Home / Arte / Verve Galeria inaugura individual de Luisa Malzoni
Luisa Malzoni. Título: “Tempo de Costura”. Data: 2002. Técnica: Cianótipo, Van Dyke, Albumen e Bordado sobre Tecido. Dimensões:180 x 230 cm. Foto: Divulgação.

Verve Galeria inaugura individual de Luisa Malzoni

“Olho d`Água” apresenta o resultado de uma extensa pesquisa sobre técnicas antigas de fotografia e cinema, com obras criadas a partir de processos de impressão artesanais do século XIX

A Verve Galeria encerra seu calendário expositivo de 2018 com a individual “Olho d`Água“, da artista visual Luisa Malzoni, sob curadoria de Ian Duarte Lucas. A mostra tem como temática a memória, e apresenta 30 obras produzidas a partir de técnicas antigas de fotografia e cinema, compondo processos de impressão artesanais do século XIX, tais como o Cianótipo, a albumina e o Marrom Van Dyke em tecido, que em muitas obras também é bordado. A artista também explora releituras e desdobramentos de sua experiência em restauro de filmes de cinema antigos, utilizando filmes S8 resgatados entre seus familiares, os quais se transformam em suporte para pinturas.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

A produção de Luisa Malzoni se baseia em uma extensa pesquisa sobre processos ancestrais de imagem, sob o ponto de vista da memória: “A memória e as técnicas antigas estão quase sempre presentes no meu trabalho, pelo menos como inspiração. Gosto de misturar o antigo com o novo. O artesanal com o digital. As técnicas antigas são o embrião, a minha grande paixão”, comenta a artista. Peças elaboradas entre 2001 e 2018 integram a individual, cujo título faz referência a uma nascente de água – no sentido de que seus estudos recaem na origem da fotografia – e também ao nome de seu ateliê.

Acerca do método de criação, Luisa Malzoni deixa a coloração de cada técnica assumir o resultado de suas obras, como no caso do Cianótipo, que rende uma cor azul, e do Marrom Van Dyke. Em outras peças, a artista colore fotografias e filmes à mão, obtendo novas possibilidades estéticas. “Sou muito apaixonada por fotografia antiga e pelo cinema silencioso. Tenho a grande sorte de poder trabalhar com ambos, que aliás estão super relacionados. Gosto muito de técnicas antigas e artesanais. Explicar como funciona meu método de produção eu não sei, mas tenho grande paixão por estudar e criar”, conclui.

Exposição: “Olho d`Água
Artista: Luisa Malzoni
Curadoria: Ian Duarte Lucas
Coordenação: Allann Seabra
Abertura: 11 de dezembro de 2018, terça-feira, às 19h
Período: 12 de dezembro de 2018 a 2 de fevereiro de 2019
Local: Verve Galeria www.vervegaleria.com
Endereço: Rua Lisboa, 285 – Jardim Paulista, São Paulo – SP
Telefone: (11) 2737-1249
Horários: Terça a sexta-feira, das 11 às 19h / Sábado, das 11 às 17h
Número de obras: 30
Técnicas: Fotografias artesanais em tecido, bordados, brinquedos estereoscópicos e costuras
Dimensões: 16 x 16 cm a 180 x 230 cm
Preços: R$ 1.200,00 a R$ 25.000,00

.

Luisa Malzoni

Formada em Fotografia pelo Senac-SP, em 2001, desenvolve há 17 anos seu trabalho autoral utilizando processos artesanais. Integrou o Coletivo Oficina da Luz e realizou sua primeira exposição individual em 2013, no Atelier Bricoleur, com curadoria de Rosely Nakagawa. Lecionou oficinas de fotografia em várias unidades do SESC-SP, no MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, e na Casa Mário de Andrade. Além de fotógrafa e professora, trabalha há 13 anos na Cinemateca de São Paulo, pesquisando e restaurando filmes realizados com as primeiras técnicas coloridas da história do cinema. Trabalhou com restauração de filmes na Cinemateca Portuguesa de Lisboa, em algumas temporadas em 2009, 2014 e 2015. Atualmente, desenvolve seu trabalho autoral e atua como fotógrafa e restauradora.

Verve Galeria

A Verve é uma galeria de arte contemporânea fundada em São Paulo, em 2013. Em seus espaços, tendo à frente Allann Seabra e Ian Duarte Lucas, transita por diversos meios e linguagens. Nascida do entusiasmo e inspiração que animam o espírito da criação artística, a Verve Galeria é abrigo para diferentes plataformas de experimentação contemporânea. A eloquência e sutileza que caracterizam seu nome também estão presentes na cuidadosa seleção de artistas e projetos expositivos. Por entender que as linguagens artísticas são processos contínuos e complementares, representa novos talentos e profissionais consagrados que transitam livremente entre a pintura, fotografia, escultura, vídeo, site in situ, site-specific, gravura e o street art. A galeria ocupa uma casa centenária, e na diversidade de seus espaços expositivos emergem possibilidades de curadoria que vão além do tradicional formato do “cubo branco”. Ao abrir-se para a rua, estabelece franco diálogo com o patrimônio construído de São Paulo, cumprindo a função integradora entre a arte, o público e a cidade. Busca ir além da venda direta de arte, promovendo mostras regulares, palestras e workshops, assim como o intercâmbio e parcerias com artistas e galerias no Brasil e no exterior.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*