Home / Arte / Projeto inédito valoriza a formação em música popular brasileira para orquestras jovens a partir de 24 de fevereiro
Felipe Karam irá compartilhar conhecimentos e experiências com jovens instrumentistas. Foto: Luis Ferreirah.
Felipe Karam irá compartilhar conhecimentos e experiências com jovens instrumentistas. Foto: Luis Ferreirah.

Projeto inédito valoriza a formação em música popular brasileira para orquestras jovens a partir de 24 de fevereiro

A iniciativa cultural “Violino no Choro”, protagonizada pelo violinista Felipe Karam, visa ao fomento e à difusão da música genuinamente brasileira

Ao longo de sua trajetória, o violinista e compositor Felipe Karam vem reivindicando o uso do violino na música popular brasileira. Tal busca, o fez percorrer o mundo, se apresentando em diferentes palcos, com músicos de diversas culturas e estilos, como Reino Unido, Europa, Oriente Médio e até na Amazônia, onde viveu uma experiência singular com o grupo Brazilian Ensamble, ministrando aulas de música brasileira para as comunidades ribeirinhas. A partir de 24 de fevereiro, o músico gaúcho inicia um novo desafio: Levar o estudo da música popular brasileira para as orquestras juvenis de quatro municípios gaúchos. Com o financiamento da Lei Aldir Blanc, jovens das cidades de Caxias do Sul, Novo Hamburgo, Montenegro e Porto Alegre irão receberas ações formativas do projeto Violinono Choro – Fomento e Difusão da Música Genuinamente Brasileira, realizado com recursos da Lei nº 14.017/2020.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O projeto Violino no Choro consiste na produção e execução de oficinas, masterclasses, e concertos didáticos, de música brasileira, tomando-se como gênero principal o choro, considerado o “clássico brasileiro” pelo seu contexto histórico, diversidade rítmica e virtuosismo. Todas as atividades são ministradas por Felipe Karam, violinista de cinco cordas, formado pela City University London, em Londres-UK, com mestrado em Performance e profunda pesquisa e experiência na linguagem do choro e do jazz.

Segundo Felipe Karam, o projeto tem como objetivo principal suprir uma carência observada na formação dos instrumentistas de cordas friccionadas, mais precisamente da família dos violinos, de conhecimentos básicos, harmônicos e rítmicos presentes, de forma inequívoca, na música popular brasileira. “Busco instigar no aluno o interesse por aprofundar-se nestes conteúdos, celebrando a identidade musical brasileira, enquanto patrimônio cultural”.

Karam relembra que, historicamente, o violino tem sido visto como instrumento de orquestra, associado à música de concerto. Todavia, o músico e compositor afirma que não há barreira para a música e nem para um instrumento. “Ambos, estão a serviço do ato criador e para este não há limites”, declara.

A oficina “De Violino Também Dá” será oferecida aos integrantes de orquestras jovens e/ou projetos sociais de música e beneficiará, diretamente, cerca de 120 estudantes de quatro cidades Rio Grande do Sul. De Caxias do Sul, será contemplado o projeto Mais Música, da Fundação Marcopollo; de Montenegro, serão beneficiados alunos da Fundação Municipal de Artes (Fundarte); de Novo Hamburgo, o Núcleo de Orquestras Jovens de Novo Hamburgo (Secult), e em Porto Alegre, a Orquestra Villa-Lobos, da Escola Municipal Heitor Villa Lobos, e os alunos dos cursos de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Confira datas no “Serviço”.

Alunos avançados e até músicos profissionais, que atuem em áreas distintas, terão a oportunidade de receber orientações de Felipe Karam,de forma individualizada, por meio do masterclass “Alma Brasileira”. A oportunidade será direcionada exclusivamente a violinistas, violistas e violoncelistas em standards da música popular brasileira, a partir da oferta de partituras pré-estabelecidas pelo ministrante no site do projeto e via inscrição. O músico observa que as masterclasses costumam ser uma atividade comum aos instrumentistas das cordas friccionadas. “Serão oferecidas individualmente ao solista, a fim de conduzi-lo ao seu melhor desempenho, em uma performance musical, e diferencia-se, por abordar questões rítmicas e harmônicas, comuns aos músicos populares”, explica. Esta atividade ocorre em paralelo com a oficina “De Violino Também Dá”, em horários a combinar e possui cinco vagas por cidade.

