Home / Arte / Reverenciando a cultura popular, ‘Oi Lá, Inezita’ tem série de apresentações online
Espetáculo virtual ‘Oi, Lá Inezita’, (Jaqueline Cardoso, Márcia Morelli e Simone Moerdaui). Foto: João F. Tavares Kawasaki.
Espetáculo virtual ‘Oi, Lá Inezita’, (Jaqueline Cardoso, Márcia Morelli e Simone Moerdaui). Foto: João F. Tavares Kawasaki.

Reverenciando a cultura popular, ‘Oi Lá, Inezita’ tem série de apresentações online

Espetáculo da Cia. Cênica inspirado na vida e obra de Inezita Barroso faz 10 exibições gratuitas de 2 de junho a 17 de julho no YouTube. Programação da companhia de teatro de São José do Rio Preto também envolve oficinas e lives

Inspirado na vida e na obra de Inezita Barroso (1925-2015), uma das mais importantes figuras da cultura caipira brasileira, o espetáculo “Oi Lá, Inezita”, da Cia. Cênica, de São José do Rio Preto (SP), faz temporada online e gratuita entre 2 de junho e 17 de julho pelo YouTube. A peça é uma fábula musical para todas as idades que evidencia o amor da artista pela cultura de raiz brasileira, em especial a caipira, mergulhando na Inezita folclorista, pesquisadora, difusora e defensora das expressões populares, e também em sua determinação para romper paradigmas em uma sociedade machista.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Serão realizadas 10 exibições com foco nos 10 municípios paulistas que receberiam a circulação da montagem de forma presencial se não fosse a pandemia, começando por Itapira e região. As demais cidades são: Peruíbe, Olímpia, Paraguaçu Paulista, Piracicaba, Jacareí, Ibirá, Suzano, Santana do Parnaíba e São Sebastião. Por acontecer de forma online, qualquer pessoa com acesso à internet pode acompanhar as sessões de outras localidades.

A narrativa apresenta uma violeira curiosa que subverte a lógica do mundo ao acreditar que não há um lugar definitivo para as coisas, dando início a viagens por diferentes locais do Brasil buscando, metaforicamente, não deixar morrer nossos diversos modos de ser, fazer, saber, dizer, viver e festejar. Com música, dança e poesia, afloram no palco elementos da cultura popular e tradicional brasileira, relembrando a artista eternizada na memória coletiva por sua voz, viola, pelos sotaques regionais reproduzidos em suas interpretações e pela sua trajetória na televisão brasileira, onde por mais de 30 anos apresentou o programa dominical “Viola, Minha Viola”.

Com direção de Fagner Rodrigues, além da personagem-título recriada da infância à velhice por três atrizes (Jaqueline Cardoso, Márcia Morelli e Simone Moerdaui), a montagem traz alguns personagens apresentados por Inezita nas músicas que interpretou e outros que ela poderia ter conhecido durante seus estudos. Também estão em cena Diego Guirado, Fabiano Amigucci e Glauco Garcia.

“Ao realizarmos nossas investigações sobre Inezita Barroso descobrimos as riquezas não apenas da mulher, cantora, atriz, professora, apresentadora e instrumentista, mas especialmente da pesquisadora. Optamos por não realizar um espetáculo documental, mas um espetáculo que difunda e valorize a diversidade da cultura popular brasileira pesquisada por ela e que apresente, esteticamente, contornos dessa cultura tão plural”, explica o diretor. A dramaturgia é uma criação coletiva da direção e elenco, sob a orientação do diretor e dramaturgo Marcelo Romagnoli (Banda Mirim).

O roteiro musical parte das canções gravadas por Inezita em decorrência de suas pesquisas em torno de manifestações como cururu, maracatu, moda de viola, ponto de umbanda, entre outras. As peças são executadas ao vivo por vozes e instrumentos como viola caipira, sanfona e percussivos. Babaya Morais e Everton Gennari assinam a direção musical e preparação vocal.

Documentário

Após o espetáculo, a Cia. Cênica exibe o documentário inédito “Oi Lá, Inezita: Por Trás da Cena”, que revela detalhes sobre o processo de montagem da peça, aproximando o público de seu trabalho realizado antes de levar a obra para o palco. Na ficha técnica da produção, Carolina Capelli (roteiro, montagem e pesquisa) e Guilherme Di Curzio (direção de fotografia, som direto, mixagem e finalização).

Oficina

Dentro da programação, a companhia ainda promove três edições da oficina ‘Pé no chão – processos criativos’ e três da ‘Pé no chão – musicalidade e atuação’, pela plataforma Zoom; e quatro lives ‘Escutas populares’ no YouTube.

As oficinas estão com as inscrições abertas e são voltadas para artistas da cena, estudantes de teatro e demais pessoas interessadas, moradoras das cidades que são foco do projeto e suas regiões, a partir de 16 anos. As ações propõem o compartilhamento das práticas e métodos utilizados na montagem.

As atividades online fazem parte do projeto da Cia. Cênica contemplado no Edital 02/2019 do ProAC que previa um conjunto de ações presenciais e por conta da pandemia foi transportado para o ambiente virtual.

