnicas e movimentos artísticos através do tempo, você possui algum modelo ou influência de algum artista? Quem seria?

Conforme citei anteriormente a escola de Caravaggio, devido ao seu detalhamento e realismo de suas telas, mas também pintei homenageando a nossa grande artista brasileira Tarsila do Amaral a famosa tela: Abaporu.

9- O que a arte representa para você? Se você fosse resumir em poucas palavras o significado das Artes na sua vida…

O poeta Vinicius de Moraes escreveu: “A vida é a arte do encontro…”, em poucas palavras para mim:

A arte é um reencontro com a vida.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

10- Quais as técnicas que você usa para expressar suas ideias, sentimentos e percepção a cerca do mundo? (Se é através da pintura, escultura, desenho, colagem, fotografia… ou usa várias técnicas no sentido de fazer um mix de formas diferentes de arte).

A pintura associada à própria fotografia, buscando ângulos e posições que irão compor a tela. Algumas vezes a comunhão de desenho e foto criando uma composição.

11- Todo artista tem seu mentor, aquela pessoa a quem você se espelhou que te incentivou e te inspirou a seguir essa carreira, indo adiante e levando seus sonhos a outros patamares de expressão, quem é essa pessoa e como ela te introduziu no mundo das artes?

Meu reconhecimento a Artista e Profª Joelma Pinheiro que com muita sabedoria e competência fez a minha iniciação no universo da pintura já com características profissionais, passei com ela por todas as etapas de preparação, criação e acabamento.

12- Você tem outra atividade além da arte? Você ministra aulas, palestras, etc.?

Sim, através do Grupo artmovement realizo entrevistas com artistas plásticos pelo instagram, sou consultor em projetos culturais e recentemente estou cursando pós-graduação em artes visuais com objetivo de somar conhecimentos.

13- Suas principais exposições nacionais e internacionais e suas premiações? (Mencione as 5 mais recentes)

  • Saber Cultural – Exposição de artes plásticas Festas Natalinas – Rio de Janeiro – RJ. Honra ao Mérito;
  • Exposição Consulado Geral Genebra – Suíça;
  • IX Salão Internacional de Artes Visuais realizado na ALESP – Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Menção Honrosa em Pintura;
  • XXXIII Salão de Artes Plásticas de Arceburgo MG;
  • 64º Salão de Artes Plásticas do Clube Militar Rio de Janeiro. Obra: Meditação de São Francisco (Releitura de Caravaggio). Prêmio: Convidado Especial Júri;
  • Exposição Coletiva Virtual Raphael Art Gallery – Organização Edmundo Cavalcanti.

14- Seus planos para o futuro?

Aprimorar as técnicas na pintura realista, aumentar a interação com artistas plásticos consagrados e ser um instrumento na participação da inclusão de novos artistas no mercado brasileiro.

15- Em sua opinião qual é o futuro da arte brasileira e dos seus artistas? (no contexto geral) e porque tantos artistas estão dando preferência em mostrar seus trabalhos em exposições internacionais apesar dos altos custos?

Eu acredito que a nossa década de 20 (ano 2020), será uma retomada de um movimento artístico e cultural, estaremos celebrando o centenário da semana da arte moderna de 1922. A pandemia (covid 19) surpreendeu, pois proporcionou um crescimento nas atividades artísticas, especialmente nas artes plásticas. Novos grupos de artistas nas mídias sociais foram criados, cresceu de forma exponencial o número de exposições virtuais, assim como novas oportunidades de interação, cursos, vídeos e entrevistas no facebook, youtube, instagram entre outros. Percebo que o Brasil estava adormecido e agora despertou para uma nova fase de retomada ao respeito e valorização da arte com arte. O mercado provavelmente irá reagir, acredito que no cenário econômico com as taxas de juros baixas, a arte passará a ser um ativo interessante como investimento, conforme tivemos na década de 60, 70 e início de 80.

Os artistas que estavam viajando e expondo em salões internacionais o fizeram como uma forma de mostrar sua arte e naturalmente encontrar um valor justo pela obra produzida, com a retomada dos valores alavancada pela própria sociedade, os artistas encontrarão em sua terra a valorização e o reconhecimento do trabalho realizado.

Facebook: Atelier Monteiro D’ Barros

Instagram: @monteirodebarros1957

.

….

.

Comentários

1- Onde você nasceu? E qual sua formação acadêmica? Nasci no Rio de Janeiro em 1957, aos 16 anos já estava diplomado como desenhista mecânico, segui carreira na área de projetos, sou formado em Física. 2- Como e quando se dá o seu primeiro contato com as Artes? Entendo que o fato de estar em contato com meus avós maternos, pois meu avô era poeta com livros publicados e ouvia musicas clássicas e eruditas, minha avó pianista. Na casa deles tinham inúmeras telas de paisagens e…

Revisão Geral

Excelente!!

Sumário : Avalie a entrevista! Agradecemos sua participação!!

Avaliação do Usuário: 4.88 ( 2 votos)

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*