Home / Arte / Aliança Francesa realiza o evento Um respiro de arte para Melhorar o Clima no dia 31/03
Fabrício Carpinejar (E) e Hique Gomes (D), mediados por Katia Suman, analisam o atual momento. Foto: Beatriz Reys, Katia Suman (selfie) e Helo Averbuck.
Fabrício Carpinejar (E) e Hique Gomes (D), mediados por Katia Suman, analisam o atual momento. Foto: Beatriz Reys, Katia Suman (selfie) e Helo Averbuck.

Aliança Francesa realiza o evento Um respiro de arte para Melhorar o Clima no dia 31/03

Com o tema “O AR é um sopro de vida que nos conecta”, Fabrício Carpinejar e Hique Gomez, mediados por Katia Suman analisam o atual momento

A humanidade vive tempos de fragilidade e tem sido constante que a Arte contribua a respirar, a manter alguma alegria e sobriedade diante da pandemia, das restrições e do isolamento. Na intenção de promover um momento de respiro, de boas vibrações e até de alívio, a Aliança Francesa de Porto Alegre promove o encontro virtual “Um respiro de arte para Melhorar o Clima”, reunindo personalidades gaúchas em um debate de ideias. Com as presenças da radialista Katia Suman, do poeta Fabrício Carpinejar e do músico Hique Gomez, o evento se realiza no próximo dia 31 de março, às 20h, via redes sociais e Youtube da Aliança Francesa de Porto Alegre, encerrando a programação da Semana da Francofonia promovida pela Aliança Francesa de Porto Alegre.





Partindo da máxima “O Ar é um sopro de vida que nos conecta” a Aliança Francesa quer gerar um sentimento oposto em tempo de pandemia, de isolamento e de solidão, fugindo do “ar contaminado” e, simbolicamente, procurando outras formas de respirar, outras formas de buscar o ar puro, o suspiro, o alívio…

No mundo todo, as pessoas buscam a arte para se aliviar da realidade, por este motivo nessa edição, o debate de ideias será “um respiro de arte para melhorar o clima”. A presença de três gaúchos que promovem esses “respiros de arte” é a proposta da Aliança Francesa para oferecer outras perspectivas de enfrentamento a este atual momento, que, em maior ou menor grau, afeta a todos. A partir do relato de situações do cotidiano dos convidados, é possível criar saídas, promover ações positivas e motivacionais para suportar essa pandemia e toda a realidade atual.

Sobre a importância do afeto

Recentemente, Fabrício Carpinejar lançou o livro “Colo, Por Favor! Reflexões em Tempos de Isolamento”, um dos primeiros livros a tratar do tema quarentena. Ele comenta que, com o distanciamento social, foi como se “recebesse o contrário de tudo o que escrevia”. – Ficamos afastados dos pais, dos irmãos, dos melhores amigos… Precisamos descobrir outro modo de ser afetuoso, retomar a escrita, as videochamadas. Você pode estar no mesmo Estado ou na mesma cidade, mas é como se estivesse em outro país. Transformei o meu medo de perder alguém da família em apego à palavra. Eu seguro a caneta como quem segura a mão do pai ou da mãe, poeticamente declara.

Na obra, “Colo, por favor!”, o afeto é o protagonista. – Menos afetação, mais afeto é o eixo da obra. Estamos vivendo uma dor coletiva. Exige um trabalho de formigueiro, de reconstrução pela empatia, analisa. Para os casais em isolamento, ela recomenda: – O importante na vida de casal durante a quarentena é que cada um consiga preservar seus momentos sozinhos. A receita é não fazer tudo junto. Quem faz tudo junto vai perder sua personalidade, vai apagar sua identidade. A simbiose fragiliza porque unifica o sofrimento”.

Em sua fala, Carpinejar irá falar sobre a nossa infinita capacidade de adaptação. – Parece que já vivi toda a minha vida confinado, constata.

Na nuvem

Mesmo em um contexto desfavorável à aglomeração, Hique Gomez está prestes a estrear a segunda temporada da websérie Sbornia em Revista. – Ano passado nos dedicamos à formatação de um programa para Internet. Acabou ficando tão legal que já tem canais de TV querendo transmiti-lo, comenta.

Ele conta que não se encontrou presencialmente em nenhum momento com Simone Rasslan e Claudio Levitan, seus parceiros de cena, mas estão convivendo mais do que antes. – Fazemos encontros criativos pela internet. E até pudemos contar com a presença de Abustradamus, os personagens de André Abujamra, que em São Paulo se entrosou tão bem conosco que parecia que estávamos no mesmo ambiente, revela. A equipe técnica também trabalha de maneira remota. – No meu caso dou acesso ao meu computador e o diretor de imagens, Rafa Berleze, controla a câmera capturando as imagens. Rique Barbo, de forma remota, pega as imagens no drive, dá o trato inserindo os cenários virtuais e Edu Coelho pega os áudios no drive e na nuvem faz as mixagens e devolve para o editor final, que é o Bruno (Oxi), que é quem faz toda a montagem e finalização. Todo mundo em casa. Todo o trabalho direto na nuvem, ressalta. Segundo ele, foi difícil na primeira temporada, mas agora já criaram um sistema completo. – Todo mundo conectado na nuvem. Tem sido uma grande experiência, avalia.

