Home / Arte / Pedaços importantes da história do Brasil vão a leilão
Klumb, Revert Henrique. Palácio de São Cristovão. Conjunto de 14 fotografias estereoscópicas externas e internas do Palácio.

Pedaços importantes da história do Brasil vão a leilão

Uma das maiores casas do gênero do País, a Dutra Leilões, disponibiliza vários itens singulares de arte, mobiliário, e iconografia brasileira, com grande valor histórico e documental.

Na próxima quinta-feira (13/12) acontece em São Paulo um empolgante leilão que contempla uma ampla e raríssima coleção de arte sacra dos séculos 16, 17 e 18, com imagens do Aleijadinho e Mestre Piranga, dentre outros importantes santeiros. Neste evento, organizado pela Dutra Leilões, também se destaca uma coleção de belíssimos grupos escultóricos de Santanas Mestras, além de diversas outras peças para quem gosta de história e beleza.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Entre os pontos altos ligados diretamente à história do Brasil destaca-se um par de cadeiras que pertenceu ao mobiliário da Marquesa de Santos. São raríssimos exemplares desse conjunto, sendo que algumas peças, que pertencem ao Museu Histórico Nacional do Rio de Janeiro, foram reproduzidas no livro Domicila – A verdadeira história da Marquesa de Santos, de Paulo Rezzutti.

No catálogo deste leilão também consta um conjunto de 14 fotografias estereoscópicas externas e internas do Palácio de São Cristóvão, coladas em chassis de cartão e assinadas entre imagens, por Revert Henrique Klumb, o fotógrafo da família Imperial real do Brasil. No reverso manuscrito – Brazil – Palais Imperial de ST Chistopho, ele retrata as acomodações da Imperatriz e da Princesa Isabel. “Klumb foi o introdutor da fotografia estereoscópica no país e obteve o título de ‘Photographo’ da Casa Imperial no Rio de Janeiro. Por encomenda de D. Pedro II fotografou os interiores do Palácio de São Cristóvão, remodelado, em 1862. Ele também vendeu vistas estereoscópicas para a princesa Isabel e Leopoldina”, explica o leiloeiro Luiz Fernando Dutra.

Fotografias

Na sequência de objetos de destaque que estão no remate está um álbum fotográfico com 110 imagens, de Odber Heffer. A peça apresenta cenas urbanas e rurais, principalmente de Santiago e Valparaiso, no Chile, no início do século XX. São fotos de 18 cm x 23 cm e álbum 33 x 45 x 10 cm de altura com numeração e assinatura na imagem.

Trata-se na verdade de um presente oferecido pelo presidente do Chile para D. Luiz de Orleans e Bragança, durante sua viagem pela América do Sul. Por sinal, ao passar pelo Rio de Janeiro, D. Luiz foi impedido de descer em solo brasileiro em virtude da lei do banimento ou cláusula pétrea.“Esta viagem deu origem ao livro Sob o Cruzeiro do Sul, escrito originalmente em francês e traduzido para o português em 1913”, expõe Dutra. Segundo ele, Hefferfoi o mais importante fotógrafo do século 19 e princípio do século XX no Chile, e conseguia proporcionar uma excelente visão do País por intermédio das fotografias de paisagens naturais e urbanas.

Nesta edição do remate, há disponibilidade de alguns livros de importância na literatura e cultura brasileira. O interessado, por exemplo, pode ter acesso a um exemplar da primeira edição de Macunaíma: o herói sem nenhum caráter, de Mario de Andrade, editado pelas Oficinas Gráficas, de Eugênio Cúpulo, em 1928.O volume tem uma dedicatória à Carminha de Almeida, assinada em 1940. A jornalista Maria do Carmo e Almeida (Carminha), conhecida como Capitu, foi casada com Oswaldo Costa, também jornalista e fundador do Jornal. O Seminário e também escrevia para a Revista Antropofagia com pseudônimo de Tamandaré.

Escritos e objetos

Encontram-se também à disposição, a Revista de Língua Portuguesa, de 1924, 1ª edição com poesias de Manuel Bandeira. A peça contém dedicatória autografada pelo autor para Oswaldo Costa, datada de 1925. “O Oswaldo Costa, jornalista, fundador de O Seminário e também escrevia sob o pseudônimo Tamandaré para a histórica revista Antropofagia”, relata Dutra.

Faz parte do acervo a ser leiloado um cartão de 1927, autografado pela pintora Tarsila do Amaral e o escritor Oswald de Andrade para o casal Oswaldo Costa e Maria do Carmo Almeida (Capitu), comemorando o nascimento de sua filha Maria Teresa. O objeto apresenta um pequeno desenho no alto à direita, de Tarsila do Amaral.

Algumas obras têm histórias interessantes para recordar. A peça Germinal Nº1, criada em 1951, pelo artista Sérgio Camargo, é uma escultura abstrata em argila e teve sua participação recusada na 1ª Bienal de São Paulo. Mas a seguir ela deu origem a uma série de cinco diferentes esculturas de mesmo nome. Em 1954, Sérgio Camargo participa pela primeira vez de uma exposição coletiva, o 3º Salão Nacional de Arte Moderna, Salão Preto e Branco na tradicional Galeria Prestes Maia, em São Paulo. Ali o artista apresenta Germinal Nº1 fundida em alumínio e o resultado foi o prêmio “Isenção do Juri”.

O leilão apresenta diversos outros itens interessantes, como, por exemplo, lotes de porcelanas da Cia-das-Índias e europeias ligadas à nobreza brasileira; pinturas europeias e brasileiras; peças da iconografia do século 19 do Rio de Janeiro, e uma gravura de Lasar Segall feita com ponta seca, retratando o escritor Gorelik.

Serviço
Exposição: 3 a 12 de dezembro de 2018
Horário:14hàs 20 h
Leilão: 13 de dezembro de 2018 a partir de 21h30
Local: Rua Ouro Branco, 174 – Jd. Paulista, São Paulo – SP
Telefone: 11 3887-3234

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*