Home / Arte / Darrell Black e a Arte do Definismo

Darrell Black e a Arte do Definismo

Tony Franco é Administrador de Empresas.

Tony Franco é Administrador de Empresas.

Em Frankfurt, Alemanha, o artista plástico Darrell Black, natural de Nova York, nos convida a viajar pelos caminhos do inconsciente através de suas obras, buscando uma melhor compreensão do nosso universo interior.

Atuando como soldado das forças armadas, despertou novamente às artes, após um encontro com memórias do passado.

Confira a entrevista completa do artista!

Entrevista

Darrell, conte-nos um pouco sobre você…

Meu nome é Darrell Urban Black, um artista visual americano, autodidata nascido no Brooklyn, em Nova York, que atualmente mora em Frankfurt, Alemanha.

Darrell Urban Black é Artista Plástico.

Darrell Urban Black é Artista Plástico.

Eu trabalho em uma variedade de formatos que incluem desenhos a caneta e tinta, pinturas acrílicas em madeira de tela, objetos de mídia mista e cola quente não tóxica que cria um efeito tridimensional em qualquer superfície que dá uma sensação de realismo e presença à minha arte.

Refiro-me a essa ilusão de ótica artística como “Definismo” em minha opinião, “Definismo, retrata várias diferenças na natureza humana, desde os dramas cotidianos da vida até a busca da humanidade por auto compreensão. Minhas obras de arte transportam os espectadores da estagnação de sua realidade diária para uma interpretação visual de outra realidade.”

Quando despertou seu desejo de ser um artista plástico?

Meu interesse pela arte começou na infância, enquanto meus pais tinham uma escultura em miniatura do artista Rodin ‘O Pensador’ e pinturas abstratas de vários artistas na parede. Na época, nunca me interessei realmente por isso, mas o que eu amava era o espaço e tudo o que tivesse a ver com ciência. Eu criei quando criança, uma nave espacial incluindo mundos futuristas e cidades usando todos e quaisquer utensílios domésticos que pude encontrar: utensílios, alfinetes de roupas e ferramentas. Qualquer coisa que eu pudesse encontrar para alimentar minha fantasia, esta foi minha primeira introdução à arte sem perceber, mas meu foco principal sempre foi a ciência.

Que tipo de arte mais gosta?

Os Artistas Chagall e Klee estão definitivamente no meu quadro de Grandes artistas que admiro, mas os criativos que mais me inspiram e influenciaram são Mark Rothko e Jean-Michel Basquiat, que na minha opinião são os artistas mais ousados e provocadores do século XX. Basquiat, por exemplo, tinha um estilo poético e muito corajoso que falava do comportamento humano instintivo e Rothko, usava cores puras para invocar emoção e significado além dos sentidos humanos.

Como desenvolveu seu estilo (técnicas)?

Meus primeiros trabalhos criativos começaram no papel, usando quatro cores primárias – azul, preto, vermelho e verde. Levei muitos anos de prática e muito incentivo de amigos e familiares antes de tentar uma paleta mais vibrante e variada. Também comecei a experimentar diferentes materiais – criando obras de arte em madeira, usando acrílico ou colando cerâmica na madeira para formar esculturas tridimensionais. O uso de cola quente diretamente na tela aconteceu por acaso durante a colagem de peças cerâmicas na madeira; a cerâmica se separou da madeira por acidente deixando desenhos muito interessantes, então decidi continuar criando imagens usando uma mistura de cola quente e acrílico sobre tela e madeira.

Cite caso tenha tido influências artísticas em suas obras e de quais artistas?

Três artistas visuais que continuam a ter um impacto sobre mim e minha arte são Mark Rothko, Jean Michel Basquiat e Jacob Lawrence. Esses artistas, na minha opinião, são os mais ousados e provocadores do século XX. Basquiat, me ajudou a formular as narrativas poéticas usadas em algumas de minhas obras, Mark Rothko, me encorajou a ser mais ousado, simplificando algumas de minhas imagens para cores e formas puras. Jacob Lawrence, o vibrante estilo de arte da experiência negra americana me deu ideias e exemplos que posso imitar em minhas próprias imagens.

Tem algum familiar ou conhecido que é artista plástico?

Pelo que sei sobre os meus familiares, alguns são músicos e outros trabalham na área do teatro ou da televisão, mas, tanto quanto sei, sou o único artista visual.

Viver de arte é possível?

