Home / Destaques / Ambientalista estreia documentário sobre o lixo no Everest e alerta sobre o futuro do Planeta

Ambientalista estreia documentário sobre o lixo no Everest e alerta sobre o futuro do Planeta

(Teaser documentário “Everest Sustentável”).

Em meio a pandemia, documentário que alerta sobre a importância da conscientização ambiental é lançado no Canal Off / Globosat; a estreia acontece no Dia Mundial do Meio Ambiente e o documentário “Everest Sustentável” traz uma reflexão sobre as consequências das ações do ser-humano no Planeta

São Paulo, junho de 2020 – O documentário “Everest Sustentável”, que tem em seu roteiro uma expedição ecológica ao Base Camp do Monte Everest será estreado no Dia Mundial do Meio Ambiente, 05 de junho, às 20h, no Canal Off da Globosat e também nas redes sociais da Globo. O vídeo revela os problemas ambientais que acontecem na região e, por estar sendo lançado em época de pandemia, também proporciona uma reflexão para uma série de consequências no Planeta Terra causados pelo descaso com o meio ambiente. Para se ter uma ideia, com o isolamento social em diversas cidades e pontos turísticos do mundo já é possível notar os índices de poluição mais baixos – o que demonstra na prática o impacto das ações da população.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

De acordo com Caio Queiroz, ambientalista que participou da expedição e sócio-fundador da Mídia Sustentável, o documentário traz imagens nunca exibidas dos resíduos largados na trilha, além de entrevistas com os responsáveis da coleta de lixo na montanha e pessoas que fazem a diferença nesta região. “Quando começamos a gravação ainda não havia a pandemia, mas já era possível notar diversas consequências causadas por problemas relacionados ao lixo, superpopulação, exploração, industrialização, entre diversos fatores e consequências das ações realizadas pelo ser humano. Por isso, trazer esse tema à tona neste momento em que todos estão mais sensíveis, possibilita a oportunidade de refletirmos sobre o futuro do nosso planeta. Além disso, o “Everest Sustentável” resume bem o objetivo do nosso trabalho: uma sociedade com relações mais sustentáveis”, acrescenta Queiroz.

Ainda de acordo com ele, o conteúdo do documentário é composto por imagens de descaso com o planeta, e faz uma reflexão do quanto é necessário preservar o meio ambiente, para evitar crises ambientais, como essa que estamos passando. “Quanto mais nos preocuparmos com relações e atitudes mais sustentáveis, as crises futuras serão mais amenas, mais fáceis de controlar ou até poderão ser evitadas. Precisamos pensar nas relações de interdependência – as atitudes de uma pessoa, empresa ou país refletem e reverberam para o mundo, criando desequilíbrios cada vez maiores. Temos que ter consciência dos desequilíbrios ambientais para evitar sua disseminação”, alerta o ambientalista.

Entenda o que há por trás do documentário

O documentário conta com uma equipe de quatro participantes: Caio Queiroz, a empresária Mariana Britto, Carlos Santalena – montanhista que já atingiu o cume do Monte Everest três vezes – e o cinegrafista Gabriel Tarso, além de outros participantes. Eles ficaram um total de 21 dias, entre Kathmandu, capital, e Lukla 2800m de altitude – entrada do Parque Nacional de Sagarmatha – onde se inicia o trekking até o Base Camp do Everest. “Foram seis dias de ida e três de volta, percorrendo: Lukla – Ghat – Namche Bazaar – Phortse – Siangboche – Lobuche – Gorakshap – Base Camp 5400m de altitude. Fizemos dois cumes – Monte Nagarjune 5050m de altitude / Kalaphatar 5600 m com uma temperatura mínima de – 15°C”, narra o ambientalista”, compelmenta.

São mostradas entrevistas exclusivas do local, além de todos os desafios e cenas emocionantes que acontecem no percurso. A equipe também decidiu bater o recorde de quantidade de bags com recicláveis trazidos durante o caminho para chamar a atenção dos turistas e nativos da região, além de incentivar mais pessoas a tomarem essa atitude. Também geraram o mínimo de resíduos de embalagens (“lixo”) possível e mostraram como isso é possível.

