Home / Arte / “Dez anos de Woodgothic:” por Juliana Vannucchi
Show da banda Escarlatina Obsessiva em 2017. Foto: Ilka Reiko.

“Dez anos de Woodgothic:” por Juliana Vannucchi

Juliana Vannucchi é graduada em Comunicação Social, licenciada em Filosofia e Editora-chefe do site Acervo Filosófico.

Juliana Vannucchi é graduada em Comunicação Social, licenciada em Filosofia e Editora-chefe do site Acervo Filosófico.

O Festival Woodgothic é um evento underground realizado em São Tomé das Letras (Minas Gerais) desde 2008. É idealizado por Karolina e Zaf, músicos do duo Escarlatina Obsessiva e residentes da mesma cidade em que o festival acontece.

Em 2018 completa-se dez anos da primeira edição do Woodgothic e este texto, visando a valorização das práticas undergrounds em solo nacional, se propõe a homenagear e divulgar o evento. Assim sendo, convido os leitores para uma viagem através do espaço, do tempo e da música, para que possam conhecer um pouco mais sobre o maior festival independente da América Latina. Voilà!

De acordo com os idealizadores, o início de todo o projeto do primeiro festival, que aconteceu há uma década atrás, surgiu “do movimento de bandas no underground brasileiro a partir de 2006, somado à disponibilidade do Centro de Eventos em São Thomé, que era considerado um “elefante branco” e ficava lá, às moscas, monumento do abandono do recurso público. Essencial para o desenvolvimento da primeira edição foi a colaboração do Sr. Juan Uviedo, artista, psicólogo, xamã, entre inúmeras outras coisas, e nosso saudoso amigo..”. Aliás, eis aqui um ponto importante que precisamos citar: falar do Woodgothic sem mencionar Uviedo, é uma grande injustiça. Figura conhecida e respeitada em São Tomé das Letras, Juan Uviedo, ativista social e artístico, foi quem, através de vários meios, apoiou e incentivou Karolina e Zaf a realizarem a primeira edição do festival, oferecendo suporte logístico, financeiro e prático. Ele ajudou a tirar o projeto do papel e a concretizá-lo; migrou uma idealização imaginária para o mundo real. Porém, infelizmente, o grande incentivador do duo e “padrinho” do festival, faleceu durante os preparativos da segunda edição, fato que abalou os organizadores, mas que, por outro lado, os motivou a colher forças e a ter persistência em dar continuidade àquela edição e também às seguintes. Até os dias de hoje, Uviedo é uma inspiração para cada edição do Woodgothic.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

De 2008 pra cá, o festival sofisticou-se, melhorou, atraiu cada vez mais público e tornou-se mais popular no meio underground. Conforme com Karolina e Zaf comentaram, desde os primórdios, o objetivo principal do festival é: “Criar uma situação em que o público possa ter acesso a um momento de experiência real, fora do mundo virtual, onde as pessoas que têm um interesse artístico comum vão se encontrar em carne e osso, em uma situação objetiva, distante da realidade urbana, e não em uma rede social em um mundo virtual qualquer. No Festival as coisas se realizam de maneira real e humana, olho no olho, naturalmente sem separação entre categorias, do tipo público e artista, e etc. Todos que participaram da última edição tiveram, cada um à sua maneira, essa mesma sensação de contato, de comunicação real, de liberdade na individualidade, da afirmação da heterogeneidade e identidade das pessoas, e da total inexistência de limites entre elas… é um momento de realização da utopia, sua concretização na realidade”. Não há dúvida de que o objetivo principal do evento é sempre conquistado com êxito, pois a cada edição que ocorre, fica claro o quanto o público aproveita a ocasião, se envolve e se apaixona, e também sempre há elogios feitos tanto pelos que participam, quanto por aqueles que acompanham à distância.

Público fiél e sempre presente no festival. Foto: Divulgação.

Público fiél e sempre presente no festival. Foto: Divulgação.

Um aspecto interessante do evento, cuja menção é importante, é o caráter filantrópico do festival. Desde a primeira edição, além do valor da entrada para o evento, o público leva alimentos não perecíveis que, posteriormente, são doados para a Associação Viva Criança (fundada por Uviedo), e que divide a arrecadação com outras associações beneficentes do município de São Tomé das Letras.

Apesar de alguns obstáculos para realização do festival e da falta de apoio por parte da prefeitura, o Woodgothic segue sendo realizado a partir do notável esforço de Karolina e Zaf, do suporte do público e da divulgação dos meios de comunicação undergrounds. Desde 2008 até a última edição, realizada em 2017, quase cem bandas já tocaram no festival. Dentre tais, vários artistas internacionais já subiram aos palcos, além, é claro, de vários músicos e bandas brasileiros. Se tudo correr bem, em 2019 haverá mais uma edição do evento. Por hora, nos resta aguardar ansiosamente.

Site Oficial do Evento: www.festivalwoodgothic.com

.

.

JULIANA VANNUCCHI
Sorocaba – São Paulo
Facebook Perfil | Facebook Fan Page
Website Acervo Filosófico
E-mail: ju.vannucchi@hotmail.com

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*