Home / Arte / Com programação 100% virtual, Rolé Carioca ruma em direção aos bairros da região da Leopoldina em outubro
Visita Albert Einsten na Fiocruz em 1925. Foto: COC Fiocruz/Divulgação.
Visita Albert Einsten na Fiocruz em 1925. Foto: COC Fiocruz/Divulgação.

Com programação 100% virtual, Rolé Carioca ruma em direção aos bairros da região da Leopoldina em outubro

  • Em outubro, o roteiro “Rumo ao subúrbio da Leopoldina” aborda a expansão da cidade para as zonas Norte e Oeste a partir da década de 40, mostrando personagens, acontecimentos históricos e curiosidades, além da relação entre as pessoas e o espaço urbano ao longo dos anos.
  • Com programação 100% virtual, o Rolé Carioca 2020 traz imagens aéreas feitas por drone, mapas digitais e imagens de arquivo que proporcionam uma imersão inédita na história da cidade, em roteiros exclusivos, inovadores e impossíveis de serem feitos a pé.
  • Agenda 2020 do projeto prevê conteúdos inéditos sobre cidade no canal do Rolé no YouTube, produção de mapa afetivo virtual e colaborativo do Rio e realização de seminário sobre memória, identidade e cidade.

A imponente – e infelizmente hoje mal conservada – Estação Leopoldina é o ponto de partida deste segundo roteiro virtual do Rolé Carioca em 2020 que, depois de abordar a relação do Rio de Janeiro com o mar em setembro, cruza a cidade e percorre agora bairros interligados pela estação de trem inaugurada em 1926 e que recebeu o nome da Imperatriz.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O passeio segue em direção ao castelo em estilo mourisco que abriga a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), instituição científica de ponta, inaugurada originalmente para fabricar soros e vacinas contra a peste bubônica, e que hoje é referência em pesquisas para vacina contra a covid-19.

O roteiro, guiado pelos professores e historiadores William Martins e Roberta Baltar, segue pela icônica avenida Brasil, principal via de acesso rodoviário à cidade do Rio de Janeiro, que liga o centro da cidade às zonas Norte e Oeste. Inaugurada em 1946, a avenida Brasil é símbolo da expansão da cidade rumo ao subúrbio, com a inauguração de indústrias e a migração de parte da população que vivia na zona central para a região.

Fruto direto deste movimento, a Maré – bairro formado por 16 favelas – é a próxima parada do roteiro. Originalmente colônia de pescadores, a Maré é hoje um dos maiores conjuntos de favelas do País, com 140 mil moradores, e conhecida por suas “palafitas e trapiches”, cantados na música Alagados, do grupo Paralamas do Sucesso. É na Maré que se situam vários pontos do passeio, incluindo o Piscinão de Ramos – uma piscina de água salgada, que reúne milhares de banhistas nos finais de semana.

O roteiro segue pelos bairros de Ramos – sede da escola de samba Imperatriz Leopoldinense – e Olaria, berço do tradicional bloco Cacique de Ramos, um dos símbolos mais populares do Carnaval carioca, coroando a visita guiada pelos subúrbios da Leopoldina – região formada pelos bairros de Bonsucesso, Brás de Pina, Cordovil, Manguinhos, Olaria, Parada de Lucas, Penha, Penha Circular, Vila da Penha, Ramos e Vigário Geral.

Rolé 100% virtual

Imagens aéreas feitas por drone, mapas digitais e imagens de arquivo dão origem a um material inédito, uma visualização imersiva apresentada em evento exclusivo. Às imagens da cidade são adicionados personagens, acontecimentos históricos e curiosidades abordando a relação entre as pessoas e o espaço urbano ao longo dos anos.

O Rolé na Rede, edição do Rolé Carioca em 2020, é um sobrevoo pela cidade a partir de um de seus maiores símbolos, a Baía de Guanabara. Se no primeiro passeio fomos em direção à parte do litoral que deu ao Rio uma identidade de balneário tropical, o segundo passeio virtual segue em direção ao outro lado: onde os aterramentos no entorno da baía já não lembram a cultura de praia, mas é símbolo do crescimento do subúrbio carioca, também ícone da identidade da cidade. Os próximos passeios cruzam o Atlântico para falar um pouco da camada da identidade do Rio de Janeiro formada pelo intercâmbio com o continente africano e com Portugal.

O novo formato garante, como nos eventos presenciais do Rolé Carioca, uma aula descontraída, com destaque para informações que vão além da história e contemplando camadas afetivas da relação com a cidade.

O passeio virtual “Rumo ao subúrbio da Leopoldina” acontece no dia 11 de outubro, às 10 horas da manhã pela plataforma Zoom e com transmissão também nas redes sociais do projeto. E, como não poderia faltar neste ano de pandemia e lives nas redes, o Rolé também irá promover entrevistas e as suas já tradicionais “mini-aulas”, sempre divulgadas com antecedência nos perfis do Rolé. Nelas, o historiador Willian Martins antecipa fatos históricos e curiosidades sobre o roteiro, preparando os viajantes virtuais para uma experiência mais completa durante o passeio.

SERVIÇO
Rolé Virtual: Rumo ao subúrbio do Leopoldina
Data: 11 de outubro (domingo)
Hora: 10 horas
Como participar: um link de acesso ao Zoom será liberado às 09h50 nos perfis do projeto no Facebook e Instagram
Gratuito – Não é necessário fazer inscrição
Duração: aproximadamente 2 horas
Site: www.rolecarioca.com.br
Facebook: /RoleCarioca
Instagram: @rolecarioca
YouTube: /RoleCarioca

.

Sobre o Rolé Carioca

Projeto multiplataforma que já visitou presencialmente diferentes roteiros, reunindo em seus passeios mais de 20 mil pessoas e percorrendo mais de 200 quilômetros pelas ruas do Rio de Janeiro desde 2013, o Rolé Carioca chega a 2020 com programação 100% virtual.

O portal www.rolecarioca.com.br funciona como um hub digital e reúne informações, curiosidades, personagens e a história de cerca de 50 roteiros diferentes, totalizando mais de 450 pontos de interesse histórico, cultural e afetivo mapeados ao longo dos sete anos do projeto.

Com quase 40 mil seguidores em suas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube), o Rolé Carioca foi um dos vencedores de 2019 do prêmio Rodrigo de Melo Franco, concedido pelo IPHAN a iniciativas de preservação e difusão do patrimônio histórico e cultural.

Sobre o Estúdio M’Barakå (UM-BA-RA-KÁ) – Realizador e idealizador do projeto

Criado há 14 anos por Isabel Seixas e Diogo Rezende, o estúdio M’Baraká desenvolve projetos múltiplos com profissionais de diversos segmentos e se destaca por sua metodologia, que envolve criação, pesquisa, planejamento estratégico e direção de arte. Desde 2013, a economista Larissa Victorio faz parte da sociedade. Os projetos do grupo são únicos, focados na criação de experiências relevantes, que geram conhecimento e valor para seus públicos: www.mbaraka.com.br

O Rolé Carioca conta com o patrocínio da Estacio e da Operadora Nacional do Sistema Elétrico (ONS), copatrocínio da First RH Group e Shift Gestão de Serviços e apoio da Lecca e da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*