Coroando as atividades formativas, estão previstas quatro edições do Concerto Didático “Vê se Gostas”, abertas ao público, que serão transmitidas ao vivo nas plataformas digitais do artista (facebook e youtube). Formado por Felipe Karam ao violino de cinco cordas, Max Garcia ao violão, Miguel Tejera nos baixos e Dani Vargas na bateria, o quarteto instrumental apresentará temas variados do repertório nacional, contemplando grandes expoentes da música brasileira, como Djavan e Dorival Caymmi, e apresentará músicas autorais de origem brasileira, como choro, samba, ijexá e baião. O concerto didático irá oferecer orientações musicais e peculiaridades sobre a identidade musical brasileira, sua história e diversidade rítmica. O título “Vê Se Gostas” faz referência a um choro brasileiro de Waldir Azevedo e propõe-se a celebrar a oficina e os masterclasses.

Práticas inclusivas

O projeto possui práticas voltadas para pessoas com deficiência (PCD´s) e prevê ações de acessibilidade como legendas, libras e audiodescrição. Todas as atividades serão gratuitas. Para democratizar o acesso ainda mais, serão realizadas quatro filmagens em 360º e áudio 3D. Este recurso proporcionará a experiência e o áudio imersivo, uma vez que, ao contrário do vídeo convencional, o vídeo 360º atende as pessoas que, devido à pandemia do covid-19, não poderão estar no evento presencialmente.

Aos participantes das oficinas, serão entregues livretos, gratuitamente, contendo material didático sobre a identidade musical brasileira. A finalidade é orientar os alunos sobre o conteúdo previsto nas atividades.

Sobre Felipe Karam

Natural de Porto Alegre, Felipe Karam é bacharel em violino pela UFRGS (2002) e mestre em Music Performance pela City University London (Londres-UK 2012), sob orientação do violinista cubano Omar Puentes. Sua trajetória inicia-se em 1998, com o Café Acústico, grupo agraciado pelo Prêmio Açorianos (Melhor Grupo de MPB – 1999 e 2000) e vencedor do Festival de Música de Porto Alegre. A partir de 2004, dá início à sua carreira internacional, dividindo-se entre Brasil, Inglaterra e Estados Unidos. As formações de maior destaque foram Pocket – Caravan (3 discos e turnês pela Europa), Grupo Caratinga de Choro e Samba (1 disco, Press Award-UK 2011 – Melhor CD de Música Brasileira) e o trio Brazilian Ensemble (Prêmio Funarte de Concertos Didáticos 2012), que por meio da instituição Live Music Now, por seis anos, realizou mais de 60 concertos ao ano, passando por Reino Unido, Oriente Médio e Amazônia Brasileira. Músico internacional, de larga experiência, já dividiu palco com Xangai, Renato Borghetti, Miltinho Edilberto, Samuca do Acordeon, Chico Chagas, Só Pra Contrariar, Pedrinho Figueiredo e outros. Como formador, em 2016, foi aceito pelo programa de intercâmbio de professores (bolsa Fulbright Scholar in Residence Award), pela qual ministrou a disciplina “História e Apreciação da Música Latino-Americana” no Departamento de Música do NVCC, em Waterbury, Connecticut, EUA. Em Porto Alegre, integrou a Camerata Pampeana com o Maestro Tasso Bangel (DVD “Alma Farroupilha”), Trio Surdina Pampeano com Samuca do Acordeon e Choro do Pampa com Rafael Ferrari. Em 2018 lançou o seu primeiro disco solo autoral, “De Sol a Sol”, no qual arranja, compõe e interpreta, gêneros e ritmos da música brasileira e internacionais, ao violino de cinco cordas, fato peculiar na discografia brasileira. “De Sol a Sol” recebeu duas indicações ao Prêmio Açorianos de Música (Melhor Compositor e Intérprete na Categoria Instrumental) e foi selecionado para o FEMUCIC 2019, com o frevo de autoria, que dá nome ao disco.

