Home / Arte / Programa Inovador investe em Patrimônio Cultural – Matchfunding BNDES+
Escadaria Selarón. Foto: Divulgação.
Escadaria Selarón. Foto: Divulgação.

Programa Inovador investe em Patrimônio Cultural – Matchfunding BNDES+

2ª EDIÇÃO DO PROGRAMA MATCHFUNDING BNDES+ PATRIMÔNIO CULTURAL VAI INVESTIR ATÉ 2,4 MILHÕES EM PROJETOS VOLTADOS PARA PATRIMÔNIOS CULTURAIS MATERIAIS E IMATERIAIS DE TODO O PAÍS

Com inscrições até 10/08, edital inovador via matchfunding com o financiamento do BNDES, é o resultado de uma parceria do banco com a SITAWI Finanças do Bem e da plataforma de crowdfunding Benfeitoria.

Na primeira edição em 2019, 18 projetos culturais foram financiados pelo BNDES e pela sociedade civil, mobilizando R$ 1,5 milhão do BNDES e R$ 1 milhão de mais de 4 mil colaboradores via crowdfunding

Programa inovador de financiamento de ações com o objetivo de investir em projetos voltados para patrimônios culturais materiais e imateriais brasileiros, o “Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural” chega à segunda edição, com inscrições abertas até o dia 10 de agosto. Nesse momento delicado que o país está enfrentando, tanto na saúde quanto na economia, com instituições de portas fechadas, participar desse programa de financiamento coletivo pode ser uma oportunidade de fomentar projetos voltados para patrimônios culturais que estão sem incentivo. A iniciativa é o resultado de uma parceria do banco com a SITAWI Finanças do Bem e a plataforma de crowdfunding Benfeitoria, coidealizadores e correalizadores da ação.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Segundo Tatiana Leite, cofundadora da Benfeitoria:“O Matchfunding BNDES+ é uma forma inovadora de fomento ao Patrimônio Cultural Brasileiro, convidando o público a ser parte deste movimento de promoção, conscientização e cuidado coletivo ao que é nosso. E neste momento em que diversos setores da sociedade sentem os impactos da crise, a convocação deste ano é ainda mais importante, sendo uma oportunidade de potencializar a retomada e reinvenção do setor de Patrimônio Cultural do país.”

A proposta do apoio via matchfunding (união do financiamento pelo coletivo, através de doação de pessoas físicas ou jurídicas (crowd-funding), com o financiamento direto de uma instituição, no caso, o BNDES), se baseia diretamente no engajamento da sociedade: a cada R$ 1 captado por projeto junto ao público geral, o BNDES aplicará outros R$ 2, até o limite de R$ 200 mil por projeto. O valor de cada iniciativa apoiada deverá ser entre R$ 30 mil e R$ 300 mil. Por isso é importante que pessoas físicas contribuam e participem ativamente de instituições que se identificam, pois elas são o veículo motor dessa ação. É a partir da doação delas que o BNDES vai investir. Para Leonardo Letelier, CEO da SITAWI: “Neste momento de pandemia, a cultura se mostra cada vez mais central em nossas vidas. Este matchfunding permite que a sociedade apoie seus Patrimônios preferidos, alavanque ainda mais recursos e aumente o legado da iniciativa.”

As inscrições para o edital foram abertas no dia 10 de março e vão até 10 de agosto, através do site www.benfeitoria.com/bndesmais, no qual estão disponíveis os detalhes da chamada. Podem se inscrever instituições sem fins lucrativos, com projetos cujos objetos sejam reconhecidos oficialmente como patrimônios culturais, nos termos do edital. As propostas deverão se enquadrar em uma das quatro categorias da seleção — Promoção & Inclusão, Inovação & Tecnologia, Educação & Inspiração e Preservação & Memória — e serão avaliadas conforme critérios, como impacto, inovação, tradição, perenidade, perfil da proponente e custo-benefício por um time de curadores formado por uma especialista em Patrimônio Cultural, Benfeitoria, SITAWI e BNDES.

Após a seleção, as iniciativas contarão com a consultoria de especialistas em financiamento coletivo da Benfeitoria para preparação e comunicação das suas campanhas de captação (matchfunding). Os selecionados divulgarão suas campanhas de captação na plataforma do programa entre outubro e dezembro.

Devido às restrições causadas pela Covid-19, os encontros de divulgação do edital e capacitação sobre financiamento coletivo, abertas ao público em geral, que estavam previstos para acontecer presencialmente em diversas cidades, serão realizadas online através de Webinars (conferências online) entre junho e julho.