Segundo Caio, eles coletavam a água da pia e tratavam com produtos para torná-la potável e evitar ao máximo o uso de garrafas plásticas. “Enchia meu camel back, reservatório de água que ficava na mochila, e só tomava essa água durante as refeições e trilhas, evitando comprar garrafas de vidro, de plástico e latas de refrigerante. Também levamos uma ecobag para ir coletando resíduos nas trilhas, para ajudar a zerar os impactos deixados por outros turistas e nativos”, conta.

Alerta para a necessidade de uma inovação de gestão e marketing ambiental

Sabendo da importância de tornar as empresas, população e as relações mais sustentáveis, o ambientalista criou um projeto que promove uma série de medidas dentro das companhias para evitar riscos e conscientizar sobre a importância da preservação ambiental e das relações de interdependência. De acordo com ele, essas soluções se tornam ainda mais necessárias, diante do cenário que estamos vivendo.

“Desenvolvi um novo projeto, chamado Aguama, que tem o propósito de unir conhecimentos da tecnologia mais antiga e eficiente do planeta – o conhecimento do próprio meio ambiente – com a experiência no mercado socioambiental, para colaborar na transformação de pessoas, empresas, parques e municípios, através de produtos e serviços voltados a educação e gestão ambiental, novas tecnologias, comunicação e ferramenta de marketing. Por isso, escolhemos esse nome para a empresa, que tem referência com as Bromélias, que é um mini ecossistema sustentável”, conta Queiroz.

Neste momento em diante ficará ainda mais evidente a importância de se tornar uma empresa ou profissional que adota relações e atitudes mais sustentáveis. “Todo mundo tem que colaborar com um mundo mais saudável, para não correr o risco de ser taxado de responsável por crises como essas. Nosso intuito é unir a nossa inteligência, experiência, produtos e serviços a fim de desenvolver soluções eficientes para transformar indivíduos responsáveis e preocupados com a sustentabilidade, os problemas ambientais, globais, conservação, preservação dos recursos naturais, abordando os seus aspectos econômicos, sociais, políticos, ecológicos e éticos”, finaliza o ambientalista.

Sobre Caio Queiroz

Caio Pereira de Queiroz atua há mais de 20 anos no mercado socioambiental. Pioneiro no ramo de coleta seletiva, é especialista em implantação de Sistemas de Gestão de resíduos, e no desenvolvimento de programas de Marketing Ambiental. Possui expertise em programas corporativos e municipais de resíduos, publicidade e propaganda. Também é sócio da Mídia Sustentável, empresa que constrói e gere plataformas de sustentabilidade que aliam gestão ambiental, marketing socioambiental e mídia OOH, que sejam efetivas para a marca e amigáveis ao meio ambiente, deixando um legado positivo para a sociedade.

Sobre Mariana Britto

Mariana Britto descobriu no esporte e na aventura uma forma de viver e de trabalhar, conseguindo assim, conhecer mais de 41 países ao longo da carreira. Formada em Comunicação Social com habilitação em Rádio e Televisão pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), iniciou a carreira profissional ao lado da famosa família de velejadores, a Família Schurmann! Atuou 10 anos como executiva responsável pelo atendimento da Schurmann Corporate, empresa do Grupo Schurmann. Contribuiu também em produção de eventos, desenvolvendo programas de treinamento para empresas no Brasil e no exterior. Em seguida, foi convidada a “embarcar” com a Família Schurmann na sociedade da Ecco Talentos, tornando a executiva responsável pelo agenciamento de grandes personalidades do mundo da aventura em palestras empresariais e em projetos especializados. Atualmente é apresentadora do Rally dos Sertões, parceira comercial na Mídia Sustentável e se dedicando na preparação para expedições de aventura.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*