Σπίτι / Τέχνη / Performances marcam Ocupação Intercultural Biloura na Oficina Cultural Oswald de Andrade
Performance Spiro Biloura. Φωτογραφίες: Pier Giorgio Naretti.

Performances marcam Ocupação Intercultural Biloura na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Com a realização de duas performances, um workshop e uma
mesa-redonda, o coletivo artístico Biloura Intercultural Theatre Collective
apresenta a segunda parte do projeto EFFIMERIA, que começou em
2015 στην Ιταλία. Σε nomes, umas das performances da mostra, το
público é recebido para um jantar, onde conversas, confissões, μουσική
e dança contam a história de um amor a três autobiográfico

Nascido em 2013 em Piemonte, Ιταλία, o Biloura Intercultural Theatre Collective é um coletivo artístico que atua de modo intercultural e multidisciplinar nas artes performativas. Η ομάδα, composto por cinco artistas ligados às artes cênicas, Χορός, μουσική,filosofia e estudos culturais, εκτελεί από 15 ένα 20 του Φεβρουαρίου ένα OCUPAÇÃO INTERCULTURAL BILOURA na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Do dialeto italiano da região de Rueglio, Biloura quer dizer agora, neste exato momento. A palavra também aparece popularmente nos estados brasileiros da Paraíba e Rio Grande do Norte com o significado de loucura ou acesso de loucura, vertigem e síncope.

Performance Nomes. Foto: Dalton L. Watabe.

Performance Nomes. Φωτογραφίες: Dalton L. Watabe.

Formado por Angela Rottensteiner (Αυστρία), Eduardo Colombo (Βραζιλία), Silvia Ribero (Ιταλία), Tiago Viudes (Βραζιλία) e Victor Kanashiro (Βραζιλία), o coletivo realiza durante a ocupação duas performances – nomes (ημέρα 18 του Φεβρουαρίου, Πέμπτη, να 19 ώρες) και Spiro (ημέρες 19 και 20 του Φεβρουαρίου, sexta-feira e sábado, να 20 ώρες) -, um workshop e uma mesa-redonda. Todas as atividades são gratuitas.

Α OCUPAÇÃO INTERCULTURAL BILOURA mostra para o público de São Paulo, a segunda parte do projeto de longa duração EFFIMERIA, dedicado ao tema da proximidade com a morte, e que teve início em 2015 στην Ιταλία. Com o projeto o coletivo deseja refletir sobre a morte com graça, ironia, ποίηση, mas também com leveza e com todas as cores que possam ser úteis para liberá-la da esfera obscura de um tabu social. Έτσι, ao falar de morte, o Biloura procura refletir sobre a vida, a forma como as pessoas passam seus dias, o valor que elas dão e as escolhas que fazem a cada momento, além de questionar a efemeridade da existência da humanidade.

Para Eduardo Colombo, um dos integrantes do grupo, o modo de investigação artística do Biloura parte da premissa de que a construção das identidades e a abertura às diferenças se fortalecem pela troca com o outro. “Se, por um lado, as diferenças culturais podem ser empecilhos ao encontro, o convívio intercultural pode fortalecer a integridade e o respeito, preservando riquezas singulares e construindo novos saberes e modos de vida. O contato com o outro se torna convite para rever a si mesmo”, Εξηγεί.

Amor a três autobiográfico

A refeição é um dos mais cotidianos rituais da vida familiar. Na performance nomes, o público é recebido para um jantar (com entrada, prato principal e sobremesa) pelos performers brasileiros do Biloura: Eduardo Colombo, Tiago Viudes e Victor Kanashiro. Entre a bebida e a comida, συνομιλίες, confissões, cantos, histórias, danças e ações contam a história de um amor a três autobiográfico.

Segundo Tiago Viudes nomes είναι, a um só tempo, pesquisa continuada e obra performativa que fricciona as fronteiras entre vida e arte, intimidade e alteridade, presença cênica e presença cotidiana, e faz do público cúmplice e parceiro da relação afetiva vivida pelo trio de artistas nos últimos três anos. “O percurso e as situações do jantar são inspirados no ritual do Pêssach (páscoa judaica) e no livro bíblico Êxodo, a partir dos quais a trajetória de um estado de privação para um estado de liberdade é ressignificada através das relações entre alimento e memória”, Λέει ο ίδιος.

Para a composição dramatúrgica, o grupo também se utiliza de textos e cantos em hebraico, português, uchinaguchi e yoruba, criando uma narrativa cênica que atravessa discussões contemporâneas em torno de identidade, gênero e sexualidade, tradição e contemporaneidade.

Διαφήμιση: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Proximidade com a morte

Apresentada na Itália em espaços não convencionais como o Priorato di Santo Stefano del Monte (século XI); a Igreja da Confraria de Santa Marta, em Agliè; o Salão Polifuncional de Torre Canavese e a Sinagoga da cidade de Ivrea, η απόδοση Spiro é inspirada em uma condição/situação fundamental: a proximidade com a morte. Uma condição humana comum, traduzida em cena através de uma vigília fúnebre, onde cinco figuras acompanham o público numa viagem pelo inexprimível e efêmero, revelando pouco a pouco a fragilidade, a força e a beleza humana frente à morte. A apresentação transita sutilmente no cômico, no poético, no absurdo, na composição de imagens sonoras e visuais sustentadas pela presença dos cinco performers do Biloura.

