Home / Arte / Lovely House lança Fotolivro de Sabrina Pestana
Fotolivro "Ela vai ficar", de Sabrina Pestana. Divulgação.

Lovely House lança Fotolivro de Sabrina Pestana

“Ela vai ficar” reúne retratos diários do avô da fotógrafa em seu espaço de intimidade, sendo o projeto encerrado 236 dias após seu início, com a morte súbita de seu modelo e colaborador

A Lovely House promove o lançamento de “Ela vai ficar”, da fotógrafa paulistana Sabrina Pestana, editado pela autora e por Walter Costa, sob coordenação editorial de José Fujocka e Luciana Molisani, e textos de José Nicolau Pestana. O fotolivro apresenta um recorte deste trabalho que durou 236 dias, resultando em mais de 600 negativos no formato 6 x 6, em preto e branco, e reúne retratos diários do avô da fotógrafa em seu espaço de intimidade.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Iniciado há 10 anos por Sabrina Pestana, “Ela vai ficar” representa um registro único de sua relação com o Sr. Zico, como era chamado José Nicolau Pestana. “As fotos eram feitas todos os dias, antes do sol se pôr, em meu pequeno quarto no apartamento onde morava com meus avós, até o dia 26 de março de 2009, quando vovô sofreu um infarto fulminante às 18h00. Foram mais de 600 negativos, risos, conversas, abraços e confissões. As fotos diárias eram banhadas pelos sentimentos de desprezo e gratidão de vovô com a câmera fotográfica. Eu usava a ‘caolha de três pés’ – jeito debochado pelo qual vovô se referia à câmera – para me manter bem perto dele e para mantê-lo cada vez mais vivo. Registrei-o de todas as maneiras possíveis: foto, caligrafia, desenho, máscara mortuária e, sobretudo, por meio de meu coração”, comenta a fotógrafa.

Além das imagens, “Ela vai ficar” também é composto por pequenos textos escritos à mão pelo avô da artista. “Eu dormia. Ela entrou no quarto, arrancou-me do leito, colocou-me na banqueta de todo dia, virou meu pescoço, ajustou o foco e me devolveu ao leito”, revela Sr. Zico em meio aos retratos de sua neta. Acerca do título, Sabrina Pestana diz: “’Ela vai ficar’. A câmera. Eu. A velhice. As rugas. As fotos. A memória. A saudade. A câmera ficou, eu fiquei, ficaram as fotos e o velho Zico permanece na falta que faz e nas imagens que o registraram”.

De certa forma, as imagens criadas perpetuam a história do Sr. Zico. “’Ela vai ficar’ é o seu preparo para a eternidade e o meu preparo para a sua ausência. Neste livro nos revelamos. Abrimos a porta daquele quarto e permitimos que outros olhos percorram os detalhes, o afeto, a memória cravada num corpo repleto de imperfeições e num amor imenso e eterno de avô e neta”, conclui Sabrina Pestana.

Evento: Lançamento do livro “Ela vai ficar
Autora: Sabrina Pestana
Coordenação: José Fujocka e Luciana Molisani
Data: 08 de dezembro de 2018, sábado, das 16 às 20h | Conversa com a autora, às 16h30
Local: Lovely House Casa de Livros www.lovelyhouse.com.br
Endereço: Galeria Ouro Fino | Rua Augusta, 2690 – lj. 329 – 2º andar – São Paulo – SP
Tel.: 11 3063-4030
Livro
Título: “Ela vai ficar
Autora: Sabrina Pestana
Edição de imagens: Sabrina Pestana e Walter Costa
Editora: Lovely House
Número de páginas: 54
Formato: 21 x 26,5 cm
Preço: R$ 80,00 | Valor especial no lançamento: R$ 65,00

.

Sabrina Pestana

Nascida em São Paulo, SP, em 1984, interessou-se por fotografia aos 15 anos e iniciou seus estudos na Escola Panamericana de Artes, entre 2001 e 2002. No ano seguinte, muda-se para Salvador, Bahia, e conhece o escultor Mario Cravo Júnior, que lhe encoraja a percorrer o caminho das artes. Em 2004, tendo interrompido o curso de Medicina Veterinária na Universidade Federal da Bahia, ingressa na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) em São Paulo, onde conclui o Bacharelado em Artes Visuais. Em agosto de 2008, inicia a documentação fotográfica em parceria com o seu avô paterno. Entre 2008 e 2017, atua como assistente do fotógrafo e master printer Valdir Cruz nos projetos: “RAÍZES – Árvores na Paisagem de São Paulo” (Imprensa Oficial), “BONITO – Confins do Novo Mundo” (Capivara Editora), ambos publicados em 2010; e “Retratos de Afetos” (Terra Virgem), em 2017. Em 2010, no Festival A Gosto da Fotografia, abrigado pelo Museu da Casa da Misericórdia da Bahia, em Salvador, realiza sua primeira exposição individual – “Sem Ponto Final” – em homenagem a Mario Cravo Neto, que havia falecido em agosto do ano anterior. É a artista mais jovem a figurar na exposição coletiva “Percursos e Afetos/ Fotografias 1928/2011 – Coleção Rubens Fernandes Junior”, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 2011/2012. Atualmente, dirige o Estúdio Gangorra, onde produz fotografia de família e eventos.

Lovely House

Com o objetivo de pesquisar e divulgar trabalhos independentes, Luciana Molisani e José Fujocka inauguram, em 2018, a casa de livros e editora Lovely House, na Galeria Ouro Fino, no bairro do Jardins, em São Paulo. Com um catálogo de arte, fotografia e design, a intenção é ter o livro como ponto de partida para discutir o processo criativo e articular ações culturais. “O livro hoje é uma das melhores formas do artista divulgar seu trabalho, e muitas vezes ele é produzido numa quantidade pequena e com pouca circulação no mercado. Nossa loja pretende ser uma vitrine para divulgar estes trabalhos”, contam os sócios. Aproximadamente 300 títulos estão à venda, em sua maioria nacionais, de editoras como a Fotô, Olhavê, Vibrant, Madalena, Pingado, Meli-Melo, APE, Rizzoli, Aperture, Deep, Ubu, Cobogó, Ikrek, APC e outras publicações independentes. “Acreditamos no mercado de nicho. O comércio e o serviço já passam por esta mudança há um tempo, especializando-se em mercados bem pontuais. Imaginamos que isso agora comece a se intensificar no mercado livreiro. Grandes livrarias estão fechando suas portas por não conseguir manter sua estrutura e nem cumprir seus compromissos”, afirmam. Outro ponto que os sócios destacam é a questão da rotatividade. “Queremos expor os livros como obras de arte. Como em sua maioria são feitos em pequena tiragem, a ideia é ter sempre a vitrine viva, fresca”, completam. Quanto à curadoria, a prioridade é a qualidade conceitual, editorial e gráfica, considerando a relevância para o debate contemporâneo. Entre os títulos, clássicos como Uncommon Places, de 1982, do fotógrafo americano Stephen Shore, até publicações independentes como do fotógrafo carioca Rodrigo Pinheiro, que autopublicou o fotolivro Tornaras, lançado na SP-Arte. A Lovely House abrigará ainda grupos de discussão e workshops para o público interessado em artes, fotografia e design. “Conversas na Ouro Fino” é o núcleo de palestras gratuitas idealizado pelos sócios e já está em sua 4ª edição. O horário de funcionamento da casa de livros é de segunda a sexta-feira, das 11h às 18h e de sábado, das 11h às 16h.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*