Home / Arte / Roda Gigante, de Carmela Gross: muito além da sala de exposições

Roda Gigante, de Carmela Gross: muito além da sala de exposições

Programação intensa, no Farol Santander de Porto Alegre, põe em movimento as relações da arte contemporânea com a psicanálise, o cinema e a arquitetura. Bate-papo com a artista e o curador fecha o ciclo, com lançamento do catálogo da mostra

Entre a próxima terça, 16 de abril, e o dia 25 de maio, uma rica programação permeia a mostra Roda Gigante, de Carmela Gross, que inaugurou o Farol Santander no final de março. O Projeto Roda Gigante estende a potencialidade da mostra com uma série de ações coordenadas. Dois encontros com especialistas vão colocar na mesa as relações entre arte, psicanálise e cinema, somando-se às atividades educativas que vêm acontecendo desde a inauguração da mostra. No último fim de semana de maio, a artista e o curador vão participar de um animado bate-papo, que marca o lançamento do catálogo da exposição.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Mas não é só isso. O visitante tem ao seu dispor um verdadeiro universo de informações exclusivas, facílimas de acessar a um toque na tela do celular – e que estendem quase ao infinito a experiência da visita, real ou virtual, ao espaço expositivo. É uma proposta imersiva e pioneira no Brasil, em que o conhecimento e a tecnologia se unem para que uma simples visita à exposição se transforme numa grande aventura guiada pela arte.

Quem vem

No dia 16 de abril, a Psicanálise visita a Arte: Tania Rivera, psicanalista, ensaísta e professora do Departamento de Arte da Universidade Federal Fluminense (UFF), e o psicólogo Edson de Sousa, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, comandam uma conversa que investiga as possíveis relações entre o percurso da artista e o universo psicanalítico.

No dia 7 de maio, o papo é sobre Cinema e Arte: a artista multimídia Lucia Koch e arquiteta e curadora Priscyla Gomes desenvolvem essa temática a partir da relação da obra de Carmela Gross com a cidade e com o cinema, de modo a estimular discussões plurais.

No dia 25 de março, véspera do encerramento da exposição, Carmela Gross e Paulo Miyada conversam com o público e falam de suas experiências, do lado da criação e do lado da curadoria, que culminaram com a realização de Roda Gigante, e também sobre a trajetória de Carmela, representada na mostra por obras de distintos períodos. Nesse dia será lançado o catálogo de Roda Gigante, em papel e em versão eletrônica. Esta última, aliás, estará disponível para download gratuito e traz diversos recursos interessantes, como o uso de voice-over para descrever textos, imagens e demais elementos.

Educação em alta

O diálogo com professores e alunos é um dos aspectos mais valorizados pelo programa educativo, pois coloca a arte contemporânea em perspectiva a partir de uma visão multidisciplinar. Todos os encontros envolvem críticos e teóricos de arte, artistas convidados e arte-educadores num diálogo que passa por técnica, conteúdo e pela arte brasileira em si.

Além do conteúdo sobre Roda Gigante, Carmela Gross e arte contemporânea, toda uma formação à distância será disponibilizada no site do projeto (www.4art.com/capa), de modo a permitir o acesso remoto e mais aprofundado a informações, vídeos, conferências e imagens sobre a exposição. Todo esse cuidado leva em conta a valorização do professor. Afinal, em sala de aula, é ele o mais potente provocador da curiosidade dos alunos. E despertar essa curiosidade pode ser a porta para eles alcancem infinitas possibilidades.

O ciclo de palestras é voltado para discutir o trabalho da artista e a arte contemporânea brasileira. Nesse programa os professores receberão informações sobre a exposição, a artista e, claro, sobre arte contemporânea. Um conteúdo detalhado de formação à distância, associado ao ciclo de palestras e encontros, estará disponível no site do projeto, permitindo o acesso remoto e aprofundado as informações, vídeos, conferências e imagens sobre a exposição.

Tecnologia: autonomia e inspiração

Roda Gigante sai na frente ao oferecer um pacote de tecnologias que permitem ao observador ter uma experiência mais profunda com as obras em exposição. A começar com o aplicativo – que, uma vez instalado e conectado, passa a rechear a visita com uma série de estímulos: informações pontuais sobre cada obra à medida que o visitante se aproxima, frases ditas pela própria artista sobre determinados trabalhos, dados sobre a ficha técnica e pequenas intervenções que estimulam o questionamento das obras e da produção artística ali representadas.

O site da exposição é outra fonte importante de informação: vem sendo alimentado semanalmente com textos, entrevistas, pesquisas e novos conteúdos… Enfim, oferece um verdadeiro mergulho na história da arte contemporânea. Com isso, a visita continua acontecendo fora das paredes do espaço cultural e os repertórios são ampliados onde quer que o visitante esteja.

A cesta de tecnologias oferece ainda audiodescrição para quatro obras de diferentes suportes, audioguia e também vídeos individuais em LIBRAS, que garantem ao deficiente auditivo o mesmo grau de informação que os demais visitantes recebem. Os deficientes visuais, por sua vez, têm à disposição textos com tipologia ampliada e legendas em braille em todas as obras expostas. Essas ações não só democratizam o conhecimento como permitem o mais pleno nível de acesso, sem restrições de qualquer tipo. Toda essa gama de ofertas eleva o visitante à condição de explorador e pesquisador, à medida que sua curiosidade e seu interesse aumentam. É a arte vivida às últimas consequências.

A mostra

A exposição Roda Gigante, da artista multimídia Carmela Gross, está em cartaz desde 26 março e se encerra em 26 de maio. É composta de uma obra inédita, que dá nome à mostra, e de um panorama da trajetória da artista, com obras selecionadas pelo curador Paulo Miyada.

Roda Gigante, que ocupa o salão principal do prédio do Farol Santander, é uma instalação que trata do real, do transitório e do virtual, na medida em que o ser humano tem de se adaptar a diferentes situações na vivência diária. Objetos concretos, físicos, muitos deles sem uso ou relegados a outras funções, estão fixos no chão, mas ancorados às alturas do imenso pé-direito do edifício por cordas e liames de todo tipo, cor e textura. Diante da arquitetura majestosa, os objetos resistem, com suas histórias, conectados a níveis superiores que evocam o mundo virtual, mas reafirmam também a essência material que os habita. No entrecruzar dos cordames, adivinham-se espaços de poder, confinamentos, restrições ou liberdade de circulação. Esparsos, mas conectados na intenção, livros, baldes, areia, engrenagens, restos de ferramentas, caixas, esculturas de jardim e outros objetos retratam talvez histórias de sobrevivência, de rearranjo social, de habitats nômades que a precariedade da vida diária inventa, pelas mãos da necessidade.

SERVIÇO
PROJETO CARMELA GROSS: RODA GIGANTE
PROGRAMAÇÃO
16 de abril, 18h30, Arena
ARTE E PSICANÁLISE – Convidados: Tania Rivera e Edson de Sousa
7 de maio, 18h30, Arena
ARTE E CINEMA – Convidadas: Lucia Koch e Priscyla Gomes
25 de maio, 19h30, Arena
CONVERSA COM CARMELA GROSS E PAULO MIYADA
Lançamento do Catálogo da Mostra
Reservas: 4artproducoes@gmail.com
Farol Santander Porto Alegre
Rua 7 de Setembro, 1028 – Centro Histórico
Tel.: (51) 3287-5500
farolsantanderpoa@santander.com.br
www.farolsantander.com.br

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*