Home / Arte / Maior festival de luzes da América Latina, Rio Mapping Festival começa na quinta-feira, 10, com intervenção no Parque das Ruínas
Mapping Gabinete Real. Foto: Ana Carvalho.

Maior festival de luzes da América Latina, Rio Mapping Festival começa na quinta-feira, 10, com intervenção no Parque das Ruínas

O Festival ocupa várias partes da cidade e do estado
do Rio de Janeiro de 10 a 20 de dezembro

O Rio de Janeiro recebe de 10 a 20 de dezembro a segunda edição do Rio Mapping Festival, considerado hoje o maior festival de luzes da América Latina, e oferece ao público a oportunidade de conhecer a tecnologia artística mais moderna e mais usada nas grandes capitais mundiais. A nova estrela da arte visual urbana é feita por meio de projeções em edifícios, construções e outras superfícies inusitadas ao longo da cidade. O Festival traz ainda performances de teatro e música, além de oficinas de Arte e Tecnologia nas escolas da rede pública, contemplando diversos pontos da cidade, em parceria com o projeto Ocupa Escola. Toda a programação é gratuita.

No dia 10 de dezembro às 20h, data de abertura oficial do II Rio Mapping Festival as projeções vão transformar a arquitetura imponente do Parque das Ruínas, em Santa Teresa. As intervenções ficam por conta de renomados artistas do segmento, os Vjs Ratón (BO), Paulo China, Grassmann (SP), Chico Abreu, Coletivo Mshare, Jodele Larcher, Lê Pantoja, DJ Saddam, Leandro VJ e Paulinho Sacramento. Para a janela de artes integradas o festival apresenta as performances poéticas e teatrais do coletivo Plástico Preto e a Companhia Contemporânea Mulher de Palavra. Na galeria de exposições do Parque, o publico vai conferir o resultado dos trabalhos realizados de pintura com Luz, pelos alunos da rede publica de ensino. A oficina aconteceu no dia 23 de novembro, em Bangu em colaboração com o Ocupa Escola projeto parceiro da Secretaria Municipal de Educação.

Já a partir do dia 11, as projeções, intervenções visuais e festas ocupam as ruas do Rio. Em Botafogo, no Contemporâneo Hostel, acontecem projeções de vídeo mapping e o Baile Sapucaia que convida DJ Galalau, VJ Raton & Lê Pantoja.

Mapping Gabinete Real. Foto: Ana Carvalho.

Mapping Gabinete Real. Foto: Ana Carvalho.

Na Baixada Fluminense, em Duque de Caxias, a programação de Artes Integradas começam às 18h no Goméia Galpão Criativo. Vídeo Mapping Live, Sarau Donana, Firmamento Sistema de Som, Capa Comics, Slow da BF e filmes do Cine Gomeia, Cinema de Guerrilha, Cineclube Buraco do Getúlio, Hulle Brasil, Marcelo Peregrino, Firmamento Sound System e Ras Bernardo.

Já no domingo, 13, às 15h, Ilha Grande recebe Paulinho Sacramento, VJ Leandro, VJ Ratón (Bolívia) e o DJ Sapucaia. No grafite o convidado para ação conjunta com video mapping é James Rasta. A programação segue durante a semana no Cine Joia – em Jacarepaguá; Real Gabinete Português de Leitura – na Praça Tiradentes e Museu da Maré.

Pela primeira vez na Ilha do Govenador, fechando com chave de ouro a segunda edição do festival, à partir das 20h começa o o show de projeção e luzes na Igreja Sagrada Familia e poderá ser vista por boa parte dos moradores do bairro. O publico presente vai assistir as intervenções dos artistas Marcus Vinicius e Vinícius Luz, VJ EletroIman, e VJ Leandro.

Rio Mapping Festival Morro da Providência. Foto: Ana Carvalho.

Rio Mapping Festival Morro da Providência. Foto: Ana Carvalho.

O vídeo mapping ou simplesmente projeção mapeada é uma das técnicas visuais mais inovadoras da atualidade e ainda pouco utilizadas no Brasil. Trata-se de usar uma projeção de vídeo como se fossem pinturas sobre superfícies não convencionais, como ruas, monumentos e edifícios, criando ilusões de ótica exuberantes. Com o software apropriado, uma imagem da superfície que vai receber o filme é capturada e a área do trabalho é desenhada. Todo o resto é eliminado, em um processo semelhante às camadas do Photoshop. Assim, basta que o artista adicione as camadas de vídeo da forma que desejar. O resultado é surpreendente.

O artista visual, diretor e curador do evento Paulinho Sacramento explica que o Rio Mapping Festival nasceu da necessidade de trazer olhares ampliados sobre uma das técnicas mais inovadoras da atualidade, provocando no público a sensibilização de uma nova forma de utilização dos espaços públicos. “O Festival pretende gerar impacto visual para a cidade do Rio de Janeiro em um momento de destaque no cenário turístico, artístico e cultural. Além disso, queremos atrair e ampliar o público consumidor de cultura de forma gratuita e interativa, integrando a arte visual, a música e a arquitetura no espaço público através de criatividade, experimentação e tecnologia,” diz.

CONHEÇA A PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA NO SITE DO FESTIVAL: www.riomappingfestival.com.br

Serviço:

Rio Mapping Festival 2015 – de 10 a 20 de dezembro (de quinta-feira domingo)
Abertura dia 10/ 12 – quinta-feira
Local: Parque das Ruinas – 20hs Janela Indoor de Artes Integradas
Performance Poética – Coletivo Plástico Preto, Teatro – Companhia Mulher de Palavra, Intervenções de Visuals: Vj Ratón (BO), VJ Paulo China, VJ Grasmann, VJ Chico Abreu, Coletivo Mshare, Jodele Larcher, Lê Pantoja,VJ Leandro.
Entre os dias 10 e 20 de dezembro (de quinta-feira domingo), sempre a partir das 20 horas, haverá performances em Santa Teresa, Botafogo, Madureira, Duque de Caxias, Ilha Grande, Jacarepaguá, Praça Tiradentes, Museu da Maré e Ilha do Governador.

Entrada gratuita.

 

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*