As ações contam com as seguintes parcerias nos municípios envolvidos: Cia. Talagadá – Teatro de Formas Animadas e Espaço Garagem; Cia. Fábrica São Paulo; Prefeitura Municipal da Estância Turística de Olímpia; Cia. Bambolina; Ponto de Cultura Arte Garapa e Andaime Teatro Unimep; Fundação Cultural de Jacarehy “José Maria de Abreu”; Cia. Arte das Águas; Teatro Contadores de Mentira; Grupo 13 de Maio de Samba do Cururuquara e Circo Navegador.

“Oi Lá, Inezita” estreou em 2018, depois de o grupo ter se debruçado durante quatro meses sobre a vida e obra da artista. A montagem foi realizada através do edital de Montagens Inéditas do Sesi-SP e tem versões para o palco e rua. O registro audiovisual transmitido nas sessões foi captado no Teatro do Sesc Rio Preto, antes da pandemia, com edição e sonorização realizadas especialmente para o online.

Sobre a Cia. Cênica

Coletivo teatral fundado em 2007, a Cia. Cênica conta atualmente com vinte e dois integrantes e dez espetáculos em seu repertório. Ao longo de sua trajetória, sua pesquisa continuada é pautada no teatro popular, na dramaturgia autoral, na música ao vivo enquanto elemento dramatúrgico e na ocupação de ruas e espaços alternativos, para além de espaços convencionais.

A Cia. também mantém, em sua sede, o projeto Território Cênico, voltado à pesquisa e à formação artístico-cultural, e realiza, desde 2014, a Mostra Cênica Resistências, com sua quarta edição realizada em 2021, a primeira virtual.

SINOPSE

“Oi Lá, Inezita” traz a história de uma violeira curiosa que, subvertendo a lógica do mundo ao acreditar que não há um lugar definitivo para as coisas, dá início a suas viagens pelas riquezas, reinvenções e criatividades do Brasil. Com música, dança e poesia, afloram em cena referências à cultura popular e tradicional brasileira. Inspirada na vida e obra de Inezita Barroso (1925 – 2015), a peça relembra a artista que ficou conhecida nacionalmente por sua voz, viola e pelos sotaques regionais reproduzidos em suas interpretações e em seus outros trabalhos, como no programa Viola, Minha Viola. “Oi Lá, Inezita” é um espetáculo para todas as idades.

FICHA TÉCNICA

Direção e organização dramatúrgica: Fagner Rodrigues. Criação dramatúrgica: elenco e direção. Elenco: Diego Guirado, Fabiano Amigucci, Glauco Garcia, Jaqueline Cardoso, Márcia Morelli e Simone Moerdaui. Direção musical e preparação vocal: Babaya Morais e Everton Gennari. Arranjos musicais: Diego Guirado. Cenário: Leonardo Bauab. Figurinos: Adbailson Cuba. Maquiagem: Fabiano Amigucci. Iluminação: Luis Fernando Lopes. Orientação dramatúrgica: Marcelo Romagnoli. Preparação corporal e coreografia: Andrea Capelli. Produção executiva: Cássia Heleno e Vanessa Palmieri. Orientação pedagógica: Clara Roncati. Costura: Any Cardoso. Fotos: Jorge Etecheber. Design gráfico: Leonardo Bauab. Captação: José Neto Chiacchio. Edição e sonorização: Guilherme Di Curzio. Operação da transmissão: Fabiano Amigucci. Assessoria de imprensa: Graziela Delalibera. Produção original: SESI-SP. Produção: Cia Cênica. Duração: 70 minutos. Classificação: Livre.

SERVIÇO:
Espetáculo virtual ‘Oi, Lá Inezita’ e documentário ‘Nas trilhas da Inezita’
Quando: 2/6, 20h (Itapira); 5/6, 17h (Peruíbe); 8/6, 19h30 (Olímpia); 11/6, 20h (Paraguaçu Paulista); 15/6, 20h (Piracicaba); 19/6, 16h (Jacareí); 25/6, 20h (Ibirá); 7/7, 20h (Suzano); 9/7, 19h (Santana do Parnaíba); 16/7, 20h (São Sebastião), pelo YouTube. As sessões podem ser assistidas por qualquer pessoa de outras localidades com acesso à internet.
Gratuito. Não é preciso retirar ingresso.
Para assistir, acesse no dia e hora da sessão: linktr.ee/CiaCenica
Oficina Pé no chão – processos criativos
Quando: 3/6, 19h (Itapira); 6/6, 17h (Peruíbe); 20/6, 16h (Jacareí), via Zoom.
Inscrições gratuitas: linktr.ee/CiaCenica
Oficina Pé No Chão – Musicalidade e Atuação
Quando: 9/6, 9h30 (Olímpia); 14/6, 19h30 (Paraguaçu Paulista); 26/6, 10h (Ibirá), via Zoom.
Inscrições gratuitas: linktr.ee/CiaCenica
Live Escutas Populares
Dias 16/6, 20h (Piracicaba); 8/7, 20h (Suzano); 10/7, 19h (Santana do Parnaíba); 17/7, 20h (São Sebastião), no canal da Cia. Cênica no YouTube (www.youtube.com/user/ciacenica)
Mais informações: instagram.com/ciacenica ou fb.com/ciacenica
Teaser do espetáculo: www.youtube.com/watch?v=ppseVk0pM60

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*