Home / Arte / Francisco Villa Chan mostra a sua trajetória na arte com a exposição Percursos
Francisco Villa Chan, Atelier. Foto: Divulgação.
Francisco Villa Chan, Atelier. Foto: Divulgação.

Francisco Villa Chan mostra a sua trajetória na arte com a exposição Percursos

A Mostra está sendo organizada pelo Escritório de Artes Beth Araruna e será lançada em 10 de maio virtualmente e presencialmente

Percursos – A natureza, as sensações e a liberdade é o nome que recebe a nova exposição do artista modernista Francisco Villa Chan. Com curadoria do Escritório de Artes Beth Araruna, a mostra é um verdadeiro mergulho pela história de Villa Chan com os pincéis. Seus mais de 100 quadros, incluindo o que leva o mesmo nome da exibição, poderão ser vistos a partir de 10 de maio virtualmente, através do site www.bethararuna.com.br, ou presencialmente, no atelier do artista, localizado no bairro da Várzea, no Recife.





Sua exposição recebe este nome por inspiração no poema O Cão com Plumas, de João Cabral de Melo Neto, e no Rio Capibaribe, que corre atrás da sua casa e atelier. O artista compara o trajeto da vida com o percurso do rio, que tem início, meio e deságua no mar, onde é o seu fim.

Pernambucano apaixonado pelo sertão, Francisco Villa Chan, que foi aluno da Escola de Belas Artes no Recife, inicia sua caminhada na arte seguindo os passos do seu tio-avô, o paisagista Telles Júnior, levando às telas paisagens que ficaram vivas em sua memória de viagens por Pernambuco. Ao entrar em seu atelier, que será possível às terças, quartas e quintas-feiras, das 15h às 18h, o visitante irá se deslumbrar, inicialmente, com quadros que remetem ao sertão pernambucano, como imagens de Bonito e Serra Negra; e ao litoral, a exemplo de Itamaracá e a Praia de Conceição.

Seu percurso vai além do paisagismo, quando Villa Chan ingressa, no início dos anos 60, no modernismo, trazendo aos amantes da arte telas abstratas, sua paixão até os dias atuais. A técnica foi aprimorada com os estudos no exterior. O artista levou aos seus quadros desenhos que trazem uma abstração lírica, sempre com um olhar poético, utilizando cores vibrantes e que se completam. Tudo poderá ser conferido na exposição.

Segundo a curadora de artes Beth Araruna, os quadros de Francisco Villa Chan tem um olhar particularmente reflexivo, nos devolvendo em cores, gestos e texturas a delicadeza de seus sentimentos. “Villa Chan propõe uma reflexão sobre as diversas teorias da arte, sejam físicas ou filosóficas, motivando o expectador a meditar sobre o percurso e o papel do homem na vida e na arte nesse momento tão controverso”.

RIO CAPIBARIBE LIGADO A ARTE E AO SOCIAL – Percursos é muito além de uma exposição. Um dos seus objetivos é alertar a população e o poder público para o cuidado e a valorização do Rio Capibaribe. Suas águas desfilam por mais de 10 bairros da capital pernambucana, porém a sua beleza é acobertada pela poluição, com diferentes materiais sendo jogados constantemente no rio. Uma ação social com escolas será desenvolvida por Beth Araruna buscando a conscientização das crianças e adolescentes recifenses.

Além disso, a exposição virtual mostrará que o Capibaribe é o berço de artistas e museus da cidade. Na sala virtual, um mapa do Recife estará marcado com o curso do rio. Luminárias com imagens criadas por Villa Chan estarão mostrando a localização de grandes centros de arte e ateliers de artistas que ficam localizados na cidade. “Um verdadeiro roteiro da cultura e arte que precisa ser valorizado”, afirma a curadora Beth Araruna.

FRANCISCO VILLA CHAN – Nasceu no Recife em 04 de dezembro de 1937. O artista iniciou seu aprendizado através de Curso de Desenho e Pintura com Rachel Telles (filha de Telles Júnior) em 1954. Entre 1956 e 1994, fez vários cursos no Brasil, a exemplo da Escola de Belas Artes da UFPE, e no exterior, o Curso de Restauro em Pintura – Instituto per L ‘arte e il Restauro, na Itália.

Referências às suas obras são encontradas nos livros Tratos de Artes de Pernambuco, de José Claudio (1984), Arte do Nordeste, da Editora Spala (1987) e Catálogo Pernambucano de Arte, do Grupo X (1987). Em Pernambuco, suas obras podem ser contempladas nos acervos da Galeria Metropolitana Aloísio Magalhães, Fundação Joaquim Nabuco, Academia Pernambucana de Letras, Museu Militar Forte do Brum, Museu da Cidade do Recife, e no Museu Murilo LaGreca, Além de acervos particulares no Brasil, Estados Unidos e Europa.

SERVIÇO

Exposição Percursos A natureza, as sensações e a liberdade, de Francisco Villa Chan

Abertura: 10 de maio, 16h

Período da Exposição: 10 de maio a 31 de maio (presencial), podendo ser marcado horário de visitação a partir de 1 de junho. Permanente no site.

Local: Espaço Villa-Chan (rua São Francisco de Paula, 371, Caxangá – Recife/PE) e no site do Escritório de Artes Beth Araruna (www.bethararuna.com.br)

Horário presencial: terças, quartas e quintas-feiras, das 15h às 18h

*Importante que os visitantes usem máscaras no local

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*