Home / Arte / Crítica da Exposição OUTOPOS por Paulo Roberto Cecchetti
Vernissage Exposição Outopos. Foto: Divulgação.

Crítica da Exposição OUTOPOS por Paulo Roberto Cecchetti

Irmãos de sangue. Sangram tela e papel em cores fortes. Fundam o Atelier Valença & Arts que encontram em seis anos o profundo mergulho nas artes plásticas, apesar de mundos paralelos. Elos. Ela com suas aquarelas; ele com seus grafites. Limites, não há! Carlos e Luciane Valença trazem, na exposição ‘Outopos’, o lirismo que resulta em uma arte única. Poética. Carlos, artista plástico e restaurador, formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ, nos traz com traços expressivos, esboços de desenhos que nos remete ao Renascimento. Luciane, designer e ilustradora, volta suas pinceladas perceptíveis ao campo do Surrealismo, passando pela Art Noveau. Futurismo presente. Esta viagem fantástica, de uma beleza envolvente, une emoção e psiquê ao cotidiano de suas inspirações. Exposições? Várias. Viajando no tempo temos em ‘Outopos’ a completa visualização de que o sonho abre caminhos para inserir na história da arte a parte que faltava ao conduzir este universo de realizações. #ExpoOutopos. Pronta para ser desnudada.

Paulo Roberto Cecchetti
Curador de Arte e Poeta

Comentários

Um comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*