Home / Arte / Art Basel OVR: Portals: 6 galerias brasileiras se apresentam na feira online
Registro de Claudia Andujar, que faz parte do projeto ‘A Luta dos Yanomami’, está na exposição da Galeria Vermelho. Divulgação.
Registro de Claudia Andujar, que faz parte do projeto ‘A Luta dos Yanomami’, está na exposição da Galeria Vermelho. Divulgação.

Art Basel OVR: Portals: 6 galerias brasileiras se apresentam na feira online

A Gentil Carioca, Central Galeria, Galeria Leme, Galeria Luisa Strina, Galeria Vermelho e Mendes Wood DM estarão na nova edição da Art Basel online viewing room

De 16 a 19 de junho acontece mais uma edição online da feira Art Basel. Intitulado Art Basel OVR: Portals, o evento terá como foco práticas de artistas que questionam os parâmetros que moldaram nossa condição contemporânea, através de lentes atuais e históricas. 303 galerias participam da feira e entre elas 6 são brasileiras e fazem parte do projeto Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad, uma parceria da Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT) e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). São elas: A Gentil Carioca, Central Galeria, Galeria Leme, Galeria Luisa Strina, Galeria Vermelho e Mendes Wood DM.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O tema da exposição da A Gentil Carioca é ‘Tempo’ e apresenta obras dos artistas João Modé, Laura Lima e Rodrigo Torres. Em uma das obras expostas, de Laura Lima, intitulada Bosch Picotado, a artista reproduz ‘Tentações de Santo Antão’, de Hieronymus Bosch, pintado entre 1945 e 1500.

A Central Galeria preparou a exposição ‘Documentos da Barbárie’, um projeto solo de Lourival Cuquinha, que propõe uma investigação ao passado que ainda é presente, contando histórias do ponto de vista de atores subjugados e abordando temas como exclusão social, luta dos povos indígenas e meio ambiente. Esta é a estreia do artista pela Central Galeria, e o público pode esperar retratos de uma contemporaneidade violenta do universo de temas urgentes de nosso país, como a deterioração do meio ambiente, a usurpação dos direitos dos povos indígenas e o abandono da população em situação de rua.

A Galeria Leme apresenta trabalhos de Sandra Gamarra, Jaime Lauriano e Flávio Cerqueira, na temática ‘As margens ainda estão dentro’. As obras questionam conceitos de hegemonia, especialmente no que se refere à marginalização e à memória. O público poderá mergulhar na história e refletir sobre incertezas do passado relacionadas com raça e identidade, aprendendo com o que já aconteceu para compreender melhor o que estamos vivendo e se preparar melhor para o futuro.

A Galeria Luisa Strina apresenta a exposição ‘La mala hora’, composta por obras dos artistas Jorge Macchi, Magdalena Jitrik, Marcius Galan e Renata Lucas, que trazem a estrutura do espaço-tempo do momento atual. As obras permitem observar instabilidade, fragilidade, deriva e atrito.

A Galeria Vermelho traz um projeto solo da artista Claudia Andujar sobre os povos indígenas Yanomami, que vivem na floresta Amazônica. Desde 1970, a artista luta, através da arte fotográfica, para defender este povo que está ameaçado por conta de atividades ilegais de mineração. Seus registros mostram a cultura xamânica dos Yanomami e, com aplicação de diferentes técnicas, trazem imagens com camadas, movimento, drama e intimidade. A exposição, intitulada ‘A Luta dos Yanomami’, já passou por São Paulo (IMS), Milão (Triennale), Paris (Fondation Cartier), e atualmente está em Londres (Barbican Centre).

A Mendes Wood DM apresenta oito novas obras do artista franco-argelino Neïl Beloufa, que desconstruiu a linha entre as realidades digital e física. Realidade e ficção, causa e efeito, presença e ausência, são as polaridades que dão forma ao seu trabalho. Desenvolvendo sua reflexão através de esculturas, vídeos, pinturas e instalações, Beloufa consegue desconstruir as crenças do sistema contemporâneo ao se movimentar entre o real e o imaginário.

Galerias do projeto Latitude ganham mais visibilidade através de plataformas digitais

O meio digital tornou-se imprescindível para galerias de arte de todo mundo divulgarem os trabalhos de seus artistas representados, quebrando fronteiras e alcançando públicos de diversos cantos do globo. Sabendo deste movimento e tendência, o projeto Latitude trabalha cada vez mais para inserir suas galerias em importantes plataformas digitais do mercado de arte contemporânea.

Um dos frutos deste trabalho é a inserção de 14 galerias apoiadas pelo Latitude na ArtNexus OVR com páginas dedicadas a cada uma delas na plataforma. Para ter acesso às obras expostas basta entrar no site, clicar em ‘Viewing Room’ e procurar pelo nome da galeria.

Na plataforma Artsy, uma das mais reconhecidas do mercado, a feature page lançada no mês passado com o tema ‘Brazilian Contemporary Art’ traz também obras de galerias apoiadas pelo projeto Latitude. Na página, o público pode encontrar uma obra de cada uma das 20 galerias apoiadas na plataforma desde o segundo semestre de 2020. Para acessar basta acessar o link https://www.artsy.net/feature/latitude.

Para visualizar as exposições, basta entrar na plataforma do evento: https://www.artbasel.com/ovr

Sobre o Latitude – Platform for Brazilian Art Galleries Abroad

O Latitude é um programa desenvolvido por meio de uma parceria firmada entre a Associação Brasileira de Arte Contemporânea – ABACT e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil, para promover a internacionalização do mercado brasileiro de arte contemporânea. Criado em 2007, conta hoje com quase 60 galerias de arte do mercado primário, localizadas em sete estados brasileiros e Distrito Federal, que representam mais de 1000 artistas contemporâneos. Seu objetivo é criar oportunidades de negócios de arte no exterior, fundamentalmente através de ações de capacitação, apoio à inserção internacional e promoção comercial e cultural.

O volume das exportações definitivas e temporárias das galerias do projeto Latitude vem crescendo significativamente. Em 2007, foram exportados US$ 6 milhões e, de acordo com a última Pesquisa Setorial Latitude publicada, em 2017 atingiu-se mais de US$ 65 milhões. As galerias Latitude foram responsáveis por 42% do volume total das exportações do setor no ano.

Desde abril de 2011, quando a ABACT assumiu o convênio com a Apex-Brasil, foram realizadas 48 ações em mais de 26 diferentes feiras internacionais, com aproximadamente 300 apoios concedidos a galerias Latitude. Neste mesmo período, foram trazidos ao Brasil aproximadamente 250 convidados internacionais, entre curadores, colecionadores e profissionais do mercado, em 23 edições de Art Immersion Trips. Além dessas ações, o Latitude realizou cinco edições de sua Pesquisa Setorial, com dados anuais sobre o mercado primário de arte contemporânea brasileira.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*