Με Spiro, o Biloura também dá continuidade à sua pesquisa sobre os limites do território artístico, refletindo sobre as possibilidades de ocupação de espaços não teatrais na contemporaneidade. Seguindo caminhos de performances anteriores, o grupo coloca os artistas e seu processo a serviço e em diálogo com a arquitetura e paisagem dos locais escolhidos, encontrando na especificidade dos diferentes locais a justa adaptação para a estrutura performativa.

O processo artístico de Spiro envolveu ainda a assessoria da bailarina italiana Raffaella Soluri, da cantora moçambicana Lenna Bahule e do mestre de dança tradicional de Ryukyu Satoru Saito.

Artes performativas e interculturalidade

Από 15 ένα 19 de fevereiro a OCUPAÇÃO INTERCULTURAL BILOURA realiza o workshop Narrativas do Corpo-Voz: Escuta e Ação com o objetivo de compartilhar o trabalho do Biloura com atores, bailarinos, Τραγουδιστές, θεατρικοί συγγραφείς, performers e diretores interessados no corpo-voz como veículo de criação e composição.

Μέσα στην ημέρα 16 του Φεβρουαρίου, Τρίτη, να 19 ώρες, acontece a mesa-redonda Artes Performativas e Interculturalidade – Zona de Contato e Transformação. Com coordenação de Victor Kanashiro (performer do Biloura e Doutor em Ciências Sociais pela UNICAMP) e participação da atriz italiana Silvia Ribeiro e da cantora moçambicana Lenna Bahule, o encontro discutirá os desafios e possibilidades das artes performativas como zona de contato intercultural. A partir da pesquisa do Coletivo e da experiência de um workshop de criação teatral com um grupo de refugiados nigerianos na Itália, o Biloura abre-se à reflexão: Quais são as possibilidades de contribuição dos contatos interculturais para as artes performativas? Quais são as possibilidades de contribuição das artes performativas para os contatos interculturais?

Sobre o Biloura Intercultural Theatre Collective

Biloura é um coletivo artístico que atua de modo intercultural e multidisciplinar nas artes performativas. Nascido em 2013 no Piemonte (Ιταλία), o grupo consolidou-se através de um intenso trabalho de pesquisa e criação, realizando projetos, performances e workshops na Itália, Ελβετία, Γαλλία, Espanha/Ilhas Canárias e Brasil. O grupo desenvolve sua pesquisa a partir de suas duas sedes: στην Ιταλία, na cidade de Alice Superiore, e recentemente no Brasil, no distrito de Taiaçupeba/Mogi das Cruzes-SP, junto à Samauma Residência Artística Rural. Para o Biloura, a sensibilidade intercultural é parte fundamental do desenvolvimento humano e do processo criativo, sobretudo nos tempos atuais. Compreendendo as artes performativas como um espaço privilegiado em que subjetividades, corpos e culturas entram em contato, o Biloura procura investigar artisticamente questões socioculturais relevantes na fronteira da tradição e da contemporaneidade. A pesquisa artística do grupo é caracterizada por um teatro performativo que explora poesia, μουσική, dança e artes visuais numa linguagem expressiva singular. As performances do Biloura criam ações poéticas e visuais multilinguísticas como experiência de um tableau vivant.

Για τη δέσμη ενεργειών:

OCUPAÇÃO INTERCULTURAL BILOURA -Της 15 ένα 20 de fevereiro na Oficina Cultural Oswald de Andrade.

Παραστάσεις

NOMES – Dia 18 του Φεβρουαρίου, Πέμπτη, να 19 ώρες.

Com Eduardo Colombo, Tiago Viudes e Victor Kanashiro.

Ικανότητα: 40 μέρη. Indicação Livre. Διάρκεια: 150 λεπτά.

Grátis – retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência.

SPIRO – Dias 19 και 20 του Φεβρουαρίου, sexta-feira e sábado, να 20 ώρες.

Com Angela Rottensteiner, Eduardo Colombo, Silvia Ribero, Tiago Viudes e Victor Kanashiro.

Ικανότητα: 40 μέρη. Indicação Livre. Διάρκεια: 45 λεπτά.

Grátis – retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência.

Workshop

NARRATIVAS DO CORPO-VOZ: ESCUTA E AÇÃO -Της 15 ένα 19 του Φεβρουαρίου, segunda a sexta-feira, το 14 να 17 ώρες.

15 κενές θέσεις. Inscrições até 8 του Φεβρουαρίου. Indicado para maiores de 16 χρόνια.

Mesa-redonda

ARTES PERFORMATIVAS E INTERCULTURALIDADE – ZONA DE CONTATO E TRANSFORMAÇÃO – Dia 16 του Φεβρουαρίου, Τρίτη, να 19 ώρες.

Coordenação: Victor Kanashiro.

Com Silvia Ribeiro e Lenna Bahule.

Ικανότητα: 40 μέρη. Indicação para maiores de 16 χρόνια. Διάρκεια: 150 λεπτά.

Grátis – retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência.

OFICINA CULTURAL OSWALD DE ANDRADE – Rua Três Rios, 363 -Bom Retiro (próximo a estação Tiradentes do metrô). Πληροφορίες (11) 3222-2662. Horário de atendimento – Segunda a sexta-feira, το 9 να 22 ώρες και το Σάββατο, το 10 να 18 ώρες. www.oficinasculturais.org.br

Σχόλια

Αφήνω μια απάντηση

Διεύθυνση ηλεκτρονικού ταχυδρομείου σας δεν θα δημοσιευθεί. Υποχρεωτικά πεδία επισημαίνονται *

*