Home / Arte / MAR recebe apresentação de pesquisa “Artistas e Educação Radical na América Latina: anos 1960-1970”

MAR recebe apresentação de pesquisa “Artistas e Educação Radical na América Latina: anos 1960-1970”

07 de fevereiro, às 16h
Entrada gratuita
Capacidade para 60 pessoas

O Museu de Arte do Rio, sob a gestão do Instituto Odeon, recebe nesta quinta-feira (07/02), às 16h, a apresentação da pesquisa “Artistas e Educação Radical na América Latina: anos 1960-1970″, realizada por Giulia Lamoni, Margarida Brito Alves e Cristiana Tejo, do Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa.  O evento, que será realizado a partir de uma parceria da Escola do Olhar do Museu de Arte do Rio com o Instituto MESA, também contará com um debate aberto ao público com a participação de Izabela Pucu, Coordenadora de Educação MAR, e Jessica Gogan, Diretora do Instituto Mesa.

Publicidade: Banner Luiz Carlos de Andrade Lima

O intuito do estudo é discutir suas premissas com artistas, curadores, críticos, pesquisadores e demais interessados. Trata-se de um projeto de pesquisa que busca explorar as relações entre arte e pedagogia experimental na região latino-americana nos anos 1960 e 1970, tendo como foco a análise de projetos liderados por mulheres artistas, contribuindo, assim, criticamente para a investigação do engajamento das mulheres no campo da educação artística contemporânea.

Saiba mais sobre o projeto:

Concebida como um espaço radical de emancipação individual e coletiva em um momento de opressão política em muitos países desta área, a criação de projetos pedagógicos por artistas, muitas vezes fundamentada em uma ruptura simbólica com o espaço institucional da sala de aula ou do museu, desenvolveu-se em direções múltiplas e heterogêneas. Baseado em pesquisas de arquivos e entrevistas, este projeto procura investigar uma série de experiências coletivas que obscureceram as fronteiras entre práticas artísticas e ensino, entre trabalho individual e coletivo, enquanto frequentemente reivindicando uma definição mais ampla e democrática de criatividade e a capacidade da arte de intervir nos processos sociais e psicológicos.

Tomando o ano de 1957 como ponto de partida – ano em que a arquiteta Lina Bo Bardi publicou o livro Contribuição Propedêutica ao Ensino da Teoria da Arquitetura em São Paulo -, o projeto é articulado em várias linhas de pesquisa sob a forma de estudos de caso e abrangendo a educação no campo da arte e da arquitetura. Estes incluem: Lina Bo Bardi e o ensino de arquitetura no Brasil no final dos anos 1950 e início dos anos 1960, Anna Bella Geiger e seus cursos no Museu de Arte Moderna no Rio de Janeiro no início dos anos 1970, o Workshop pedagógico de Mirtha Dermisache e ações em Buenos Aires na década de 1970 e a oficina de Cecilia Vicuña com a comunidade indígena Guambiano de Cauca na Colômbia em 1978.

Sobre as pesquisadoras:

Cristiana Tejo é membro integrado do Grupo de pesquisa em Estudos de Arte Contemporânea do Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa. Doutora em Sociologia pela UFPE, foi diretora do MAMAM e curadora da Fundação Joaquim Nabuco, no Recife.

Giulia Lamoni (Itália/Portugal) é Professora Auxiliar Visitante da Universidade Nova de Lisboa e pesquisadora da FCT no Instituto de História da Arte da mesma universidade. É doutora em Estética / Artes e Ciências da Arte pela Universidade de Paris I / Panthéon Sorbonne.

Margarida Brito Alves (Portugal) é Professora Auxiliar no Departamento de História da Arte da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Nova de Lisboa (UNL), onde é também Diretora Adjunta do Centro de Investigação do Instituto de História da Arte e coordenadora do Grupo de pesquisa em Estudos de Arte Contemporânea.

O Museu de Arte do Rio – MAR

Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o MAR tem atividades que envolvem coleta, registro, pesquisa, preservação e devolução à comunidade de bens culturais. Espaço proativo de apoio à educação e à cultura, o museu já nasceu com uma escola – a Escola do Olhar –, cuja proposta museológica é inovadora: propiciar o desenvolvimento de um programa educativo de referência para ações no Brasil e no exterior, conjugando arte e educação a partir do programa curatorial que norteia a instituição.

O MAR é gerido pelo Instituto Odeon, uma organização social da Cultura, selecionada pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por edital público. O museu tem o Grupo Globo como mantenedor e a Equinor como patrocinadora master de exposições por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

A Escola do Olhar conta com patrocínio da Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Dataprev, TNA, In Press e BNY Mellon por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. O MAR conta também com o apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e realização da Fundação Roberto Marinho, do Ministério da Cidadania e do Governo Federal do Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *

*