SERVIÇO:

Projeto Violino no Choro – Fomento e Difusão da Música Genuinamente Brasileira

Cronograma de Atividades:

– 1ª realização da oficina/masterclasses virtuais: dias 24, 25, 26 e 27 de fevereiro por meio da Plataforma Zoom, atendendo aos estudantes do Projeto Mais Música em Caxias do Sul-RS. Horários da oficina: 9h30min às 11h30min, 13h30min às 16h30min; masterclasses: a combinar.

– 1º Concerto Didático: dia 1º de março, (segunda-feira), às 20h: transmissão ao vivo nas plataformas digitais do artista (facebook e youtube). A gravação será realizada no Teatro Sesc Centro em Caxias do Sul, (Rua Moreira César, 2462, Pio X, Caxias do Sul-RS).

– 2ª realização da oficina/masterclasses virtuais: dias 17, 18, 19 e 20 de março por meio da Plataforma Zoom, atendendo aos estudantes do Núcleo de Orquestras Jovens de Novo Hamburgo/ Secult). Horários da oficina: 9h30min às 11h30min, 13h30min às 16h30min; masterclasses: a combinar.

– 2º Concerto Didático: dia 23 de março (terça-feira), às 20h: transmissão ao vivo nas plataformas digitais do artista (facebook e youtube). A gravação será realizada na Casa das Artes de Novo Hamburgo, (Rua Primeiro de Março, 59, Centro, Novo Hamburgo-RS);

– 3ª realização da oficina/masterclasses virtuais: dias 05, 06, 07 e 8 de abril por meio da Plataforma Zoom atendendo aos estudantes de música da Fundarte, Montenegro-RS. Horários da oficina: 9h30min às 11h30min, 13h30min às 16h30min; masterclasses: a combinar.

– 3º Concerto Didático: 9 de abril (sexta-feira), às 20h: transmissão ao vivo nas plataformas digitais do artista (facebook e youtube). A gravação será realizada no Teatro Therezinha Petry Cardona, prédio da Fundarte (Rua Capitão Porfírio, 2141, Centro, Montenegro-RS);

– 4ª realização da oficina/masterclasses virtuais: dias 26, 27, 28 e 29 de abril por meio da Plataforma Zoom atendendo aos estudantes de música da Orquestra Villa Lobos e alunos dos cursos de música da UFRGS; (horários da oficina: 9h30min às 11h30min, 13h30min às 16h30min).

– 4º Concerto Didático: dia30 de abril (sexta-feira), às 20h: transmissão ao vivo nas plataformas digitais do artista (facebook e youtube). A gravação será realizada no Salão de Atos da Ufrgs (Rua Eng. Luiz Englert, 1875, Farroupilha, Porto Alegre-RS).

Site Oficial: www.violinonochoro.com.br

Facebook Page: www.facebook.com/felipekaramviolinopopular

Instagram: www.instagram.com/violinonochoro

Youtube: www.youtube.com/user/felipe0987

Vídeoclip: www.youtube.com/watch?v=TPxgTWhDPaI

FICHA TÉCNICA

Idealização/Produção: Juliette Sabrina Bavaresco
Músico Principal: Felipe Karam
Audiovisual: Reverber Produtora
Projeto Gráfico/Gestão de Redes: Mônica Kern
Assessoria de Imprensa/Mentoria: Silvia Abreu
Site: Felipe Janicsek
Acessibilidade: Mil Palavras
Video Imersivo: MOOSICA360
Técnico de Som: Alexandre Scherer
Transmissão ao vivo e Luz: Marca Produções
Contabilidade: Cestacorp
Realização: Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e SEDAC. (Lei nº 14.017/2020)
Apoiadores: UFRGS (Salão de Atos e Prorext), FUNDARTE, SESC, SECULT (Novo Hamburgo), Orquestra Villa Lobos e Orquestra Marcopollo.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*