Não no sentido tradicional de artistas pintando quadros e tendo colecionadores de arte interessados disponíveis que desejam comprar. No mercado de arte supersaturado de hoje, muitos artistas visuais desconhecidos e menos conhecidos precisam equilibrar um emprego em tempo integral enquanto criam obras de arte em casa, devido à falta de um estúdio disponível ou acessível ou de representação em galeria de arte. Esse suporte inexistente para novos e futuros criativos tem, na minha opinião, sufocado a originalidade artística, forçando muitos artistas desconhecidos a serem menos ousados, apenas reproduzindo artistas de sucesso do passado para ganhar aclamação e apoio financeiro do mundo da arte.

Algum dia já pensou em não atuar mais com arte? Pode comentar porquê?

Quando jovem, passei grande parte do meu tempo desenhando, acumulando uma coleção de mais de 500 obras em papel e, para minha consternação, todas se perderam. Alistei-me nas forças armadas transferindo-me para a Alemanha no exterior. Em última análise, foi aí que meu amor pela arte foi reacendido. Esta nova vida militar no exterior me preocupou com responsabilidades, amizades e cultura europeia desconhecida. O despertar da minha habilidade artística aconteceu por acidente, enquanto totalmente engajado na minha vida como um soldado, eu estava vasculhando uma caixa de fotos e tropecei em dez imagens de minhas primeiras obras de arte, com apenas uma vaga memória do que eu criei no passado. As fotografias me intrigaram, então tentei desenhar novamente e depois de semanas de muitas tentativas fracassadas, imagens reconhecíveis começaram a aparecer naquele momento, jurei nunca mais desistir de minha prática artística.

Quais habilidades são necessárias hoje para o artista plástico?

Qualquer pessoa pode se expressar de forma criativa e, na minha opinião, para ser artista só precisa de paixão. Todos têm a capacidade de expressar o que sentem a qualquer momento, transferindo essa expressão emocional para a tela ou papel que, por sua vez, invoca a reação do público espectador.

O que você sente quando cria ou aprecia uma obra de arte?

Criar ou admirar qualquer obra de arte é como os dois lados de uma mesma moeda, de um lado você tem o artista paralisado com o desafio de pegar a visão mental e colocá-la na tela ou no papel na sequência precisa para não perder a ideia que se torna uma tarefa difícil para o artista. Ver as obras de arte de outros artistas apresenta desafios semelhantes, uma vez que o público deve encontrar uma maneira de entender o conceito e o significado apresentado pelo artista. A titulação de uma obra de arte, em minha opinião, também pode ajudar o público a resolver parte da mentalidade criativa e dar ao espectador um ponto de partida dentro da obra de arte que revela a mensagem geral da pintura.

Suas inspirações para criar uma obra de arte?

A influência na minha arte vem de fontes tradicionais e não tradicionais. Eu me inspiro em tudo e todos que incorporam o estado mental ou físico da pessoa ou objeto em minhas criações. Por exemplo, aprender sobre a personalidade de Picasso, pesquisando toda a tragédia e agonia que ele causou a amigos e familiares; os problemas pessoais de artistas como Rothko, Pollock e Basquiat; as lutas de Winston Churchill para derrotar os nazistas e vencer a guerra contra a tirania; os cientistas do projeto Manhattan começando do zero para criar a bomba atômica; A determinação do Dr. Frankenstein em criar um monstro – toda essa luta, sofrimento e compromisso para ter sucesso contra todas as probabilidades me dá o incentivo como artista para criar um trabalho novo e inovador.

Qual arte mais impressionou você até agora?

Fui inspirado por muitas obras de diferentes artistas, cada pintura invocando sua própria mensagem individual, mas se eu pudesse escolher estas são minhas obras favoritas: Basquiat: Caveira sem título, Rothko: Número 14, Picasso’s: Guernica e Jacob Lawrence: The Swearing in.

Você tem de estar sempre criando ou cria apenas em certos momentos?

Eu crio sempre que sinto vontade de fazê-lo, mas muitas das minhas imagens foram todas iniciadas à noite, trabalhando até de madrugada para concluir a arte. Para muitos artistas, inclusive eu, surtos de criatividade podem surgir a qualquer momento e é por isso que tenho vários cadernos de desenho comigo em todos os momentos, caso uma ideia criativa me aconteça, posso desenhá-la imediatamente no papel.


Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima


O produto de uma obra sua é único ou tem alguma relação próxima ou distante de sua obra anterior?

Eu gostaria de pensar que todas as minhas obras de arte até agora têm algum ar de singularidade que força a imagem a se destacar por si só e, ao mesmo tempo, parecer assustadoramente semelhantes umas às outras, sendo facilmente reconhecíveis como “Definismo” para o público geral.

Quais os desafios da arte/artista no cenário atual?