Se este é o futuro do teatro e das demais manifestações culturais, no atual contexto, Hique Gomez aposta na nuvem. – Há um cientista responsável pela inteligência artificial do Google que promete ligar o córtex cerebral do ser humano e colocá-lo instantaneamente em conexão com a nuvem, através do pensamento. Promete isso até 2030. O Google tem a capacidade de acessar seis mil livros por segundo e trazer uma resposta instantânea. Este conhecimento, eu calculo, vai trazer uma pandemia mental. E também vai trazer a manipulação da massa planetária. Todos ficarão à mercê do observador da mente coletiva, antecipa-se. – Se for pra evitar os grandes golpes e a corrupção, seria bom. Resta saber quem vai estar nos observando. Todas as grandes invenções têm prós e contras. Salve-se quem souber!!!

SOBRE OS CONVIDADOS:

Fabrício Carpinejar

Escritor premiado, jornalista com larga experiência em programas de rádio e televisão, ator interpretando suas crônicas, influenciador digital com três milhões de seguidores nas redes sociais e palestrante requisitado no mundo corporativo. O comunicador escreve crônicas semanais para o jornal O Tempo e é comentarista do programa Encontro Com Fátima Bernardes, da Rede Globo.

Com 46 livros publicados e mais de 20 prêmios literários, entre eles duas vezes o Prêmio Jabuti, Fabrício Carpinejar é um dos escritores contemporâneos brasileiros mais reconhecidos do país, com obras que transitam por diversos gêneros. O livro Cuide dos seus Pais antes que Seja Tarde (2018) figurou entre os mais vendidos no país na categoria não ficção.

O poeta também é famoso nas redes sociais por postar pequenos pensamentos escritos em guardanapos, que compartilha diariamente com seus seguidores. De 2001 a 2011, trabalhou na Unisinos como professor e coordenador de curso. Foi escolhido pela revista Época como uma das 27 personalidades mais influentes na internet. Palestrou em grandes empresas e festivais literários do país. O codinome Carpinejar é fruto da junção dos sobrenomes dos pais, Maria Carpi e Carlos Nejar.

Hique Gomez

Multi-instrumentista, arranjador, compositor e ator. Ganhou o Prêmio Açorianos pelo conjunto da sua obra e recebeu a Medalha de Porto Alegre, concedida pela Prefeitura, como reconhecimento pela sua contribuição cultural à comunidade. É criador do espetáculo musical Tangos e Tragédias, com mais de 30 anos de temporada fixa no Theatro São Pedro, reconhecido nacional e internacionalmente com diversos prêmios.

Em 2002, estreou no cinema como ator principal no filme A Festa de Margarette, do diretor gaúcho Renato Falcão, com sessões em Nova York, Porto Alegre e São Paulo. Também assinou a trilha sonora da obra. Em 2014, ano em que foi encerrado o espetáculo Tangos e Tragédias em decorrência da passagem do seu companheiro de palco, Nico Nicolaiewsky, foi lançado nos cinemas Até que a Sbornia nos Separe, dirigido por Otto Guerra e Ennio Torresan.

Em 2016, lançou a produção A Sbornia Kontr’Atracka. Em 2018, o concerto A Ospa Vai a Sbørnia foi apresentado no Auditório Araújo Vianna. Em 2019, Hique Gomez estreou mais um concerto, desta vez junto a Renato Borghetti e à Orquestra de Câmara da Ulbra, com regência de Tiago Flores, além de lançar sua autobiografia: Para Além da Sbornia. Em 2020, fez o lançamento da websérie Sbørnia em Revista, com patrocínio da Rio Grande Seguros.

Katia Suman

Comunicadora, radialista, escritora e produtora cultural. Formada em Ciências Sociais pela PUCRS, Mestre em Comunicação Social pela Unisinos e Doutora em Letras pela Ufrgs. Trabalhou durante quase 20 anos na Ipanema FM, tendo passagens também pela FM Cultura e Unisinos FM. Criou, em 1999, o Sarau Elétrico, que, desde então, faz parte do calendário cultural da cidade de Porto Alegre. Desde 2010, mantém a rádio web radioelétrica.com, emissora independente voltada à literatura e à boa música.

Rede Social dos convidados:

www.instagram.com/hiquegomez

www.instagram.com/fabriciocarpinejar

www.instagram.com/katiasuman

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*