Números de 2019–O programa “Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural” é o primeiro do gênero envolvendo uma instituição pública. Em sua primeira edição, teve alto índice de sucesso, com 80% dos colaboradores declarando que o aporte do BNDES influenciou positivamente sua decisão de apoio. Foram 190 projetos enviados, de todas as regiões do país, e 20 selecionados. Desses, 18 foram financiados com sucesso. Além dos selecionados, mais de 5 mil pessoas foram capacitadas por meio de eventos presenciais e videoaulas online. Pesquisa realizada pela plataforma Benfeitoria indicou também que, antes do “Machfunding BNDES+”, 60% dos colaboradores nunca tinham doado para projetos de patrimônio cultural e 44% nunca tinham apoiado um projeto via crowdfunding.

Projetos já financiados – Foram contemplados projetos de vários portes e estados brasileiros, que podem ser conhecidos no site www.benfeitoria.com/bndesmais. Serão beneficiados, por exemplo, projetos de preservação e digitalização de acervos, como o do Museu Imperial, em Petrópolis (RJ), e de reforma de estruturas físicas, como os do Museu Imagens do Inconsciente, no Rio de Janeiro (RJ), e do recinto das aves do Museu Goeldi, em Belém (PA).

Unindo cultura e tecnologia, o projeto “Arte sem fronteiras” irá criar um portal de buscas que integrará a pesquisa nos acervos das bibliotecas da REDEARTE/RJ, que engloba instituições como o Museu Histórico Nacional e o Museu Nacional de Belas Artes. Já o “TecTur Campina” prevê a criação de um aplicativo para smartphones com recursos multimídia e de realidade aumentada, com o qual será possível interagir com a história de diversas atrações turísticas da cidade de Campina Grande (PB).

Serão também realizados dois projetos de valorização da cultura indígena, como o documentário “Cantos da Terra”, sobre as línguas indígenas do Brasil, e o projeto “Memórias Indígenas”, que visa qualificar o acervo da Coleção Audiovisual Jesco Puttkamer da PUC Goiás, por meio da identificação, por representantes das etnias Yudjá e Waurá, das histórias e dos significados presentes nas imagens arquivadas.

SERVIÇO – Matchfunding BNDES+ Patrimônio Cultural 2020.
Inscrições: 10 de março a 10 de agosto de 2020, em www.benfeitoria.com/bndesmais.

 

Benfeitoria

Lançada em 2011, a Benfeitoria (www.benfeitoria.com) é a plataforma de financiamento coletivo (crowdfunding) mais inovadora e eficiente do Brasil. Com a maior taxa de sucesso do Brasil desde o lançamento, já mobilizou mais de R$100 milhões de cerca de 450 mil colaboradores para dar vida a mais de 3 mil projetos. Foi a primeira plataforma do mundo a não cobrar comissão obrigatória de quem arrecada, a primeira do Brasil a lançar crowdfunding recorrente, e a única a trabalhar com editais de grande porte via Matchfunding. Entre seus principais parceiros de fomento, estão ONU Mulheres, Sebrae, Natura, Coca-Cola, Ambev, Youse e Itaú.

SITAWI

A SITAWI Finanças do Bem (www.sitawi.net) é uma Associação sem fins lucrativos fundada em 2008 com a missão de mobilizar capital para impacto socioambiental positivo. Pioneira no desenvolvimento de soluções financeiras para impacto, foi responsável pela criação de inovações relevantes no setor, como os Empréstimos Socioambientais e a Gestão de Fundos Filantrópicos e Rotativos – e já mobilizou mais de R$60 milhões, apoiando mais de 250 iniciativas que alcançaram mais de 700 mil pessoas. Em 2019, para cada R$1 em doações para as operações da SITAWI permitiu mobilizar R$25 para impacto socioambiental positivo.

BNDES

Fundado em 1952 e atualmente vinculado ao Ministério da Economia, o BNDES é o principal instrumento do Governo Federal para promover investimentos de longo prazo na economia brasileira. Suas ações têm foco no impacto socioambiental e econômico no Brasil. O Banco oferece condições especiais para micro, pequenas e médias empresas, além de linhas de investimentos sociais, direcionadas para educação e saúde, agricultura familiar, saneamento básico e transporte urbano. Em situações de crise, o Banco atua de forma anticíclica e auxilia na formulação das soluções para a retomada do crescimento da economia.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*