Home / Arte / A Pequena África e o MAR de Tia Lúcia – Homenagem a Lúcia Maria dos Santos
Exposição “A Pequena África e o MAR de Tia Lúcia – Homenagem a Lúcia Maria dos Santos”. Foto: Divulgação.

A Pequena África e o MAR de Tia Lúcia – Homenagem a Lúcia Maria dos Santos

Abertura: 16 de novembro
Curadoria: Izabela Pucu e Bruna Camargos
Temporada: até 06 de janeiro de 2019

O Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, abriu ao público no dia 16 de novembro a exposição “A Pequena África e o MAR de Tia Lúcia – Homenagem a Lúcia Maria dos Santos”.

Em estreita relação com a mostra “Mulheres na coleção MAR” a exposição evidencia a potência artística de Tia Lúcia, ícone da cultura carioca, especialmente da região conhecida como a Pequena África. Com curadoria de Izabela Pucu e Bruna Camargos, da Coordenação de Educação do MAR, a mostra faz parte da programação de comemoração dos cinco anos da instituição, que inaugura um novo espaço expositivo na biblioteca da Escola do Olhar, consolidando as relações do museu com o território no qual está situado.

Falecida em setembro de 2018, a baiana Lúcia Maria dos Santos sempre participou ativamente das atividades e festejos nas ruas e nas instituições da zona portuária, local que vivia desde que chegou ao Rio de Janeiro, ainda criança. De babá, função que começou a exercer com apenas 8 anos, a professora de artes e artesanato, Tia Lúcia ocupou a cidade e os espaços culturais instaurando e subvertendo os modos de ser e estar.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Como diria a artista no jornal editado no âmbito do programa Vizinhos do MAR: “A primeira vez em que fui numa exposição foi sem querer. Eu era professora de catecismo. Quando eu voltava da missa da Candelária com as crianças elas escaparam e entraram no Centro Cultural Banco do Brasil. Eu tive que ir lá dentro buscar elas (…) Museu era coisa de rico, era muito difícil de entrar. Ficava aquela coisa grande e bonita, sem ninguém. O museu é de todo mundo e ao mesmo tempo não é de ninguém, não se pode negar o acesso às pessoas”.

Como notado pelas curadoras da exposição:

“Muitos anos depois, na sua intensa relação com MAR – para ela, signo de união e também sua casa – Tia Lucia performou a tão sonhada apropriação dos espaços culturais pelas pessoas do seu entorno e da cidade, atuando não apenas como público, mas como protagonista de inúmeras oficinas e festividades, além de exposições como O Rio de Samba: resistência e reinvenção, ainda em cartaz. Ao inventar a si mesma como artista, ao vencer corajosamente as barreiras concretas e simbólicas que separam a cultura popular das manifestações artísticas legitimadas, Tia Lúcia nos ensina a construir novos modos de ser e de fazer para as instituições culturais. Modos de ser e fazer que, na sua melhor condição, requalificam a função da arte e nos ajudam a construir uma sociedade mais democrática, diversa e igualitária”.

“A Pequena África e o MAR de Tia Lúcia” apresenta um conjunto de obras da artista, como pinturas, desenhos e objetos, além de vídeos, documentos, fotografias e itens pessoais. A homenagem foi desenhada em parceria com os Vizinhos do MAR, na reunião mensal chamada Café com Vizinhos, em 06 de outubro deste ano. Parte dos itens que integram a exposição foram trazidos por moradores da região, por ocasião de uma conversa de galeria coletiva, ocorrida no dia 21 de outubro.

No encontro, cada um dos presentes relembrou a história desta mulher emblemática, a partir de objetos que guardam a sua memória afetiva. Após a conversa, todos saíram em cortejo pela região da pequena África, embalados pelos integrantes do Afoxé Filho de Gandhi e do Carimbloco. Na Pedra do Sal o cortejo encontrou os integrantes da escola de samba GRES Feitiço do Rio, onde houve discursos e homenagens. Toda essa experiência foi filmada pela equipe do MAR e deu origem ao vídeo que também faz parte da exposição.

Tia Lúcia deixou obras por toda a cidade e realizou exposições no Instituto Pretos Novos e no Centro Cultural José Bonifácio (CCJB). Sua imagem está gravada no Cais do Valongo e na escadaria de acesso ao Morro da Conceição, na Travessa do Liceu, por trás do Edifício Joseph Gire (A Noite).

A exposição corrobora com o movimento feito pelo Museu de Arte do Rio pela valorização da produção de mulheres artistas, que conta com a abertura da exposição “Mulheres na Coleção MAR”, que também foi inaugurada em 16 de novembro e ocupará o pavilhão de exposições do museu até maio de 2019.

O Museu de Arte do Rio – MAR

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação com base no programa curatorial que norteia a instituição. O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da Cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor.

A Escola do Olhar conta com patrocínio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro, da Dataprev e One Health via Lei Municipal de Incentivo à Cultura. A Aliansce apoia as visitas educativas – Partiu MAR via Lei Rouanet. A Verde apoia o programa de Formação com Professores da Escola do Olhar via Lei Rouanet. A Vivo patrocina o programa de cultura MAR de Música 2018 através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, e realização do Ministério da Cultura e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Serviço

Biblioteca:

A biblioteca do MAR funciona de terça a sábado, das 10h às 18h, e a entrada é gratuita.

Visitas educativas podem ser agendadas as quartas, sextas e sábados, às 10h, pelo e-mail agendamento@museudeartedorio.org.br.

Pavilhão de exposições:

Entrada: R$ 20 I R$ 10 (meia-entrada) – para pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro. O MAR faz parte do Programa Carioca Paga Meia, que oferece meia-entrada aos cariocas e aos moradores da cidade do Rio de Janeiro em todas as instituições culturais vinculadas à Prefeitura. Apresente um documento comprobatório (identidade, comprovante de residência, contas de água, luz, telefone pagas com, no máximo, três meses de emissão) e retire o seu ingresso na bilheteria. Pagamento em dinheiro ou cartão (Visa ou Mastercard).

Bilhete Único: R$ 32 – R$ 16 (meia-entrada) para cariocas e residentes no Rio de Janeiro, mediante apresentação de documentação ou comprovante de residência comprobatórios. Serão considerados documentos comprobatórios aqueles que contenham o local de nascimento, tais como RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc. Serão considerados comprovantes de residência os títulos de cobrança com no máximo 3 (três) meses de emissão, como serviços de água, luz, telefone fixo ou gás natural, devidamente acompanhado de documento oficial de identificação com foto (RG, carteira de habilitação, carteira de trabalho, passaporte etc.) do usuário.

Política de gratuidade: Não pagam entrada – mediante a apresentação de documentação comprobatória – alunos da rede pública (ensinos fundamental e médio), crianças com até 5 anos ou pessoas a partir de 60, professores da rede pública, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, Vizinhos do MAR e guias de turismo. Às terças-feiras a entrada é gratuita para o público geral.

Terça a domingo, das 10h às 17h. Às segundas o museu fecha para o público. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (55 21) 3031-2741 ou acesse o site www.museudeartedorio.org.br.

Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*