Muitos desafios que se colocam ao futuro da arte e ao sustento dos artistas são os custos de transporte e seguro para transportar grandes obras de arte de um local para outro. Além disso, muitos artistas têm sobrecarga necessária para ajudar a manter sua criatividade em movimento. Por exemplo, a compra contínua de suprimentos de arte e o pagamento do espaço alugado do estúdio começam a criar um fardo intransponível para alguns artistas e o preço da criação torna-se um custo proibitivo.

As redes sociais têm lhe ajudado na divulgação de seu trabalho?

As redes sociais têm ajudado bastante na divulgação, acho que são uma parte indispensável da narrativa criativa.

Como as artes plásticas podem contribuir para a educação e cultura?

A arte sempre foi a busca pela compreensão do nosso inconsciente que, ao longo do tempo, revelou muitas informações sobre a psique humana. A contribuição das belas-artes na educação ajudará a sociedade a ter uma melhor compreensão do universo interior que existe dentro de todos nós e com este novo conhecimento e propósito, os criativos podem ajudar a forjar uma interpretação visual que seja culturalmente consciente e reflita diretamente os avanços tecnológicos na sociedade de hoje.

Como analisa as qualidades de uma obra de arte?

As qualidades únicas de uma obra de arte são imagens que, à primeira vista, parecem não se adequar a nenhum tema artístico conhecido ou estilo de arte do passado ou do presente; a imagem parece resultar de uma ideia radicalmente criativa que vai contra as formas tradicionais de criação. A princípio, essa nova criação é mal compreendida, mas ao mesmo tempo que invoca a curiosidade e o tempo, seu verdadeiro significado vai sendo revelado aos poucos, transformando a obra de arte em algo inovador e à frente de seu tempo.

Quais os critérios para estipular o valor de uma obra de arte?

O valor de qualquer obra de arte dependeria, em minha opinião, da linguagem visual universal que a imagem transmite. Por exemplo, todos os níveis da sociedade podem de alguma forma se identificar com aquela obra de arte. “O espectador pode ver seu mundo através da imagem retratada na tela.” Essa inclusão social determina o valor de qualquer obra de arte.

Fale sobre seus projetos atualmente…

Meus projetos de arte mais recentes são duas exibições de arte digital realizadas na Suíça e uma próxima obra de arte covid-19 em exibição com máscara no Copelouzos Family Art Museum, na Grécia.

Qual o seu conselho para os que estão começando agora?

Quem decide dedicar a vida às artes deve persistir e nunca desistir! Se você não tem certeza se uma carreira nas artes é para você, faça a si mesmo uma pergunta: “Eu amo criar?”. E se a resposta for um retumbante sim! É o seu caminho, então, para melhor ou pior, fique com ele.

Se desejar deixe uma mensagem…

Nunca me levei a sério, sempre me mantive fiel à minha arte e acreditei em sua capacidade de usar pistas visuais para ajudar a expressar as questões sociais do dia a dia.

Sobre suas exposições, tem algum comentário a respeito, sentimentos…

Cada exposição da qual participei tem seu próprio tema e propósito: cada local que reúne muitas pessoas de todas as esferas da vida com o propósito de ver arte e para qualquer artista visual, esta é uma chance de ser visto e ouvido com o poder da arte por um público muito apreciador, por esta oportunidade sou eternamente grato.

Poderia comentar alguma curiosidade artística?

Seria interessante olhar 50 anos para o futuro para ver o estado das artes e seu impacto nessa geração em particular.

Como definiria sua arte em uma linha?

Darrell Black e a Arte do Definismo.

Redes Sociais:

Facebook Perfil: @Darrell Black

Facebook Fan Page: @Darrell Black

Instagram: @definismart

Website: darrell-black.pixels.com

.

 


Grupo no Facebook | Instagram
LinkedIn | Facebook | Twitter

m Frankfurt, Alemanha, o artista plástico Darrell Black, natural de Nova York, nos convida a viajar pelos caminhos do inconsciente através de suas obras, buscando uma melhor compreensão do nosso universo interior. Atuando como soldado das forças armadas, despertou novamente às artes, após um encontro com memórias do passado. Confira a entrevista completa do artista! Entrevista Darrell, conte-nos um pouco sobre você… Meu nome é Darrell Urban Black, um artista visual americano, autodidata nascido no Brooklyn, em Nova York, que atualmente mora em Frankfurt, Alemanha. Darrell…

Revisão Geral

Excelente!!

Sumário : Avalie a entrevista! Agradecemos sua participação!!

Avaliação do Usuário: 4.8 ( 3 votos)

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*