Home / Arte / A Cruz, no território democrático, laico e plural das artes

A Cruz, no território democrático, laico e plural das artes

as dinâmicas dos processos artísticos do centro-oeste brasileiro

Museu de Arte Sacra de São Paulo – MAS/SP, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, em conformidade com todos os protocolos definidos pelas áreas competentes, traz para a Sala MAS/Metrô Tiradentes a exposição coletiva Qual é a sua Cruz?” composta por 70 cruzes elaboradas por 51 artistas do centro oeste brasileiro; um recorte de uma coleção particular, sob curadoria de Daisy Estrá. “A coleção constrói uma narrativa imagética que acaba sendo sintética de uma das regiões mais ricas culturalmente do Brasil. (…..) Materiais inusitados, como chifres, couro de boi, casco e ossos de animais, pedras, cerâmica, lata, borracha, tecido, plástico e tantos outros materiais dialogam entre si, formando uma complexa rede de signos e símbolos. Essa polifonia a dialogar revela a identidade artística da região”, explica a curadora.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

A coleção é oriunda de um projeto do artista Gervane de Paula, intitulado “Sofram Comigo” que, partindo de uma necessidade pessoal enquanto confeccionava suas próprias cruzes, convidou os demais artistas a responder plasticamente, resultando em um conjunto de estilos e narrativas variadas, onde podemos observar a criação e atitude individual de cada um.

Qual é a sua Cruz?” se propõe a fornecer ao público um entendimento melhor do centro-oeste brasileiro ao “abrir as portas” do cerrado de forma poética, sem cair nos estereótipos que mais confundem do que esclarecem. “Não há no projeto uma linha estética engessada e pode-se ver produções mais acadêmicas, até arte urbana, altamente contestadora e politizada. O que as une, no conjunto, é a criação de uma espécie de RG artístico da região em que atuam, trazendo nomes de gerações distintas para conversar com a contemporaneidade”, conclui Daisy Estrá.

Exposição: “Qual é sua Cruz?
Curadoria: Daisy Estrá
Artistas: Adir Sodré, Adriana Miano, Ana Paula de Almeida, Aleixo Cortex, Arthur Escovino, Arthur Torenzan, Babu 78, Benedito Nunes, Carlos Batista, Carlos Lopes, Carlos Sodré, Conceição Bugres, Cida Silva, Cleide Ceramista, Creuza Medeiros, Clovis Irigaray, Dalva de Barros, Dora Lopez de Deus, Eugênia Vieira, Edinei Antunes, Elias de Paula, Francisco Diomar, George de Paula, Gervane de Paula, Goraibe, Henrique Bertulani, Humberto Espindola, Jaqueline Barroso, Jean Siqueira, João Sebastião, Júlio Cesar, June Fontenele, Letícia Peroni, Luis Cegada, Lupércio dos Santos, Marcia e Ronaldo Rodrigues, Mary Gema, Michel Abissal, Olímpio Bezerra, Paulo Pires, Rimaro, Roberto Almeida, Ruth Albernaz, Sebastian Silva, Souvier Podaratto, Télio Donizetti, Vania Mendes, Vitória Basaia, Waldomiro de Deus, Walques Rodrigues, Wander Melo.
Abertura: 23 de janeiro de 2021, sábado, das 11 às 14hs
Período: de 24 de janeiro 30 de março de 2021
Horários: Terça-feira a domingo, das 9 às 17h
Local: Sala MAS/Metrô Tiradentes
Estação Tiradentes do Metrô – São Paulo – SP
Tel.: 11 3326-5393 – informações complementares
Ingresso: Grátis aos usuários do Metrô
Número de obras: 70
Técnicas: diversas
Dimensões: Variadas

.

Midias Digitais

Site: www.museuartesacra.org.br
Instagram: www.instagram.com/museuartesacra
Facebook: www.facebook.com/MuseuArteSacra
Twitter: twitter.com/MuseuArteSacra
YouTube: www.youtube.com/MuseuArteSacra
Google Arts & Culture: bit.ly/2C1d7gX

Imprensa:

Assessoria de Imprensa – Museu de Arte Sacra de São Paulo
Silvia Balady – (11) 99117.7324

silvia@balady.com.br || imprensa@museuartesacra.org.br

Assessoria de imprensa – Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado
Simone Blanes – 94003-1711

simone.blanes@fsbcomunicacao.com.br || imprensaculturasp@sp.gov.br

Museu de Arte Sacra de São Paulo – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, é uma das mais importantes do gênero no país. É fruto de um convênio celebrado entre o Governo do Estado e a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, em 28 de outubro de 1969, e sua instalação data de 29 de junho de 1970. Desde então, o Museu de Arte Sacra de São Paulo passou a ocupar ala do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz, na avenida Tiradentes, centro da capital paulista. A edificação é um dos mais importantes monumentos da arquitetura colonial paulista, construído em taipa de pilão, raro exemplar remanescente na cidade, última chácara conventual da cidade. Foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, em 1943, e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Arquitetônico do Estado de São Paulo, em 1979. Tem grande parte de seu acervo também tombado pelo IPHAN, desde 1969, cujo inestimável patrimônio compreende relíquias das histórias do Brasil e mundial. O Museu de Arte Sacra de São Paulo detém uma vasta coleção de obras criadas entre os séculos 16 e 20, contando com exemplares raros e significativos. São mais de 10 mil itens no acervo. Possui obras de nomes reconhecidos, como Frei Agostinho da Piedade, Frei Agostinho de Jesus, Antônio Francisco Lisboa, o “Aleijadinho” e Benedito Calixto de Jesus, entre tantos, anônimos ou não. Destacam-se também as coleções de presépios, prataria e ourivesaria, lampadários, mobiliário, retábulos, altares, vestimentas, livros litúrgicos e numismática.

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO – MAS/SP

Presidente do Conselho de Administração – José Roberto Marcellino dos Santos
Diretor Executivo – José Carlos Marçal de Barros
Diretor de Planejamento e Gestão – Luiz Henrique Marcon Neves
Museóloga – Beatriz Cruz

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*