Home / Arte / Arnaldo Dias Baptista apresenta Exposição Inédita no Ponteio Lar Shopping em Belo Horizonte (17/8)
Exposição “Resistência: a ciência mutante da existência”, individual de Arnaldo Dias Baptista. Foto: Henrique Queiroga.
Exposição “Resistência: a ciência mutante da existência”, individual de Arnaldo Dias Baptista. Foto: Henrique Queiroga.

Arnaldo Dias Baptista apresenta Exposição Inédita no Ponteio Lar Shopping em Belo Horizonte (17/8)

Mostra individual “Resistência: a ciência mutante da existência” reúne pinturas inéditas do ex-mutante, que agora se dedica integralmente às artes plásticas. De 17 de agosto a 17 de setembro, com entrada franca.

Depois de três exposições individuais em São Paulo, “Lentes Magnéticas” (2012), “Exorealismo” (2014), ambas na galeria Emma Thomas, e a ocupação “Transmigração” na Caixa Cultural São Paulo (2016), o ex-mutante Arnaldo Dias Baptista chega a Belo Horizonte pela primeira vez com a exposição “Resistência: a ciência mutante da existência”, na Carminha Macedo Galeria de Artes, no Ponteio Lar Shopping. A curadoria é de Fabiana Figueiredo. Uma oportunidade muito esperada pelos fãs e admiradores de Arnaldo na capital mineira. O artista participará dos projetos Pé Direito e Vitrine d’Arte, idealizados pelo curador da Galeria Wagner Nardy, ocupando-os simultaneamente.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Artista multidisciplinar, Arnaldo Dias Baptista também se expressa por meio das artes visuais e da escrita. Começou a se dedicar aos desenhos, colagens e pinturas a partir de 1982 de forma espontânea e experimental, com ênfase no imaginário fantástico.

Investiga e re-significa todos os assuntos que lhe permeiam com total liberdade: teorias físicas, comportamentais, psicodelia, etimologia, teologia, erotismo, cultura popular e principalmente, musical. Por meio da figuração, o artista apresenta questões políticas, sociais, ecológicas, existenciais e metafísicas.

A linguagem vem de um rico universo pictórico e simbólico, sem censura, de modo que a cada obra, o espectador é convidado a conhecer algumas de suas facetas mutantes: a irônica, a transcendental, a melancólica ou a lúdica. Relacionando a música, a poesia, a escrita, a pintura, o desenho e a performance, Arnaldo e seu universo polifônico reverberam há algumas gerações, como um dos grandes representantes da contra-cultura nacional.

Curadora Convidada

Fabiana Figueiredo (Belo Horizonte, 1964)

Fotógrafa, editora e curadora, Fabiana Figueiredo fundou, em 2014, com o marido Pierre Devin, a SENSIBLE editions, dedicada a livros de arte edição limitada, assinados e numerados, junto com a Mission Lance Ventoux, MLV, uma reflexão autoral sobre um território específico. Durante 20 anos Fabiana foi coordenadora do NAFOTO – Núcleo dos Amigos da Fotografia, responsáveis pelo Mês Internacional da Fotografia, bienal internacional em São Paulo. Como fotógrafa, realizou diversos trabalhos sociais, como “A Noite de São Paulo”, “Palestina”, “Migrances”, entre outros. Suas fotos hoje são vistas na Bibliotheque National de Paris, coleção MASP Pirelli.

Arnaldo Dias Baptista

Nasce em 1948, em São Paulo, filho de mãe pianista e compositora Clarisse Leite Dias Baptista – e pai poeta e jornalista – César Dias Baptista. Foi fundador de Os Mutantes, que fez parte do Tropicalismo. A formação original, de 1968 a 1972, em São Paulo, trazia Arnaldo Baptista (baixo, teclado e vocais), Rita Lee (vocais) e Sérgio Dias (guitarra e vocais). Posteriormente, também participaram da banda Liminha (baixo) e Dinho Leme (bateria).

A partir de 1982, passa a dedicar-se com mais afinco às artes visuais. Desde esse período, participa de algumas exposições de arte e projetos musicais como a coletiva “Give Peace a Chance” (2001), em homenagem a John Lennon. Em 1987, lança o álbum cult “Disco Voador”, resultado dos rascunhos musicais deste período. Em 2004, é a vez de “Let it Bed”, produzido por John Ulhoa e listado pela revista inglesa Mojo entre os dez melhores lançamentos do ano. Entre 2006/07, participa da reunião de Os Mutantes, em Londres, em evento dedicado à Tropicália. Toca e canta em turnê pela Europa, Estados Unidos e Brasil em shows para até 80 mil pessoas. Em 2007, retoma carreira solo.

A vida e obra de Arnaldo Baptista são relatadas no documentário “Loki! Arnaldo Baptista” (2008), com produção do Canal Brasil e direção Paulo Henrique Fontenelle, que recebeu 14 prêmios no Brasil e no exterior. Neste mesmo ano, a editora Rocco lança o romance “Rebelde Entre os Rebeldes”, escrito na década de 1980. Em 2012 e 2014, realiza exposições individuais na Galeria Emma Thomas, em São Paulo. Suas telas e desenhos servem de vídeo-cenário para os shows de “Sarau o Benedito?”, que vem circulando desde 2011 por importantes palcos e eventos no Brasil, incluindo a Virada Cultural no Theatro Municipal de São Paulo, MIMO/Teatro de Santa Isabel e o circuito Sesc São Paulo e interior de música.

Em 2013/14, com alguns dos álbuns há mais de 30 anos fora de catálogo no formato físico, chega ao mundo digital toda a obra solo de Arnaldo, disponível no iTunes, cdbaby e serviços de streamings como Spotify e Deezer. Em 2015 as principais lojas físicas do país recebem a caixa em CD com os antológicos álbuns “Loki?” (1974), “Singin’ Alone” (1981), “Let It Bed” (2004) e os dois de Arnaldo Baptista & A Patrulha do Espaço: “Elo Perdido +” (1988), com cinco faixas bônus, e “Faremos Uma Noitada Excelente” (1988) em versão ao vivo. Em 2017, a Polysom lança o álbum “Loki?” em vinil 180 gramas.

Serviço:

Exposição “Resistência: a ciência mutante da existência”, individual de Arnaldo Dias Baptista
Data: 17 de agosto a 17 de setembro
Local: Carminha Macedo Galeria de Artes
Ponteio Lar ShoppingBR 356, 2500, Loja 218, 2o piso, Santa Lúcia, BH-MG
Visitação: segunda-feira a domingo
Horário: segunda-feira a sábado, 10h às 22h, domingos e feriados, 14h às 20h
Entrada franca

Acesso para pessoas com deficiência

Comentários

Um comentário

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*